RelaçÃo entre o quadro álgico lombar e retraçÃo dos músculos envolvidos no posicionamento pélvico



Baixar 12.46 Kb.
Encontro30.06.2019
Tamanho12.46 Kb.

13ª Mostra da Produção Universitária

.

Rio Grande/RS, Brasil, 14 a 17 de outubro de 2014.


RELAÇÃO ENTRE O QUADRO ÁLGICO LOMBAR E RETRAÇÃO DOS MÚSCULOS ENVOLVIDOS NO POSICIONAMENTO PÉLVICO.

AMARAL, Carolina; SENHORA, Lilian; SILVA, Danilo.

PEIXOTO, Renata

amaralcarol@hotmail.com
Evento: Congresso de Iniciação Científica

Área do conhecimento: Ciências da Saúde
Palavras-chave: Dor lombar, liberação miofascial, Foam Roller
1 INTRODUÇÃO

A dor lombar é comum uma vez que a maioria das pessoas permanece por um longo tempo na mesma posição, fazendo com que o a pelve gere posturas compensatórios para manter-se estável, sendo elas: anteversão, retroversão ou inclinações laterais da pelve. Contudo, essas alterações podem acarretar encurtamentos musculares, aumento de tensão e pontos gatilhos, ou seja, pontos localizados em áreas rígidas de um músculo estriado, sensíveis à palpação que podem ser reduzidos com a liberação miofascial. A partir disso, o Foam Roller, um rolo que através da pressão profunda reduz os pontos da dor muscular, contribui na ativação muscular, auxilia no aumento da amplitude de movimento passiva e dinâmica, melhora a resposta neural e do tecido conjuntivo.

O objetivo da pesquisa é verificar a relação entre dor lombar e aumento do padrão retracional dos músculos envolvidos no posicionamento pélvico. Contudo, o trabalho foi proposto em virtude dos questionamentos que surgiram em consequência da nossa prática e o escasso embasamento teórico disponível.
2 REFERENCIAL TEÓRICO

A postura está presente em todo e qualquer movimento que é realizado ao longo do dia, mas, “Uma postura ruim e uma técnica incorreta podem causar desequilíbrio nos músculos, levando a lesões.” (WALKER, 2012, p.35). Podem ocorrer encurtamentos nos músculos envolvidos no posicionamento pélvico, como já dito por Hamill e Knutzen (2012) as musculaturas precisam estar equilibradas, assim a pelve não seria projetada anteriormente nem posteriormente. Havendo anteversão pélvica, há o aumento da lordose lombar da coluna vertebral, gerando sobrecargas compressivas nas articulações dos processos articulares das vértebras da lombar (NEUMANN, 2006) podendo gerar dor. Contudo, o uso do Foam Roller é uma técnica moderna utilizada, segundo Sullivan, et al. (2013), para imitar as técnicas de liberação miofascial que tem como objetivo aumentar a amplitude de movimento (ADM) e proporcionar o alívio nos pontos de pressão que podem estar presentes na fáscia gerando o aumento de dor.


3 MATERIAIS E MÉTODOS (ou PROCEDIMENTO METODOLÓGICO)

Pesquisa de caráter quantitativo, com alunos que realizam atividade física em uma clínica de fisioterapia do centro da cidade do Rio Grande. Uso de um questionário fechado pré elaborado de Roland Morris – RMDQ com alguns ajustes para contemplar os objetivos da pesquisa; goniômetro plástico para verificar os graus de amplitude de movimento da adução do quadril; Banco de Wells para verificar o grau de flexibilidade da cadeia posterior dos membros inferiores; Escala Visual Analógica (EVA) para quantificar a dor lombar e o uso do Foam Roller utilizado para liberação miofascial. Serão realizadas duas liberações por semana, totalizando 30 sessões, sendo feitas duas novas reavaliações, após a 15ª sessão e a 30ª sessão.


4 RESULTADOS e DISCUSSÃO

Biomecanicamente, tratando-se de pelve existem duas alterações consequentes de erros funcionais ou estruturais: anteversão pélvica, que de acordo com Lopes (2008, p.15) é a “situação onde as espinhas ilíacas antêro-superiores do quadril são projetadas à frente, ocasionando um aumento excessivo da lordose lombar” ou a retroversão que é quando as “[...] espinhas ilíacas ântero-superiores são projetadas para trás, ocasionando uma diminuição ou até mesmo uma retificação da lordose lombar.”. Anatomicamente, o corpo humano possui uma maior predisposição a realizar a anteversão pélvica, já que os músculos responsáveis pela flexão do quadril apresentam-se em maior quantidade (NEUMANN, 2006). Por isso, a tendência de encurtamento ou maior fortalecimento dos músculos flexores do quadril prevalece, já que o homem realiza movimentos que favorecem a flexão de quadril no dia a dia, como sentar, agachar, inclinar anteriormente entre outros.



5 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Conclui-se que se tratando de posicionamento pélvico muitos fatores podem influenciar na presença de dor lombar, os desequilíbrios musculares devem ser tratados como um todo. Porém, levando-se em consideração a quantidade de musculaturas presentes na parte anterior dos membros inferiores, inseridas na pelve, é necessário que elas recebam uma atenção significativa na relação com a investigação da dor lombar, uma vez que as indicações terapêuticas normalmente falam isoladamente em retrações na cadeia posterior, podendo ocorrer reincidência dos pacientes às clínicas, devido a conduta terapêutica não ser oriunda de processo investigativo adequado.


REFERÊNCIAS
HAMILL, J; KNUTZEN, K. Bases biomecânicas do movimento humano. 3ed. Barueri, SP: Manole, 2012.
LOPES, A. Dicionário ilustrado de fisioterapia. 2ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005. 258p.
NEUMANN, D. Cinesiologia do aparelho musculoesquelético. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.
SULLIVAN, K; SILVEY, D; BUTTON, D; BEHM, D. Roller-massager application to the hamstrings increases sit-and-reach range of motion within five to ten seconds without performance impairments. Int. J. Sports Phys Ther. vol8. n.3. jun. 2013. p. 228-236.
WALKER, Brad. Lesões no esporte: uma abordagem anatômica. Barueri, SP: Manole, 2010.






©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal