Química Orgânica: os compostos do carbono



Baixar 316.48 Kb.
Página1/5
Encontro02.07.2019
Tamanho316.48 Kb.
  1   2   3   4   5

Capítulo 1. Química Orgânica: os compostos do carbono
Objetivos: Revisão sobre estruturas e reatividades de compostos orgânicos.

Hidrocarbonetos: compostos contendo apenas C e H.

Classes de hidrocarbonetos: alcanos, alcenos, alcinos e aromáticos.

Compostos com composições idênticas cujas moléculas têm diferentes

estruturas: a existência de isômeros.

Princípio organizacional da química orgânica: grupo funcional.

Moléculas bioquimicamente importantes: proteínas, carboidratos e ácidos nucléicos.


  1. O surgimento da expressão química orgânica:

Torben Olof Bergman, químico sueco (1777), introduziu na literatura química pela primeira vez a expressão Química Orgânica.



  • Compostos Orgânicos: substâncias dos organismos vivos.

  • Compostos Inorgânicos: substâncias do reino mineral.

O elemento carbono forma um vasto número de compostos. Mais de 16 milhões de compostos contendo carbono são conhecidos; aproximadamente 90% dos novos compostos sintetizados a cada ano contêm carbono. O estudo dos compostos de carbono constitui um ramo separado da química, conhecido como Química Orgânica. Esse termo originou-se das crenças do século XVII de que os compostos orgânicos poderiam ser formados apenas pelos seres vivos. Essa idéia foi desmentida em 1828 pelo químico alemão Friedrich Wohler quando sintetizou a uréia (H2NCONH2), uma substância orgânica encontrada na urina dos mamíferos, por meio do aquecimento de cianato de amônio (NH4OCN), substância inorgânica.


NH2

Síntese de Wohler : NH4OCN  O = C


Cianato de anônio

Uréia
NH2

Cronologia de algumas preparações e acontecimentos ocorridos após a síntese de Wohler:


1828: Hennel prepara o álcool etílico.

1846: Dr. John C. Warren realiza, no Hospital Geral de Massachusetts (EUA), a primeira intervanção cirúrgica de grande porte com o emprego de um anestésico: o éter. Este fato fato assinala uma nova era na Medicina: a era dos anestésicos.

1847: Dr. James Simpson, cirurgião de Edimburgo, usa pela primeira vez o clorofórmio como anestésico.

1848: Frankland e Kolbe preparam o ácido acético.

1854: Berthelot prepara o gás metano.

1935: Químicos do Instituto Pasteur descobrem a sulfanilamida: substância de ação bactericida. A seguir são descobertas outras sulfas.

1945: A partir da descoberta da penicilina, em 1929, por Alexandre Fleming, químicos e físicos da Inglaterra e dos Estados Unidos descobrem que existem várias penicilinas e conseguem sintetizar a Penicilina G. (As penicilinas são agentes bactericidas mais eficazes que as sulfas).


  1. Algumas características gerais das moléculas orgânicas:


O que o carbono apresenta que leva à enorme diversidade em seus compostos e permite que tenham papéis cruciais na biologia e na indústria? Os compostos orgânicos diferenciam-se dos inorgânicos por uma série de características:


    1. Elementos constituintes: constituídos fundamentalmente por 4 elementos: C, H, O e N, denominados elementos organógenos.

    2. Combustão: como todos os compostos orgânicos contêm C e a imensa maioria possui H, a queima completa dessas substâncias produz CO2 e H2O. A combustão incompleta produz CO, enquanto a parcial, apenas C (fuligem). Portanto, para um composto orgânico que contém C e H ou C, H e O, pode-se escrever:

Composto orgânico + O2 combustão completa CO2 + H2O




OBS: A combustão incompleta dos combustíveis produz CO, que, ao ser inalado, se une a hemoglobina, impedindo que ela exerça o papel fundamental de transportar oxigênio no sangue. Produz também carvão, que caracteriza fuligem, liberada principalmente pelos caminhões desregulados.


c) Ligações e forças intermoleculares: grande parte dos compostos orgânicos exibe apenas ligações covalentes. Dessa forma, as forças de atração intermoleculares predominantes são as forças de Van der Waals; posteriormente aparecem as forças de atração entre dipolos permanentes, o que inclui as pontes de hidrogênio. As substâncias orgânicas que exibem ligação iônica apresentam, na maioria das vezes, pequeno grau de dissociação ao serem dissolvidas num solvente, em geral, a água.

d) Estabilidade: os compostos orgânicos apresentam, geralmente, pequena estabilidade diante de agentes enérgicos, como temperatura, pressão, ácidos concentrados, entre outros. Como vimos, a maioria dos compostos orgânicos ao ser aquecidos sofre combustão completa, produzindo CO2, incompleta, formando CO, ou carbonização, que origina carbono.

e) Ponto de fusão e de ebulição: os compostos orgânicos sendo, de modo geral, moleculares apresentam pontos de fusão e ebulição baixos.Isso justifica a predominância na Química Orgânica de compostos gasosos e líquidos: os sólidos existentes são, em grande parte, facilmente fusíveis.

f) Solubilidade: os compostos orgânicos, em geral, são solúveis em solventes apolares e insolúveis em solventes polares, como a água.

g) Velocidade das reações: as reações orgânicas envolvendo, geralmente, substâncias moleculares e de grande massa molar são, na maioria dos casos, lentas, requerendo o uso de catalisadores. O aquecimento para aumentar a velocidade deve ser feito com cuidado, devido à instabilidade dos compostos orgânicos em elevadas temperaturas.

h) Isomeria: fenômeno verificado quando duas ou mais substâncias diferentes apresentam a mesma fórmula molecular. Por ex., com a fórmula C2H6O existem duas substâncias: etanol (álccol comum) e metoximetano (éter dimetílico).


H3C – CH2 – OH H3C – O – CH3

Etanol Metoximetano

(líquido) (vapor)



  1. Características do átomo de carbono:

Em 1852, o químico inglês Edward Frankland publicou um trabalho em que parecia a expessão valência, relacionada com a capacidade de ligação que teriam os átomos. Poucos anos depois, o químico alemão August Kekulé lançava hipóteses extraordinárias, que causariam um grande avanço no estudo das substâncias orgânicas:




  • O carbono teria quatro valências.




C



  • Os átomos de C poderiam formar cadeias.

C – C – C – C




  • Os átomos de C poderiam unir-se entre si, utilizando uma ou mais valências.

C – C C = C C  C

Lig. Simples Lig. Dupla Lig. Tripla
Os átomos de C têm enorme capacidade de ligar-se a outros átomos de C ou de diferentes elementos, formando seqüências estáveis.

Cadeia é o nome dado à seqüência de átomos ligados entre si.

Em todas as cadeias carbônicas, observamos que o número de ligações covalentes de um átomo de C é igual a quatro. Entretanto, dois átomos de C podem ligar-se entre si por ligações simples, dupla ou tripla.




Tipo de ligação entre C

Ligações estabelecidas

Hibridação

Geometria do carbono

Ângulo entre as ligações

Exemplo

4 lig. simples

4 

sp3

tetraedro

109º28’

CH4

1 lig. dupla

3  e 1 

sp2

triangular

120º

H2C = O

1 lig. tripla

2  e 2 

sp

linear

180º

H – C  N

2 lig. duplas

2  e 2 

sp

linear

180º

O = C = O




  1. Classificação do carbono na cadeia carbônica:

Observando modelos de várias cadeias carbônicas, os cientistas notaram que determinado átomo de carbono podia estar unido a um, dois, três ou quatro átomos de carbono. Em função dessas observações, os carbonos foram classificados da seguinte maneira:




Classificação

Conceito

Exemplo

C primário


Ligado a apenas outro átomo de carbono

CC

C secundário

Ligado a dois átomos de carbono

CC C

C terciário

Ligado a três átomos de carbono


C C C
C

C quaternário

Ligado a quatro átomos de carbono (o número máximo de ligações que o carbono admite).

C



C CC




C


Exemplo: C1 1  carbonos primários






C1 – C2 – C3 – C4 – C1 2  carbono secundário
C1 C1 3  carbono terciário

4  carbono quaternário


Um átomo de carbono é nulário (n) quando não se liga a nenhum outro átomo de carbono. O número de compostos que exibem apenas carbonos nulários é muito pequeno; não chamaremos a atenção para os átomos nulários.


  1. As cadeias carbônicas:

Atualmente são conhecidos aproximadamente 7 milhões de compostos orgânicos e apenas cerca de 200 mil substâncias inorgânicas. Esse enorme número de compostos orgânicos, formado na maioria por 4 elementos químicos ( C, H, O e N ), é explicável por uma propriedade muito especial do elemento carbono: a formação de cadeias.

O quadro abaixo mostra as diversas apresentações de duas estruturas típicas, uma cadeia aberta outra fechada.






Butano C4H10

Ciclo-propano C3H6

Fórmula estrutural plana





C C C C



C
C C




Fórmula estrutural simplificada

H3C – CH2 – CH2 – CH3



CH2
H2C CH2

Representação tipo bond line









OBS: A representação da cadeia carbônica por meio de segmentos de reta (bond line formula) ainda não tem nome oficial em português . Essa representação obedece ao seguinte código:



  • A cadeia será representada como um ziguezague.

  • As pontas corresponderão ao grupo CH3.

  • A junção de dois traços corresponderá a um grupo CH2.

  • A junção de três traços indicará um grupo CH.

  • A junção de quatro traços corresponderá a um carbono quaternário.

Exemplos:




H3C – CH = CH – CH3




H3C – N – CH2 – CH3  N


CH3


  1. Classificação das cadeias carbônicas:

Uma cadeia carbônica pode ser classificada de acordo com vários critérios:




    1. Quanto ao sentido do percurso

      • Aberta ou acíclica: quando percorrida num sentido qualquer, sempre se chega a uma extremidade.

      • Fechada ou cíclica: percorrida num determinado sentido, nunca se chega a uma extremidade.

b) Quanto à disposição



  • Normal ou linear: quando contém apenas átomos de carbono primários e/ou secundários.

  • Ramificada ou arborescente: quando contém átomos de carbono terciários e/ou quaternários.




  1. Quanto à saturação

    • Saturada: quando entre átomos de carbono existem apenas ligações simples.

    • Insaturada: quando entre átomos de carbono existem ligações duplas e/ou triplas.


d) Quanto à natureza

  • Homogênea: quando entre átomos de carbono existem apenas átomos de carbono.

  • Heterogênea: quando entre átomos de carbono existe átomo diferente de carbono (heteroátomo).

É hábito denominar as cadeias cíclicas ramificadas de mistas. Portanto, uma cadeia mista é uma cadeia carbônica que tem uma parte cíclica e outra acíclica.

Halogênios nunca podem ser heteroátomos. Eles pertencem à família 7A e por esse motivo, fazem apenas uma ligação covalente e nunca poderão estar intercalados entre dois carbonos.

Veja a cadeia da molécula do cloro-etano, por ex., que é um gás usado como anestésico:




H3C – CH2 – CH2 – Cl




Não é heteroátomo


Átomos como oxigênio (O), nitrogênio (N), fósforo (P) e enxofre (S), que formam várias ligações covalentes, podem ser heteroátomos ou não, dependendo da maneira como se colocam na estrutura da molécula. Veja os ex. abaixo:
H
O heteroátomo precisa estar ligado a pelo menos dois átomos de carbono.
eteroátomo Não é heteroátomo
H3C – O – CH3 H3C – CH2 – O – H
H3C – N – CH3 H3C – CH2 – N – H


CH3 H




OBS: Núcleo benzênico é uma cadeia homogênea e cíclica constituída de seis átomos de carbono no anel, ligados alternadamente por ligações simples e duplas. Ele pode ser representado de várias maneiras.

OBS: Cadeia aromática é uma cadeia homocíclica (homogênea e cíclica) que apresenta núcleo benzênico.

Cadeia alicíclica é uma cadeia homocíclica que não apresenta núcleo benzênico.

As ligações dupla ne tripla denominam-se ligações insaturadas ou insaturações.

O grupo mais característico das cadeias aromáticas denomina-se núcleo (ou anel) benzênico, ou apenas grupo aromático. O composto aromático mais simples é o benzeno.




  1. Classificação dos compostos orgânicos:

De acordo com a cadeia carbônica os compostos orgânicos classificam-se em heterocíclicos, aromáticos e alifáticos.




  • Heterocíclicos: apresentam cadeia carbônica heterocíclica (heterogênea e cíclica), com ou sem ramificação.

  • Aromáticos: apresentam cadeia carbônica aromática, com ou sem ramificação.

  • Alifáticos (são os demais): apresentam cadeia carbônica acíclica ou alicíclica, com ou sem ramificação.


8
Cadeias carbônicas

Aberta (acíclica ou alifática)

Fechada (cíclica)

Normal
. Classificação geral das cadeias carbônicas:





quanto às ramificações


Ramificada



Saturada

tipo de ligação

Insaturada

Homogênea




tipo de átomo



Heterogênea

Homogênea (homocíclica)



Aromática





Heterogênea (heterocíclica)





Saturada

Insaturada

Não-aromática (alicíclica)

9. Função orgânica:
Função química é uma série de compostos que tem propriedades químicas em comum. Esses compostos apresentam um radical (ou grupo) funcional, grupamento atômico comum a todos os constituintes da função, responsável pelas suas propriedades químicas.
Nomenclatura oficial:
O nome oficial das substâncias orgânicas é constituído de acordo com normas estabelecidas pela União Internacional de Química Pura e Aplicada (Iupac). As normas da Iupac permitem que seja estabelecido um nome característico para cada composto, não importando a maneira como a cadeia carbônica é escrita. Esse sistema de regras foi criado em 1892, mas tem sido constantemente aprimorado por meio de várias revisões. A nomenclatura oficial visa uniformizar os critérios para se nomear um composto orgânico. Desse modo geral, podemos dizer que o nome oficial de uma substância orgânica apresenta 3 partes principais:



Nome oficial = prefixo + parte intermediária + sufixo



  • Prefixo: Indica a quantidade de átomos de carbono na cadeia. Os quatro primeiros receberam nomes consagrados pelo uso (met, et, prop e but) ; de 5 átomos em diante são usados os prefixos gregos (pent, hex, ...).



Número de átomos de carbono


Prefixo

1

Met

2

Et

3

Prop

4

But

5

Pent

6

Hex

7

Hept

8

Oct

9

Non

10

Dec

11

Undec


12

Dodec


13

Tridec


14

Tetradec


15

Pentadec


Catálogo: downloads
downloads -> 1. As figuras abaixo mostram esquema tridimensional e cortes histológicos da odontogênese. Entenda as figuras e responda as questões abaixo. Identifique as estruturas apontadas e as fases do desenvolvimento dentário
downloads -> 1997, Secretaria de Estado da Saúde do Paraná
downloads -> Pré-Avaliação de Geografia – Prof. Nivaldo 8º Ano ef – IV bimestre Data
downloads -> Reposicionamento do nervo inferior alveolar em conjunção com o posicionamento de implantes ósseo integrados: Relatório de um ca
downloads -> Hemorragia do soalho da boca, resultado da perfuração lingual durante o implante
downloads -> 100 motivos para ir ao dentista parte 07 Antônio Inácio Ribeiro 2001 odontex
downloads -> ReconstituiçÃo de defeitos maxilares alveolares com enxerto de sinfisis mandibular para implantes dentarios
downloads -> Biologia Tecidual aplicada à implantodontia


Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande