Questões de vestibular 2005



Baixar 194.01 Kb.
Página1/3
Encontro17.11.2017
Tamanho194.01 Kb.
  1   2   3


PROVA DOS DEMAIS CURSOS PROCESSO SELETIVO 2012


PROVA DE REDAÇÃO
A seguir, são propostos dois temas para a produção de um texto dissertativo-argumentativo. Escolha um deles para desenvolver o seu texto.

Tema 1

O DIREITO AO PRÓPRIO CORPO
Ninguém hoje tem liberdade de fazer o que quiser com o próprio corpo, ainda que o único prejudicado venha a ser o próprio indivíduo. Ninguém pode vender um rim, uma córnea ou o próprio sangue, embora haja quem venda os cabelos. Motociclistas têm que usar capacete, e motoristas e passageiros têm que usar cinto de segurança, ainda que os únicos prejudicados pelo descumprimento da lei sejam as próprias vítimas. A prostituição é proibida, mesmo quando voluntária, consciente e praticada por adultos, ainda que esta não seja senão uma questão de foro íntimo, em que a única eventual vítima é quem se prostitui. O consumo de drogas é proibido, mesmo se tiverem sido plantadas no quintal, e consumidas em casa, ou seja, sem que nenhum terceiro venha a ser afetado por isso. O suicídio assistido, ou ortotanásia, com técnicas para evitar a dor, é veementemente condenado, mesmo para pacientes em estado terminal, ainda que ninguém, a não ser o próprio suicida, venha a ser prejudicado. Os argumentos para tais proibições, que fogem à regra de que o direito de alguém termina onde começa o direito dos outros, derivam quase sempre da crença de que o indivíduo, sendo incapaz de um efetivo livre-arbítrio, deve ser protegido de si mesmo pelo Estado. Será mesmo? Deverá o Estado ter mais direito sobre o corpo do cidadão do que o cidadão sobre o seu próprio corpo? Mesmo quando o único prejudicado seja o próprio cidadão?
A partir de elementos objetivos, desenvolva uma dissertação que procure explorar os vários argumentos, favoráveis e desfavoráveis, sobre o direito que o cidadão deve ter, ou não ter, sobre seu próprio corpo. Dê um título a seu texto.

Tema 2

Em 2002, o sequestro de Ingrid Betancourt, então candidata às eleiçõies presidenciais da Colômbia, atraiu as atenções do mundo para o conflito que há décadas dilacera o país sul-americano. Durante uma viagem de campanha, Ingrid e membros de sua comitiva foram aprisionados por um comando das Farc, a brutal organização guerrilheira colombiana. Ao longo de quase sete anos, ela ficou sequestrada, muitas vezes acorretada, sempre humilhada e sujeita a uma vigilância feroz.

Abaixo você tem um trecho do livro autobiográfico de Ingrid Betancourt denominado: Não há silêncio que não termine. Leia com atenção. Após, elabore um texto dissertativo-argumentativo sobre o valor da liberdade na vida de qualquer ser humano. Dê um título a seu texto.
22 de fevereiro de 2009*

Faz exatamante sete anos que fui sequestrada. A cada aniversário, quando acordo, levo um susto ao tomar consciência da data, embora há semanas saiba que ela está chegando. Empreeendi uma contagem regressiva consciente, com a intenção de marcar esse dia para nunca mais esquecê-lo, para descansar, remoer, ruminar cada hora, cada segundo da cadeia de instantes que culminaram com o horror prolongado de meu interminável cativeiro.

Levantei hoje de manhã como todas as manhãs, dando graças a Deus. Como todas as manhãs depois de minha libertação, levo alguns instantes, frações de segundos, para reconhecer o lugar onde dormi. Sem mosquiteiro, em cima dum colchão, com um teto branco em vez de céu camuflado de verde. Acordo naturalmente. A felicidade não é mais um sonho.

.................................................................................................................................................................................

Uma vez longe do perigo, com o coração bem ancorado na realidade, percebi que o apazigamento por ter reencontrado minha liberdade, não podia nem de longe ser comparado com a intensidade do martírio que vivi.

Lembrei-me então da passagem da biblia que me impressionou quando eu estava no cativeiro. Era um cântico do Livro dos Salmos, em louvor a Deus e que descreve toda a dureza da travessia do deserto. A conclusão me pareceu surpreendente. Dizia que a recompensa para o esforço, a coragem, a tenacidade, a resisitência, não era a felicidade nem a glória. O que Deus ofereceria como recompensa era o descanso.

Para apreciar a paz é preciso envelhecer. Eu sempre tinha vivido num turbilhão de acontecimentos. Sentia-me viva, era um cioclone. Casei-me cedo, meus filhos Mélaine e Lourenzo, realizavsam todos os meus sonhos e resolvi transformar o meu país com a força e a cegueira de um touro. Acreditava na minha boa estrela, trabalhava duro e sabia fazer mil coisas ao mesmo tempo porque tinha certeza de que seria bem-sucedida.

*(BETANCOURT, Ingrid. Não há silêncio que não termine: meus anos de cativeiro na

selva colombiana. São Paulo: Companhia das Letras, 2010, p. 38)

PROVA DE ESTUDO DE TEXTO
Texto para a questão 01.
O menino que carregava água na peneira
Tenho um livro sobre águas e meninos.

Gostei mais de um menino que carregava água na peneira.

A mãe disse que carregar água na peneira era o mesmo que roubar um vento

e sair com ele para mostrar aos irmãos.

A mãe disse que era o mesmo que catar espinhos na água.

O mesmo que criar peixes no bolso.

O menino era ligado em despropósitos.

Quis montar os alicerces de uma casa sobre orvalhos.

A mãe reparou que o menino gostava mais do vazio do que do cheio.

Falava que os vazios são maiores e até infinitos.

Com o tempo aquele menino que era cismado e esquisito,

porque gostava de carregar água na peneira,

com o tempo, descobriu que escrever seria o mesmo

que carregar água na peneira.

No escrever o menino viu que era capaz de ser

noviça, monge ou mendigo ao mesmo tempo.

O menino aprendeu a usar as palavras.

E começou a fazer peraltagens.

Foi capaz de interromper o voo de um pássaro botando ponto final na frase.

Foi capaz de modificar a tarde botando uma chuva nela.

O menino fazia prodígios.

Até fez uma pedra dar flor!

A mãe reparava o menino com ternura.

A mãe falou: meu filho você vai ser poeta.

Você vai carregar água na peneira a vida toda.

Você vai encher os vazios com suas peraltagens

e algumas pessoas vão te amar por seus despropósitos.

*BARROS, Manoel. Exercícios de ser criança. Rio de Janeiro: Salamandra. 1999, 29.


01. Observe as alternativas abaixo, verifique se elas se aplicam ao texto de Manuel de Barros, caracterizando-o e assinale a opção abaixo de acordo com as respostas.
1. No texto literário, importa não o que se diz, mas também o modo como se diz.

2. O texto literário é conotativo, isto é, cria novos significados. Enquanto o texto não-literário aspira à denotação, o texto literário com a função estética busca a conotação. Por isso, usa largamente os mecanismos da metáfora e da metonímia.

3. O texto literário tem uma função estética, enquanto o texto não-literário tem uma função utilitária (informar, convencer, explicar, responder, ordenar, etc.).

4. No uso estético da linguagem, procura-se desautomatizá-la, criar novas relações entre as palavras, estabelecer associações inesperadas e insólitas entre elas, para tornar singular a sua combinatória e, assim, revelar novas maneiras de ver o mundo.


A) Quando as alternativas 1, 2 e 3 estiverem corretas

B) Quando as alternativas 1 e 3 estiverem corretas

C) Quando as alternativas 2 e 4 estiverem corretas

D) Quando somente a alternativa 4 estiver correta

E) Quando todas as alternativas estiverem corretas

Texto para a questão 02.


Anke Domaske, uma designer alemã, usa leite azedo para criar belos vestidos eco-friendly. Combinando suas duas paixões - ciência e moda – ela lançou a linha de roupas à base de leite, a Mademoiselle Chi Chi.
Domaske, que costumava dividir seu tempo entre estudar microbiologia e moda, passou anos desenvolvendo a fórmula perfeita para os vestidos feitos de leite. A produção do tecido ocorre em uma fábrica onde as fibras de leite são transformadas em fios de proteína.
"O leite é subestimado porque as pessoas só vêem como um gênero alimentício. Mas você pode fazer muito mais com ele. Leite é uma maravilhosa matéria-prima natural", explica a designer no site da marca.
Ela espera que o leite possa se tornar uma alternativa ao algodão nos próximos anos, já que leva apenas uma hora para produzir e dá uma ótima finalidade ao leite azedo.
A Mademoiselle Chi Chi existe desde 2003 e conta com a atriz Mischa Barton como fã da marca. Domaske está no processo de criação também de uma linha masculina para a marca.

(disponível em http://virgula.uol.com.br/)


02. O nome da grife a que se refere o texto acima é:
A) Anke Domaske.

B) Eco-friendly.

C) Mademoiselle Chi Chi.

D) Mischa Barton.

E) O texto não informa.
Texto para a questão 03.
Pensamento
Pensamento que vem de fora

e pensa que vem de dentro,

pensamento que expectora

o que no meu peito penso.

Pensamento a mil por hora,

tormento a todo momento.

Por que é que eu penso agora

sem o meu consentimento?

Se tudo que comemora

tem o seu impedimento,

se tudo aquilo que chora

cresce com o seu fermento;

pensamento, dê o fora,

saia do meu pensamento.

Pensamento, vá embora,

desapareça no vento.

E não jogarei sementes

em cima do seu cimento.


ANTUNES, Arnaldo. Tudos. São Paulo: Iluminuras, 2001.
03. Identifique, abaixo, a concepção de pensamento que mais se aproxima da enunciada pelo poeta.
A) Penso, logo existo. (Descartes)

B) A vida mais doce é não pensar em nada. (Nietzsche)

C) O homem é Deus pelo pensamento. (Alphonse de Lamartine)

D) Quem pouco pensa, engana-se muito. (Leonardo da Vinci)

E) O pensamento é o ensaio da ação. (Freud)
Texto para a questão 04.
Ainda não somos ricos
Certos clichês comportam verdades. Um deles é o de que o Brasil é um país de contrastes. Pegue-se o caso dos indicadores gerais da economia. O Brasil vai muito bem graças ao permanente compromisso com a estabilidade, o dinamismo da iniciativa privada, a racionalidade e regulação avançada do eficiente sistema bancário.

Assim, resistiu à intempérie desencadeada pela crise internacional e contínua no rumo certo. No semestre passado, a inflação acumulada ficou em meros 3,09%; o crescimento econômico previsto para este ano deverá alcançar chineses 7,3%; e a taxa de desemprego em junho permaneceu em 7%, relativamente baixa quando se olha ao redor.

Os indicadores são tão bons que uma bravata se espalhou pelos cinco continentes, como se fosse realidade. Segundo ela, o Brasil se tornou uma nação rica, de Primeiro Mundo, que não precisa de ajuda de ninguém e ainda empresta dinheiro aos países ricos. Um dos resultados desse tró-ló-ló está relatado na reportagem que começa na página 146. Ela mostra que entidades filantrópicas dos países de fato ricos estão desistindo de investir em projetos sociais brasileiros, enquanto aumentam suas verbas para aqueles em andamento na África.

O que os promotores da bravata não divulgam é que o Brasil continua a ser uma das nações mais desiguais do planeta, com resistentes bolsões de miséria, em especial no Nordeste. Em oposição aos excelentes índices econômicos, o nosso coeficiente Gini, que mede a desigualdade nos países, numa escala que vai de zero a 1 (em que zero corresponde à igualdade absoluta e 1 à desigualdade mais completa), praticamente estacionou no patamar vergonhoso de 0,54, o terceiro pior da América Latina. Naquela que é uma das áreas mais estratégicas para o desenvolvimento, a educação, o quadro é de tragédia. No último Pisa, o programa que avalia a educação em escala mundial, os estudantes brasileiros obtiveram o 48° lugar em leitura, entre 56 países, e o 53° e o 52° postos, entre 57 países, em matemática e ciências, respectivamente.

A desigualdade no Brasil é fruto, sobretudo, da falta de gestores públicos que atuem como maestros no estabelecimento de prioridades e na condução harmoniosa do progresso da nação, e não como cabos eleitorais.

Um exemplo claro ― e caro ― dessa carência está no projeto de um trem de alta velocidade para ligar São Paulo ao Rio de Janeiro, objeto da reportagem que começa na página 68. A soma estimada para concretizar essa obra eleitoreira poderia ser destinada à recuperação da malha ferroviária brasileira e, assim, beneficiar milhões de cidadãos. Mas, pobre Brasil, seus governantes têm mais garganta do que cérebro e coração.

(Texto da VEJA – Carta ao Leitor – Ainda não somos ricos. 4/8/2010)


  1. A ideia central do texto “Ainda não somos ricos” está expressa na alternativa:




  1. Apontar que o Brasil é um país de contrastes: se de um lado a economia vai bem, por outro, o desenvolvimento social apresenta deficiências relevantes.

  2. Mostrar que o Brasil saiu-se bem durante a crise econômica internacional que atingiu duramente países de Primeiro Mundo.

  3. Denunciar o estado lastimável de nossa educação e a vergonhosa desigualdade social reinante no país.

  4. Trazer ao conhecimento público que entidades filantrópicas de países de fato ricos estão desistindo de investir em projetos sociais brasileiros, fato este, consequência de uma bravata espalhada de que o Brasil tornou-se uma nação rica que não precisa da ajuda de ninguém e ainda empresta dinheiro aos países ricos.

  5. Apontar o desinteresse de gestores públicos no estabelecimento de prioridades e na condução do progresso da nação.

Textos para a questão 05.


A seguir são apresentados dois textos como base para a questão 05: o primeiro, do cartunista argentino Quino (criador da personagem Mafalda) e o segundo, do autor português José Saramago.
Texto 1

Texto 2

Produzimos uma Cultura de Devastação
Todos os anos exterminamos comunidades indígenas, milhares de hectares de florestas e até inúmeras palavras das nossas línguas. A cada minuto extinguimos uma espécie de ave e alguém em algum lugar recôndito contempla pela última vez na Terra uma determinada flor.

Konrad Lorenz não se enganou ao dizer que somos o elo perdido entre o macaco e o ser humano. Somos isso, uma espécie que gira sem encontrar o seu horizonte, um projeto por concluir. Falou-se bastante ultimamente do genoma e, ao que parece, a única coisa que nos distancia na realidade dos animais é a nossa capacidade de esperança.

Produzimos uma cultura de devastação baseada muitas vezes no engano da superioridade das raças, dos deuses, e sustentada pela desumanidade do poder econômico. Sempre me pareceu incrível que uma sociedade tão pragmática como a ocidental tenha deificado coisas abstratas como esse papel chamado dinheiro e uma cadeia de imagens efêmeras. Devemos fortalecer, como tantas vezes disse, a tribo da sensibilidade...

José Saramago, in 'Revista Universidad de Antioquia, 2001 (Texto com adaptação)


05. Uma análise comparativa permite dizer que os dois textos
1. apresentam identidade de tema e visão de mundo.

2. caracterizam-se como textos de caráter argumentativo.

3 fornecem dados que possibilitam a construção de sentidos equivalentes por meio de raciocínios diferenciados.

4. assemelham-se no aspecto satírico e reflexivo.


Considerando as assertivas propostas, assinale
A) Quando as alternativas 1, 2 e 3 estiverem corretas

B) Quando as alternativas 1 e 3 estiverem corretas

C) Quando as alternativas 2 e 4 estiverem corretas

D) Quando somente a alternativa 4 estiver correta

E) Quando todas as alternativas estiverem corretas

PROVA DE MATEMÁTICA

06. Investiu-se R$5.000,00 em uma aplicação financeira a uma taxa mensal de juros constante. Exatamente dois meses após este investimento, sem ter havido nenhum saque e nenhum depósito, o saldo nesta aplicação era de R$6.050,00.

A taxa mensal de juros foi de
A) 5,0%

B) 10,5%


C) 10,0%

D) 11,0%


E) 21,0%
07. Uma loja oferece a seguinte promoção: um kit formado por 2 pares de sapatos, 3 pares de meias e 1 cinto custa R$ 330,00. Já o kit composto por 1 par de sapatos, 1 par de meias e 1 cinto custa R$170,00; enquanto que o kit formado por 2 pares de sapatos, 1 par de meias e 2 cintos custa R$320,00. Sabe-se que, nos kits, os preços de todos os pares de sapatos são iguais, assim como os preços de todos os pares de meias e de todos os cintos.
Observe as alternativas e assinale a opção de acordo com as respostas.
1. O preço de 1 par de sapatos é igual ao preço de 4 cintos.

2. O preço de 1 cinto é igual ao preço de 2 pares de meias.

3. O preço de 2 pares de sapatos é igual ao preço de 12 pares de meias.

4. O preço de 4 pares de meias é igual ao preço de 1 par de sapatos.


A) Quando as alternativas 1, 2 e 3 estiverem corretas

B) Quando as alternativas 1 e 3 estiverem corretas

C) Quando as alternativas 2 e 4 estiverem corretas

D) Quando somente a alternativa 4 estiver correta

E) Quando todas as alternativas estiverem corretas
08. Um objeto se desloca sobre o trecho traçado em linha contínua da figura a seguir, com uma velocidade constante de .


O objeto parte de A e vai em direção a F. Os trechos AB, CD, EF são segmentos de reta e os trechos de B a C e de D a E são semicircunferências com centros nos segmentos BC e DE, respectivamente.

Sabe-se que e que os raios das semicircunferências de B a C e de D a E são, respectivamente, iguais a e .

Após de ter partido de A o objeto estará no trecho relativo ao
A) Segmento AB.

B) Arco BC.

C) Segmento CD.

D) Arco DE.

E) Segmento EF.

09. Um cone circular reto de altura e raio da base é cortado por um plano paralelo à base e a uma distância de desta, obtendo-se assim um tronco de cone.


Observe as alternativas e assinale a opção de acordo com as respostas.
1. A altura do tronco de cone é .

2. A base menor do tronco de cone é um círculo de raio .

3. O volume do tronco de cone é de .

4. A área da base maior do tronco de cone é de .


A) Quando as alternativas 1, 2 e 3 estiverem corretas

B) Quando as alternativas 1 e 3 estiverem corretas

C) Quando as alternativas 2 e 4 estiverem corretas

D) Quando somente a alternativa 4 estiver correta

E) Quando todas as alternativas estiverem corretas
10. Dois prismas retangulares constituídos de aço possuem dimensões: 7cm, 10cm, 100cm e 5cm, 20cm, 200cm, respectivamente. Esses dois prismas são derretidos para a construção de um novo sólido de forma que nesse processo não houve perda nem acréscimo de material.
Observe as alternativas e assinale a opção de acordo com as respostas.
1. Se o sólido construído for um cubo, ele terá aresta igual a 30cm.

2. Se o sólido construído for um cone circular reto de altura 10cm, o raio de sua base será, em cm, .

3. Se o sólido construído for um cilindro circular reto de altura 30cm, o raio de sua base será, em cm, igual a .

4. Se o sólido construído for uma bola, ela terá raio, em cm, igual a .


A) Quando as alternativas 1, 2 e 3 estiverem corretas

B) Quando as alternativas 1 e 3 estiverem corretas

C) Quando as alternativas 2 e 4 estiverem corretas

D) Quando somente a alternativa 4 estiver correta

E) Quando todas as alternativas estiverem corretas

PROVA DE HISTÓRIA

11. “Reforçar o manto todo poderoso dos reis e, ao mesmo tempo, ilustrar os espíritos e lançar a razão em pleno exercício, constitui arriscado programa que, em verdade, não poderia confiar todo o tempo na pretendida satisfação das aspirações dos súditos pelo monarca bem instruído e amigo dos filósofos. Não era possível, na prática, manter a Ilustração nos comedidos limites do enciclopedismo autorizado e, simultaneamente, impedir que a exploração dos temas políticos pela inteligência libertada levasse à revolucionária condenação do poder de origem divina e hereditário na sucessão.”

(HOLANDA, Sérgio Buarque (dir.). História Geral da Civilização Brasileira. 4ed. São Paulo: Difel, 1977. p.375, Tomo I, 2º. vol.)
Observe as alternativas e assinale a opção de acordo com as respostas.
1. Já no século XVII é possível vislumbrar movimentos de rebelião no Brasil, movidos pelos abusos da metrópole. Tais movimentos, apesar de não defenderem uma independência política, foram demonstrações claras da formação de interesse locais divergentes dos interesses metropolitanos.

2. Tanto as rebeliões nativistas quanto as separatistas devem ser interpretadas à luz do seu tempo. Somente assim podemos compreender os limites das alterações sociais defendidas por tais movimentos. Mesmo as rebeliões conhecidas como separatistas não apontavam para uma mudança radical na estrutura socioeconômica, apesar de inspiradas nos ideais de libertação presentes no movimento iluminista.

3. Ao final do século XVIII, os historiadores apontam para uma população colonial cujos interesses econômicos e políticos se opõem ao pacto colonial. Somem-se a isso aspectos circunstanciais e particulares a cada capitania, como o declínio da mineração ou da agromanufatura açucareira. Os princípios apregoados pelo liberalismo encontraram ressonância nesse ambiente.

4. Os movimentos separatistas, influenciados pela independência dos Estados Unidos e pela Revolução Francesa, foram, contudo, bastante localizados: Minas Gerais, Bahia e Pernambuco. No entanto, o sentimento de nacionalidade já estava presente nesses movimentos e em outras partes do território colonial.


A) Quando as alternativas 1, 2 e 3 estiverem corretas

B) Quando as alternativas 1 e 3 estiverem corretas

C) Quando as alternativas 2 e 4 estiverem corretas

D) Quando somente a alternativa 4 estiver correta

E) Quando todas as alternativas estiverem corretas

12. “Liberalismo, no sentido sintetizado pela clássica expressão “laissez faire, laissez passer” de origem fisiocrata, não se reporta apenas e imediatamente ao mercado, mas tem em conta uma luta política contra o absolutismo.” (BACHUR, João Paulo. Lua Nova, São Paulo, 66, pp.167-203, 2006)


Na Europa, o liberalismo esteve associado ao nacionalismo, dando ensejo a muitas revoluções pela defesa da autonomia dos povos, em oposição ao regime absolutista. Na América, o processo de independência colonial está inscrito no bojo do liberalismo inglês. É certo que as apropriações dessa teoria se deram em diferentes medidas para cada novo país que surgia. Como explicar, por exemplo, o Poder Moderador no Brasil, estabelecido no arranjo de poderes após a independência?
Dentre as afirmativas abaixo, assinale a alternativa INCORRETA.
A) O Congresso de Viena procurou reeditar o Antigo Regime, provocando revoluções impetradas pelas novas classes sociais que vinham se formando após a Revolução Industrial. No plano das ideias, tais revoluções se sustentavam nos princípios de liberdade e autonomia disseminadas pela Revolução Francesa. No seio desses movimentos tiveram nascimento três correntes: o liberalismo, o nacionalismo e o socialismo.

B) A Confederação do Equador, no Brasil, foi uma clara reação à imposição da Constituição de 1824. As províncias do Nordeste, já bastante prejudicadas com o declínio do comércio e a elevação de impostos cobrados pela Corte, não aceitaram a independência. Defendiam a separação das províncias, visando à manutenção do regime monárquico sob bases constitucionais.

C) Na América espanhola, os criollos lideraram os movimentos de independência. Desde o início do século XIX, a relação entre a Metrópole e as colônias vinha se afrouxando, o que permitiu que a elite colonial desenvolvesse experiências próprias tanto no campo comercial quanto político.

D) Os ataques ao mercantilismo vieram, primeiramente, dos fisiocratas franceses. No entanto, o golpe mortal foi dado pelos economistas ingleses, como Adam Smith que defendia a acumulação capitalista e a produtividade industrial como promotoras do enriquecimento de uma nação.

E) José Bonifácio de Andrada e Silva (1763-1838) foi um destacado político brasileiro e suas ações podem ser exemplos da conciliação possível entre conservadorismo e liberalismo. Contrário à escravidão, defendia a distribuição de terras aos imigrantes europeus, mas não concordava com a democracia. No seu entender, o voto deveria ser censitário.
13. O romantismo, movimento cultural característico do século XIX, trazia as marcas da ascensão da burguesia e suas aspirações. Trazia algo de revolucionário, ao apontar para ideais de liberdade, igualdade e fraternidade. Por outro lado, buscava resgatar as emoções, em oposição ao racionalismo iluminista.

No Brasil, escritores e artistas produziram suas obras em conformidade com os pressupostos do romantismo. Além de buscar inspiração no passado, o romantismo exaltava a nação e os valores nacionais. O amor não correspondido, a tristeza e a morte eram temas presentes na literatura e em outras expressões artísticas.


Observe as alternativas e assinale a opção de acordo com as respostas.
1. Um dos escritores românticos mais conhecidos foi Victor Hugo. De origem francesa, fez críticas ao governo e à sociedade burguesa. Os miseráveis descrevem a situação de miséria vivida por grande parte da população, contrastando com o enriquecimento da burguesia.

2. No campo da música, a ópera expressa, claramente, a transição entre a música de câmara, apropriada para pequeno público, e a música para os grandes teatros, mobilizando as multidões. Compositores como Rossini, Bellini e Verdi incluíram temas políticos, como a unificação da Itália, em suas obras. No Brasil, o nacionalismo romântico está presente nas obras de Carlos Gomes e Villa Lobos.

3. As novelas de folhetim fizeram grande sucesso e sua leitura não se limitava à população letrada. Antes de serem publicados em livro, os romances eram divulgados em capítulos pelos periódicos da época. Na França, A comédia humana, de Balzac é um bom exemplo. No Brasil podemos citar A Moreninha, de Joaquim Manoel de Macedo e alguns livros de José de Alencar.

4. Na pintura, o expressionismo marcou época: cenas do cotidiano urbano e rural, as guerras. Dentre os pintores europeus mais importantes do período podemos citar Renoir, Cézanne. Victor Meirelles e Di Cavalcanti retrataram em seus quadros a formação do povo brasileiro.


A) Quando as alternativas 1, 2 e 3 estiverem corretas

B) Quando as alternativas 1 e 3 estiverem corretas

C) Quando as alternativas 2 e 4 estiverem corretas

D) Quando somente a alternativa 4 estiver correta

E) Quando todas as alternativas estiverem corretas

14. “Stalingrado...

Depois de Madri e de Londres, ainda há grandes cidades!

O mundo não acabou, pois que entre as ruínas

outros homens surgem, a face negra de pó e de pólvora,

e o hálito selvagem da liberdade

dilata os seus peitos, Stalingrado,

seus peitos se estalam e caem

enquanto outros, vingadores, se elevam.”

(ANDRADE, Carlos Drummond de. Carta a Stalingrado.)


Observe as alternativas e assinale a opção de acordo com as respostas.
1. Os ganhos obtidos pelos Estados Unidos da América após a Primeira Guerra Mundial contribuíram para o incremento da produção industrial e agrícola. Ao longo dos anos 20 foi se consumando o american way of life: carros, aparelhos eletrodomésticos e a indústria do lazer – casas noturnas com muito jazz, além do rádio e do cinema. A reconstrução econômica européia deu início ao fim: a quebra da Bolsa de Nova York, em outubro de 1929 colocou em cheque, mundialmente, os princípios do liberalismo econômico.

2. Na Índia, Mahatma Gandhi deu início a um movimento, marcado pela resistência pacífica, em prol da libertação do jugo colonial europeu. Após a Segunda Guerra, o Partido do Congresso, liderado por Nehru e a Liga Muçulmana iniciaram as negociações com o governo inglês, conquistando a independência em 1947. O território indiano foi dividido em dois: Índia e Paquistão.

3. Quando se fala de totalitarismo é comum recordarmos Mussolini e Hitler. Ocorre, porém, que, no mesmo nível de atrocidades cometidas por estes, podemos elencar Francisco Franco, quem liderou as tropas falangistas na Guerra Civil Espanhola, contra a Frente Popular que reunia as forças democráticas da Espanha e as Brigadas Internacionais, formadas por voluntários de dezenas de países. Franco permaneceu no poder até 1975.

4. Durante a Segunda Grande Guerra, a postura do governo Vargas foi marcada pela ambiguidade: ora do lado do Eixo, como num discurso, em 1940, no qual Vargas elogiou o sucesso das tropas nazistas na Europa, ou mesmo pelas ações autoritárias do Estado Novo. Por outro lado, em nome do nacionalismo, ordenou o fechamento de escolas, jornais e organizações consideradas estrangeiras. Os EUA encetaram uma desastrosa política de boa vizinhança com empréstimos, favorecimentos comerciais e envio de técnicos, de forma a atrair o governo brasileiro para o campo dos aliados.


A) Quando as alternativas 1, 2 e 3 estiverem corretas

B) Quando as alternativas 1 e 3 estiverem corretas

C) Quando as alternativas 2 e 4 estiverem corretas

D) Quando somente a alternativa 4 estiver correta

E) Quando todas as alternativas estiverem corretas

15. “No decorrer dos anos 90, o tema da reforma do Estado adquiriu centralidade na agenda pública brasileira. A partir da presidência de Fernando Collor, desencadearam-se as primeiras medidas para reduzir o Estado e realizar a ruptura com o passado intervencionista, típico do modelo da industrialização substitutiva de importações e do desenvolvimentismo dos governos militares de 1964 a 1985. Esse esforço reformista foi aprofundado no primeiro governo do presidente Fernando Henrique Cardoso, que se propôs a tarefa de sepultar a Era Vargas e superar os entraves representados pela sobrevivência da antiga ordem.”

(DINIZ, Eli. Globalização, Reforma do Estado e Teoria Democrática Contemporânea. São Paulo em Perspectiva, v.15, n.4,  out./dez. 2001)
Observe as alternativas e assinale a opção de acordo com as respostas.
1. O processo de abertura comercial no Brasil iniciou-se no governo Collor, em 1990, forçando a modernização da indústria brasileira por um lado, e a falência de muitas empresas e o desemprego, de outro lado. Na mesma linha se deu a privatização das empresas estatais, consideradas deficitárias. Apesar das críticas recebidas por conta das consequências imediatas relacionadas acima, iniciava-se um processo irreversível que afetou todos os setores da indústria brasileira.

2. O capitalismo internacional atrelado a alterações geopolíticas tem imposto uma dinâmica marcada pelo desenvolvimento de sofisticadas tecnologias, aumento do volume de investimentos, formação de conglomerados internacionais. Paralelamente se pode observar a ampliação de mercados e o fim das barreiras protecionistas, estimulando as associações regionais de livre comércio, ou seja, os blocos econômicos. Dentre estes se encontra o Mercosul, reunindo países latino-americanos que, através de acordos multilaterais de comércio, procuram ampliar seus mercados.

3. O Consenso de Washington foi um ponto de inflexão para o acatamento dos pressupostos neoliberais por parte de inúmeros governos, dentre os quais o Brasil. No campo social, podemos observar a austeridade nas contas públicas, delimitando o “estado mínimo” e a desestruturação do bem estar social, onde tal estado chegou a existir. No âmbito econômico, estabeleceu-se o fundamentalismo do mercado, ou seja, os interesses econômicos têm prerrogativa sobre os demais. O governo FHC pautou sua política econômica pelos baluartes do “ganhos de produtividade” e “choque de eficiência”, implicando na modernização das empresas brasileiras, como a Embraer e na atração ao capital produtivo internacional. Um bom exemplo foi a privatização da Companhia Vale do Rio Doce, em maio de 1997.

4. No bojo do processo de globalização, a língua portuguesa, falada por sete países, e presente em todos os continentes, foi alvo de um Acordo Ortográfico que entrou em vigor em 1º. de Janeiro de 2009. O objetivo foi unificar a escrita em todos os países de Língua Portuguesa: Portugal, Angola, Moçambique, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Guiné Bissau e Timor Leste. O acordo vem amadurecendo desde 1931, quando se deu a primeira iniciativa nesse sentido. Houve outras tentativas como em 1945 e em 1986, quando se consolidou as “Bases analíticas da Ortografia Simplificada da Língua Portuguesa”.


A) Quando as alternativas 1, 2 e 3 estiverem corretas

B) Quando as alternativas 1 e 3 estiverem corretas

C) Quando as alternativas 2 e 4 estiverem corretas

D) Quando somente a alternativa 4 estiver correta

E) Quando todas as alternativas estiverem corretas
PROVA DE GEOGRAFIA

16. O ingresso de 50 mil imigrantes na França e 10 mil na Itália, provindos do Norte da África, fez com que esses países rediscutissem as regras do Espaço Schengen, que possibilitaram a livre circulação de pessoas na União Européia. Segundo matéria publicada em Folha on line (edição de 18/07/2011), o primeiro país a romper unilateralmente com as regras do Acordo de Schengen e a retomar o controle de suas fronteiras foi:


A) Suécia.

B) Croácia.

C) Dinamarca.

D) Espanha.

E) Finlândia.
17. Os países desenvolvidos detêm mais de 85% da produção de energia mundial de origem nuclear. Contudo, o acidente de Chernobyl em 1986 e o de Fukuyama em 2011 têm provocado reflexões da comunidade internacional devido à:
Observe as alternativas e assinale a opção de acordo com as respostas.
1. Expressiva letalidade da radiação.

2. Emergência da ecologia na política internacional.

3. Possibilidade de geração de energia a partir de outras fontes.

4. Necessidade de substituição das fontes de origem fóssil.


A) Quando as alternativas 1, 2 e 3 estiverem corretas

B) Quando as alternativas 1 e 3 estiverem corretas

C) Quando as alternativas 2 e 4 estiverem corretas

D) Quando somente a alternativa 4 estiver correta

E) Quando todas as alternativas estiverem corretas
18. As Regiões metropolitanas não:
Observe as alternativas e assinale a opção de acordo com as respostas.
1. geram fluxos pendulares de trabalhadores.

2. envolvem o fenômeno da conurbação.

3. apresentam densidade demográfica superior a 60 hab/km².

4. são sempre áreas urbanas integradas funcionalmente.


A) Quando as alternativas 1, 2 e 3 estiverem corretas

B) Quando as alternativas 1 e 3 estiverem corretas

C) Quando as alternativas 2 e 4 estiverem corretas

D) Quando somente a alternativa 4 estiver correta

E) Quando todas as alternativas estiverem corretas
19. A China nas últimas duas décadas:
Observe as alternativas e assinale a opção de acordo com as respostas.
1. Tornou-se o segundo maior país receptor de investimentos estrangeiros.

2. Transformou-se em uma dos mais importantes exportadores de bens de consumo do mundo.

3. Tem apresentado taxas recordes de crescimento do PIB.

4. Teve o desenvolvimento apoiado na transferência de trabalhadores da área urbana para a área rural.


A) Quando as alternativas 1, 2 e 3 estiverem corretas

B) Quando as alternativas 1 e 3 estiverem corretas

C) Quando as alternativas 2 e 4 estiverem corretas

D) Quando somente a alternativa 4 estiver correta

E) Quando todas as alternativas estiverem corretas
20. Sobre o Mercosul:

Observe as alternativas e assinale a opção de acordo com as respostas.


1. Uruguai e Paraguai são fortemente dependentes desse bloco econômico.

2. A economia mais significativa do bloco é a argentina, seguida pela brasileira.

3. A região platina constitui o núcleo geoeconômico do bloco.

4. O Uruguai é o principal parceiro comercial do Brasil.


A) Quando as alternativas 1, 2 e 3 estiverem corretas

B) Quando as alternativas 1 e 3 estiverem corretas

C) Quando as alternativas 2 e 4 estiverem corretas

D) Quando somente a alternativa 4 estiver correta

E) Quando todas as alternativas estiverem corretas

PROVA DE INGLÊS

Text 1

Editorial | Sunday Observer



Separating the Moment from What Came After

By SERGE SCHMEMANN

A few days after Sept. 11, 2001, I received a stack of drawings and poems in the mail. They were by schoolchildren whose teacher had given them the lead article from The New York Times about the attacks and told them to write and illustrate a poem. Because I wrote the piece, she sent them to me. Many of the children picked up on my description of the planes as “gorged” with fuel, and their jets were huge and red, dwarfing the doomed black towers before them. Some of the drawings also had disproportionately huge stick figures falling from the towers.
I thought it was wise of the teacher to help the children come to grips with horror this way. That’s how we all struggle with sudden and enormous terror, searching for images and words that might help us fit the event into a framework we can understand. From the time the first hijacked jet ripped into the north tower of the World Trade Center, we had to find ways to explain and describe an event whose enormity and evil were almost beyond understanding. Crisis focuses the mind on the immediate tasks at hand, but it was hard that day to fend off thoughts of the final, horrifying moments of those people in the planes and the buildings before they died.
21. O real objetivo deste texto é:
A) descrever os desenhos feitos pelas crianças.

B) comentar o atentado de 11 de setembro de 2001.

C) discutir formas de se lidar com grandes tragédias.

D) parabenizar a professora pela atitude junto às crianças.

E) mostrar como descrever eventos de horror.
22. Quanto às afirmações abaixo:
Observe as alternativas e assinale a opção de acordo com as respostas
1. A professora mandou os desenhos motivada pelo artigo escrito pelo autor.

2. As crianças fizeram boas inferências a partir da leitura do artigo.

3. A atitude da professora foi muito inteligente.

4. Alguns desenhos do autor eram figuras enormes.


A) Quando as alternativas 1, 2 e 3 estiverem corretas

B) Quando as alternativas 1 e 3 estiverem corretas

C) Quando as alternativas 2 e 4 estiverem corretas

D) Quando somente a alternativa 4 estiver correta

E) Quando todas as alternativas estiverem corretas











Text 2




  1   2   3


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal