Questões cin-vest geo-regional



Baixar 1.53 Mb.
Página1/9
Encontro08.10.2019
Tamanho1.53 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9

Questões GEO-REGIONAL Profº. Marcelo
01) “A hidrovia Paraguai-Paraná está buscando agora recuperar sua vocação de ligação entre o centro do país e o oceano Atlântico, sem que com isso seja prejudicada a beleza natural do Pantanal. Essa região do centro-oeste brasileiro tem grande potencial agrícola, porém não conta com um sistema de transporte eficiente o que impede a competitividade e o aumento da produção.

A hidrovia Paraguai-Paraná liga a cidade de Cáceres em Mato Grosso a Buenos Aires, são 3440 Km de extensão. Essa hidrovia tem um grande potencial de desenvolvimento principalmente para o escoamento das safras de grãos. Com a globalização da economia e a livre concorrência o preço do serviço se tornou fundamental, surgiu então a necessidade de reduzir custos e integrar o Brasil no mercado internacional. O meio de transporte hidroviário, ideal para grande distância e volume de carga, está sendo utilizado em quase todas as economias desenvolvidas do mundo, ele tem que ser usado preservando o meio ambiente e respeitando as leis. Garantir a exploração com novas tecnologias é fundamental.”.


Com base no texto e em seus conhecimentos sobre o assunto é CORRETO afirmar:
a) A ocupação do Centro Oeste brasileiro é recente e isso fez com que a Hidrovia do Paraguai não possuísse importância regional para Mato Grosso até o recente processo de expansão da fronteira agrícola/ocupação da Amazônia Legal, nos últimos 30 anos.

b) A opção pelo transporte hidroviário é economicamente mais viável, pois os custos de transporte e manutenção são inferiores aos do transporte rodoviário e ferroviário.

c) A preocupação com o Pantanal mato-grossense é justificada, pois se trata de um ecossistema importante. No caso das obras já aprovadas pelo Governo Brasileiro para viabilização da hidrovia não haverá problemas de impacto ambiental, como a dragagem do leito do Rio Paraguai para aumentar a sua profundidade e permitir a navegação de embarcações de grande porte.

d) A hidrovia Paraguai/Paraná assegura um acesso mais rápido ao continente asiático, via Canal do Panamá, o que abre as portas de novos mercados para os produtos agropecuários mato-grossenses.

e) Além da ligação com o Oceano Atlântico, poderá ser feita a ligação da Bacia Platina com a Bacia Amazônica em território mato-grossense, unindo por canais artificiais as bacias dos rios Paraguai e Tapajós, projeto esse já aprovado pelo Ministério da Integração Regional.

02) “E Mato Grosso, que sempre esteve entre os estados com os maiores índices de queimadas, este ano não só se mantém na liderança como já supera os dois últimos anos – 2002 e 2003. De acordo com dados da Fema, enquanto no período de proibição de 2002 foram 21.361 focos e 2003 apenas 300 a mais - ou seja 21.658 -, 2004 registrou um salto de pouco mais de 12,5 mil focos. Ou seja, de 15 de julho a 15 deste ano foram computadas 34.163 queimadas.

A estatística anual sobre focos de calor também indica que 2004 poderá superar os três anos anteriores. Faltando três meses e meio para o fim do ano, o estado já registrou 53.962 focos, 21.411 a mais que 2001 (32.551). Já em 2002 os gráficos da Fema apontaram 57.145 focos e 54.224 em 2003.

Mato Grosso está entre os oito estados que decretaram estado de alerta por causa das queimadas, estiagem e baixa umidade do ar. Os outros são: Minas Gerais, Pará, Acre, Goiás, São Paulo, Tocantins e Mato Grosso do Sul...”

“... Mas não estão no baixo Pantanal e sim na região Norte os municípios com os mais altos índices de queimadas. Os 10 que mais queimaram durante o período proibido foram: Querência com 1.650 focos, Colniza onde a Fema registrou 1.396; Nova Ubiratã com 1.160; Itanhangá com 1.123; Paranatinga com 1.112; Nova Bandeirantes com 1.041; Nova Maringá com 975; Tabaporã com 961; Marcelândia com 958 e Peixoto de Azevedo com 938.”
Diário de Cuiabá – 16/09/2004
Sobre a ocorrência de queimadas e suas conseqüências assinale a alternativa INCORRETA:
a) A ocorrência de queimadas está relacionada diretamente com a atividade agropecuária em Mato Grosso, no que se refere ao preparo do solo das áreas agrícolas para o plantio.

b) As queimadas são provocadas principalmente pela ação antrópica, mas ocorrem casos de queimadas espontâneas em determinadas situações nas quais a temperatura está elevada, a vegetação ressecada e a umidade relativa do ar extremamente baixa.

c) A FEMA e o IBAMA podem autorizar a prática de queimadas, mediante solicitação em ambos os órgãos. Recomenda-se a construção de um aceiro em torno da área a ser queimada, que a área não seja muito grande, que a queimada seja feita após um período de chuvas e que se monitore as condições do vento para evitar a propagação do fogo.

d) Além do ambiente rural, que é extremamente afetado pelas queimadas, o ambiente urbano em Mato Grosso também convive com o problema, pois o excesso de fumaça no ar pode provocar problemas respiratórios nas pessoas e até mesmo o fechamento de aeroportos e o cancelamento de vôos.

e) O modelo de produção agropecuária introduzido no estado nos últimos anos, o chamado agribusiness ou agronegócio, contribuiu para a diminuição do número de queimadas em determinadas áreas, pois a forma de exploração da terra nesse sistema se integra perfeitamente às práticas preservacionistas/conservacionistas defendidas pelos ambientalistas, o que diminui a degradação ambiental nas áreas onde é praticado.

03) Entre os municípios criados a partir da década de 70 no estado de Mato Grosso, como resultado do intenso processo migratório podemos citar:

a) Cáceres

b) Poxoréo

c) Juara

d) Dom Aquino

e) Barra do Garças

04) A principal área de produção de algodão herbáceo do estado de Mato Grosso envolve os seguintes municípios:

a) Tapurah, Colíder e Matupá

b) Santa Terezinha, Vila Rica e Luciara

c) Sorriso, Sapezal e Nova Mutum

d) Chapada dos Guimarães, Rosário Oeste e Barra do Bugres

e) Rondonópolis, Campo Verde e Primavera do Leste

05) Baseado nos seus conhecimentos sobre o estado de Mato Grosso, assinale a alternativa correta nas afirmações abaixo sobre a paisagem vegetal do estado:


a) O Pantanal mato-grossense está localizado na porção sudeste do estado e é classificado como um domínio florestal, em função do predomínio de espécies arbóreas na sua área de ocorrência.

b) O Cerrado apresenta uma composição homogênea, ocupando a maior parte do Brasil central e não apresentando altos índices de degradação.

c) A floresta equatorial Amazônica está presente no extremo leste do estado, sendo formada por árvores de grande porte, latifoliadas e perenifólias. Além disso, sua área de ocorrência está associada ao clima tropical continental.

d) As matas de galeria e ciliares são extremamente importantes, uma vez que ocorrem nas margens dos cursos d'água e protegem os barrancos ribeirinhos de processos erosivos que podem provocar o assoreamento dos rios.

e) As árvores de porte médio, casca grossa e galhos retorcidos são características do Cerrado, ecossistema que predomina em Mato Grosso, mas que é extremamente pobre em termos de biodiversidade e é classificado como um domínio arbóreo da vegetação brasileira.

06) Entre as características encontradas no processo de crescimento urbano pelo qual passou a cidade de Cuiabá nas últimas décadas podemos citar, exceto:



  1. Periferização da mão-de-obra, principalmente a de baixa renda.

  2. Acesso aos serviços essenciais, como saúde e educação, de forma homogênea a toda população.

  3. Verticalização acelerada em bairros localizados nas proximidades do centro antigo da cidade.

  4. Macrocefalia urbana, com o surgimento de bairros periféricos cada vez mais distantes.

  5. Criação de artérias viárias de escoamento rápido do tráfego urbano, como as avenidas perimetrais.

07) Declaração de soja OGM aumenta mais de 1.000% em Mato Grosso.

Em todo o País, o TCRAC aponta crescimento de 34,8%. RS é recordista

Para esta safra, 224 Termos foram assinados no Estado. O volume revela incremento de mais de 1.000%

Diário de Cuiabá/2005
O número dos Termos de Compromisso, Responsabilidade e Ajustamento de Conduta (TCRAC), declarações assinadas pelos produtores que optaram pelo cultivo da soja geneticamente modificada (OGM), passou de 12 para 224 em Mato Grosso. Um incremento de 1.766%, mas que não deve refletir no total da área plantada.

A Coordenação de Biossegurança do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) divulgou ontem o balanço final dos TCRAC´s assinados em todo o País, ou seja, as intenções de plantio de soja OGM para a atual safra.

O volume de área plantada não foi revelado pelo Ministério. Hoje, a Delegacia Federal da Agricultura em Mato Grosso (DFA) deverá detalhar a situação do plantio de soja OGM no Estado. A última formação sobre área plantada com oleaginosa modificada em Mato Grosso foi divulgada em 13 de fevereiro, por meio de um levantamento preliminar da DFA. Os números da época apontavam 70 declarações e cerca de 40 mil hectares (ha) plantados. Esse volume, comparado aos 1,8 mil/ha da safra passada, mostram um avanço do grão OGM de 2.300%.
Sobre o tema descrito acima assinale a alternativa correta:


  1. A introdução da soja geneticamente modificada em Mato Grosso é perfeitamente compreensível, dentro do atual estágio de desenvolvimento das pesquisas agrícolas, pois as pesquisas já comprovaram de maneira definitiva que os transgênicos apresentam maior qualidade nutricional e são menos suscetíveis a quaisquer tipos anomalias provocadas por alterações genéticas.

  2. Um dos benefícios da expansão dos transgênicos é a possibilidade de diversificação quanto ao fornecimento dos insumos para os agricultores, pois é necessária a aplicação de produtos como adubo, fertilizante e pesticidas/herbicidas na lavoura, o que aumenta as opções do produtor rural quanto às empresas fornecedoras desses produtos.

  3. Conhecendo o perfil das empresas que atuam no segmento dos gêneros agrícolas geneticamente modificados no Brasil, especificamente no caso da soja, fica clara a liderança japonesa nesse setor de pesquisas, principalmente através de empresas como a Mitsui e a Matsuda.

  4. A soja transgênica promete maior produtividade e menor suscetibilidade às pragas agrícolas, fato que fez com que milhares de produtores rurais brasileiros acabassem optando pelo seu cultivo, a despeito das características monopolistas que envolvem a sua produção quanto ao fornecimento das sementes e insumos.

  5. Não é só no território brasileiro que a soja transgênica encontra entusiastas. As primeiras sementes foram introduzidas no Brasil através de contrabando, oriundas principalmente do Peru e da Bolívia.

08) Cidade de MT tem o maior índice de poluição do ar por metais no Brasil





  1   2   3   4   5   6   7   8   9


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal