Querida Katia



Baixar 11.4 Kb.
Encontro30.06.2019
Tamanho11.4 Kb.

Crianças e aparelhos eletrônicos

Pilar Tetilla Manzano Borba, terapeuta ocupacional,entrevista a Kátia, repórter da Natura 27/04/2012


Bem resumidamente: nosso cérebro é tripartido, ou trimembrado, como diz a antroposofia.


Temos uma parte do cérebro  bem primitivo chamado de cérebro reptiliano, ou cérebro básico responsável pelos reflexos primitivos e pela integração dos sentidos, pelo movimento e pelo equilíbrio (resumidamente); a parte mediana do cérebro é chamada de cérebro dos mamíferos ou cérebro límbico, responsável pela sobrevivência (fome, sede, libido, medo) e pelos sentimentos; e a parte mais recente, superior, a neocórtex, que é denominado cérebro humano, aquele que pensa.
Assim temos então o cérebro físico (sensório-motor), o emocional e o mental .Para sermos "equilibrados" na nossa propriedade de humanos precisamos usar os três cérebros harmonicamente
Os aparelhos eletrônicos roubam da criança a oportunidade de usarem seu cérebro sensório motor, pois nesses aparelhos não há cheiro (então como fica o desenvolvimento do sentido do olfato?); sabe-se que o sentido do olfato tem a ver com a memória afetiva e com o refinamento (porque se cheira o vinho?); no nordeste ao invés de beijo as pessoas dão um cheirinho...

Nos aparelhos eletrônicos as imagens são bidimensionais portanto o olho (o sentido da visão) não trabalha na tridimensionalidade. Para enxergarmos corretamente em tres dimensões usamos 3 pares de músculos: 1par para a linha horizontal, 1 par para a vertical e 1 par para a profundidade (distância). Nesses aparelhos o olho só faz o movimento de cima para baixo e da esquerda para a direita, já que ele está parado não é usado o par de músculos para a profundidade (perto-longe). Essa é a causa da miopia em crianças: encurtamento de músculos que não foram usados. (vide anexo).


O sentido do tato, tão importante para a criança sentir seu limite corporal e posteriormente reconhecer o limite do outro, fica prejudicado uma vez que com os aparelhos eletrônicos ela permanece muito tempo parada e seu corpo não toca em nada. Apenas sua mão, ou melhor, as pontas de seus dedos é que tocam.
Essas crianças que não tiveram o sentido do tato bem explorado e integrado vão ter uma série de problemas escolares e de socialização. A violência aumenta na proporção em que se antecipa o uso da mídia no ambiente da criança pequena (vide minha apostila: Os quatro sentidos básicos, o brincar e os brinquedos).
Para se fazer um trabalho de ler ou escrever, ou que exige habilidade fina (coordenação motora fina) é preciso ter bem desenvolvido o sentido do equilíbrio. Uma criança exposta muito cedo aos aparelhos eletrônicos não desenvolve bem o equilíbrio exigido  nessas atividades de maior precisão. O sentido do equilíbrio é desenvolvido enquanto a criança rola, arraste, balança, pula, salta, escala etc.
Esses aparelhos/brinquedos eletrônicos tem sons que não são naturais como a voz humana, o pio do pássaro, o farfalhar das folhas, o borbulhar da água, o som de uma madeira batendo noutra etc. A criança que é educada através de "ruídos" sonoros tem seu sentido da audição prejudicado e consequentemente não desenvolve a fala normal. Repare nessas crianças que assistem aos desenhos da televisão, como elas falam mecanicamente. Os consultórios de fonoaudiologia estão repletos de crianças pequenas que não falam direito. Se para falar temos que ouvir  a voz humana para formar a laringe, se não a ouvimos como conseguiremos reproduzir e articular os fonemas? Onde está o exemplo humano uma vez que na infância a criança é pura imitação?

Quanto a parte motora da criança: o cérebro básico é responsável pelo desenvolvimento da coordenação motora grossa, ampla, seu equilíbrio dinâmico e estático; enquanto que o cérebro mediano é responsável por integrar os gestos anímicos (afetividade, fuga, carinho, desprezo, cuidado, aconchego, etc.). O cérebro superior, a neocórtex, é responsável pelos movimentos finos, delicados, complexos, mais elaborados.


A questão da criança usar as pontas dos dedos para acionar esses aparelhos é coisa para se pensar. Quando usamos ponta de dedos, principalmente indicador, usamos a parte superior do cérebro (a neocórtex). Quando usamos ombro, cotovelo, antebraço e punho, estamos usando a parte básica do cérebro. Então, o que ocorre na criança é igual ao que ocorre na construção de uma casa: podemos por telhado antes das paredes e do alicerce serem feitos? fica aqui uma interrogação. Até podemos colocar telhado em paredes erguidas sem alicerce, mas a casa cai. O que acontecerá com essas crianças que não passaram pelos estágios de desenvolvimento concreto (sensório motor), emocional (através de imagens) antes de chegarem ao desenvolvimento abstrato (virtual)?

Na minha apostila sobre o sentido do tato você verá as consequências sociais que acontecem quando ele não é integrado. E, também sobre os outros sentidos.


Hoje está todo mundo conectado virtualmente mas como está o contato humano, calórico, verdadeiro? Essa é a pergunta que devemos fazer quando se introduz a mídia muito cedo no ambiente infantil, pois é na infância que se desenvolve o sentido social, a percepção do outro, o carinho, o cuidado e o respeito pelo próximo. Daí que vem aumentando a violência como uma falta de perceber o outro, de dar espaço para o outro, de conviver com a diversidade...
Se você puder ler a página 170, do livro O Fim da Evolução você lerá que "a falta de capacidade de formar imagens interiores (e isso a criança faz quando lhe contamos contos de fadas e quando a deixamos brincar livremente tendo como base a imitação do que observou) deixa sem uso a maior parte do cérebro"..." as crianças que tem pouca imaginação são mais propensas à violência que as crianças imaginativas"...
Se você tiver o livro leia os capítulos 11,12 e 13 sobre a questão do Vínculo; os capítulos 18 e 19 falam do brincar e das consequências referentes ao fim das brincadeiras.

No livro "A Pedagogia Waldorf" de Rudolf Lanz, lá no final tem um capítulo do Valdemar Setzer sobre "Os riscos dos jogos eletrônicos na idade infantil e juvenil". Esse texto você também encontra no site dele e/ou google.



Da minha especialidade como terapeuta ocupacional, que versa sobre o desenvolvimento neuropsicomotor da criança, devo dizer que o cérebro é formado ( as conexões nervosas, chamadas sinapses, são feitas) através do movimento e da diversidade e riqueza dos estímulos sensoriais. Quanto mais estímulos diversificados mais conexões nervosas serão feitas, e é nessa rede de células nervosas que o conhecimento irá encontrar respaldo, será gravado. Se você quer gravar um filme primeiro você tem que fazer as cenas, deu para entender? É a sucessão de cenas gravadas que dá um filme. Assim é o que ocorre na formação da inteligência: quanto mais registros a criança tiver feito na infância, mais conexões nervosas ela faz e isso aumenta a capacidade de entender no futuro os ensinamentos acadêmicos. Com a ressalva que na infância tudo é registrado sem consciência alguma ( ou juízo de valor) por parte da criança.
A questão é:
- para que a criança se desenvolva harmoniosamente, que estímulos estão sendo fornecidos a ela através desses aparelhos eletrônicos? - que possibilidades ela tem de se movimentar da maneira como seu corpo exige que se movimente?
- que tipo de exemplos saudáveis e vínculo humano está se formando na criança?
- que imagens estão sendo registradas em seu cérebro que ela irá repetir mais tarde já que na infância tudo que entra pelos órgãos dos sentidos é registrado sem nenhum filtro?
- em que medida esses aparelhos eletrônicos estão influenciando na saúde física, emocional e mental dessas crianças?
 








©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal