Prova de ortopedia 2003 (rodízio A)



Baixar 46.92 Kb.
Encontro09.04.2018
Tamanho46.92 Kb.

Questões de Ortopedia – 4 Ano – Terceiro Rodízio - 2009-11-12



  1. Dentre as causas da Síndrome do Impacto, qual a mais freqüente?




  1. A artrose primária do joelho caracteriza-se por:

  1. Afetar o adulto jovem que pratica atividades esportivas de alto impacto.

  2. Oferecer condições para lesões secundárias da cartilagem articular, meniscos e ligamentos.

  3. Não se encontrar uma afecção que justifique a degeneração articular.

  4. Estar associada a artroses primárias das articulaçãoes vizinhas, coxofemoral e tornozelo.

  5. Acompanhar a evolução de moléstias autoimunes ou de origem metabólica.




  1. - Descreva a fisiopatologia da osteomielite nas crianças.




  1. - Paciente com 11 anos, sexo masculino, apresenta aumento de volume na região distal da coxa direita há 3 meses, doloroso, com tumoração endurecida e imóvel à palpação. Uma das principais hipóteses de diagnóstico é o osteossarcoma. Cite 2 (dois) exames de imagem e os principais achados encontrados no osteossarcoma, em cada um dos exames.




  1. - Cite 3 complicações das fraturas supracondileanas do cotovelo em crianças.



  1. - A manobra de Ortolani serve para identificar patologia em qual região do sistema musculoesquelético ? Descreva a manobra.

7 – Como se realiza a manobra de Lasegue e o que significa quando é positiva ?

8 - Cite três fatores etiológicos da síndrome do túnel do Carpo. Qual é a estrutura comprometida?
9- Em relação às metástases ósseas:


  1. As metástases ósseas representam as lesões ósseas malignas mais freqüentes.

  2. Quando o paciente apresenta metástases ósseas com fratura não tem mais necessidade de tratamento ortopédico cirúrgico.

  3. A metástase óssea mais freqüente encontrada no homem é a do sistema urinário, principalmente bexiga e rim.

  4. A metástase óssea mais freqüente encontrada na mulher é a da tireóide.

  5. O comprometimento metastático ósseo denota um avançado estágio da doença não tendo mais necessidade de tratamento oncológico ortopédico.


Prova Ortopedia 2009 – rod B
1)Nome e como se faz a manobra pra confirmar luxação recidivante do ombro.

2)2 causas de pseudoartroses por ma vascularização

3)epidemiologia das fraturas do colo de femur

4)3 locais de compressão dos nervos periféricos no membro superior

5)Descreva as manobras de Ortolani e Barlow

6)Sobre artrose primaria do joelho

a)ocorre em jovens atletas

b)é acompanhada de artrose de articulações vizinhas

c)não tem causa que explique seu aparecimento

d)pode favorecer lesões associadas como de menisco e ligamentos

e)pode ter como base doenças metabólicas e doenças ...

7) O que se sabe por escoliose

8)Como diagnosticar uma lesão de menisco

9) Sobre o osteossarcoma:

a)ocorre dos 20 aos 40

b)preferencialmente em diafise

c)os tipos histológicos são condroblastico, osteoblastico, fibroblastico e teleangiectasico.

d)?


e)tem o triangulo de codman como sinal patognomonico
IMPORTANTE:?
1- Qual a gravidade da Síndrome Compartimental? Cite sinais e sintomas e diga qual é o mais importante.

2- Como devemos tratar uma fratura articular?

3- O que pode causar pseudoartrose?
Prova ortop - rodizio C - 2009
1) principal tendao comprometido na sd do impacto e suas fases.

2) qual a importancia das fraturas de maleolo?

3) manobra de Tomas e para quê serve.

4) ?


5) fisiopatologia da artrite septica do quadril.

6) teste: de gaveta e slocum (o que cada um vê)

7) manobra de Lasegue.

8) teste: sarcoma de Ewing




Prova de Ortopedia Rodízio C - 2008

 

Testes



  • Artrose Primária de Joelho

    • definição/etiologia

  • Tenossinovite de De Quervain

    • manobra para DG

      • polegar em adução + desvio ulnar do punho

    • conceito

Questões

  • Bursite do ombro (síndrome do impacto)

Manobra de Neer e Jobe.

  • Tratamento do pé-torto congênito

Depende da idade. Até 2a posiline, 2-6 discute-se posiline ou Izalitinov, e mais q 6 izalitrinov.

  • Propedêutica do Quadril

    • Barlow x Ortolani

    • Importância do DG no berçário das alterações de quadril

  • Escoliose

    • definição / avaliação propedêutica

  • Avaliação de nervos periféricos


COLETÂNEA DE ORTOPEDIA


  1. Manobra de Tomas.

Usado para verificar flexão de contratura do quadril. Paciente em decúbito dorsal, com um dos quadris totalmente fletido, para corrigir a lordose lombar compensatória. A perna contralateral deve permanecer estendida. Se ficar fletida, a manobra é positiva.



  1. Manobra de Trendelemburg.

Checa insuficiência do glúteo médio. Paciente em pé, de costas para o examinador, flete um dos joelhos (apoiando-se apenas em uma perna), e, a seguir, o outro. Se em um dos tempos o quadril contralateral desnivelar-se para baixo, o glúteo médio apresenta insuficiência e a manobra é positiva.



  1. Angulações do tornozelo.


4) Sinais/ex físico de escoliose.

Desnível entre a altura dos ombros, altura das escápulas, espinhas ilíacas ântero-superiores, báscula de bacia, teste de Adams positivo, triângulos de talhe desiguais.





  1. Como saber se houve ferimento do nervo digital?




  1. Usos da tomografia.

Para diagnóstico de fraturas (qdo o raio x não for suficiente), coleções, infecções, tumores, compressão do canal vertebral a alterações reumatológicas.



  1. Manobras para o ligamento cruzado anterior.

Gaveta anterior, lachman, pivot shift.



  1. O que passa pelo túnel do carpo.

Nove tendões flexores e suas bainhas, e o nervo mediano.



  1. Articulações do ombro.




  1. Cúbito varo/valgo (cotovelo).




  1. Malformações dos MMSS: 5 exemplos.




  1. Tratamentos da Lesão do Manguito Rotador.




  1. Falha no tratamento de lesão do manguito rotador.

Na falha do tratamento conservador, deve-se tratar cirurgicamente a lesão. (será q era isso q eles queriam?)


  1. Politraumatizado após estabilização: prioridades na traumatologia ortopédica.

Controlar hemorragia, tratar partes moles e estabilizar fraturas (fixador externo de escolha, osteossínteses internas só se o estado geral do paciente permitir a intervenção).

Estabilização do anel pélvico (se hemodinâmica instável, colocar fixador externo que é rápido, fácil, não desvitaliza tecidos, barato), fraturas expostas e fraturas de ossos longos.




  1. Fraturas expostas:

    1. Diferenças entre os graus III A, B e C

A: partes moles viáveis suficientes para recobrir a fratura

B: partes moles viáveis insuficientes para recobrir a fratura

C: lesão arterial que necessite de reparo


    1. Tratamento do III A.

Limpeza e debridamento cirúrgico, com retirada dos tecidos desvitalizados e osteossíntese. Até IIIA, pode-se usar oseteossíntese definitiva, como haste intramedular ou placa e parafuso, desde que isso não produza maior dano tecidual.


  1. Manobra de Mac Murray: descrição e significado

Paciente em decúbito dorsal, quadril fletido a 90º. , joelho fletido a 90º. , faz-se leve pressão na planta do pé, com rotação da tíbia, tanto para lateral quanto para medial, e palpação da linha articular do joelho.


  1. Complicações das fraturas.

Fraturas de pelve e fêmur podem ter grande perda sanguínea, com conseqüente hipovolemia. Além disso, fraturas extensas podem cursar com embolia gordurosa. Fraturas expostas podem acarretar em infecções. O tratamento incruento de fraturas de mmii pode ser causa primária de tromboembolismos.

Entre as complicações no processo de consolidação, temos pseudoartroses e consolidações viciosas, com deformidades e perda de função.




  1. Sinais radiológicos da displasia quadril antes do 4° mês de vida.

Arco de menard-shenton “quebrado”, índice acetabular (ângulo entre a linha de hilgenreiner e uma linha que passa no teto ossificado da cavidade acetabular), que deve ser de até 30º.



  1. Artrite séptica do quadril:

    1. Sinais radiográficos, laboratoriais e clínicos

Anorexia, febre, letargia, diminuição da imunidade, aumento de volume local, com hiperemia, dor e posição antálgica (flexão, abdução e rotação interna, ou posição de Bonnet). Na radiografia, vê-se aumento do espaço articular, com acetábulo normal. VHS>40, leucócitos>12000.


    1. Método diagnóstico mais importante.

O diagnóstico preciso é feito através de exame do líquido articular, com teste de gram, bioquímica e cultura.


  1. Paralisia cerebral: definição, classificação clinica.

Amplo espectro de alterações que determinam uma lesão do cérebro na fase de desenvolvimento (até 2 ou 3 anos de idade), produzindo alteração de postura e movimento. É dividida em espástica (córtex da área motora lesado), atetósico (lesão do sist extrapiramidal), rígida (lesão global do córtex), tremor, atáxico (sist cerebelar) ou misto.


  1. Cauda Equina: definição, significado e sintomas.

Indica compressão medular, caracterizada por perda de controle de esfíncteres, de força nos mmii e anestesia em sela e dor perineal.


  1. Achados radiográficos na Artrose de Quadril.

Pinçamento articular, osteófitos, osteocondensação e cistos.


  1. Genuvarum e Genuvalgo: definição e idade nas crianças em são fisiológicas.

Varum fisiológico até 30 meses, e valgo fisiológico até 5 ou 6 anos.


  1. Radiografia e RNM com Epifisiolise Proximal do fêmur

Espessura aumentada da placa epifisária, que perde seu aspecto serrilhando, tornando-se mais lisa; linha partindo da porção superior do colo femoral que não atravessa parte do núcleo epifisário (linha de Klein), porose regional do colo femoral, linha de esclerose sobreposta à imagem do colo (sinal do crescente de Steel).

RNM deve mostrar escorregamento da placa epifisária (ocorre na porção hipertrófica) e desvio da cabeça para posterior, perpendicularmente à anteversão do colo.




  1. Doença de Legg Calve Perthes.

É um processo auto limitado, caracterizado por isquemia em um território do núcleo epifisário proximal do fêmur. Incide mais em meninos, dos seis aos oito anos de idade. O tto consiste em manter a epífise centralizada e a carga no membro, diminuída, até que a radiografia mostre predomínio de área de neoformação óssea (cartilagem, ou seja, aparência de osteólise).


  1. Sintomas clínicos da Lesão de Menisco.

Derrame articular, dor, bloqueio da articulação do joelho, dor à palpação da interlinha articular. Mcmurray e Appely positivos.


  1. Cite as vantagens da Artroscopia.

Incisões menores, reabilitação precoce, menor trauma de tecidos moles, tempo de cirurgia menor...


  1. Fatores de classificação das Fraturas Expostas.

São classificadas por Gustillo e Anderson de acordo com a lesão de pele (até 1 cm, de 1-10 cm e maior do que 10cm), energia do trauma (baixa, moderada ou alta), desvitalização de partes moles (baixa, média, elevada), fratura (traço simples, fratura de fora pra dentro, fratura multisegmentada) em graus I, II e III. Vale lembrar que o mais importante é o modo de exposição, não a lesão de pele. Se o trauma for de alta energia, a fratura, segmentada e a desvitalização de partes moles, grande, ela é grau III, mesmo com uma lesão pequena de pele. As grau III são divididas em a, b e c, sendo q as do tipo a possuem partes moles viáveis suficientes para cobertura da fratura, as do tipo b possuem partes moles insuficientes para cobrir o foco da fratura e as do tipo c possuem lesão arterial que necessite de reparo.


  1. Para que serve a classificação de Salter e Harris.

Classifica fraturas fisárias em graus I, II, III, IV e V, sendo que o VI foi inroduzido por Rang.

Classifica fraturas fisárias em graus I (linha de fratura paralela à fise), II (sobe em direção à metáfise), III (sobe pela epífise), IV (perpendicular à fise) e V (esmagamento da fise), sendo que o VI foi introduzido por Rang.




  1. Complicações de fraturas do Colo de Fêmur.

Necrose e colapso segmentar da cabeça do fêmur (a necrose é precoce e o colapso, tardio).


  1. Particularidades de fraturas do 1/3 proximal do úmero qto ao tto cirúrgico, quando comparada a fratura de outras regiões

A fixação de pinos metálicos e parafusos é mais difícil, por se tratar de osso esponjoso com cortical fina, podendo ser feita com pontos transósseos (fratura de tubérculos), placa PFS (fratura do colo cirúrgico), artroplastia/ parafusos (colo anatômico), artroplastia parcial/placa pfs (fratura em três partes), artroplastia parcial (quatro partes). As fraturas de tto cirúrgico são aquelas desviadas, em paciente jovens e com boa condição cirúrgica.


  1. Objetivos principais do tto das fraturas-luxações de tornozelo

Restabelecer congruência e estabilidade articular (pode ser incruento ou cirúrgico, com reparação de tds os segmentos lesados e retirada de corpos livres).


  1. Na hérnia de disco intervertebral lombar, cite uma situação de indicação de descompressão cirúrgica de emergência

Piora dos sintomas, com compressão medular.



  1. Principais causas de pseudoartrose

Instabilidade no foco da fratura e baixa vascularização.


  1. Tipos de artrose, região acometida e tto cirúrgico correspondente em artroses de joelho

Podem ser específicas, inespecíficas ou reumáticas. O tto cirúrgico em artroses de joelho consiste em debridamento (artroses leves), osteotomias (unicompartimental) ou artroplastia (pan-artroses).


  1. Fisiologia da epicondilite, diagnóstico e tratamento

É uma inflamação dos tendões e/ou ligamentos que se inserem nos epicôndilos lateral ou medial. Evolui p/ degeneração do tendão (hiperplasia angiofibroblástica). O diagnóstico é feito pela história, exame clínico e RNM. O tto pode ser conservador, com AINE, imobilização, fisioterapia, orientação qto aos movimentos; ou cirúrgico, por via artroscópica.


  1. Indicações para sutura meniscal do joelho

A sutura meniscal deve ser feita em lesões na zona vermelho-branca e branca-branca.


  1. Quadro clínico de uma criança com epifisiolise do quadril

Claudicação, atitude em rotação externa e dor variável, em região inguinal, no quadril ou na porção antero medial do coxa ou do joelho.


  1. Com relação à luxação recidivante do ombro, podemos afirmar que:

  1. ocorre em pacientes idosos, e o tto é eminentemente conservador

  2. ocorre em jovens e o tto é conservador, mesmo na presença de lesão do ligamento

  3. a lesão ocorre no ligamento gleno-umeral inferior e é chamada de lesão de Bankart

  4. a lesão não ocorre no ligamento e sim no tendão do supraespinhal

  5. todas estão erradas (a lesão de Bankhart é a avulsão da porção ântero- inferior da glenóide, e lesão do ligamento gleno-umeral inferior)

-descreva uma manobra pra identificar instabilidade de quadril em RN

-diferenças de Rx e RNM

-Caracterize Dça de Legg Calve Perthes

- QC das fraturas proximais do fêmur

-fases e subfases da marcha e um tipo de marcha claudicante

- descreva uma manobra pra verificar lesão/integridade dos meniscos

-como identificar uma giba por escoliose torácica?

- diferença de barlow e ortolani
Questões da Disciplina de Ortopedia e Traumatologia

(2009 – Prova globalizada)




  1. Em relação à investigação diagnóstica, dos tumores ósseos, é correto afirmar:




  1. O caminho mais rápido e seguro para o diagnóstico é a realização da biópsia precoce.

  2. Para o correto diagnóstico, deve-se correlacionar o quadro clínico, os estudos de imagem e a histologia.

  3. A evolução lenta de uma lesão óssea nos tranqüiliza quanto ao diagnóstico de uma lesão benigna.

  4. A biópsia óssea apresenta alta fidedignidade quanto ao diagnóstico histológico, dispensando estadiamento da lesão.

  5. Quando o diagnóstico é de tumor ósseo benigno não é necessário a investigação de metástase pulmonar.

2 - Em relação à tenosinivite de De Quervain é correto afirmar que:




  1. acomete os tendões flexor longo do polegar e flexor radial do carpo

  2. acomete os tendões abdutor longo e extensor curto do polegar

  3. acomete os tendões extensores longo e curto do polegar

  4. o túnel comprometido é o terceiro túnel extensor

  5. a manobra de Finkelstein é feita com desvio radial do punho

3 – A utilização de contraste iodado nos exames de tomografia

computadorizada não esta indicada para o estudo de:


  1. tumores

  2. Infecções

  3. Fraturas

  4. malformações vasculares

  5. deformidades ortopédicas

4 - A osteocondrite dissecante do joelho é uma afecção caracterizada por:



  1. Acometer com freqüência pacientes adultos acima dos 40 anos.

  2. Ser de tratamento exclusivamente fisioterápico.

  3. Ser de tratamento preferencialmente cirúrgico.

  4. Acometer com freqüência pacientes em crescimento.

  5. Necessitar de imobilização prolongada para cicatrização da lesão.

5 – Assinale a alternativa correta:





  1. A manobra de Ortolani é positiva na doença de Perthes.

  2. O teste de Trendelemburg avalia os músculos abdutores do quadril.

  3. Na escoliose idiopática o angulo do talhe é normal.

  4. A manobra de Barlow é positiva na epifisiolise do quadril.

  5. A manobra de Adams é positiva na displasia do desenvolvimento do quadril





©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal