Protocolo: 2176 Nome do (a) Proponente ou Orientador (a)



Baixar 140.63 Kb.
Encontro07.10.2019
Tamanho140.63 Kb.

RELATÓRIO DE PROJETO DE PESQUISA
Nome do Projeto: “Avaliação da qualidade ambiental da água do Rio da Madre, da água do mar e da areia da Praia da Guarda do Embaú (Palhoça/SC) baseado nos parâmetros microbiológicos de Escherichia Coli”.
Protocolo: 2176
Nome do (a) Proponente ou Orientador (a): Elisa Helena Siegel Moecke

Nome do (a) Bolsista: Flávia Reinhold Pagani

Campus/Unidade: Regional Norte - Ponte de Imaruim
Data do Relatório: Agosto/2007 a Julho/2008
Tipo do Projeto:

( ) PUIC Disciplina ( ) PUIC Continuado ( X ) PUIC Individual


1. Introdução
Os balneários sofrem com a ocupação urbana, principalmente devido a sazonalidade das atividades turísticas a conseqüente flutuação populacional. A infra-estrutura dos serviços de saneamento e saúde pública dos balneários ainda não consegue absorver os impactos decorrentes destes aumentos populacionais transitórios, sem comprometer a qualidade ambiental e a da saúde das populações envolvidas. O que desencadeia uma série de possíveis problemas relacionados à saúde humana. A presença de Escherichia coli, presente nas fezes do homem e de animais de sangue quente, na água e na areia da praia, é uma das preocupações recentes, já que a presença dessas bactérias demonstra que as praias estão poluídas por matéria fecal, o que pode indicar a presença de outros microrganismos causadores de doenças.

A utilização de microrganismos como indicadores biológicos para monitorar a qualidade da água, possibilita identificar variações no ambiente e quantificar níveis de poluição. As bactérias do grupo coliforme são utilizadas como indicadores de poluição. São bacilos Gram-negativos, não esporulados, anaeróbios facultativos, fermentadores de lactose com produção de gás dentro de 48 horas, a 35 ºC. Pertencem a família Enterobacteriacea e incluem, além de E. coli, Klebsiella, Citrobacter e Enterobacter. O grupo coliformes termotolerantes fermenta lactose com produção de gás dentro de 24 – 48 horas a temperaturas elevadas, 44,5 a 45,5 ºC, normalmente em caldo EC. Podem ser recuperadas por este teste Enterobacter, Citrobacter e Klebsilella, também presentes no solo e em vegetais, mas E. coli é a única espécie cujo habitat primário é o trato intestinal do homem e de outros animais de sangue quente e por isso é considerado o mais específico indicador de contaminação fecal recente e da eventual presença de patógenos entéricos (APHA, 1998).

As praias brasileiras localizadas em regiões urbanas, freqüentemente apresentam as suas águas com elevados índices de contaminação fecal, superiores aos aceitáveis para uso em atividades de recreação e pesca. Os animais e sedimentos associados a ambientes aquáticos contaminados podem apresentar níveis mais elevados de organismos indicadores e patogênicos em relação às populações detectadas na água (MENDONÇA-HAGLER; VIEIRA & HAGLER, 2001). Os padrões para avaliar a qualidade da areia de praia, ainda não foram estabelecidos. Entretanto a Resolução 274 de 2000 recomenda aos órgãos ambientais a avaliação das condições parasitológicas e microbiológicas da areia, para futuras padronizações.

A praia da Guarda do Embaú é considerada uma das 10 praias mais belas do Brasil e faz parte do Parque Estadual Serra do Tabuleiro, uma grande área de preservação. Está localizado no município de Palhoça, 50 km ao Sul de Florianópolis. O Rio da Madre percorre em frente a vila, para desembocar suas águas no mar, depois de formar uma pequena praia entre as rochas. A praia localiza-se numa faixa de areia entre o rio e o mar, com dunas de areias brancas que completam o cenário magnífico do local.

As noticias divulgadas atualmente são preocupantes: “A poluição já chegou a locais como a Guarda do Embaú, na região metropolitana de Florianópolis e uma das praias mais procuradas por turistas e surfistas. Conhecida pela paisagem e natureza intacta dos morros que a cercam, a Guarda sofre com a poluição do rio da Madre, que dá acesso à areia”.

Diante destas noticias, sentimo-nos impulsionados a realizar este trabalho, uma vez que, estudamos e moramos neste município, acreditamos que podemos contribuir para a preservação de uma área tão importante para o município de Palhoça e para o Estado de Santa Catarina. E, esperamos contribuir efetivamente para o estabelecimento de uma base de dados, que possa auxiliar na elaboração padrões para areia de praia.



Após um ano de monitoramento, levando-se em consideração fatores como tempo, animais transitando pelas praias, o movimento em bares e restaurantes, aumento no volume populacional na alta temporada, bem como sua diminuição populacional na baixa temporada, dentre outros fatores, apresenta-se este relatório final.
2. Objetivos
2.1 Objetivo Geral
Monitorar as condições de qualidade da areia e da água da praia da Guarda do Embaú através das determinações de Escherichia coli.
2.2 Objetivos Específicos


  • Avaliação microbiológica de Escherichia coli na água do rio da Madre e do mar.

  • Avaliação microbiológica de Escherichia coli na areia da praia.

  • Contribuir com os dados de Escherichia coli em areia para o estabelecimento  padrões e limites de contaminação que ainda não existem na legislação brasileira.

  • Verificar a correlação se houver, entre as populações de coliformes totais, coliformes termotolerantes (dados que serão obtidos pelo trabalho do aluno Vinicius Webber/PUIC2007) e Escherichia coli na água e na areia.

  • Interagir com outros colegas para aperfeiçoar os ensaios realizados em laboratório.

  • Alertar sobre a importância da preservação da praia para comunidade local no que diz respeito ao tratamento de esgoto das residências com a divulgação dos resultados junto as associações de bairro. 

  • Apresentação do trabalho em eventos (Congressos, simpósios, semana de pesquisa, etc.). E publicação em revistas científicas da área.


3. Material e Métodos
As amostras de água foram coletadas no Rio da Madre (20) e no mar (10) da praia da Guarda do Embaú. As amostras (30) de areia foram coletadas na praia da Guarda do Embaú. Os pontos de coleta foram posicionados com auxílio do GPS (Sistema de Posicionamento Global). Todas as coletas foram realizadas no mesmo local (Figura 1).

Figura 1- Área de coleta das amostras na Praia da Guarda do Embaú/Palhoça - SC.

Fonte: Google Earth, 2008.
A amostragem foi efetuada no local com maior concentração de banhistas, onde apresentar a isóbata de um metro no caso das amostras de água e na mesma direção em relação à praia no caso das amostras de areia, coletadas individualmente das zonas molhada, úmida e seca. Foram observadas e registradas informações sobre correntes, chuva, sol e vento durante e antes (1 a 3 dias) das coletas (APHA, 1998).

A amostragem foi realizada juntamente com o aluno Vinicius Webber (Projeto Puic/2007).

Para a determinação de Escherichia coli, utilizou-se Placas PetrifilmTM, da marca 3M. Para tal determinação, foi utilizado 1 mL da amostra ou 1 mL da amostra diluída, colocada ao centro da placa e com o auxilio de um difusor se espalhou melhor a amostra sobre a superfície da placa, cuidando para que não formassem bolhas. As placas foram incubadas horizontalmente, com a parte transparente para cima, tendo-se o cuidado de manter a incubadora umidificada colocou-se um becker com água destilada dentro da mesma. As placas foram mantidas na incubadora por 48 horas a uma temperatura de 35°C.

Após incubação das placas a 35ºC por 24 e 48 h, colônias azuis e vermelhas com bolhas foram consideradas colônias de E. coli e coliformes totais, respectivamente. O resultado foi obtido pela contagem das colônias e expresso em UFC/g.


4. Resultados:
Como pode ser visto na tabela 1, os valores obtidos para a areia seca foram maiores que os da úmida em 7 coletas no período de monitoramento, e em 5 coletas maiores que as amostras para areia molhada. Observou-se valores elevados de coliformes totais (C.T) e E.coli (E.C) na última semana do estudo, 25/06/2008. Ainda não existe nenhuma padronização, para avaliar se a areia está própria para recreação ou não.

De acordo com a Resolução CONAMA 274 de 2000 Art. 8º: “Recomenda-se aos órgãos ambientais a avaliação das condições parasitológicas e microbiológicas da areia, para futuras padronizações”. Assim, os resultados obtidos para areia servirão como banco de dados para elaboração de padrões.



Tabela 1 - Unidades formadoras de colônia (UFC) de coliformes totais (C.T) E. coli da areia seca, úmida e molhada da praia da Guarda do Embaú/Palhoça - SC, no período de outubro de 2007 a junho de 2008.


Data

Amostra

C.T (UFC/g)

E.C (UFC/g)

03/10/07

Seca

80

60




Úmida

10

0




Molhada

30

0

17/10/07

Seca

0

0




Úmida

160

110




Molhada

0

0

07/11/07

Seca

200

0




Úmida

0

0




Molhada

0

0

05/12/07

Seca

160

90




Úmida

30

10




Molhada

50

0

12/03/08

Seca

20

10




Úmida

0

0




Molhada

10

10

26/03/08

Seca

20

0




Úmida

20

0




Molhada

30

10

07/05/08

Seca

40

10




Úmida

10

0




Molhada

50

20

28/05/08

Seca

40

40




Úmida

0

0




Molhada

0

0

11/06/08

Seca

40

30




Úmida

10

10




Molhada

30

20

25/06/08

Seca

580

Incontável




Úmida

40

40




Molhada

Incontável

Incontável

C.T. (Coliformes Totais), E.C. (Escherichia Coli).
A Tabela 02 apresenta os resultados das análises referentes à água do mar e do rio para coliformes totais (C.T), E. coli (E.C), pode-se observar que na água do mar a presença de microrganismos foi muito baixa em todo o período monitorado. Na água do rio a concentração de microrganismos também foram baixos. O maior valor encontrado para E.coli foi de 13 UFC/mL ou 1300 UFC/100mL no dia 05/12/2007.

Tabela 2 - Unidades formadoras de colônia (UFC) de coliformes termotolerantes (C.T), E. coli (E.C) água do rio (1), água do rio (2) e água do mar (3) da praia da Guarda do Embaú/Palhoça - SC, no período de outubro de 2007 a junho de 2008, analisada e classificada segundo os critérios de balneabilidade (CONAMA, 2000).




Data

Amostra

C.T (UFC/mL)

E.C (UFC/mL)

03/10/07

1

11

0




2

10

0




3

0

0

17/10/07

1

5

2




2

1

1




3

0

0

07/11/07

1

40

0




2

0

0




3

0

0

05/12/07

1

12

13




2

11

6




3

1

1

12/03/08

1

6

0




2

9

2




3

1

0

26/03/08

1

3

0




2

2

0




3

3

0

07/05/08

1

7

0




2

13

5




3

3

0

28/05/08

1

0

0




2

9

12




3

0

0

11/06/08

1

11

2




2

10

8




3

2

0

25/06/08

1

4

0




2

1

0




3

4

1

C.T. (Coliformes Totais), E.C. (Escherichia Coli); 1 e2 água do rio da Madre; 3 – água do Mar da Guarda do Emba.ú

Com os resultados obtidos para água do mar, pode-se classifica - lá de acordo com a Resolução CONAMA 357 de 2005, como água salobra (21, 41%o). E conforme Resolução CONAMA 274 de 2000 é própria à recreação de contato primário (balneabilidade) e de excelente qualidade. A água do rio da Madre, tanto no ponto 1 (4,68 %o) como no ponto 2 (5,67 %o) é salobra, própria para a recreação de contato primário (balneabilidade).

De acordo com o Conama As águas consideradas próprias são subdivididas em:


  1. Excelente: quando em 80% ou mais de um conjunto de amostras obtidas em cada uma das cinco semanas anteriores, colhidas no mesmo local, houver, no máximo, 250 coliformes fecais (termotolerantes) ou 200 Escherichia coli ou 25 enterococos por l00 mililitros;

  2. Muito Boa: quando em 80% ou mais de um conjunto de amostras obtidas em cada uma das cinco semanas anteriores, colhidas no mesmo local, houver, no máximo, 500 coliformes fecais (termotolerantes) ou 400 Escherichia coli ou 50 enterococos por 100 mililitros;

  3. Satisfatória: quando em 80% ou mais de um conjunto de amostras obtidas em cada uma das cinco semanas anteriores, colhidas no mesmo local, houver, no máximo 1.000 coliformes fecais (termotolerantes) ou 800 Escherichia coli ou 100 enterococos por 100 mililitros.

Assim, na 5ª e 6ª coleta a água do rio, no ponto 2, é excelente, na 7ª, 8ª, 9ª e 10ª semanas a água é apenas satisfatórias para a balneabilidade (em quatro amostragens com 600UFC/100mL; 500UFC/100mL; 1200UFC/100mL e 800UFC/100mL). No ponto 1 (rio) a água é considerada excelente para a balneabilidade.

5. Conclusões
A partir dos resultados obtidos podemos concluir que:


  • De acordo com a Resolução Nº. 274 de 2000 do Conselho Nacional do Meio Ambiente podem-se classificar a água do mar e do rio da praia da Guarda do Embaú como própria à recreação de contato primário (balneabilidade). É considerada de excelente qualidade a água do mar e do rio no ponto 1. No ponto 2 a água do rio é considerada satisfatória para a balneabilidade.

  • A presença de coliformes na areia não representa, por si só, um perigo à saúde, mas indica a possível presença de organismos patogênicos.

Comumente os balneários brasileiros sofrerem com a falta de infra-estrutura dos serviços de saneamento e saúde pública. Houve-se então a preocupação e interesse ambiental na realização deste trabalho, uma vez que, a praia da Guarda do Embaú faz parte do Parque Estadual Serra do Tabuleiro, que é considerada uma área de grande interesse e preservação ambiental. Além disso, por estudarmos e morarmos neste município acreditou-se na possibilidade de se contribuir para a preservação de uma área tão importante para o município de Palhoça e para o Estado de Santa Catarina.

Pode-se observar, após o período de monitoramento, que as águas Rio da Madre e do mar da Praia da Guarda, não apresentam grande contaminação por E.coli. Apesar da baixa concentração de E.coli na areia, percebeu-se a presença de animais transitando na areia da praia o que pode ter caracterizado a presença de E.coli na areia.

Ainda em tempo, vale advertir as autoridades responsáveis por esta área e à comunidade local, a importância da preservação da praia no que diz respeito ao tratamento de esgoto das residências e dos comércios presentes nesta região, com a conscientização ambiental junto às associações de bairro. Zelando para que a praia da Guarda do Embaú juntamente com o Rio da Madre sejam preservados, adotando medidas de saneamento eficazes, haja vista que, esta ainda apresentam um nível de contaminação baixo, sendo considerada pela Resolução CONAMA 274 de 2000, própria à recreação de contato primário (balneabilidade) e de excelente qualidade água do mar.


6. Referências
American Public Health Association. Standard methods for the examination of water and wastewater. 20 th. ed. Washington, D.C., 1998.
Blodgett; R. Most probable number from serial dilutions. Feb. 2006. In: Bacteriological Analytical Manual Online. 2001. Acesso em: 25 jun. 2006. Disponível em:<http://www.cfsan.fda.gov>.
CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE - CONAMA. Resolução nº 274, de 29 de novembro de 2000. Dispõe sobre a classificação das águas doces, salobras e salinas destinadas a balneabilidade. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 8 jan. 2001. Acesso em: 25 jun. 2006. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res00/res27400.htm>.
FENG, P.; WEAGANT, S. D.; GRANT, M. A. Enumeration of Escherichia coli and the coliform bacteria. Sept. 2002. In: Bacteriological Analytical Manual Online. 2001. Acesso em: 25 jun. 2006. Disponível em:<http://www.cfsan.fda.gov>.
FUJIOKA, R. S. Indicators of marine recreacional water quality. In: HURST, C. J. et al. (Eds.). Manual of environmental microbiology, Washington: ASM, 1997. p. 176-183, 893 p.
Mendonça-hagler, l. c.; vieira, r. h. s. f.; hagler, a. n. Microbial quality of water, sediment, fish and shellfish in some Brazillian Costal regions. In: FARIA, B. M.; FARJALLA, V. F.; ESTEVES, F. A. (Eds.) Aquatic microbial ecology in Brazil. Series Oecologia Brasilienses, v. IX, p. 197-216, 2001.




©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal