Programa de anatomia humana básica curso de Odontologia



Baixar 190.13 Kb.
Página3/6
Encontro24.10.2017
Tamanho190.13 Kb.
1   2   3   4   5   6

2.1- Esqueleto axial




2.1.1- Crânio





  • Neurocrânio – constitui a cavidade craniana na qual se aloja o encéfalo.

Oito ossos planos e irregulares unidos por suturas. – Identifique:

  1. Frontal (1) – verifique a presença da incisura frontal e do forame supraorbital;

  2. Occipital (1) – identifique o forame magno e os côndilos;

  3. Esfenóide (1) - observe asas maiores, menores, fossa hipofisal (sela túrcica)

  4. Etmóide (1) – observe a crista gali, lamina crivosa, células etmoidais

  5. Parietais (2)

  6. Temporais (2) – parte (timpânica, escamosa e petrosa) tubérculo articular, fossa da mandíbula, meato acústico externo, processo mastóide, e processo estilóide. Na fossa média do crânio identifique – meato acústico interno, canal carótico, forame jugular.

Obs: Além desses há ainda os ossículos do ouvido – martelo, bigorna e estribo – que deverão ser observados no atlas.


  • Víscerocrânio – Corresponde à face, aloja os órgãos dos sentidos e início dos sistemas digestivo e respiratório.

14 ossos irregulares, unidos por articulações fibrosas do tipo sutura; exceto a mandíbula tem articulações sinoviais: articulações temporo-mandibulares (ATM). Identifique:

  1. Nasais (2)

  2. Zigomáticos (2) – processo temporal;

  3. Maxilas (2) – processo palatino e processo alveolar;

  4. Palatinos (2) – lâmina horizontal;

  5. Mandíbula (1) – corpo, processos alveolares, ramos, côndilo e processo coronóide e incisura da mandíbula;

  6. Lacrimais (2)

  7. Vômer (1)

  8. Conchas nasais inferiores (2)



2.1.2- Osso hióide – deve ser observado no atlas.




2.1.3- Esqueleto do tórax





  • Esterno – identifique manúbrio, corpo, ângulo do externo e processo xifóide. Observe também as incisuras claviculares, jugular e costais.

  • Costelas – há 12 pares de costelas, sendo 7 pares de costelas verdadeiras, 3 pares de costelas falsas e 2 pares de costelas flutuantes. Elas se articulam, posteriormente, com as vértebras torácicas. Determine a posição anatômica de uma costela típica posicionando a cabeça da costela posteriormente, tubérculo da costela e o sulco costal, inferiormente.



2.1.4- Coluna vertebral

A coluna vertebral é formada, em geral, por 33 vértebras, sendo 7 vértebras cervicais, 12 vértebras torácicas, 5 vértebras lombares, 5 vértebras sacrais (formando o sacro) e 4 vértebras coccígeas (fundidas).

Identifique as seguintes características de uma vértebra típica – corpo vertebral, arco vertebral, forame vertebral, processo espinhoso, processos transversos e processos articulares superiores e inferiores, incisuras vertebrais superiores e inferiores.

Procure identificar a qual segmento da coluna pertence cada vértebra, através das características mencionadas no texto, a seguir.




  • Vértebras cervicais – identifique o atlas, 1ª vértebra cervical, e o áxis, 2ª vértebra cervical. A característica que define uma vértebra cervical típica é a presença de forame transverso, processo espinhoso bífido, corpo retangular e forame vertebral triangular; .

  • Vértebras torácicas – as vértebras torácicas apresentam diferenças entre si, conforme estejam no início, meio ou fim da coluna torácica. Porém, todas apresentam a fóvea costal do processo transverso e do corpo da vértebra que articulam com o tubérculo e corpo da costela respectivamente (exceto a 11ª e 12ª que não possuem fóveas costais nos processos transversos). O processo espinhoso é longo e oblíquo, forame vertebral arredondado e corpo cordiforme.

  • Vértebras lombares – possuem o corpo volumoso e reniforme. Processos espinhosos estreito, altos e curtos. Apresenta também processo mamilar no processo articular superior.

  • Vértebras sacrais – estão fundidas formando o sacro, no qual deve-se identificar a face pelvina, com os forames sacrais pelvinos, e a face dorsal, com os forames sacrais dorsais. Nesses forames passam os ramos ventrais e dorsais, respectivamente, dos nervos espinhais sacrais.

  • Vértebras coccígeas – estão fundidas formando o cóccix, que deve ser observado no atlas.

Numa coluna articulada, observe o canal vertebral (formado pela sobreposição dos forames vertebrais), no qual se aloja a medula espinhal, entre outras estruturas, e os forames intervertebrais, por onde passam nervos espinhais.

2.2- Esqueleto apendicular

Os ossos do esqueleto apendicular devem ser colocados na posição anatômica, identificando seu antímero, ou seja, o lado do corpo ao qual pertence. Isso será feito através de determinados acidentes ósseos que serão mencionados no texto e que deverão ser identificados.




2.2.1- Membro superior



a) Cintura escapular (ombro)


  • Clavículaposicione a extremidade acromial, achatada, lateralmente, com sua face lisa voltada superiormente, coloque a maior convexidade voltada anteriormente e o túberculo conóide inferiormente.

  • Escápula – posicione a espinha da escápula superior e posteriormente, com a cavidade glenóide e acrômio lateralmente e a fossa subscapular e processo coracóide anteriormente.


b) Braço


  • Úmero – posicione a cabeça do úmero proximal e medialmente, e a fossa do olécrano, posteriormente.

Na epífise proximal identifique:

Tubérculo maior, tubérculo menor, sulco intertubecular,

Na epífise distal identifique:

Côndilo (tróclea e capítulo), epicôndilo medial (com o sulco do nervo ulnar) e o epicôndilo lateral.
c) Antebraço


  • Rádio – é o osso lateral do antebraço. Posicione a face anterior, côncava, anteriormente, com a cabeça do rádio proximalmente, a tuberosidade do rádio, medialmente, processo estilóide, lateralmente.




  • Ulna – é o osso medial do antebraço. Posicione a cabeça da ulna distalmente, o olécrano e processo coronóide proximalmente, e o processo estilóide medialmente.


d) Mão


  • Ossos do carpofileira proximal – escafóide, semilunar, piramidal e pisiforme – e a fileira distal – trapézio, trapezóide, captato e hamato.

  • Metacarpos (I-V) e falanges (proximal, média e distal).



2.2.2- Membro Inferior



a) Cintura pélvica (quadril)


  • Osso do quadril – identifique suas partes – ílio, ísquio e púbis. Posicione a crista ilíaca superiormente, o acetábulo ântero-lateralmente e o púbis e espinha ilíaca ântero-superior anteriormente, o forame obturado inferiormente ao acetábulo e o túber isquiático póstero-inferior. Identifique também as incisuras isquiática maior e menor.


b) Coxa


  • Fêmur – posicione a cabeça e colo do fêmur proximal e medialmente e os côndilos distalmente. Identifique a fóvea da cabeça do fêmur.

Na epífise proximal, identifique:

  • Trocanter maior, lateralmente, trocanter menor, postero-medial.

Na diáfise:

  • Face posterior identifique a fossa poplítea.

Na epífise distal identifique:

  • Incisura intercondilar, posteriormente,.


c) Joelho


  • Patela – posicione o ápice inferiormente, a base superiormente a face articular posteriormente, com duas facetas sendo a maior lateral;


d) Perna


  • Tíbia – é o osso medial da perna. Posicione os côndilos superiormente, a tuberosidade da tíbia anteriormente, o maléolo medial inferior e medialmente e a incisura fibular inferior e lateralmente;

  • Fíbula – é o osso lateral da perna. Posicione a cabeça da fíbula superiormente, a face articular do maléolo lateral medialmente e a fossa do maléolo posteriormente;


e) Pé


  • Ossos do tarsotálus, calcâneo, navicular, cubóide e cuneiformes medial, intermédio e lateral.

  • Metatarsos (I-V) e falanges (proximal, média e distal).




1   2   3   4   5   6


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal