Pré Crisma



Baixar 0.52 Mb.
Página8/10
Encontro08.10.2019
Tamanho0.52 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10
O CASAMENTO CRISTÃO

O Pai do Céu tudo criou para servir a criatura humana e fazê-la feliz.

Depois de criar o mundo, a terra, as plantas e os animais, criou o homem para ser o rei da criação, o administrador de todos os seus bens.

Mas Deus viu que o homem estava sozinho e resolveu dar-lhe uma companheira para completá-lo. Criou a mulher. Homem e Mulher, criados à imagem e semelhança do Criador.

Os homens e as mulheres possuem inteligência, vontade, liberdade, uma alma imortal, sendo assim diferente e mais importante que as demais criaturas.

E Deus disse: “Crescei e multiplicai-vos, e dominai a face da terra”. Deus criou homem e mulher para se completarem e gerar filhos para o seu Reino.




  1. A união do homem e da mulher

A União do homem e da mulher é uma coisa tão santa, tão importante, que Jesus, quando veio ao mundo, elevou esta união ao Sacramento.

Jesus nos deixou o Sacramento do matrimônio para significar a santidade, a beleza, a importância da união de dois seres que se amam e juntos querem viver suas vidas.

Como acontece o matrimônio?

De maneira muito simples: dois jovens que se conhecem, procuram aumentar mais e mais sua amizade. Querem entrelaçar suas vidas. E se casam.




  1. Preparação para o casamento

Como os jovens se preparam para o casamento?

No primeiro momento, pelo, namoro.

O que é o namoro?
É o tempo em que dois jovens procuram conhecer-se melhor e saber se as idéias combinam, a maneira de pensar e de agir se ajustam, se possuem as mesmas idéias a realizar.

O namoro é o tempo de amizade mais profunda, em que o amor vai crescendo nos dois corações.

Não existe um verdadeiro namoro se não houver respeito.

O que a gente vê por aí com o nome de namoro, não tem nada de namoro, mas sim, exploração e uma grande falta de respeito entre rapazes e moças mal orientadas.

Depois surgem os problemas, mas já é tarde, e a mais prejudicada sempre é a moça e sua família.

Quando então, depois de um tempo de namoro, os dois jovens reconhecem que devem unir suas vidas, procuram o casamento.




  1. Casamento Civil e Casamento Religioso

Mal comparando, o casamento é como uma moeda.

A moeda tem dois lados. Em cada lado, uma figura. Ninguém nunca viu uma moeda com figura de um lado só. Seria falsa, não teria valor.



Assim também, o casamento. Há dois lados; o casamento civil, que vale para a lei, para o estado, no que se refere aos bens, para que os filhos sejam legítimos e possuam direitos diante da lei. E o casamento religioso, casamento da Igreja, ou casamento no padre como muitos dizem. Este é o casamento do cristão. Este é o Sacramento do matrimônio.

Diante do padre ou alguém autorizado por ele, rapaz e moça se unem e pedem a bênção de Deus para a nova família que está sendo criada.

Casamento civil e casamento religioso formam um único casamento. È importante que o casal esteja casado nas duas partes para poder ter os benefícios da lei e a proteção divina.




  1. Amor e respeito unem casal para sempre

Casamento é para toda vida. “O que Deus uniu o homem não separe”. Só a morte dá o direito do outro se casar novamente. É por isso que o Cristão não pode aceitar o divórcio.

Quando dois jovens se casam é porque querem levar a vida juntos e um fazer o outro feliz. Para que isto aconteça deve haver duas coisas: AMOR E RESPEITO.

O AMOR faz com que um saiba compreender o outro. Saiba perdoar suas faltas. O amor faz com que um e outro se ajudem nos momentos de dificuldades.

O RESPEITO ajuda a conviver e mais tarde educar os filhos pelo bom exemplo. O respeito faz o marido e a esposa serem fiéis um ao outro.

O lar que possui o amor e o respeito como alicerces vai para frente e atrai as bênçãos divinas.

Só o amor e o respeito unem o casal para cada qual cumprir sua missão diante da família, da Comunidade, diante de Deus.

A maior herança que os pais deixaram para os filhos é o bom exemplo de uma vida, vivida no amor e respeito.

A oração une a família entre si e une a família com Deus. “A família que reza unida, permanece unida”.

Toda família, diariamente, deve se reunir para juntos rezarem nem que seja um Pai Nosso. Pai, mãe, filhos, todos unidos, agradecendo e pedindo as bênçãos de Deus para poderem realizar sua tão sagrada missão neste mundo.
Leituras bíblicas

Mt 19,3-12 (Matrimônio cristão contra o divórcio)

Ef 5,21-33 (Amor e respeito – conselho aos casais)

I Pdr 3,1-12 (Deveres dos esposos)

I Cor 7,10-24 (Indissolubilidade do matrimônio)

Eclo 7,21-30 (Deveres do pai de família)

Eclo 3,1-18 (Deveres dos filhos para com os pais)
Oração

Senhor, por amor criastes homem e mulher e por amor fizestes deles marido e esposa. Que todos os casais do mundo compreendam o grande mistério de vosso amor e o vivam em suas vidas como sinais do amor de Cristo e sua Igreja. Abençoai nosso lar. Que haja muita paz e harmonia em nossa família.

Assim seja.
Mensagem para a vida

EU PARA VOCÊ – VOCÊ PARA MIM – NÓS PARA NOSSOS FILHOS – TODOS PARA O REINO DE DEUS QUE É AMOR.






A EUCARISTIA – O SACRAMENTO DO AMOR DE DEUS
O amor de Deus para com a humanidade é tão grande que lhe mandou Jesus Cristo, o filho querido, para ser a sua presença no meio de nós.

Jesus, por sua vez, nos amou tanto, que além de viver entre nós e dar a sua vida por nós, quis também ser o nosso alimento.

Jesus não se contentou em ser o grande amigo. Quis ser o alimento nossa vida, permanecendo presente entre nós pela Eucaristia.

Jesus disse, certa vez: “Eu sou o pão da vida, quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele, e este possuíra a vida eterna”.

Como Jesus pode ser alimento?

Pela sua palavra e pelo seu Corpo e Sangue na Eucaristia.

Como Jesus nos deixou a Eucaristia?


  1. Jesus celebra a primeira Missa

Foi na quinta-feira santa.

Estava chegando a Páscoa dos judeus.

Jesus sabia que iria morrer no dia seguinte.

Jesus quis celebrar uma ceia de despedida, com seus amigos mais íntimos, os apóstolos. Convidou-os e levou-os para uma grande sala chamada Cenáculo. Durante a refeição, depois de ter lavado os pés de seus discípulos em sinal de humildade e serviço, Jesus celebrou a primeira Missa. Pegou um pão e disse:


TOMAI E COMEI, TODOS VÓS: ISTO É O MEU CORPO”.

Partiu o pão e deu um pedaço a cada um dos apóstolos. Estes, então, pela primeira vez receberam a Eucaristia.

Depois, Jesus pegou o cálice com vinho e disse:
TOMAI E BEBEI, TODOS VÓS: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR MUITOS PARA REMISSÃO DOS PECADOS”.
Deu um pouco a cada um. Os apóstolos beberam do sangue de Cristo. Jesus completou:

FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM”.


Assim, Jesus deu aos apóstolos o poder de celebrar a missa em memória dele. É por isso que todas as vezes que os padres celebram a Santa Missa, eles o estão fazendo em memória de Jesus e cumprindo uma ordem deixada pelo Mestre.

Jesus celebrou a Santa Missa, antecipando a sua paixão, morte e ressurreição. Por este mistério fomos salvos.

A Missa é o louvor mais importante que prestamos a Deus, pois é o seu próprio filho que lhe oferecemos na Hóstia consagrada.

Em cada Santa Missa, Jesus dá sua vida por nós. É por isso que devemos participar da missa sempre com muito amor, respeito e devoção.




  1. Partes da Missa

A liturgia da missa, isto é, a celebração da missa, é dividida em duas e grandes partes:
1) Liturgia da Palavra: Em que lemos e meditamos a Palavra de Deus, especialmente as Epístolas e os Evangelhos.

2) Liturgia Eucarística: Esta se divide em três partes:

a) Ofertório: em que o padre junto com os fiéis oferece o pão e o vinho a Deus. Junto com o pão e o vinho, devemos oferecer a Deus toda nossa vida, tudo o que nós somos e tudo o que nós temos. Tudo dele recebemos. Tudo a Ele oferecemos.

b) Consagração: em que o padre repete as mesmas palavras de Jesus na Última Ceia, transformando o Pão no Corpo de Cristo e o Vinho em seu Sangue precioso. Este momento devemos vivê-lo com muita atenção, respeito e devoção.

c) Comunhão: é o momento em que temos a felicidade e a alegria de receber o Corpo de Cristo na Hóstia consagrada. Recebemos o alimento espiritual para sustentar nossa fé.

Assim como temos o prazer de preparar direitinho nossa casa para receber uma visita que queremos bem, assim devemos nos preparar, da melhor maneira possível, para receber a maior de todas as visitas: Jesus na Hóstia consagrada.




  1. Devemos participar bem da Missa

Missa não é para ser assistida, como se faz a um filme, a um teatro. Missa é para ser participada.

Todos os fiéis celebram a Santa Missa junto com o padre que a preside.

Na Santa Missa, manifestamos nossa união com o bispo, com o Papa, com toda a Igreja. Unimo-nos com os vivos e falecidos, com os presentes e os ausentes. Rezamos com a Virgem Maria, os Santos e as almas do purgatório.

Através da Santa Missa, agradecemos a Deus, por Jesus Cristo, todos os benefícios recebidos. Louvamos ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Fazemos os pedidos de que temos necessidade e pedimos perdão de nossos pecados.

Na missa, celebramos o grande amor de Deus como Pai, e a grande união dos filhos de Deus, como irmãos em nosso Senhor Jesus Cristo.

Devemos participar da Missa aos domingos e dias santos junto com nossa família.

Se moramos longe da Igreja, procuremos participar pelo menos, através do rádio, e do culto dominical em nossa comunidade.
Leituras bíblicas

Jô 6,26-60 (Jesus, o pão da vida)

Lc 22,7-20 (Instituição da Eucaristia)

I Cor 11,23-32 (A ceia de Jesus)


Oração

Senhor, vosso amor por nós é tão grande que vos tornastes alimento para nossa vida. Ajudai-nos a aproximar da Eucaristia com muito amor e respeito. Por ela fortifiquemos nossa vida espiritual a fim de que também alimentemos nossos irmãos com nossas boas palavras e bons exemplos.

Assim seja.



PARA ONDE VAMOS?
Eis a grande pergunta: Para onde vamos?

Muitos se preocupam em dar uma resposta.

Alguns dizem assim: “Nós só temos esta vida. Quando a gente morre, tudo se acaba. Não existe outra vida”. São os ateus que pensam assim. Aqueles que não têm fé. Se assim fosse, não valeria a pena ter nascido.


  1. A vida é uma missão

Jesus nos ensina uma doutrina muito diferente desta. Ele nos ensina que o Pai nos criou por Amor. Todos os que nascem possuem uma missão. Ninguém está no mundo à toa. Todos possuem uma missão importante para cumprir.

Todas as missões são importantes, desde as mais simples como a de uma cozinheira, até as mais exigentes como a do médico, do engenheiro. Todas porém, são importantes. Já pensaram se não houvesse costureiras, padeiros, agricultores? O que vale é realizarmos bem, qualquer que seja a nossa missão. “Toda missão tem valor, muito mais quando realizada com Amor”.



  1. Ser santo é cumprir nossa missão com amor

O santo é aquele que cumpriu direitinho sua missão nessa vida, seja ele padre, freira, pai de família, dona de casa. Todos podem ser santos se cumprirem a missão para a qual foram criados.

Santidade não é privilégio de alguns, é possibilidade para todos.

A Igreja nos ensina que “todos os homens foram criados para serem santos”. Felizes daqueles que compreendem isto e põem em prática em sua vida os ensinamentos do Senhor. Só compreende esta verdade aquele que possui fé. É por isso que todos os dias devemos rezar: “Eu creio, Senhor, mas aumentai a minha fé”.

Provamos a fé pelas obras que praticamos. Quem pratica o bem, demonstra a fé que possui, recebe o bem nesta vida e na outra vida. Quem pratica o mal, recebe o mal nesta e na outra vida. Quem planta flor, colhe flor. Quem planta espinho, mais tarde fura os dedos.


  1. O juízo final

Certa vez, Jesus contou aos seus apóstolos como será o fim do mundo. Disse que separará os bons dos maus como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. Olhará para os bons e dirá:

“Vinde, bendito do meu Pai, receber o prêmio que vos está preparada desde toda eternidade. Pois tive fome e me destes de comer, tive sede e me destes de beber, estava nu e me vestistes, era peregrino e me acolhestes, estava doente e me consolastes, estava preso e me visitastes”.

E os bons dirão:

- “Quando foi que fizemos tudo isso?”

Jesus responderá:

-“Tudo o que fizestes ao menor de meus irmãos, foi a mim mesmo que fizestes”.

E depois o Senhor se dirigirá para os maus e dirá:

- “Ide, malditos, para o fogo eterno, onde haverá choro e ranger de dentes. Pois tive fome e não me destes de comer, tive sede e não me destes de beber, estava nu e não me vestistes, era peregrino e não me acolhestes, estava doente e não me consolastes, estava preso e não me visitastes”.

E os maus dirão:

“Senhor, nós nunca te vimos no mundo”.

Jesus então responderá:

-“Tudo o que deixastes de fazer ao menor de meus irmãos, foi a mim mesmo que deixastes de fazer”.




  1. A vitória do amor e do bem

Nosso julgamento no juízo final será de acordo com a vida de caridade e de fé que tivemos levado neste mundo. Portanto, não vamos perder tempo. A eternidade depende do agora de nossa vida. Não vamos deixar nossa conversão, isto é, nossa mudança de vida, para amanhã. Poderá ser tarde demais. E você terá vivido em vão.

Vamos deixar o mal e o pecado o quanto antes, enquanto é tempo. Se estivermos andando por um caminho errado, vamos voltar e tomar o caminho certo. O caminho certo é Jesus e sua Palavra.

Jesus disse: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida, quem caminha comigo, não anda nas trevas, mas verá a luz de Deus”. Todos ressuscitaremos com Cristo Jesus

Todos nós morremos e ressuscitaremos como Jesus morreu e ressuscitou. A morte não é separação para sempre. É por um breve tempo. No final, todos nós ressuscitaremos para a Vida Eterna.

Felizes os que fizeram a sua parte, vivendo de acordo com a vontade de Deus. Grande será sua alegria, na eternidade sem fim. A salvação foi dada para todos, mas somente os que fazem a vontade do Pai serão merecedores do grande prêmio que Jesus reservou a todos os homens de boa vontade.
ACORDA, MEU IRMÃO, O DIA VAI ADIANTADO... MAS AINDA É TEMPO.

VEM BANHAR-TE NO RIO DE ÁGUA VIVA E VIVERÁS.


Leituras bíblicas

Mt 25,34-46 (Descrição do Juízo Final)

Mt 24,22-51 (Sinais do fim do mundo – necessidade de vigilância)

I Cor 15,35-58 (Como será a ressurreição)

II Cor 4,13-18 (Esperança da ressurreição)

II Cor 5,1-10 (Esperança da ressurreição)

I Tess 4,12-17 (Sorte dos cristãos falecidos)
Oração

Senhor, vós nos criastes por Amor e nos preparastes uma morada eterna junto de vós. Que nós saibamos, da melhor maneira possível, cumprir nossa missão nesta vida, espalhando nosso Reino de Amor e de Paz entre os irmãos.

Assim seja.
Mensagem para a vida
“QUEM SE SALVA LEVA MUITOS CONSIGO. QUEM SE PERDE ARRASTA OUTROS. CRISTO JESUS O CHAMA. VENHA E TRAGA MUITOS COM VOCÊ. E VOCÊ ENCONTRARÁ A FELICIDADE DE VIVER E NASCERÁ EM PAZ PARA A VERDADEIRA VIDA QUE SE INICIA COM A MORTE”

Pequeno Vocabulário Litúrgico

ABRAÇO DA PAZ

É um gesto de reconciliação e amizade. O presidente da celebração convida os fiéis para saudarem-se uns aos outros, cada um conforme a sua intimidade. Pode ser um aperto de mão, um beijo ou um abraço. Não é preciso abraçar a todos os presentes, principalmente quando a assembléia é muito numerosa. É um gesto simbólico, que representa o efeito da presença de Cristo no meio de nós. Por isso cumprimentar as pessoas mais próximas, ou aquelas com quem devemos fazer as pazes, é o suficiente, quer dizer que estamos cumprindo a ordem de Jesus (Mt 5,23-24).

Para dar o abraço da paz é preciso esperar a iniciativa do presente, pois não é um gesto obrigatório, isto é, não precisa ser feito em todas as celebrações.




1   2   3   4   5   6   7   8   9   10


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal