Pré Crisma



Baixar 0.52 Mb.
Página6/10
Encontro08.10.2019
Tamanho0.52 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10

Os apóstolos de Jesus

Os nomes dos apóstolos de Jesus são:

Simão Pedro (que se tornou o chefe dos apóstolos); Tiago (filho de Zebedeu); João (irmão de Tiago, discípulo amado de Jesus. Escreveu o quarto Evangelho); André; Filipe; Bartolomeu; Mateus (também chamado Levi. Escreveu o primeiro Evangelho); Tomé; Tiago (filho de Alfeu); Tadeu; Simão Cananeu; Judas Iscariostes (o traidor).

Estes doze homens acompanharam Jesus durante três anos em suas andanças missionárias.

Como deveria ser grande a amizade entre eles!... Caminhavam juntos... comiam do mesmo prato... dormiam debaixo do mesmo teto... ouviam atentamente todos os ensinamentos de Jesus... que beleza!




  1. Missão dos apóstolos de Jesus

Jesus os preparava para a grande missão. Com eles fundaria a Igreja, enviá-los-ia pelo mundo afora para espalhar a boa-nova do Reino de Deus, a mensagem do Evangelho.

Os apóstolos foram muito generosos. Deixaram tudo. O que possuíam de mais sagrado: os pais, a família, os bens materiais, para poderem seguir o Mestre. Em comparação receberam muito mais em troca: a verdadeira liberdade neste mundo e a felicidade eterna no céu.

Os verdadeiros amigos de Jesus, aqueles que querem obedecer às suas palavras, não se apegam aos bens deste mundo. Usam de tudo, sem se deixar escravizar por nada. Existe muita gente escrava das coisas deste mundo: dinheiro, prazer, poder, vícios, modas e tantas outras coisas que nos trazem mais tristezas que alegrias.

Que tristeza quando sabemos que alguém matou para poder roubar! Este está fazendo do dinheiro o seu deus. Por causa do dinheiro, ofende gravemente o verdadeiro Deus e fere o próximo, naquilo que ele possui de mais valor: a vida.

Que tristeza quando sabemos que famílias foram expulsas de suas terras para que os riscos possam plantar capim para gado. Existe muito gado mais bem tratado do que gente.

Quanta briga por causa da terra, que no fim vai nos comer a todos. Mas só não come a alma. Esta tem um encontro marcado com Deus.

Jesus queria que seus seguidores fossem obedientes ao Pai como ele também era.

Os apóstolos presenciaram os milagres de Jesus. Viram as maravilhas operadas pelo Mestres junto ao povo. Nem tudo o que ouviam de Jesus eram capazes de compreender. Mas guardavam tudo em seu coração. Mais tarde, quando Jesus mandou do céu o Divino Espírito Santo, então sim, compreenderam o grande ensinamento de Jesus e o levaram adiante pelo mundo afora.

Iam dois a dois, de aldeia em aldeia, de cidade em cidade, pregando o Evangelho, ensinando ao povo a doutrina de Cristo e fundando comunidades cristãs, às quais deram o nome da Igreja.

Na época, a maior parte do povo era pagão, acreditava em outros deuses. Por este motivo, muitos apóstolos de Jesus foram perseguidos e mortos. São Pedro foi crucificado de cabeça para baixo. São Paulo foi degolado como São João Batista. Santo Estevão foi apedrejado até morrer.

O testemunho, o exemplo de fé dos apóstolos de Jesus e dos primeiros cristãos foi a semente forte que fez as igrejas cristãs se desenvolverem pelo mundo afora.


  1. Jesus também sentiu a dor da traição

Alguns dos apóstolos não foram fiéis à amizade de Jesus.

Judas Iscariotes o traiu, vendendo-o por trinta moedas de prata.

Simão Pedro também o negou três vezes.

Se Judas tivesse se arrependido, seria hoje um grande santo como São Pedro. Mas não confiou na misericórdia de Jesus e foi se enforcar.

Hoje em dia, como Judas, quantos se desesperam diante da vida em vez de confiar. Pedro confiou. Arrependeu-se. Chorou seu grande pecado, e o Senhor o perdoou.

A misericórdia de Deus é maior que os nossos pecados. O maior pecador do mundo é perdoado se, arrependido e contrito, pede perdão a Deus e muda de vida.




  1. Os apóstolos continuam a obra de Jesus

Várias vezes, Jesus apareceu aos seus apóstolos depois da ressurreição para provar que estava vivo como havia dito. Os apóstolos se mantinham unidos em oração no cenáculo, aquela grande sala em que Jesus celebrou a última ceia, isto é, a primeira missa.

Após a vinda do Espírito Santo (Pentecostes), os apóstolos saíram pelo mundo afora, anunciando tudo o que havia visto e ouvido.


Leituras Bíblicas

Mt 4,18-22 (chamamento dos apóstolos pescadores)

Mc 3,13-19 (escolha dos apóstolos e seus nomes)

Mt 10,5-23 (instrução aos apóstolos)

Mt 5,13-16 (o que os apóstolos devem ser)
Oração

Senhor, vós escolhestes apóstolos para levarem adiante vosso Reino de Amor e de Justiça. Fazei de mim um verdadeiro apóstolo, espalhando Paz e Bem onde quer que eu esteja. Que através de minhas palavras e ações, vosso nome seja mais conhecido e amado, e vosso reino melhor servido. Tornai-me apóstolo da Fé, da Esperança e da Caridade para maior alegria e felicidade de muitos irmãos.

Assim seja.
Mensagem para a vida:

A MESSE É GRANDE E POUCOS OS OPERÁRIOS”


VOCÊ TAMBÉM PODERÁ SER UM OPERÁRIO DA MESSE DO SENHOR. ISTO O FARÁ FELIZ E MUITOS SE TORNARÃO FELIZES AO REDOR DE VOCÊ.


O Frio
Seis homens ficaram bloqueados numa caverna por uma avalanche de neve. Teriam que esperar até o amanhecer para poderem receber socorro. Cada um deles trazia um pouco de lenha e havia uma pequena fogueira ao redor da qual eles se aqueciam. Se o fogo apagasse, eles sabiam que todos morreriam de frio, antes que o dia clareasse. Chegou a hora de cada um colocar sua lenha na fogueira. Era a única maneira de poderem sobreviver.

O primeiro homem era racista. Ele olhou demoradamente para os outros cinco e descobriu que um deles tinha a pele escura. Então ele raciocinou consigo mesmo: “Aquele negro!”. Jamais darei minha lenha para aquecer um negro. E guardou-a, protegendo-a dos olhares dos demais.

O segundo homem era um rico avarento. Olhou ao redor e viu no círculo, em torno do fogo, um homem da montanha, que trazia sua pobreza no aspecto do semblante e nas roupas velhas e remendadas. O rico fez as contas do valor de sua lenha e enquanto mentalmente sonhava com o seu lucro. Pensou: “Eu? Dar a minha lenha para aquecer um preguiçoso?” E reservou-a.

O terceiro homem era negro. Seus olhos faiscavam de ira e ressentimento. Não havia qualquer sinal de perdão. Seu pensamento era muito prático: é bem provável que eu precise desta lenha para me defender. “Além disso, eu jamais daria minha lenha para salvar os que me oprimem”. E guardou sua lenha com cuidado.

O quarto homem era um pobre da montanha. Ele conhecia mais do que os outros, os caminhos, os perigos e os segredos da neve. Pensou: “Esta nevasca pode durar vários dias. Vou guardar minha lenha”.

O quinto homem parecia alheio a tudo. Era um sonhador. Olhando fixamente para as brasas, nem lhe passou pela cabeça oferecer a lenha que carregava. Ele estava preocupado demais com suas próprias visões para pensar em ser útil.

O sexto e último homem trazia nos vincos da testa e nas palmas calosas das mãos os sinais de uma vida de trabalho. Seu raciocínio era curto e rápido. “Essa lenha é minha. Custou o meu trabalho. Não darei a ninguém, nem o menor dos meus gravetos”. Com estes pensamentos, os seis homens permaneceram imóveis. A última brasa da fogueira se cobriu de cinzas e finalmente se apagou. Ao alvorecer do dia, quando os homens do resgate chegaram à caverna, encontraram seis cadáveres congelados, cada qual segurando um feixe de lenha. Olhando para aquele triste quadro, o chefe da equipe de resgate disse aos colegas: “O frio que os matou não foi o de fora , mas o frio que veio de dentro!”.

Cristão III

  1. Oração do Cristão

Os métodos de meditação são tão diversos quanto os mestres espirituais. Um cristão deve querer meditar regularmente. Caso contrário, assemelha-se aos três primeiros terrenos da parábola do semeador. Mas um método é apenas um guia, o importante é avançar, com o Espírito Santo, pelo único caminho da oração: Jesus Cristo. (CIC – 2707)

Orar é sempre possível: o tempo do cristão é o de Cristo ressuscitado que “está conosco todos os dias” (Mt 28,20), apesar de todas as tempestades. Nosso tempo está nas mãos de Deus.

È possível até no mercado ou num passeio solitário fazer uma oração freqüente e fervorosa. Sentados em nossa loja, comprando ou vendendo, ou mesmo cozinhando. (CIC – 2743)

Orar é uma necessidade vital. A prova contrária não é menos convincente: se não nos deixarmos levar pelo Espírito, cairemos de novo na escravidão do pecado. Como o Espírito Santo pode ser “nossa Vida”, se nosso coração está longe dele?

Nada se compara em valor à oração, ela torna possível o que é impossível, fácil o que é difícil. É impossível que caia em pecado o homem que reza.

Quem reza certamente se salva, quem não reza certamente se condena. (CIC – 2744)





JESUS E OS APÓSTOLOS – FUNDAÇÃO DA IGREJA
Enquanto Jesus estava entre nós ele era o chefe dos apóstolos, o cabeça.

Antes de Jesus voltar ao Pai, deixou um de seus apóstolos para ser o chefe em seu lugar. O escolhido foi Simão Pedro.


1 . Pedro – Chefe dos apóstolos e da Igreja

Certa vez, Jesus estava reunido com seus apóstolos e dirigindo-se a Pedro disse: “ Simão, tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. E eu te darei as chaves do Reino dos Céus; tudo o que ligares sobre a terra será ligado no céu, e tudo o que desatares sobre a terra, será também desatado no céu”.

Jesus colocou Pedro como chefe dos apóstolos e prometeu que com eles fundaria a Igreja.

A Igreja de Jesus tem como alicerce os apóstolos e como primeiro chefe, Pedro.

Assim a obra de Jesus teria continuidade pelos séculos afora.

Assim como Jesus veio trazer a salvação, a Igreja é o sinal de salvação que Jesus deixou e a continuadora de sua obra redentora.


2 . O que significa Igreja, Papa, Bispo?

Igreja significa Comunidade, Assembléia, grupo de pessoas batizadas que possuem a mesma fé em Cristo Jesus.

Os apóstolos se espalharam, depois da vinda do Espírito Santo, o chefe, foi para Roma, e de lá dirigia a Igreja.

Em Roma passou a ser chamado Papa, que significa pai, pois era o pai visível de todos os que faziam parte da Igreja.

Os apóstolos foram os primeiros Bispos, Pedro, o primeiro Papa.

Com a morte deles vieram outros, e assim por diante até nos nossos dias.

Os Bispos são os pastores das Igrejas Particulares ou Dioceses.

O Papa é o Pastor da Igreja no mundo inteiro, representante de Jesus no mundo.


3 . A Igreja de Jesus

A Igreja que Jesus e os apóstolos fundaram chama-se IGREJA CATÓLICA APÓSTOLICA ROMANA.



Igreja – significa Comunidade, Povo de Deus, Assembléia dos que acreditam na mesma fé.

Católica – palavrinha que vem da língua grega, significa Universal, pois os apóstolos se espalharam pelo mundo inteiro.

Apostólica - porque foram os apóstolos, os escolhidos por Jesus para fundarem a Igreja.

Romana – porque São Pedro foi para Roma. Até hoje, é nesta cidade que os Papas residem e de lá guiam a Igreja Universal. O Papa é o Pastor da Igreja no mundo inteiro.


4 . Missão da Igreja no mundo

A Igreja foi fundada por Jesus e os seus apóstolos para ser luz no mundo. Sua missão é ser um sinal de Deus, no mundo, iluminando os homens com a luz da pessoa e da doutrina de Jesus Cristo.

Como família de Deus a Igreja, através de seus legítimos representantes, é Mãe e Mestra de seus membros.

Mãe que com amor conduz seus filhos para a casa do Pai.

Mestra que ensina o bem e corrige os errados.

Hoje em dia, a Igreja cada vez mais vem chamando atenção do povo, no sentido de mostrar-lhe o verdadeiro caminho a seguir e corrigir os erros daqueles que andam por caminhos tortos.

Quando a Igreja prega o Evangelho de Jesus, está procurando o bem total dos que ouvem a Palavra de Deus e não apenas o bem espiritual. Ela se interessa para o bem material de seus membros a fim de que todos tenham o necessário para viver e serem felizes.

A Igreja se interessa por todos os problemas de seus filhos, todos os problemas que atingem a humanidade.

Os problemas sociais políticos e econômicos que diretamente afetam a Comunidade, são objetos da preocupação da Igreja, e ela procura iluminá-los pela luz da fé, e assim encaminhá-los dentro de um princípio de justiça e de respeito pela dignidade de cada pessoa humana.

Nós que somos membros da Igreja devemos amá-la muito e tudo fazer para que sua missão se realize no mundo, entre os homens. Quanto melhores forem os membros da Igreja, mais perfeitamente ela realizará a missão que lhe foi confiada por Jesus, de ser Mãe e Mestra.



Leituras bíblicas

Mateus 16,18-19 (Escolha de Pedro para chefe da Igreja)

João 21,15-17 (Pedro pastor do rebanho)

Marcos 16,15-18 (Missão dos apóstolos)



Igreja I

1. Igreja Doméstica

Cristo quis nascer e crescer no seio da Sagrada Família de José e Maria. A Igreja não é outra senão a “família de Deus”. Desde suas origens, o núcleo da Igreja era em geral constituído por aqueles que, “com toda sua casa”, se tornavam cristãs eram redutos de vida cristã num mundo incrédulo. (CIC - 1655)

Em nossos dias, num mundo que se tornou estranho e até hostil à fé, as famílias cristãs são de importância primordial, como lares de fé viva e irradiante. Por isso, o Concílio Vaticano II chama a família, usando uma antiga expressão, de “Ecclesia doméstica”. É no seio da família que os pais são “para os filhos”, pela palavra e pelo exemplo...os primeiros mestres da fé. E favoreçam a vocação própria a cada qual, especialmente a vocação sagrada. (CIC – 1656)
2. Igreja Santa Imaculada

“Alguém dentre vós está doente? Mande chamar os presbíteros da Igreja para que orem sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor. A oração da fé salvará o doente e o Senhor o aliviará, e se tiver cometido pecados, estes lhe serão perdoados” (Tg 5, 14-15). (CIC – 1526)


3. Maria, mãe da Igreja

Depois de termos falado do papel da Virgem Maria no mistério de Cristo e do Espírito, convém agora considerar o lugar dela no mistério da Igreja. “Com efeito, a Virgem Maria (...) é reconhecida e honrada como a verdadeira Mãe de Deus e Redentor. (...) Ela é também verdadeiramente “Mãe dos membros (de Cristo) (...), porque cooperou pela caridade para que na Igreja nascessem os fiéis que são os membros desta Cabeça”. (...) Maria, Mãe de Cristo, Mãe da Igreja. (CIC – 963)


4. Igreja, Corpo místico de Cristo

Os carismas devem ser acolhidos com reconhecimento por aquele que os recebe, mas também por todos os membros da Igreja, pois são uma maravilhosa riqueza de graça para a vitalidade apostólica e para a Santidade de todo o Corpo de Cristo, contanto que se trate de dons que provenham verdadeiramente do espírito Santo e que sejam exercidos de maneira plenamente conforme aos impulsos autênticos deste mesmo Espírito, isto é, segundo a caridade, verdadeira medida dos carismas. (CIC – 800)



5. Cristãos, membros da Igreja

Tudo o que Cristo viveu foi para que pudéssemos vivê-lo nele e para que Ele o vivesse em nós. “Por sua Encarnação, o Filho de Deus, decerto modo, se uniu a todo homem”. Nós somos chamados a ser uma só coisa com Ele, Ele nos faz partilhar (comungar), como membros de seu corpo, de tudo o que (Ele), por nós e como nosso modelo, viveu em sua carne. “Devemos continuar e realizar em nós os estados e os mistérios de Jesus, e pedir-lhe muitas vezes que os complete e realize em nós e em toda a sua Igreja... pois o Filho de Deus deseja conceder uma certa participação, e fazer como que uma extensão e continuação de seus mistérios em nós e em toda a sua Igreja, pelas graças que quer comunicar-nos, e pelos efeitos que quer operar em nós por esses mistérios. Por estes meios quer realizá-los em nós. (CIC – 521)



O Mau Humorado

Num certo dia, um médico pediu a um motorista de táxi, que o levasse urgente para atender a um paciente em um determinado bairro da cidade.

O taxista respondeu-lhe que não podia, que pretendia encerrar o expediente, pois já era tarde.

O médico insistiu, dizendo que precisava atender a um chamado urgente.

O motorista respondeu insatisfeito:

Estou cansado! Vire-se por ai. O que não faltam são veículos....

O doutor insistiu um tanto mais, mas é tarde. Estamos perdendo tempo enquanto uma vida corre sério risco. Seja rápido, leve-me por favor. Irritado o motorista arrancou o carro e saiu resmungando sem atender ao médico.

Ora essa. Era só o que me faltava aparecer. Vou dormir.

Chegando a casa, o motorista, mal humorado, defrontou com toda a família em desespero, seu filhinho de cinco anos passava muito mal, tendo convulsões, semi-asfixiado.

Sem saber o que fazer, propôs colocá-lo no veículo para conduzi-lo ao pronto socorro, quando outro carro estacionou à porta de sua casa e um médico saltou apressado.

O médico examinou o caso e identificou o “grande mal asmático”. Aplicou imediatamente uma adrenalina no pequeno, suficiente para uma reação orgânica que lhe permitisse tempo de conduzir o pequeno paciente ao hospital mais próximo, com possibilidade de salvação.

O motorista olhou o venerável senhor e baixou os olhos, envergonhado.

Era o médico que ele negara a transportar. O paciente a quem o médico precisava atender com urgência, era seu próprio filho.

Reflexão:

Tantas vezes nos negamos a atender a um pedido que nos é feito porque achamos que não tem nada a ver conosco. Esquecemos a recomendação de Jesus de fazermos aos outros o que gostaríamos que os outros nos fizessem. Costumamos dizer com freqüência:

Deus te ajude!”. E temos também que nos perguntar: Como é que Deus vai ajudar as pessoas, senão através das próprias pessoas?



Deus conta conosco.



JESUS ENVIA O ESPÍRITO SANTO PARA A FORMAÇÃO DA IGREJA
1 . O Mistério da Santíssima Trindade

O Espírito Santo é a terceira pessoa da Santíssima Trindade, que é composta pelo Pai, Filho e Espírito Santo.

As três pessoas, totalmente distintas, formam um único Deus. É o primeiro mistério de nossa fé, e se chama Mistério da Santíssima Trindade.

Nós, cristãos, acreditamos que existe um só Deus em três pessoas realmente distintas: Pai, Filho e Espírito Santo.

O PAI, que nos criou por Amor.

O FILHO JESUS, que nos ajuda a compreender tudo aquilo que Jesus nos ensinou. O Espírito Santo está entre nós para assistir e santificar a Igreja, fundada por nosso Senhor Jesus Cristo.



2 . Deus, como Comunidade

Interessante notar que sendo três pessoas, em Deus existe uma Comunidade. Deus ama a Comunidade. Deus vive em Comunidade. Deus está presente onde existe uma Comunidade viva, verdadeira. Quanto mais união e amor houver em uma Comunidade, mais perfeita ela é.

A Santíssima Trindade é uma Comunidade perfeita, pois nela existe todo o AMOR, toda UNIÃO, toda AMIZADE entre o Pai, o Filho e o Espírito Santo.

Devemos amar a Comunidade e viver em Comunidade a exemplo da Santíssima Trindade.



3 . A vinda do Espírito Santo

Quando chegou a manhã de Pentecostes, cinqüenta dias depois da ressurreição de Jesus, os apóstolos e a Virgem Maria estavam reunidos no Cenáculo, isto é, na sala em que Jesus celebrou a Missa com os apóstolos. De repente, desceu sobre eles o Divino Espírito Santo, em forma de línguas de fogo. Foi o momento da Grande Revelação. Foi o momento em que o coração e o entendimento dos apóstolos se abriram.

O Espírito de Amor, de Luz, de Sabedoria, de Força, de Verdade, desceu no coração daqueles homens, fazendo-os heróis do amor e da coragem na difusão, isto é, na pregação do Evangelho pelo mundo afora.

Naquele mesmo instante, cheio do fogo do Divino Espírito, Pedro saiu da sala e se dirigiu ao povo fazendo-lhe um maravilhoso sermão. O livro dos Atos dos Apóstolos, que nos fala o que os apóstolos fizeram, conta-nos que só naquele dia, três mil pessoas se tornaram cristãs. Pediram o batismo para poderem fazer parte da Igreja.


4 . A vida nova dos apóstolos de Jesus

Daí para frente, os apóstolos começaram a viver uma nova vida.

Viviam muito unidos entre si. Tudo o que possuíam era em comum.

Não queriam nada em particular.

Viviam uma verdadeira Comunidade, onde os direitos de cada um eram respeitados e os deveres, cumpridos.



Entre eles reinava um verdadeiro espírito de Amor, Caridade e Solidariedade. E todos os que não queriam respeitar a Comunidade eram punidos como aconteceu com Ananias e Safira, conforme nos conta o livro dos Atos dos Apóstolos.

Cheios do Espírito do Senhor, os apóstolos saíram pelo mundo pregando o Evangelho e fundando Igrejas, isto é, Comunidades cristãs.

Em cada lugar onde pregavam o Evangelho muitos se convertiam ao Senhor e pediam o batismo. Os apóstolos deixavam alguém para zelar da Comunidade. Assim iam aparecendo os bispos, os presbíteros (mesmo que sacerdotes) que foram aumentando, na medida em que o número das comunidades crescia.

Mas todos obedeciam a Pedro, que estava em Roma, pois reconheciam a Pedro, que estava em Roma, pois reconheciam nele a autoridade deixada por Jesus Cristo.

O Espírito Santo é o grande animador da Igreja, nós, os seus instrumentos. Assim como a boa enxada pode fazer muita coisa nas mãos de um bom lavrador, nós também podemos fazer muitas coisas boas, se nos colocarmos à disposição de Deus para que Ele faça de nós aquilo que for de sua santa vontade.

Há quase dois mil anos que a Igreja existe, e cada vez crescendo mais entre os homens.
5 . Igreja divina e humana

A Igreja é Divina e Humana.

A Igreja é Divina porque fundada por Nosso Senhor Jesus Cristo e guiada pelo Espírito Santo a serviço do Reino do Pai.

A Igreja é Humana, porque formada por homens, os cristãos batizados, que muitas vezes erram.

Se percebemos alguma coisa de errado na Igreja, podemos saber que não é porque ela seja errada, mas sim porque seus membros podem errar por serem pessoas humanas.
As pessoas batizadas, que possuem fé e praticam os ensinamentos de Jesus em sua vida, fazem parte da Igreja.
A Igreja é nossa grande família. Devemos amá-la muito e tudo fazer para que ela ajude o Reino de Deus.
Leituras Bíblicas
Atos 2,1-13 (descida do Espírito Santo)

Atos 2,14-47 (discurso de Pedro e a Comunidade primitiva)

Atos 9,1-19 (conversão de São Paulo, o grande apóstolo de Jesus)
Oração

Vinde Espírito Santo, enchei os corações de vossos fiéis. Acendei neles o fogo de vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado. E renovareis a face da terra.

Assim seja.
Mensagem para a vida.
O ESPÍRITO DE DEUS É FOGO QUE ABRASA E ILUMINA NOSSA VIDA”.

VIVER NO ESPÍRITO É VIVER NA GRAÇA DE DEUS”.




Igreja II

  1. Consagrados na Igreja

“Disso resultou que, como numa árvore frondosa e admiravelmente variegada na seara do Senhor – e isto em virtude do germe divinamente plantado -, floresceram as diversas modalidades da vida solitária ou comum, assim como as varias famílias, as quais vão aumentando tanto para proveito dos próprios membros quanto para o bem de todo o Corpo de Cristo”. (CIC – 917)

“Desde os primórdios da Igreja existiam homens e mulheres que se propuseram, pela prática dos conselhos evangélicos, seguir a Cristo com maior liberdade e imitá-lo mais de perto, e levaram, cada qual a seu modo, uma vida consagrada a Deus. Dentre eles, muitos, por inspiração do Espírito Santo, ou passaram a vida na solidão ou fundaram famílias religiosas, que a Igreja, de boa vontade, recebeu e aprovou com sua autoridade”. (CIC – 918)



2. Catequese na Igreja
Bem cedo passou-se a chamar de catequese o conjunto de esforços empreendidos na Igreja para fazer discípulos, para ajudar os homens a crerem que Jesus é o Filho de Deus, a fim de que, por meio da fé, tenham a vida em nome dele, pra educá-los e instruí-los nesta vida, e assim construir o Corpo de Cristo. (CIC – 4)

Amor de Mãe
Era um dia de calor, o vento soprava levemente e as folhas das árvores caiam lentamente ao chão, e João um menino de apenas 8 anos de idade, foi até os fundos de sua casa para se refrescar no lago, conforme ia em direção da água o mesmo deixara uma trilha meio que bagunçada, pois a mesma era constituída por sapatos, meias, camiseta e o shorts, a alegria era tanta que João não percebeu a presença de um visitante inesperado no lago.

Conforme ia nadando para o meio do lago, do outro lado da margem um jacaré adentrou na água.

No entanto Maria sua mãe estava em casa aos seus fazeres, e a mesma teve um mau pressentimento quanto a vida de seu filho amado. Seu coração apertado queria lhe dizer algo. Já meio sem saber o que fazer ela foi até a varanda para ver o que João estava fazendo pois ele era muito peralta.

Ao chegar a varanda ela viu seu filho indo ao encontro do perigo, um enorme jacaré, que nadava em direção do mesmo e ele não percebera.

Ela num momento repentino, começou a correr para a beira do lago e chamar João.

No momento em que o garoto escutou os gritos de sua mãe e achando que ela estava chamando-o, ele começou a retornar para a margem, mas o jacaré já estava bem próximo.

Vendo que o filho não iria conseguir escapar, sua mãe se atirou no lago e foi ao seu encontro, o desespero da mãe fazia com que ela tivesse mais forças para alcançar o filho antes mesmo do jacaré, o menino chegou até sua mãe mas já era tarde pois o animal lhe agarrou pelos pés, e a partir daí iniciou-se uma luta pela vida, quanto mais o jacaré puxava o garoto mais a mãe cravava sua unhas nos pequenos braços da criança, numa tentativa de salvá-lo e aos gritos ela tentava espantar o animal, foi quando um senhor que passa por perto, escutou os gritos e percebendo o ocorrido sacou de sua arma e foi até ao lago, chegando á margem o senhor atirou em direção do jacaré atingindo-o e matando-o. Logo o menino foi levado ao hospital, com ferimentos graves, pois partes dos pés e das pernas do garoto haviam sido destruídos pela ferocidade do animal, precisando o mesmo ter que ser submetido a varias intervenções cirúrgicas.

Passado alguns dias na UTI, o garoto logo recuperou-se e foi transferido para um quarto, foi quando um repórter de uma emissora de televisão local, pediu para que ele mostra-se as cicatrizes dos ferimentos dos pés, pernas e braços, e perguntou o que levou a ele estar ainda vivo.

João fez um momento de silêncio, e respondeu-lhe:

“Eu não morri, porque minha mãe não me abandonou!”.










1   2   3   4   5   6   7   8   9   10


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal