Pré Crisma


O sofrimento – conseqüência do pecado



Baixar 0.52 Mb.
Página3/10
Encontro08.10.2019
Tamanho0.52 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10

3 . O sofrimento – conseqüência do pecado


É com tristeza que hoje vemos tantas coisas horríveis no mundo. Gente matando e roubando. Tantos crimes, explorações, injustiças. Poucos ligam para a moral. Filhos que não respeitam pais, que não dão bom exemplo para os filhos. Vícios de toda espécie, principalmente bebedeira com todas as suas conseqüências.
A família é desrespeitada, matrimônios desfeitos. O pobre sem direito de possuir um pedacinho de terra para plantar e dar de comer à sua família. O rico vem e toma tudo. Toda terra está cercada. O pobre está cercado de todos os lados. Não tem por onde sair nem para onde ir. Existem muitas coisas tristes. Tudo isto é fruto do pecado.
4 . Jesus, nosso irmão Salvador

Mas o Pai, apesar da maldade dos filhos, quer a salvação de todos. Deus prometeu que iria salvar a humanidade decaída. Deus prometeu que enviaria seu filho querido – Jesus Cristo – que nascendo da Virgem Maria, morrendo na cruz e ressuscitando ao terceiro dia, traria a salvação a todos os homens de boa vontade. Com a vinda de Jesus ao mundo uma grande luz brilhou no meio das trevas. Jesus se apresentou como sendo “O Caminho, a Verdade e a Vida”. Jesus veio ao mundo para nos mostrar o verdadeiro caminho que nos leva a Deus.






5 . Homem feliz – aquele que segue o caminho de Jesus

O homem é livre. Pode dizer sim a Deus. Aceitar os ensinamentos de Jesus. Colocar em prática na vida o que ele ensinou. Observar os mandamentos e viver o evangelho. Desta maneira ser feliz e fazer os outros felizes nesta e na outra vida. Jesus nos ensinou a lei do Amor e da Caridade, lei da Justiça e do Perdão, lei da Fraternidade e da Amizade. Jesus nos ensinou a “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos”.



6 . Homem infeliz – aquele que não segue o caminho de Jesus

O homem pode também dizer não a Deus. Continuar nas trevas do pecado. Continuar no caminho do erro do mal. Este será infeliz nesta e na outra vida como também arrastará muitos consigo.


7 . Deus quer a felicidade de todos

Deus quer que todos digam sim. Deus quer a conversão e a mudança de vida de todos. Deus quer que todos se salvem. Deus quer que todos sejam felizes. O desejo de Deus é que “sejamos instrumentos de sua Paz”.

Que levemos AMOR onde existe ódio.

Que levemos PERDÃO onde existe ofensa..

Que levemos UNIÃO onde existe discórdia.

Que levemos FÉ onde existe dúvida.

Que levemos VERDADE onde existe erro.

Que levemos ALEGRIA onde existe tristeza.

Que levemos LUZ onde existe treva.

Que levemos JUSTIÇA onde existe injustiça.


Deus na verdade é um Pai que ama seus filhos. Embora sejamos fracos e pecadores, Ele nos sustenta e nos salva através de seu filho Jesus.
LEITURAS BÍBLICAS

Gêneses 1,1-31 (criação do mundo)

Isaias 40,1-5 (promessa de salvação)

Isaias 7,10-16 (promessa de salvação)

Romanos 3,21-26 (Jesus Redentor)

1-Jó 4,7-20 (Jesus Salvador e seu Reino de Amor)


Mensagem para a vida
“O MUNDO SERÁ MAIS RICO E MAIS BELO NA MEDIDA EM QUE VOCÊ FOR MELHOR”

“DAÍ GRAÇAS POIS TUDO É BOM”.



Comunidade
Toda Comunidade, se inicia na unidade e a indissolubilidade do matrimônio.

O amor dos esposos exige, por sua própria natureza, a unidade e indissolubilidade da comunidade de pessoas que engloba toda a sua vida “De modo que já não são dois, mas uma só carne” (Mt 19,6). “Eles são chamados a crescer continuamente nesta união por meio da fidelidade cotidiana à promessa matrimonial do Dom total recíproco”. Esta comunhão humana é confirmada, purificada e aperfeiçoada pela comunhão em Jesus, concedida pelo sacramento do Matrimônio. É aprofundada pela vida de fé comum pela Eucaristia recebida pelos dois. (CIC – 1644)


O lar cristão é o lugar em que os filhos recebem o primeiro anúncio da fé. Por isso, o lar é chamado, com toda razão, de “Igreja doméstica”, comunidade de graça e de oração, escola das virtudes humanas e da caridade cristã. (CIC – 1666)
A comunidade conjugal esta fundada no consentimento dos esposos. O casamento e a família estão ordenados para o bem dos esposos, a procriação e a educação dos filhos. O amor dos esposos e a geração dos filhos instituem entre membros de uma mesma família relações pessoais e responsabilidades primordiais. (CIC – 2201)
“Uma revelação a atuação especifica da comunhão eclesial é constituída pela família cristã, que também, por isso, se pode e deve chamar Igreja doméstica.” É uma comunidade de fé, de esperança e de caridade: na igreja ela tem uma importância singular, como se vê no Novo Testamento. (CIC – 2204)
As relações da comunidade dentro da família acarretam uma afinidade de sentimentos, de afetos e de interesses, afinidade essa que provém sobretudo do respeito mútuo entre as pessoas. A Família é uma comunidade privilegiada, chamada a realizar “uma carinhosa abertura recíproca de alma entre os cônjuges e também uma atenta cooperação dos pais na educação dos filhos”. (CIC – 2206) CIC - Catecismo da Igreja Católica
O Caminho para o Pai
Enquanto isso era feita uma consulta entre os habitantes do céu. As almas não queriam POPI no paraíso, pois temiam os seus espinhos. Ao mesmo tempo, receavam contrariar os planos de Deus que é acolher a todos em seu coração. Diante disto, o Senhor teve uma idéia: -Já sei! – disse Jesus. Não posso pedir ao POPI para renunciar aos seus espinhos, porque, sem ele, que porco-espinho ele seria? Mas uma limadinha nas pontas não é uma muito penosa... e isto eu posso fazer sem POPI se dê conta... Assim pensou e assim fez.

- POPI – Chamou o Senhor – ainda deseja morar em meu coração?

- OH, sim Jesus! É tudo o que eu mais quero.

Então o Senhor mostrou-lhe um caminho estreito, onde as rochas estariam em contato com os espinhos que, assim, passo a passo seriam limados. POPI teve medo, mas CACÁ encorajou-o: - Ânimo, POPI! Você vai conseguir! Pensando bem, acho que vou com você...posso? Confraternizaram-se os dois amigos e, com alegria, iniciaram a caminhada. Nos trechos mais estreitos, CACÁ se pendurava e saltava por entre as pedras mais altas e lá, de cima, gritava para o amigo: - Falta pouco! Coragem! Já posso ver uma grande claridade! Vamos POPI!. POPI prosseguia com novo ânimo, ansiando chegar. Estava tão feliz com aquele ardor no coração, que quase não se dava conta do cansaço e da apara dos espinhos. O caminho foi longo, os espinhos eram duros, e foram necessários muitas passagens estreitas. Finalmente, quando os espinhos já estavam bem limados, o Senhor veio ao encontro deles, tomou-os em seus braços e levou-os ao coração. POPI já não estava mais triste, pois não havia mais obstáculos que o impedissem de entrar no Paraíso.

Triunfante, Jesus os trazia consigo e os mostrava a todos.

O amor – disse o Senhor às almas do céu., - vence todos os obstáculos e sabe encontrar o caminho para chegar ao coração do Pai.



Texto extraído da revista “Rinnovamento”.




DEUS PREPARA UM GRANDE POVO

PARA JESUS PODER VIR AO MUNDO
Como Deus é cuidadoso em suas obras! Tudo o que Ele faz é bem feito. Nada existe à toa, sem sentido. Mas tudo bem pensado, bem preparado.

A vinda de seu filho ao mundo também não foi de uma hora para outra, nem foi por acaso. A vinda de Jesus ao mundo foi o acontecimento mais importante da história dos homens.

Durante muito tempo, Deus preparou um povo a fim de que quando Jesus chegasse, pudesse realizar sua obra de salvação. Deus preparou nosso mundo para seu filho Jesus poder morar no meio de nós.

Jesus, pela sua vida, paixão, morte e ressurreição colocou todos os homens e o mundo na presença e na amizade de Deus.


1 – O povo eleito

Assim como a chegada de uma pessoa querida em nossa casa é motivo de muita alegria, de muita espera e preparativos, assim também a chegada de Jesus foi preparada cuidadosamente por Deus. Para a vinda de Jesus, Deus preparou um povo, uma nação. O homem escolhido para iniciar esta tão grande obra foi Abraão.


2 – Abraão – Pai do povo eleito

Abraão era um homem bom, querido e respeitado por todos. Vivia na cidade de UR, num país chamado Caldéia. Certa vez, Deus apareceu a Abraão e disse: “Abraão, sai da tua terra e da tua parentela e da casa de teu pai e vem para a terra que eu te mostrar. E eu farei de ti um grande povo, e te abençoarei e engrandecerei o teu nome, e serás bendito.”

E assim Abraão, por ser muito obediente e por possuir muita fé, tudo abandonou. Pegou sua família e seguiu na direção da terra que Deus lhe havia indicado.

Podemos imaginar o quanto este ato de obediência deve ter sido duro para Abraão. Deixar tudo e partir. Assim também hoje, nós vemos o sofrimento de tantas famílias que por motivo de carestia, da mudança do regime do tempo, de grilagem de terra, por motivo de grandes obras, instalação de grandes empresas, são obrigadas a deixar tudo e sair sem saber para onde e aí ter que começar tudo de novo. É preciso muita fé pra não esmorecer e não se desesperar.

Assim também aconteceu com Abraão. Guiado por uma fé muito grande seguiu seu caminho.

3 – Isaque, o filho da promessa

Chegando na terra prometida, Sara , mulher de Abraão, embora já idosa, deu à luz um filho de nome Isaque. Abraão começa a ver as promessas de Deus se realizarem. Certo dia, Deus apareceu para Abraão e lhe disse: “Abraão, toma teu filho Isaque e sacrifica-o em minha honra”. Abraão se assustou. Onde já se viu sacrificar o próprio filho? Ainda mais que através dele o povo eleito seria formado. Mas Deus queria provar a fé de Abraão.

Abraão obedece.

Isaque é levado pelo pai para o alto de um monte. Quando está para receber o golpe fatal do sacrifício, um anjo segura os braços de Abraão e diz: “Abraão não estendas a tua mão sobre o menino e não lhe faças mal algum, agora conheci que temes a Deus”.


4 – Aliança entre Deus e os homens

Neste momento, Deus confirma sua Aliança com Abraão.

Aliança significa pacto, promessa de salvação, contrato de amizade.

Aliança que é feita com toda a humanidade, representada por Abraão.

Promessa de amizade e salvação que seria trazida por Jesus Cristo para todos os homens.




1   2   3   4   5   6   7   8   9   10


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal