Paulo ganem souto



Baixar 3.67 Mb.
Página2/58
Encontro21.10.2017
Tamanho3.67 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   58

APOIO TÉCNICO



Érika França Cardoso

Sandro Roberto Sousa Sampaio Tosta




APRESENTAÇÃO

A Atenção Básica congrega um conjunto de conhecimentos e práticas no primeiro nível de organização dos sistemas de saúde, sendo considerada a “porta de entrada” no sistema e o locus de responsabilidade pela atenção aos pacientes e população no decorrer do tempo.


A publicação deste Guia – Protocolos de Saúde – Atenção Básica expressa o reconhecimento da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia da importância da atenção básica e a sua contribuição para a melhoria da saúde.
O Guia reflete as concepções e experiências dos profissionais de saúde das múltiplas áreas técnicas e pretende servir como fonte de informação e ferramenta de trabalho para aqueles que a praticamente desejam e uma base para pensar a respeito de suas abordagens, os pesquisadores que a estudam, os pacientes que a utilizam e desejam entendê-la e os formulados da política interessados em melhorá-la.
Considerando a complexidade da Atenção Básica, este Guia utilizou os eixos e temas voltados para a promoção da saúde, prevenção de agravos, tratamento e reabilitação, tendo como base a Agenda Estadual de Saúde, Pactuação de Atenção Básica e a Norma Operacional de Assistência à Saúde.
O caminho percorrido pelo conjunto de profissionais responsáveis pelo seu conteúdo foi ao mesmo tempo contribuição e aprendizado. Ainda que haja espaços e lacunas quanto a precisão e desvios de conceitos e concepções, refletem a riqueza do processo em construção.
Os desafios para que a Atenção Básica se torne cada vez mais forte e conhecida como aspecto crítico dos sistemas de saúde exigem esforços conjuntos. Se este Guia alcançar isso terá atingindo seus objetivos.

JOSÉ ANTÔNIO RODRIGUES ALVES

SECRETÁRIO DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA

SUMÁRIO
EIXO 1. PROMOVENDO A QUALIDADE DE VIDA

1.1. Abordagem Coletiva: Articulando Ações Intersetoriais


Documentos de referência e eventos históricos para a ampliação conceitual da Promoção da Qualidade de Vida e Saúde

Áreas temáticas da Promoção da Qualidade de Vida

Propósitos e conceitos demandados nas ações intersetoriais (trans) para a Promoção da Qualidade de Vida e Saúde

Pressupostos e princípios das articulações intersetoriais (código de convivência)

Componentes de uma Agenda Intersetorial de Promoção da Qualidade de Vida e Saúde

Em busca de instrumentos para o planejamento: Uma proposta de Planejamento Estratégico Situacional

Perfil, habilidades e competências individuais requeridas para os empreendedores na Promoção da Qualidade de Vida e saúde “Realizadores de sonhos”

1.2. Abordagem individual e de Grupos Específicos Estimulando atitudes, hábitos, estilo de vida e comportamentos saudáveis


EIXO 2. MANEJO INTEGRADO DE RISCOS E AGRAVOS
2.1. Reprodução humana

Planejamento reprodutivo / tecnologias e métodos da anticoncepção

Pré-natal

Parto


Puerpério

Climatério

2.2. Crescimento e desenvolvimento da criança

Status nutricional da criança e outros grupos populacionais

2.3. Orientações pertinentes a Terceira Idade

2.4. Situações de riscos e agravos não transmissíveis

Diabetes Mellitus

Hipertensão Arterial Sistêmica

Prevenção e detecção precoce de câncer:

Colo de útero

Mama

Pele


Próstata

Infantil
Detecção de afecções congênitas

Anemia Falciforme

Hipotireoidismo

Doenças Ocupacionais Relacionadas ao Trabalho DORT

Violência Intrafamiliar

Queimaduras

Ferimentos

Afogamento

Animais peçonhentos

2.5. Situações de risco e agravos transmissíveis

2.5.1.Doenças parasitárias:

Intestinais

Leishmaniose cutânea/mucosa/visceral

Doença de Chagas

Escabiose/pediculose

2.5.2.Tétano

2.5.3.Dengue

2.5.4.Doenças infecto-contagiosas:

Hepatites

Raiva/mordedura

Rubéola


Sarampo

Tuberculose

DST/AIDS

Hanseníase/ reações hansênicas /reação adversa a poliquimioterapia - PQT

Imunoprevenção: Calendário vacinal/ reações vacinais

Leptospirose

Meningites

Infecções Congênitas e Perinatais

2.6. Situações especiais

2.6.1. Abordagem Sindrômica

Cefaléia

Infecção respiratória

Asma /Rinite

Crise convulsiva

Diarréia

Dor abdominal

Dor torácica

Paralisia flácida aguda/Poliomielite

Cárie e outras afecções da cavidade oral

Tracoma


Intoxicação exógena

2.6.2. Casos críticos

Insuficiência respiratória

Parada cardiorespiratória

EIXO 3. REINTEGRAÇÃO E REABILITAÇÃO NA ATENÇÃO BÁSICA

Acompanhamento dos portadores de necessidades especiais/Saúde Mental

Drogas lícitas e ilícitas

Abordagem individual e familiar para acamados cronicamente

Cuidados complementares em afecções respiratórias

Prevenção e reabilitação das seqüelas da hanseníase

Cuidados posturais

Reabilitação e prevenção do desconforto no pré-natal e puerpério

ANEXOS:

Abreviaturas e siglas;

Reações adversas aos medicamentos;

Anexo Terapêutico;

REFERÊNCIAS BÍBLIOGRÁFICAS




Eixo 01

ROMOVENDO A

QUALIDADE DE VIDA







Complementariedade e compartilhamento de Valores e Propósitos

Busca


contínua da Concordância, do Consenso e do Acordo, mesmo que transitório

Aceitação e Convivência das Diferenças


Tolerância



Aprendiza-gem Coletiva

Intercâmbio de

Saberes

Autonomia e Semi-Indepen-dência


Respeito aos interesses plurais que atuam / operam em territórios delimitados


Valorização

do Processo interdisciplinar




Valorização da tensão formadora das forças opostas, a vitalidade da mudança, a criatividade da diferença e a beleza da distinção


Pressupostos e Princípios das Articulações Intersetoriais

Código de Convivência




Sentido renovado de Comunidade


Autonomia e Interdepen-dência




Competição e Cooperação não são contraditórias, são complementares. (A dança harmônica da competição e cooperação)

Poder e Informação Amplamente distribuídos

aprendizado institucional e pessoal


Co-Responsa-bilização


Compartilhamento de distintas “visões de mundo”



Valorização da Eficiência e Eficácia

Priorização

de Projetos estruturantes

Valorização

da singularidade com Perspectivas de inserção em redes sociais ampliadas



Promoção da Qualidade de Vida e Saúde

Proposta de Planejamento Situacional nas articulações intersetoriais



A

B
C

D

E

F
PLANEJAMENTO

Modelo dos níveis contínuos ascendentes e das dimensões múltiplas”



Baseado no pensamento de E Morin. & Funtowicz & Ravetz



Perfil, Habilidades E Competências Dos

Promotores da Qualidade de Vida e Saúde – Realizadores de Sonhos

Determinação

Obstinação, tenacidade, perseverança, decisão, persistência, garra, teimosia, troca à estratégia se necessário e mantêm o sonho.
Criatividade

Inventam novas soluções para velhos problemas.

Estimulam contextos que proporcionam a originalidade.

Favorecem o Clima de inovação


Não acomodam

Vibram com as conquistas, mas não se acomodam.

Sede por informações novas e por diferentes perspectivas.

Tiram lição do erro e do acerto.


Coragem

Estão à frente do seu tempo.

Possuem senso de liberdade para escolher seu caminho (ousadia + coragem)
Paixão

Apaixona-se por suas missões e tarefas.

O “negócio” vai para frente quando você usa a alma.

Mesclam objetividade e emoção ao tomar decisão.


Oferecem Causas

Explicita seu propósito, seu rumo e contagiam as pessoas.

Envolvem outros em sua missão e constroem uma visão compartilhada.
Têm foco, foco, foco...

Apesar do dinamismo, não perdem o foco, não desperdiçam tempo nem energia com tarefas que não fazem parte do sonho.

Sabem que transformar a carga de trabalho em prazer é o grande segredo de realização de um sonho; este é o prazer de realização de um projeto de vida.
Hierarquizam sonhos

Definem prioridades, dão um passo de cada vez.


Perfil, Habilidades E Competências Dos

Promotores da Qualidade de Vida e Saúde – Realizadores de Sonhos – Continuação

Planejam com detalhe

Planejam e prevêem cada detalhe de sua ação.

Tiram sonhos da cabeça, coloca-os no papel e transformam em realidade.

Sabem trabalhar e reconhecem a importância do trabalho em equipe.
Transformam sonhos em projetos.
Motivam pelos valores

Os valores são muito mais abrangentes que os sonhos, precedem os sonhos, revelam a profundidade do sonho, a essência da vida de cada um.

Valores universais: Direito à vida, liberdade, o respeito ao próximo.

“Vendem” não apenas o “produto”, mas também um “conceito”.

O resultado de um sonho de muitos, uma paixão coletiva.

A trama da vida é muito mais fascinante e complexa do que possamos imaginar ou do que projetos individuais podem transmitir.


Identificam talentos

Não formam seguidores, mas líderes.

O talento alheio não os intimida porque sabem capitalizá-lo para seus projetos. Dão autonomia aos competentes.
Valorizam relacionamentos

Sabem manter relacionamentos e consideram preciosas as relações humanas.


Montam parcerias.

Sabem motivar pessoas e estabelecem relações de troca.


Articulam recursos e meios.

Fazem os recursos e meios aparecerem.

Envolvem as pessoas e as motiva a sonhar juntas.

É um empreendedor social


Sabem cavar a sorte.

Sabem que é preciso estar no lugar certo na hora certa.

Estão alerta e não deixam a oportunidade passar. São ágeis.

Têm fé em si mesmos, acreditam na intuição e que de fato têm boa sorte.








Perfil, Habilidades E Competências Dos

Promotores da Qualidade de Vida e Saúde – Realizadores de Sonhos – Continuação
Convergem no Essencial

Capacidade de suportar adversidades.

Não se contagiam com a inveja ou a calúnia alheia.

Conseguem lidar com pessoas difíceis.

Não gastam tempo com questões menores.

Passam por cima de pequenas coisas para obter a união no que julgam essencial.


São generosos.
São empreendedores.
Equilíbrio entre razão e emoção.
Encontram oportunidade de transformar: a si mesmos, aos outros e à comunidade.
Compartilham o desejo de fazer do mundo um lugar melhor.



1.2. ABORDAGEM INDIVIDUAL E A GRUPOS ESPECÍFICOS – ESTIMULANDO ATITUDES, HÁBITOS, ESTILO DE VIDA E COMPORTAMENTOS SAUDÁVEIS

Definindo aspectos pedagógicos e metodológicos da abordagem individual e a grupos específicos



  • Considerar e respeitar as individualidades e seus modos específicos de vida;

  • Considerar as pessoas como seres históricos e portadores de valores e visão de mundo próprio;

  • Adequar a linguagem e outros meios de comunicação conforme as especificidades sócio-culturais-religiosas das pessoas;

  • Objetivar a socialização dos indivíduos, aprendizagem de técnicas e incorporação de tecnologias e que objetivem a ampliação da auto-estima e autoconhecimento – interação social, cuidado consigo mesmo e resgate da auto-estima;

  • Estimular o sentimento de participação no processo;

  • Utilizar informações e dinâmicas de grupo que ampliem a participação;

  • Adquirir e construir conhecimentos;

  • Propiciar estratégias para que os integrantes tornem-se agentes multiplicadores;

  • Construir coletivamente, apropriar-se e socializar o conhecimento;

  • Construir com a comunidade novos conhecimentos e práticas solidárias de saúde;

  • Contextualizar o processo educativo;

  • Reconhecer criticamente e conscientizar-se do significado e importância da promoção da saúde, contribuindo para práxis reflexivas e ações transformadoras;

  • Democratizar o saber através da desconstrução, construção e reconstrução de um novo saber;

  • Fortalecer laços de co-responsabilidade;

  • Enfatizar a importância da participação e intercambio de experiências;

  • Valorizar cada pessoa como ser social possuidor de direito e cidadania.








Eixo 02




1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   58


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal