Paralisia cerebral



Baixar 14.28 Kb.
Encontro02.07.2019
Tamanho14.28 Kb.

Texto de apoio ao curso de Especialização

Atividade física adaptada e saúde

Prof. Dr. Luzimar Teixeira

PARALISIA CEREBRAL
Que é?


A Paralisia Cerebral é uma deficiência neuromotriz identificada por primeira vez na metade do século XIX. Quando a Paralisia Cerebral foi identificada, associou-a a problemas do parto. No momento o conceito continua gerando controvérsia, assim sua definição é tão ambígua quanto concreta: "desordem da mobilidade ou da postura devida a uma lesão ou anomalia do desenvolvimento do cérebro imaturo". Este conjunto de desordens que afeta ao movimento e à coordenação múscular, é causado pelo dano a uma ou mais áreas específicas do cérebro, geralmente durante o desenvolvimento fetal, mas também pode acontecer antes, durante ou em seguida do nascimento, como também na infância. A partir da definição se entende que é uma deficiência orgânica que não é aumentada com o passo do tempo e que se trata de uma deficiência orgânica mas são omitidos outros fato-

res associados que têm impacto no comportamento das pessoas com Paralisia Cerebral, como as deficiências de tipo sensorial, perceptivo e psicológico, embora não suponham uma afetação a nível cognitivo.




Causas:
Embora o tópico da etiologia da Paralisia Cerebral é um dos mais difíceis de definir, pode-se mostrar que acontece nos períodos PRÉ-NATAIS, PERINATAL OU POSNATAL e tem o limite de manifestação caduco aos primeiros 5 anos de vida. Um das causas importantes é a falta de oxigênio no cérebro durante a fase fetal ou recém-nascido que pode estar devido a uma separação prematura da placenta da parede do útero, à má posição natal do bebê, um parto muito longo ou interferência da circulação na corda umbilical. Também pode estar devido a uma incompatibilidade sanguínea entre a mãe e o bebê ou à infecção da mãe com algum vírus ataca o Sistema Nervoso do bebê.


Factor

Causa

Pré-natal

Hipoxia
Rubeola
Exibição a raios X
Diabete

Perinatal

Separação de placenta
Prematuridade
Anoxia
Trauma

Posnatal

Enfermidades Infecciosas
Acidentes Cardiovasculares
Meningite
Encefalite


Tipos:
Muitos tipos e grande quantidade de classificações existem com respeito à Paralisia Cerebral. Para levar a cabo a classificação é possível considerar: o tipo, a topografia, o tom e o grau.
Relativo ao Tipo se pode distinguir:

Espasticidade: consiste em um aumento exagerado do tom (hipertonia). É caracterizado por movimentos exagerados pouco coordenados ou descoordenados.

Atetosis: Consiste em ums fluctuação de hipertonia a hipotonia. É caracterizada por movimentos irregulares dificilmente controláveis.

Ataxia: Consiste em uma alteração do equilíbrio. É caracterizada por uma sensação defeituosa da marcha e descoordenação motriz tanto fina quanto grossa.

Misto: Praticamente a maioria das pessoas com Paralisia Cerebral tem o tipo misto, que é una combinação dos tipos prévios.

A classificação que visa o Tom está unida à classificação prévia:

Isotónico: tom normal

Hipertónico: tom aumentado

Hipotónico: tom diminuído

Variável

De acordo com a aproximação classificatória de Topografia, quer dizer a parte afetada do corpo, nós podemos distinguir entre:

Hemiplegia ou Hemiparesia: afeta a uma das duas metades laterais do corpo (direita ou esquerda).


Diplegia ou Diparesia: mais afetada a metade inferior que a superior.

Quadriplegia ou quadriparesia: os quatro membros são paralisados.

Paraplegia para paraparesia: afetação dos membros inferiores.

Monoplegia ou monoparesia: um único membro, superior ou inferior, é afetado.


Triplegia ou triparesia: três membros afetados.

Segundo o grau de afetação se pode distinguir entre:

Sério: autonomia quase nula

Moderado: precisa de um pouco de ajuda.

Leve: autonomia total


Características:
Dependendo das áreas do cérebro que tem danificadas, uma pessoa com Paralisia Cerebral pode apresentar características como: tensão muscular ou espasmos, movimentos involuntários, sensação e percepção anormal, limitação visual, audível ou da fala, retardo mental, dificuldades para controlar esfíncteres, dificuldades para respirar devido a problemas de postura, escaras, dificuldades para a aprendizagem, etc.

Prevenção:


Uma grande porcentagem das causas de Paralisia Cerebral pode ser prevenida. Alguns dos fatores de risco alto durante a gravidez e nos primeiros anos da vida do menino são : diabete, problemas de coração ou renais; fator Rh negativo; rubéola durante a gravidez, enfermidades venéreas; nutrição inadequada durante a gravidez, tabagismo, alcoolismo, uso impróprio de medicamentos ou drogas, Meningite, Encefalite, trauma ao nascer, trabalho de parto prolongado, golpes na cabeça, etc.

Tratamento:


Embora não se tenha encontrado ainda forma de consertar as células danificadas do cérebro, neste caso o dano não é progressivo, é muito possível alcançar um desenvolvimento nas áreas cognitiva, lingüística, social e emocional. O tratamento iniciado a tempo, é extremamente benéfico para a pessoa, mesmo que não atinja uma recuperação total.
: wp-content -> uploads -> 2009
2009 -> Faculdades Metropolitanas Unidas – fmu
2009 -> Se você está se preparando para ser mamãe, inclua uma avaliação do seu estilo de vida e de seu companheiro para garantir que vocês dois estão no melhor momento físico e mental para que isso aconteça
2009 -> Exame físico geral
2009 -> Termo de ciência e consentimento
2009 -> Este manual tem por finalidade possibilitar aos nao especialistas diagnosticar e tratar de uma maneira correta as cefaleias. Para tal, apos uma breve revisao dos quadros clinicos menciona-se as possibilidades terapeuticas
2009 -> O que é Plasticidade Cerebral
2009 -> O ouvido, órgão responsável pela audição, está dividido em três partes: ouvido externo, ouvido médio e ouvido interno
2009 -> Trauma ao Nascimento
2009 -> Texto de apoio ao curso de Especialização
2009 -> Unaerp universidade de Ribeirão Preto-Campus Guarujá




©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal