Para a reconstrução da pirâmide nasal, estão disponíveis diversas opções por ordem de preferência: sutura primária (excisão simples), retalhos cutâneos, cicatrização por segunda intenção e enxertos



Baixar 7.44 Kb.
Encontro30.06.2019
Tamanho7.44 Kb.

Resumo: O nariz, ao ser uma das estruturas faciais mais proeminentes e visíveis, levanta numerosos e complexos problemas reconstrutivos na Cirurgia Dermatológica, considerando que as perdas de substância incluem com frequência estruturas extra-cutâneas, como músculo, cartilagem, mucosa endonasal e, eventualmente, osso.

O objectivo da reconstrução nasal é restabelecer a normalidade da forma e função, tratando-se de um desafio especial devido às características particulares da pele que reveste esta área, bem como às múltiplas concavidades e convexidades existentes na sua superfície. Ao contrário da pele do nariz, pouco elástica, as regiões adjacentes (glabela e pregas nasolabiais) dispõem de uma pele de fácil mobilização, representando excelentes fontes de retalhos cutâneos. Apesar de ser uma região anatómica periférica, a sua vascularização abundante torna a reconstrução extremamente viável.

Para a reconstrução da pirâmide nasal, estão disponíveis diversas opções por ordem de preferência: sutura primária (excisão simples), retalhos cutâneos, cicatrização por segunda intenção e enxertos.

Retalhos cutâneos são unidades de tecido transferidas de um local dador para um local receptor mantendo o seu próprio suprimento sanguíneo. Possuem vantagens substanciais em relação aos enxertos cutâneos devido à sua viabilidade não depender do local receptor. Além disso, permitem a transferência de pele com cor e textura semelhantes às esperadas para o local onde se destinam.

Existem diferentes tipos de retalhos cutâneos que se podem classificar de acordo com o suprimento sanguíneo, com a localização da área dadora ou com o tipo de tecido que vai ser transferido.

Neste artigo de revisão abordam-se os retalhos cutâneos mais adequados para a reconstrução das diferentes regiões da pirâmide nasal, em concordância com o conceito de subunidade cosmética introduzido em 1985 por Burget e Menick, que divide o nariz em raiz, dorso, paredes laterais, asas, ponta e columela.


Palavras-chave: Pirâmide Nasal, Retalhos Cutâneos, Cirurgia Dermatológica; Subunidades Cosméticas; Reconstrução

Abstract: As the nose is one of the most prominent and visible facial structures, it raises numerous and complex reconstructive problems in dermatologic surgery, as the substance loss frequently includes extra-cutaneous structures, such as muscle, cartilage, endonasal mucosa and, eventually, bone.

The objective of nasal reconstruction is to re-establish normality of shape and function. This is a special challenge due to the particular characteristics of the skin in this area, as well as the multiple interposed curvatures and convexities. Unlike the inelastic skin of the nose, the adjacent regions (glabella and nasolabial folds) contain skin that is easy to mobilize, thus becoming excellent sources of skin flaps. Despite being an anatomically peripheral area, its abundant and redundant vascularization makes reconstruction extremely viable.

For nasal reconstruction, the following options are available, in order of preference: simple excision, flap closure, second-intention healing and grafting.

Flaps are units of tissue that are transferred from a donor site to a recipient site while maintaining its own blood supply. They have substantial advantages in relation to skin grafts due to its viability not depending on the recipient site. In addition, they allow the transfer of skin similar in color and texture to the recipient site.

There are several methods to categorize flaps according to the type of blood supply, type of tissue to be transferred and location of donor site.

This review approaches the skin flaps, which are more appropriate for the reconstruction of the different regions of the nose, relying on the aesthetic subunit concept introduced in 1985 by Burget and Menick, that divides the nose in root, sidewalls, dorsum, nasal alas, columella and tip.


Key words: nose, skin flaps, dermatologic surgery, nasal reconstruction, aesthetic subunits.




©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal