Palavras de agradecimento do servo


Presente de aniversário para uma filha



Baixar 2.41 Mb.
Página55/56
Encontro11.06.2018
Tamanho2.41 Mb.
1   ...   48   49   50   51   52   53   54   55   56

Presente de aniversário para uma filha

Recebido por Jacob Lorber, em 18 de fevereiro de 1849



Esta mensagem é para a menina cuja mãe faleceu e que o Pai chama de Marta, por causa da irmã de Lázaro.
1 – Minha querida Marta, não é tua mãe terrena que está aqui junto a Mim, mas Eu, teu carinhoso Pai de todos os céus, que quer te felicitar pelo teu aniversário. Faço esta exceção, porque tu Me amas mais do que teus irmãos e mais do que teu pai terreno, ele que muito mais Me conhece do que tu, Minha querida Marta, mas seu coração está muitíssimo mais longe de Mim do que o teu. Ele deixa que vários assuntos mundanos se apoderem de seu coração e assim não consegue chegar à paz necessária, na qual o Meu Amor Verdadeiro consegue criar raízes.
2 – Tu, porém, possuis esta paz. Pouco pensas no que ocorre no mundo atual e deixas que Eu governe, administre e julgue o mundo de acordo com Minha Vontade. Esta é a razão por que Meu Amor consegue aumentar cada vez mais em teu coração: ele está calmo, confiante e em paz.
3 – E o resultado disto é que Eu te amo cada vez mais e não Me importo com teus “pecadinhos” que de vez em quando atuam na tua parte material, qual mosca que suja uma vidraça limpa e brilhante. Elas sujam a superfície externa, não prejudicam o interior, e com passar um pano úmido tudo sairá sem deixar marcas.
4 – Vê, este pano úmido que limpa todo o teu ser é o teu grande amor por Mim.
5 – Limpa muito bem com o pano úmido, pois assim te tornarás uma filhinha muito amada, e Eu te darei tudo aquilo que teu coraçãozinho desejar. Eu também amo tuas irmãs muito, pois elas Me amam. Mas elas ainda têm muita coisa do mundo, muito mais do que tu, Minha pequena Marta e também Madalena; por isto Eu te digo, sem restrições, no dia de teu santo: tu és a Minha filhinha preferida entre teus irmãos.
6 – Creio que terás bastante alegria com esta Minha confiança, mas também vejo que isto não será de tanto agrado para os corações de teus irmãos. Mas eles têm que começar a Me amar mais, deixar as considerações que do mundo de lado e só seguir as orientações que dou em seus corações, e então Eu os amarei tanto quanto a ti.
7 – Apesar de tudo, Eu os amo muito, mesmo que o mundo ainda os atraia bastante. Eu, porém, sempre estou em seus corações, e assim seu amor aumenta cada vez mais. Esta afirmação é para consolá-los.
8 – Eu até amo aquelas pessoas que se dizem Meus inimigos, quanto mais vós, que sois Meus amigos.
9 – Eu vos digo: Apesar de ainda habitardes fisicamente a Terra, em espírito já sois anjos que estão no céu Comigo. Mas se também há diferença até no amor dos anjos no céu, como poderia deixar de ser assim entre vós, que ainda caminhais na carne?
10 – Mas os anjos que mais Me amam são os que mais próximos estão de Mim.
11 – Como Madalena Me amava ao máximo, foi ela que Me viu em primeiro lugar, após Minha Ressurreição. Por isto Eu te digo: Por seres a que mais Me ama, és a que mais próxima está de Mim.
12 – Observa bem todos os conselhos que Te dei. Mantém teu coração e teu corpo puro. Se pensamentos mundanos quiserem engoli-los de vez em quando, tal qual as moscas no vidro limpo, apanha rapidamente o pano úmido de Meu Amor, e este te manterá eternamente pura.
13 – Isto fala teu Santo Pai. Amém. Amém. Amém.

Mensagem de uma bem-aventurada

Recebido por Jacob Lorber, em 18 de fevereiro de 1849



Esta mensagem foi recebida no mesmo dia da anterior e é daquela mãe a qual o Pai se referiu inicialmente.
1 – Elisa – Meu querido Jacob! Eu também estou aqui e quero felicitar minhas filhas pelo seu aniversário.
2 – Jacob Lorber (eu, Lorber, falo) – Ah bem, ah bem. Isto me alegra muito, que a senhora, minha bem aventurada Elisa, me visite. Creio que não podemos perguntar como a senhora vai, pois lá onde a senhora se encontra só existe bem estar e alegria. Bem, vamos ao ponto: eu estou pronto para escrever tudo o que a senhora desejar, mas, por favor, bem resumido, pois o maldito tempo já me está sendo cobrado. Numa próxima vez, minha gentil senhora Elisa, (– Não, não senhora, só Elisa - diz Elisa) eu lhe dedicarei uma manhã inteira. Mas se a senhora não fosse tão divinamente bonita, eu conseguiria escrever com mais facilidade. Quando eu a olho, o que eu mais quero é abraçá-la e neste divino abraço morrer; não ficar movendo a pluma de lá para cá num pedaço de papel.
3 – Fala Elisa – Não seja tão mau assim, meu querido Jacob, pois isto não é delicado! Mas como o senhor ainda é fraco, vou me colocar às suas costas. Pronto, já estou atrás de suas costas. Não se vire e escreva bem depressa e com vontade, pois senão lhe darei um beliscão.
4 – Falo eu, Lorber – Tudo bem, mas eu lhe peço que não se dirija a mim como “senhor”, mas sim “você”.
5 – Elisa – Sim, bem, mas você também me deve chamar apenas por “você”. Mas agora escreva, pois senão meu tempo acaba.
6 – Elisa dita: “Para minhas filhas, minhas queridas filhas! Quando o Senhor está convosco, eu também estou convosco. Pois eu agora estou constantemente junto ao Senhor, e minha felicidade é infinita, minha bem-aventurança é inexplicável”.
7 – “Minha Julinha, enriquece cada vez mais teu coração com o verdadeiro amor pelo santo Pai, só assim serás feliz e bem-aventurada, e provavelmente já aqui na Terra, tal como eu estou feliz no céu. Pois o Senhor te ama muito, como já hoje Ele te disse. Faze, porém, tudo aquilo que o santo Pai te aconselhou tantas vezes. Assim poderás te tornar uma noiva do mais profundo de Seu Coração. E esta é a mais alta bem-aventurança que só poucos recebem”.
8 – “Tu também, minha pequena Maria, apossaste-te deste amor tu também. Pois o santo Pai também te ama muito, como também a todos os demais. Mas não penseis tanto sobre assuntos mundanos, tais como casamento, a herança por parte dos avós e a que recebereis por minha morte, e mais assuntos inúteis. Somente o santo Pai deve ser o objeto único a ocupar vossos corações, e esta é a única maneira para que obtenhais Dele todo o resto que desejais. Entregai tudo ao Pai e Dele tudo recebereis, tudo que é útil para vossas almas”.
9 – “Pensai com mais frequência em mim, vossa mãe terrena, com tantos desejos que me causaram alegria, especialmente o de querer passar meus últimos anos no campo junto a vós. O que aconteceu com meus tantos desejos? Vós bem vereis a resposta na minha sepultura e na lousa”.
10 – “Eu posso dizer-vos: A Terra e seu solo não passam de um enorme sepulcro, um verdadeiro cemitério! As montanhas na Terra são as lousas!. E ninguém pode esperar por felicidade numa casa de mortos”!
11 – “Mas eu, que amei ao Pai Jesus acima de tudo, não fui colocada na cova para deteriorar, não! Fui levada totalmente viva, imediatamente, para a casa do Pai, para o Seu Céu, onde tudo é tão extremamente bonito, onde todas as pessoas se amam tão profundamente. Na Terra não existe nada, absolutamente nada que consiga explicar a beleza e o amor que aqui existe”.
12 – “Em vez de ser uma camponesa na Terra, eu hoje estou no céu dos céus, possuída da total liberdade. O que achais que é melhor? Sim, o céu é o melhor lar para todos os que amam o Senhor Deus. Aqui tudo é real e verdadeiro, enquanto que na Terra tudo não passa de uma ilusão que logo desaparece. Fazei, pois, tudo para conquistar o reino de Deus, e todo o resto virá como consequência”.
13 – “Recebai isto de mim, vossa mãe, e observai bem minhas palavras, que sereis eternamente felizes. A Bênção e a Misericórdia do Senhor estejam convosco, em nome do Senhor. Amém”.
14 – Lorber: Elisa bateu no meu braço e me pediu para dizer à família que estaria com eles às nove horas, quando todos juntos deveriam rezar. Eles sentiriam sua presença e ela os abençoaria. Então desapareceu.


Mais uma vez: César e Deus

Recebido por Jacob Lorber, em 10 de junho de 1849


1 – Quando os fariseus mandaram os servidores Me interrogar, servidores estes também dos templários e de Herodes, tencionaram, com perguntas dúbias, Me atrair para uma cilada e assim ter meios legais para Me aprisionar. Perguntaram se era justo os judeus terem de pagar juros a Roma, apesar de Herodes ser o administrador do estado, ao qual já tinham que pagar juros bem elevados. Pois o imperador já recebia os tributos gerais que Herodes cobrava do povo; para compensar isto, Herodes podia tributar a todos ao seu bel-prazer, o que levava o povo judeu à miséria. E justo agora vinha o César e cobrava mais um imposto.


2 – Por isto Eu, o denominado Messias, deveria tomar uma atitude e determinar se era necessário pagar a César mais este tributo pesado. Esta pergunta era uma pergunta muito perigosa, já que o imperador tinha dado todos os poderes a Herodes por um altíssimo imposto administrativo e tinha renunciado a governar a Judéia; mas vinha agora com mais um imposto bastante elevado.
3 – Cada um que não conhecesse, como Eu conhecia, o assunto que existia entre os judeus, o administrador Herodes e o imperador, não conseguiria dar uma resposta que não o comprometesse com um ou com outro. Mas Comigo isto não poderia acontecer, pois conhecia bem demais todos os pormenores que aconteciam durante Minha caminhada física na Terra, entre o povo e o imperador, tanto os oficiais como os ocultos, e entre o administrador Herodes, o imperador e o povo.
4 – Dentre tantas regalias, Herodes também possuía o direito de ganhar dinheiro em seu nome e com sua imagem. Naquela época, como o é agora, o dinheiro servia como meio de troca no comércio e todos o usavam para isto. Para obterem este material de troca, deveriam comprá-lo a Herodes com metais preciosos, pedras preciosas ou outro elemento de valor, e assim se tornariam donos da moeda herodiana por cinquenta anos.
5 – Também pessoas que depositavam uma garantia ou então que hipotecavam suas propriedades conseguiam comprar a moeda herodiana, o que era praticado especialmente com os gregos. Mas Herodes exigia juros anuais sobre este dinheiro (10 por cada 100), e só se podia devolver o dinheiro em cinquenta anos. Não era possível acabar com a dívida antes, e se a pessoa se tornasse inadimplente, ela se tornava um devedor eterno (uma espécie de escravo). Herodes e seus herdeiros podiam se apossar de seus bens, animais e familiares e vendê-los, o que não era muito raro de acontecer.
6 – Que os judeus, devido a estas artimanhas de Herodes, se encontravam numa situação terrível, é bem fácil concluir. Muitos estavam na mais absoluta pobreza e outros, pior ainda, eram vendidos como escravos. Isto levou os judeus a conjecturar se o imperador também emprestaria dinheiro a juros e quanto estes seriam. A resposta foi afirmativa. Ele emprestaria dinheiro, mas não o venderia.
7 – Porém o imperador cobrava 5% ao ano por dinheiro nobre, de ouro ou prata e 1,5% ao ano por dinheiro de cobre ou bronze.
8 – A consequência foi que o povo começou a se livrar dos contratos de empréstimo de Herodes e também a anular os mesmos em favor do imperador. Tomava emprestado o dinheiro do imperador, que podia pagar quando quisesse, conquanto que pagasse os juros.
9 – Isto se tornou um desastre para os fariseus, que na maioria eram cambistas, comerciantes e usuários; também para Herodes, que cunhou o seu dinheiro especialmente para os fariseus. Seus negócios pararam totalmente com a chegada do dinheiro barato do Imperador.
10 – Nestas circunstâncias, agora conhecidas por vós, é que Me foi colocada a pergunta tão engenhosa, pois queriam Me pôr em maus lençóis com um ou com o outro, dependendo de Minha resposta.
11 – Se Eu tivesse dado uma resposta favorável ao César, teriam Me dito: “Não és o Messias, pois tratas os direitos dos judeus a pontapés e te unes com os infiéis contra teu povo. De acordo com Moisés, Samuel e David, deves ser morto”. Se Eu tivesse dito que não deviam pagar juros ao Imperador, mas sim somente a Herodes, que comprava o povo de Deus anualmente aos pagãos romanos, pagando um alto tributo, eles teriam Me declarado um oponente do Imperador e teriam Me entregue à justiça romana.
12 – Eu, porém, pedi que Me mostrassem uma moeda do Imperador, na qual constavam sua figura e sua assinatura, e perguntei: “De quem é a figura e a assinatura? É de Herodes, cujo dinheiro chamais de dinheiro de Deus? Ou é a do Imperador, que também tem o direito de emprestar seu dinheiro a seus povos, quanto mais se estes lhe pedem por isto?” A resposta conhecida foi “A assinatura e a figura são do Imperador”.
13 – Ao que Eu respondi com toda Minha convicção: “Bem, então daí ao Imperador o que é seu”; ou melhor, “Daí ao Imperador os juros do dinheiro emprestado, mas também daí àquele que vos emprestou dinheiro de Deus os tributos que vos são exigidos”. Ou simplificando: “Daí a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”. Assim Me livrei dos interrogadores sem que nada pudessem fazer contra Mim.
14 – Desta explicação vamos conseguir ver com bastante clareza o que é o “Imperador” e o que se entende por “Deus”.
15 – Se os súditos conseguiram fazer um acordo legal com o Imperador, eles devem obedecer e mantê-lo, mesmo se for de um ano ou de centenas de anos. As exceções são os acordos conseguidos pela força e que não trazem nenhum bem para o povo, mas sim somente para os ditadores que os impuseram. Mas se um acordo forçado é para o bem dos súditos e o ditador demonstra boa vontade em ajudar o povo, então os súditos devem considerar este acordo legal e obedecê-lo fielmente.
16 – O mesmo acontece quando o assunto é de Deus, e não devemos considerar somente o grande compromisso do Amor pelo Pai, mas sim também em relação a todas as outras pessoas que existem: crentes, benfeitores, professores, líderes, servidores de Deus, servos e todos os serviçais homens e mulheres, além dos operários, aos quais somos obrigados a dar o que lhe é devido, como se dá ao Imperador o que lhe é devido.
17 – Todas estas obrigações com o próximo são as obrigações devidas a Deus, tal como são devidas ao Imperador todas as obrigações que levam seu nome.
18 – Esta é a explicação política e moral deste texto. Claro que ele possui um significado espiritual, mas este ainda não será estudado aqui. Mais tarde ele será apresentado. Informai isto a todos os políticos importantes do mundo. Amém.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx




Escritos anticristos

Recebido por Jacob Lorber, em 20 de junho de 1849



Jacob Lorber pergunta:
. Sobre uma obra que apareceu em Leipziz, em 1849, intitulada “Revelações Históricas sobre a Maneira de Jesus Morrer”, de acordo com um manuscrito encontrado em Alexandria, de autoria de uma testemunha da vida de Jesus.
. Sobre um panfleto publicado em Weimar, de autoria de um Dr. Wohlfarth, rebatendo o artigo anterior.

1 – Pois escreve: O primeiro caso é uma especulação do poeta e do livreiro que estão em maus lençóis e que inventam algo para chamar a atenção, para conseguirem melhorar seus bolsos bastante vazios.


2 – E o segundo caso é fruto da mesma qualidade. Neles não existe nenhum conteúdo sólido. E aquele que chama e diz: “Senhor!”, a este Eu não conheço. Um é tão Judas quanto o outro, pois ambos trabalham, enganam e traem por dinheiro”.
3 – O primeiro diz: “Irmão B, Eu agora vou apresentar ao mundo uma pequena história de anticristo. Esta será comprada e lida avidamente por milhares de pessoas. Tu, então, escreves imediatamente um ensinamento contrário ao que eu escrevi, e este também será comprado e lido avidamente por milhares. A venda nos trará uma boa soma, com a qual poderemos iniciar algo bem maior, e talvez consigamos várias edições. Vitória, vamos! E então poderemos ter uma conversinha bem diferente com os editores!”.
4 – E o irmão B responde bem impressionado com a idéia de A: “Irmão, tua ideia é ótima, mas de onde tirarás a matéria, para que possas apresentar ao mundo algo bastante plausível?”
5 – Ao que A reponde: “Não te preocupes, tu sabes como eu consigo fazer algo, se assim quiser. Vê, no sebo eu comprei um Rousseau, um Helvitius, um Sr. Strauss, a obra completa de Hegel, tudo bem baratinho, e tu tens Dr. Barth e Hess. Seria uma idiotice muito grande se não conseguíssemos extrair destes autores um livreto totalmente anticristo. Vê, eu já tenho um esboço completo.
6 – O B, completamente confiante, começa a ajudar A. E quando esta obra é lançada, então A ajuda B com o seu trabalho.
7 – Vê, são assim que fazem estas obras “maravilhosas”; bem concisas, a fim de que sejam lidas com facilidade e não se tornem caras, para que muitos as leiam.
8 – É assim que estas duas obrinhas “maravilhosas” foram criadas, e nenhuma das duas tem qualquer utilidade, pois ambas são máquinas caça-níqueis.
9 – A primeira obra não conseguirá tirar de Mim nenhum espírito evoluído, pois é demais tola e miserável. Pois cada um que crê em Mim sabe muito bem de que fonte é que ele terá toda a Verdade e o que representa a pura e viva Verdade nos corações humanos. Neles se encontra a prova de Minha divindade.
10 – Mas aquele que não é Meu pelo seu amor e pelas Palavras de Minha Obra, para este não existe nenhum convencimento, nem físico nem espiritual, nem pró nem contra. Pois estas pessoas são qual poeira ou nuvens que se movem de acordo com o vento. Elas não têm nenhuma independência para julgar, ou mesmo acompanhar e observar os acontecimentos deste mundo. Elas também não têm espírito determinado. Como consequência, não podem avaliar de que tipo de espírito algo é produto. É esta a razão por que estão sempre prontos a aceitar aquilo que é de agrado dos seus sentimentos e de sua mente. Mas estes modismos são como ondas na praia: acabam logo e muitos nem se lembram do que se passou e o que leram.
11 – Esta é a razão por que, para este tipo de gente, um argumento meio contraditório, é totalmente vão.
12 – Bem, agora sabes do que se trata nestes dois livrinhos. E Eu te desobrigo de escrever qualquer coisa a respeito deles explicando a verdade, pois estes inimigos não nos causam qualquer prejuízo, pelo contrário, nos são úteis. Por esta razão é que os deixo viver. Amém.
Amor Divino – para um aniversário

Recebido por Jacob Lorber, em 26 de junho de 1849

1 – Escreve estas palavras para nossa irmãzinha que hoje completa mais um ano, pois quem nos ama, a estes devemos amar e dar agrados.
2 – Já que o dia de hoje é especial para ti, o dia em que nasceste nesta Terra, e que nesta data te tornaste uma filha Minha e deixaste a horda de seres justiçados, então, como um Pai amoroso e como o dono da Vida, não quero deixar de alegrá-la ainda mais, ao dizer-te que és Minha amada filha e que te amo no fundo de Meu Ser, na medida em que Me amas em teu coração.
3 – Creio que tu, filhinha querida, vais ficar muito feliz com este Meu depoimento. Pois são muito felizes aqueles que estão no Meu Coração de Pai e que recebem a confirmação verbal disto. Mas infelizmente isto acontece com muito poucos.
4 – Deves te sentir extremamente alegre por teres o direito de tal confirmação de Amor por Minha parte.
5 – Mas não aches que esta dádiva te foi outorgada por algum merecimento teu. Não, Eu, somente Eu te amo independente de qualquer mérito ou serviço teu, somente porque tu Me amas, mesmo se às vezes estás um pouco enamorada, e isto é uma santificação especial de teu coraçãozinho. Porque como seria possível que um coração não-santo pudesse Me amar, a Mim, que sou o mais santo de todos? Mas se alguém Me ama, a Mim, o Santo, como seria possível que este coração permanecesse “não-santo”?
6 – Pois bem, teu coraçãozinho está totalmente santificado, porque ele Me ama. Como, em contrapartida, Eu amo este coração cada vez mais e com isto deixo fluir mais e mais Amor para seu interior, então este órgão não é somente “santificado”; não, ele próprio é santo, pois Eu, o Santo, não posso morar em nada que não seja santo.
7 – Continua a Me amar sempre cheia de alegria e confiança, e poderás festejar um aniversário bem mais elevado do que este, que é o do teu corpo.
8 – Mas deves te desfazer de tantas coisinhas inúteis e mundanas, tua fixação pela limpeza de teu quarto, a tentação de usar rapé e outras coisas com tua vestimenta. Isto não te faz bem.
9 – Usa roupas limpas, simples e bonitas, que espelharão tua alma. Não uses roupas muito armadas, pois elas não são bonitas nem confortáveis. Às vezes afastam a roupa do corpo de tal maneira, que o ar pode fazer com que o suor da pele se retraia, endureça nos vasos e cause um sem fim de doenças reumáticas.
10 – Joga fora tudo o que é inútil, e assim tua alma estará mais livre para trabalhar com o espírito. Às vezes deves deixar de ser “Marta” (a irmã de Lázaro que era uma superdona-de-casa, o que lhe valeu críticas de Jesus), pois isto às vezes te coloca em situações desagradáveis, e sem esta carga poderás prosseguir muito mais livremente no caminho da Vida, o que deve ser o único destino do ser humano.

11 – Não deves te preocupar demais e também não te zangues nem te ofendas com coisas da vida terrena, mas sim coloca tudo o que te atinge e tudo o que desejas em Minhas Mãos, só assim poderei dar tudo aquilo que teu coração pede (sendo bom para tua evolução espiritual). Deves seguir mui cuidadosamente os conselhos que te dei.


12 – Bem, Minha querida filha, acolhe com estes Meus conselhos também Minha Bênção em teu coração, e este te confirmará o Meu Amor por ti, no mundo e eternamente. Amém. Quem fala é o Pai verdadeiro e único. Amém.

João na capela – Explicação de um sonho

Recebido por Jacob Lorber, em 19 de setembro de 1850



Na noite de 17 de setembro de 1850, eu sonhei com uma capela, e na sua parte dianteira o Menino Jesus, rodeado de anjinhos, flutuava e os olhava com amor. Estes, por sua vez, elevavam seus olhos para o Menino, cheios de adoração. De repente, todas estas estátuas de pedra branca, obras de arte extremamente primorosas, começaram a se mover, e um deles, que se encontrava na parte central, exclamou: “Eu sou João Batista!”. Eu comentei com um amigo que estava ao meu lado: “Veja, aqui temos um verdadeiro milagre”. Neste momento acordei, lamentando que o milagre não passava de um sonho. Anselmo Huttenbrenner

1 – Meu querido irmão. O sonho de ontem da linda capela é de fato de grande significado para ti, para o mundo, para esta época e para todos os seres humanos.


2 – A capela representa o homem físico na sua posição religiosa.
3 – A capela está toda enfeitada com estátuas no seu interior que representam figuras de vários espíritos humanos bem-aventurados e, acima de tudo, até a Minha figura – mas, de fato, tudo é morto. Assim são as pessoas religiosas de igrejas de vários conceitos. O homem religioso acredita neles e admira a sua beleza, mas como não os assume em sua vida, então eles são iguais às estátuas: lindas, brilhantes, todas iluminadas, mas mortas.
4 – Mas cada pessoa tem uma consciência por Mim dada, que é o mesmo que João Batista. Quando todos os outros conceitos, aptidões, ensinamentos estão como mortos, adormecidos, e a consciência acorda e se faz anunciar.
5 – Com isto, muitas vezes estes conceitos são assumidos por aquele que frequenta a igreja, observa tal fenômeno, se arrepende e melhora; então tudo na sua capela vai acordar para a vida.
6 – Mas se o homem não fizer nada disto e deixar que João Batista não passe de “um homem bom”, então ele volta a ser uma estátua, e tudo na capela fica novamente “morto”.
7 – Isto serve, como já disse no começo, para todo o mundo, para esta época, para ti e para todas as pessoas. O João está em casa, em todos os lugares e bem oculto nos sentimentos religiosos de cada pessoa.
8 – Quem dirigir seus olhos ativamente para este João, a esta pessoa João será de enorme utilidade. Mas aquele que desconsiderar o “tornar-se vivo de João” e não escutar o seu apelo, mas somente os alegres apelos do mundo, a este a capela não trará nenhum fruto.
9 – Em resumo, este é o significado de teu sonho. Observa bem, que viverás. Amém.


1   ...   48   49   50   51   52   53   54   55   56


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal