Palavras de agradecimento do servo


Recebido por Jacob Lorber, em 14 de março de 1847



Baixar 2.41 Mb.
Página47/56
Encontro11.06.2018
Tamanho2.41 Mb.
1   ...   43   44   45   46   47   48   49   50   ...   56

Recebido por Jacob Lorber, em 14 de março de 1847

1 – Gosto de dar de beber do poço da água da vida àqueles que estão sedentos pela mesma. O médico também só existe para os doentes e fracos, pois os fortes e sadios não necessitam de médicos.


2 – Ouve, bem, Minha pequena menina. Se quiseres tirar cargas tolas de teu coração infantil, então deves usar toda a severidade possível. Pois vê, os “pretos” não se afastam com tanta facilidade quanto os “brancos”. Quer dizer, os pensamentos tenebrosos e desobedientes ficam grudados no coração com muita força, o escurecem e encontram a saída com grande dificuldade, pelo fato de escurecerem o coração. Os pensamentos iluminados saem do mesmo imediatamente, pois são luzes que iluminam cada cantinho e encontram o caminho da saída facilmente, especialmente se a companhia dos “pretos” lhes desagradar.
3 – O coração humano é um paraíso para os pensamentos negros. Mas para os pensamentos luminosos e divinos é um inferno, especialmente se o coração estiver entupido com toda sorte das vaidades humanas.
4 – Queres, tu, Minha Filha, limpar teu coração, para que os espíritos divinos tenham prazer e lá resolvam morar para sempre? Tu, como boa hospedeira, tens que expulsar de tua casa todo tipo de gentalha tola, preguiçosa, inútil. Sim, deveis expulsá-la com violência. Logo a seguir limpar cuidadosamente cada canto de tua “casa”, o coração, para que ela seja de agrado dos novos hóspedes divinos que desejem lá criar um lar, onde permanecerão para sempre.
5 – Evita de todo jeito aproximar-te daquilo que enche teu coração de trevas. Mas quando este te visitar, este que te é muito danoso, te mantém afastada de sua companhia, tanto de coração como fisicamente. Em pouco tempo ele ficará afastado. Pois ele, quando vem, vem só por tua causa, todo o resto é subterfúgio.
6 – Eu acho, Minha querida Filha, que isto é um conselho curto e grosso. Segue-o então, com firmeza, num coração firme e definido e logo estarás como uma garota boa deve ser e estar.
7 – Pois vê, uma garota verdadeira e decidida Me é muito mais querida, do que milhares de freiras católicas.
8 – Age assim, Minha Filha querida. Eu sempre estarei ao teu lado e te ajudarei eternamente. Amém.

Para o dia da maioridade

Recebido por Jacob Lorber, em 28 de março de 1847


1 – Escreve esta mensagem para Minha filhinha que hoje chegou ao que se convencionou chamar “maioridade”, o que, claro, é totalmente errado; pois uma garota tão logo chega à puberdade já é uma mulher apta para procriar e, como consequência, maior de idade fisicamente. Mas enquanto não chegar ao renascimento espiritual, com certeza ficará “menor de idade” por toda a eternidade.


2 – Assim esta nossa filha, já é maior por muitos anos, mas ainda é extremamente menor espiritualmente.
3 - Seria de bom alvitre desejar-lhe neste seu 25º aniversário físico que ela se esmerasse ao máximo para assistir a verdadeira escola da vida, para conseguir obter a verdadeira maioridade do espírito. Pois esta depende do desejo voluntário do coração e não do desenvolvimento físico, como é a maioridade física. A idade material depende dos anos que está na Terra, enquanto que a outra, a verdadeira, depende unicamente do esforço e empenho no coração.
4 – Este empenho exige que tenhais a verdadeira fé na Minha Palavra. Este é o ABC do livro da vida!
5 – O atuar de acordo com a verdadeira fé é o soletrar.
6 – Atuar com o intuito de conseguir o Verdadeiro Amor e viver de acordo com estes atos e ensinamentos é a leitura do livro de vida.
7 – Com esta leitura chegamos à luz espiritual e graça divina. Deus, porém, liberta o espírito, para que ele se una ao Espírito Santo pela Graça Celestial.
8 – Nesta união conseguimos então a sabedoria, e nela o verdadeiro Amor Divino, e com ele a vida eterna. E isto é a verdadeira “maioridade do espírito”, pela qual esta nossa filha deve aspirar com todo seu ser.
9 – Mas isto está sendo um pouco difícil para ela, pois ela é um pouco teimosa no tempo espiritual de seu coração. Ela está mais atenta agora, e seu coração está mais aberto para aceitar a fé. Estou vendo alguma evolução nesta filhinha. Mas ela evolui tão lentamente, como um recife de corais cresce.
10 – Deve então unir-se mais ao coração, para crescer diariamente. Assim ela em breve alcançará o verdadeiro dia da Vida.
11 – Eu sei que ela deseja se tornar mulher, esposa e mãe. Isto lhe será outorgado, tão logo ela ficar mais esperta. Mas ela deve considerar que seu espírito é muito mais valioso que um homem. Ela deve pensar mais na evolução de seu espírito do que num homem, e só assim ela conseguirá um bom companheiro. Pois o que um coração cheio de fé deseja e quer, lhe será outorgado.
12 – Mas um coração sábio e compreensivo procure em primeiro lugar o Reino de Deus e Sua Justiça em si mesmo, e todo o resto lhe será dado de graça.
13 – Que esta lição te leve a procurar combater o mundano de teu coração, e logo te encontrarás com o que estás ávido de comer e beber.
14 – Que Minha Misericórdia, Minha Graça, Minha Bênção e especialmente todo Meu Amor, sejam céus por toda a eternidade. Amém. Isto Eu, teu Santo Pai Jesus, desejo para ti, pois conheço teu coração por eternidades. Amém.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx



A força da fé

Recebido por Jacob Lorber, em 02 de abril de 1847


1 – Na fé está a grande promessa e a ressurreição. Eu ressuscitei com as Minhas forças e poder próprio. É assim que todos ressuscitarão, pela força da fé que existir em cada um e conforme sua a fé se apoderou Daquele que é a própria Vida. Pois a fé tem vida própria e não precisa que alguém a ressuscite da morte, pois a fé é o despertador para a Vida em todo aquele que a possuir.


2 – E é assim que cada um viverá e deverá viver de acordo com sua fé. Pois a fé é o corpo do Amor, ela é a verdadeira alma ou a inteligência do ser.
3 – O Amor é o espírito eterno que está neste corpo. E no momento que o “corpo da fé” existir, construído por Aquele que foi, é e será a vida eterna, como seria possível que ela estivesse sem amor, sem espírito, ela que se originou no Amor que é a Vida.
4 – Aquele que acreditar Naquele que veio, vem e virá da eternidade, como sendo a verdadeira Vida originaria em Deus, o próprio Deus, alfa e ômega, o princípio e o fim, o sem princípio e o sem fim, este já tem a vida eterna em si.
5 – Ninguém consegue viver, nem temporariamente nem eternamente, sem uma crença. Se a crença for tola, assim será a vida. Estando a crença em julgamento, assim estará a vida. Quem estiver amarrado, este também o estará na vida, a não ser que o Espírito o liberte.
6 – Por isto tende uma fé verdadeira em Mim, Eu, que sou a Vida e a Ressurreição, e assim ressuscitareis em vossa fé e de acordo com a mesma vivereis eternamente. Amém.
7 – Isto fala Aquele que é a própria Vida e Ressurreição. Amém. Amém. Amém.
Fome como um açoite
Recebido por Jacob Lorber, em 11 de abril de 1847




  1. Escreve. Eu não preciso de nenhuma interpelação. Eu já sei o que falta aos irlandeses. A este povo falta tudo, por isto este açoite, que é sempre melhor que a morte eterna. Quando uma pequena explicação bastar aos sábios, tu também terias que te bastar com isto, mas por causa dos irmãos, darei mais um pouco.




  1. Quando Eu digo que a este povo tudo falta, quero dizer que primeiro este povo não possui a Deus, a não ser ídolos cegos da terra dos celtas e o deus Mammon (dinheiro). Os ídolos estão nas casas de orações e não podem ajudar, pois são mortos e nada valem, pois seu material é ruim e sem valor. O Mammon (dinheiro), porém, se encontra nas mãos dos usurários e na caixa do “Repeal” (Repeal é a caixa do grupo de guerrilheiros de O’Connel), que está composta de ávidos de poder e posições de destaque. Isto será uma rubrica bem horrorosa, para assinar as consignações que faltam ao pobre povo.




  1. Em segundo lugar falta ao povo pessoas comuns, e isto também é uma rubrica bem poderosa. O’Donnel (que faleceu na sua viagem para Roma, em maio de 1847) era o seu melhor homem e assim mesmo não valia um centavo furado. Que podemos esperar dos outros elementos que estão com eles, no seu meio, ou que são seus subordinados, e mesmo o que podemos esperar do povo em si? O’Donnel partiu (para a viagem) e os outros morreram. O melhor será que todos acabem logo... Sorte para esta viagem sem Deus, sem pessoas e sem “dinheiro” para o outro mundo.




  1. O povo pode negociar o quanto quiser, mas as consequências estão em Minhas Mãos. Jogai para o alto tantas pedras quanto desejardes, mas para que elas caiam novamente, esta é Minha tarefa.




  1. Em terceiro lugar este povo não tem leis, e se algumas por acaso existirem, tanto civis como religiosas, ele não as obedece e na maioria das vezes as desconhece por completo. Em vez disto, possui uma grande quantidade de usurários e um contingente militar enorme. E a benção de tudo isto é a fome e a miséria.




  1. Quando este povo conseguiu boas colheitas com as batatas (pommes de Terre), ele não mais sabia o que fazer com as mesmas: cachaça, licores, farinhas, amidos, cerveja e uma infinidade de produtos industrializados. Eu, porém, lhe tinha dado este produto como um simples alimento, que mesmo o mais pobre pudesse preparar para si. Mas já que este “pão da Terra” para os pobres começou a se tornar um artigo industrializado de luxo para enriquecer cada vez mais os já ricos, então acabei de vez com este suposto alimento para os pobres.




  1. Assim mesmo havia bastante comida e dinheiro para o bem estar dos pobres, se não existisse a lei da propriedade das terras (uma lei que coloca a maioria da terra produtiva na mão de uns poucos usurários. Esta lei deve ser mantida em vigor, mesmo que com ela centenas de pessoas tenham que morrer de fome e miséria! Fazei isto! Continuai a proteger as propriedades dos latifundiários, colocai mesmo guardas em sua volta para protegê-las, permiti que milhares de pessoas morram de fome e miséria. Continuai assim, que vosso prêmio vos aguarda no mais tenebroso inferno! Maldito seja o usurário, como também as leis que o protegem!




  1. Eu, porém, vos digo: Pendurai uma pedra bem pesada no pescoço do usurário e jogai-o no mar, no local onde for bem profundo. Quando alguém mata alguém, vós o condenais à morte; porém quando um usurário condena milhares de pessoas à morte por inanição, somente para satisfazer cada vez mais sua inesgotável avidez por dinheiro e poder, para este não há leis. Então vós mereceis todos morrer de fome. Continuai assim com vossa justiça, que o mundo ficará cada vez melhor aqui nesta Terra!




  1. Eu acho que agora já basta. Vós já entendeis o motivo de tanta miséria na Irlanda.




  1. Eu, porém, vos digo: Se o mesmo acontecer em algum outro lugar, como está acontecendo agora na Irlanda, então sua sorte será ainda pior do que a dos irlandeses, pois não existe escola melhor para os homens do que a miséria. Isto vos diz Aquele que conhece todos os povos da Terra. Amém.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx



A verdadeira “Santa Ceia”


1   ...   43   44   45   46   47   48   49   50   ...   56


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal