Palavras de agradecimento do servo



Baixar 2.41 Mb.
Página46/56
Encontro11.06.2018
Tamanho2.41 Mb.
1   ...   42   43   44   45   46   47   48   49   ...   56

Para as bodas de prata


Recebido por Jacob Lorber 10 de dezembro de 1846

1 – Escreve uma palavrinha, a fim de que teu e Meu amigo fale bem da festa que seus familiares lhe oferecem num momento de tanta alegria e felicidade.


2 – Eu de fato não tenho prazer algum nas festas que as pessoas celebram (exteriormente) aqui na Terra. Mas se acontecerem raramente entre pessoas que Me levam em seus corações, Eu certamente terei muita alegria em assisti-las, tal como aconteceu nas bodas de Canaã, na Galileia, onde transformei água em vinho, a água do mundo no vinho vivificante do espírito.
3 – Não deixei de fazer isto com nossos amigos e o demonstrei mandando-te, a ti (Jacob Lorber), para a casa dele e assim entrei visivelmente naquela casa. E a acolhida que tu recebeste é idêntica à que Eu recebi e fiquei, mas fisicamente, o que é compreensível para o que está no evangelho.
4 – Quem Me reconhece em sua fé e atua de acordo com as Minhas Palavras, este Me aceita em espírito, e Eu estou em espírito junto a ele. Mas aquele que receber um irmão em Meu Nome, este Me receberá em corpo e alma neste irmão.
5 – O irmão que foi aceito, então, não é mais aquele que sua forma externa representa, mas sim neste irmão estou Eu em pessoa e em todo o esplendor de Meu Amor, Graça e Misericórdia. No amor Eu Me encontro, pois foi recebido com os corações abertos, e na misericórdia também estou, pois não só um irmão, mas vários foram recebidos para satisfazerem sua fome.
6 – Se alguém achar que pode dizer: “Como este irmão que foi recebido com tanto carinho é uma pessoa fraca, pecadora e mortal, como é que a presença física de Jesus combinaria com um irmão tão pecador?”, Eu então digo: “Como foi que Minha Presença combinou com a casa de Zaqueu?”.
7 – A combinação foi porque um médico só se encontra na presença dos enfermos e não na dos sadios, pois são os primeiros que precisam dele.
8 – Como é possível que um pecador consiga ser Meu servo, se Eu não estou com e nele? Se Eu escolhesse somente sadios (não pecadores) para serem Meus servos, perguntai-vos onde na Terra Eu encontraria um?
9 – Porque não deveis olhar o irmão pelo prisma de seus pecados, mas sim o olhai pelo que necessita, pois somente assim encontrareis em cada pecador uma “casa de Zaqueu” onde Eu gosto de visitar, onde Eu almoço a mesa do pecador.
10 – Certa feita disse o pai: - Tendes razão, meus filhos, mas sabeis o que devo fazer? Em primeiro lugar, certa moderação; em segundo lugar, paciência. Jamais colher frutos antes que estes estejam completamente maduros e neste caso somente o suficiente para satisfazer sua necessidade. Então, quando colhermos frutos novamente, vamos observar bem estas regras e tudo vos dará uma grande satisfação.
11 – Quando chegaram à segunda colheita, estas regras do dono do pomar foram obedecidas. Todas as frutas foram de sabor delicioso, tanto para os filhos como para os servidores. O mesmo aconteceu na terceira colheita.
12 – Mas quando a última colheita se aproximou, os filhos e servidores falaram ao pai: - Vê os dias estão esfriando e as últimas frutas estão fartas nas árvores e têm um lindo aspecto, mas tão logo a mordemos a cica se apresenta e repucha nossas bocas e nos deixa completamente sem vontade de comer uma outra fruta. Que devemos fazer neste caso?
13 – O dono da casa retrucou: - Bem, então o ciclo se fechou. Eu sei que esta última colheita não conseguirá chegar à maturidade nas árvores, pois a luz e o calor já diminuíram muito e as noites ficaram longas, os dias curtos e frios. Mas não vamos deixar estas frutas tardias nas árvores para serem destruídos pelo rigor do inverno. Ide, trazei diversos potes para as diferentes frutas e colhei estas frutas tardias com muito cuidado. Vamos estocar estas frutas em locais aquecidos e protegidos, e vereis que elas serão melhores que todas as três colheitas anteriores, as que com o calor do verão já adquiriam a maturidade total nas árvores.
14 – Os filhos e servidores assim fizeram. E tudo estava em ordem. Quando o inverno chegou, só encontrou ramagem nas árvores, mas nenhuma fruta para matar.
15 – Meditai em vossos corações sobre o sentido desta história e vereis na natureza o exemplo da organização divina.
16 – Mas não vos precipiteis em tirar conclusões. Não se corta uma árvore com um só golpe de machado. Meditai com calma e mais tarde vos darei mais explicações. Amém.
Palavras do Senhor

Recebido por Jacob Lorber, em 16 de dezembro de 1846



Algumas palavras do Senhor que não se encontram em nenhuma dos quatro evangelhos, mas usadas pelo mesmo com muita frequência:

1 – Dar é mais prazeroso que receber.


2 – Vamos todos ser inimigos do Ser Perverso e lutar contra o mesmo.
3 – Todos aqueles que Me querem conhecer e almejam tomar parte do Meu Reino devem Me aceitar, apesar das aflições e dos sofrimentos.
4 – Mesmo que Eu já vos visse como companheiros de Minha mesa e amigos do peito, mas vós não quisésseis observar Minhas prescrições, Eu vos mandaria embora: “Afastai-vos de Mim! Vós não tendes nenhuma importância para Mim, vós, corruptos viciosos!”  Eu diria.
5 – O Senhor uma vez disse a Pedro: “Vós sereis como cordeiros entre os lobos.” A isto Pedro respondeu: “Como será quando os lobos despedaçarem aos cordeiros?” Ao que o Senhor lhe respondeu: “Mas os cordeiros, ao estarem mortos, não mais terão que temer os lobos. Da mesma maneira vós não podeis temer aqueles que vos matam, pois nada mais de mal vos pode acrescentar. Vós, porém, temei muito não aquele que poderá matar vosso corpo, mas sim aquele que poderá jogar vossa alma no inferno”.
6 – Mantende vosso corpo puro e o lacre (do batismo ou do Espírito) intacto, para que sempre possuais a vida eterna.
7 – Sede cambistas espertos e tornai-vos usurários com Meus Talentos.
8 – Da mesma maneira que Eu vou vos encontrar no futuro, assim Eu vos julgarei.
9 – Pedi por algo bem grande e recebereis o pequeno de graça, ou melhor: Pedi pelo celestial e ainda vos será dado todo o material.
10 – Por causa dos fracos Eu sou fraco, pelos famintos Eu estou faminto e pelos sedentos Eu tenho sede.
11 – Quem souber dar o devido valor obterá uma importante tarefa no Reino de Deus. E aquele que a realizar com capacidade, este encontrará a paz verdadeira.
12 – Nunca tereis mais razão para vos alegrardes, do que quando virdes um vosso irmão realizar com zelo sua tarefa (isto o Senhor disse muitas vezes a Seus discípulos).
13 – Alguém perguntou ao Senhor quando o Reino dos Céus chegaria, ao que Ele respondeu: “Quando o exterior e o interior se tornarem unos”.

14 – Salomé, na sua inocência, perguntou uma vez ao Senhor: “Por quanto tempo os seres humanos ainda terão que morrer na Terra?”. O Senhor disse: “Enquanto eles ainda nascerem”. Aí Salomé se deu o mérito de não ter procriado ninguém, ao que o Senhor acrescentou: “Come as ervas que tu gostas, mas deixa de lado as amargas.” – assim diz o velho ditado.


15 – Uma vez o Senhor disse: “E vim para destruir as obras da mulher”. Ao ser perguntado pelo significado destas palavras, Ele disse: “As obras da mulher são os desejos sensuais. E tudo o que eles criam, seus efeitos: o nascimento (na carne) e a morte; tudo isto Eu irei revelar no fim”.
16 – Ai daqueles que aceitam algo que lhes é dado como se eles mesmos já não o possuíssem ou não conhecessem alguma coisa, mas assim mesmo o querem tomar de um outro. Mas muito mais ai daqueles que muito possuem, mas assim mesmo nada desejam dar aos que nada possuem.
17 – Uma vez o Senhor disse aos discípulos: “Tal como o filho do homem não veio por muitos, mas sim somente por aqueles que ouvem Suas Palavras e vivem de acordo com as mesmas, Eu não vos envio para muitos, mas sim para aqueles que vos receberem e vos ouvirem”.
18 – Aquele que desejar as alturas receberá as baixias. Mas aquele que desejar o mais baixo, àquele será outorgado o posto mais alto.
19 – Se vós não vos preocupais pelos menores, quem vos confiará as grandezas?
20 – Finalmente o Senhor disse aos discípulos: “Ficai em Jerusalém por doze anos. Se algum dos israelitas desejar se converter, Me aceitando como o Messias e acreditando em Deus, a este serão perdoados todos os pecados. Após doze anos, ide com este convite a todas as nações e povos, para que ninguém possa dizer que não conhecia a Mensagem”.
21 – Faz tempo alguém falou um discurso muito sensato na frente do Senhor. Ao terminar, o Senhor disse: “Faz tempo que Eu desejava ouvir algo igual, e nunca Me foi tão agradável ouvir”.
A mulher do Sol

Recebido por Jacob Lorber, em 21 de dezembro de 1846


Explicações para as revelações de João cap. 12- versículo. 1.2.5:

1) Apareceu em seguida um grande sinal no céu: uma mulher revestida do Sol, com a lua debaixo de seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas. 2) Estava grávida e gritava de dores, sentindo as angústias de dar a luz. 3) Ela deu a luz a um filho, um menino, aquele que deve reger todas as nações com cetro de ferro. Mas seu filho foi arrebatado para junto de Deus e de seu trono.
1 – Mas amigos, não entender algo tão claro e fácil; isto que vos toca tão de perto e está tão claramente ante vossos olhos... Onde vosso espírito colocou vossa razão? Para onde é que está focalizado?
2 – Se alguém à noite perguntar: Onde será que está o Sol agora? Então a pergunta terá um pouquinho de razão. Mas perguntar pela posição do Sol de dia, isto não significa estar cego, ou então com os olhos fechados ou vendados e querer brincar com o Sol o jogo da “cabra cega?”
3 – O que será a “mulher” que aparece no céu vestida de Sol? A mulher é a nobre visão de uma pessoa que não tem o poder de procriar, mas que está apta para receber a procriação. Bem, então a mulher não é uma criatura do ser humano.
4 – Assim também são Meus ensinamentos, os que com certeza aparecem nos céus mais perfeitos, porque eles estão em Mim e se originam em Mim e se espalham começando em Mim. Eles se assemelham ao homem espiritual tanto como a mulher, por si só incapaz de procriar, mas sim capacitado e receptivo a tudo o que é bom e cheio de amor, como é o amor puro de Deus e a vida eterna que se origina em Mim. A vida espiritual do Amor Divino é a “criança” pela qual Meus ensinamentos são frutificados no coração dos homens.
5 – Claro que aqui estamos falando do Meu mais puro e verdadeiro ensinamento e as palavras são uma mulher completamente perfeita e celestial – nada de palavras enganosas e nenhuma mulher-macaco. Que esta mulher perfeita, ou melhor dito, Meus ensinamentos puros, está vestida pelo Sol, ou pela Minha luz de todas as Luzes, o que acontece porque ela vem de Mim e isto é muito natural.
6 – Assim, esta mulher celestial perfeita, ou Meus ensinamentos, só está capacitada a receber o Amor Celestial e Divino que vem de Mim; então ela pisa a Lua (símbolo do amor próprio e mundano), pois é a polaridade totalmente oposta ao seu ser, para que consiga vos falar um pouco como vossa educadora.
7 – E ela também está enfeitada com “doze estrelas”, com os dez mandamentos de Moisés e os dois mandamentos do Amor (a Deus e ao próximo); não com os doze apóstolos ou com as doze tribos de Israel, mas sim, como já dito, pelos dez mandamentos de Moisés e mais os dois mandamentos do Amor.
8 – A “mulher” ou o ensinamento atuante que se origina de Mim no homem, fica ou já está “grávida”. Como? Jamais ouvistes falar do renascimento? Não se diz lá: “Aquele que não renascer no espírito, não poderá entrar no Reino de Deus.” ?

9 – Vede, a “criança” da qual a mulher está grávida, é o mais puro amor divino, o qual, pela sua abnegação diversa, causa muitas dores ao homem material, até que este amor divino amadureça pelo ensinamento no espírito do homem, para o maravilhoso renascimento e para a vida eterna.


10 – A “criança”, porém, é um “menino”. Por que não uma menina, uma mulher no gênesis? Porque neste amor há o poder de procriar, como o há no homem e não na mulher, e assim então deve ser.
11 – Esta criança, ou melhor, o Amor Divino que se originou nos Meus ensinamentos no espírito do homem, dominará com o “cetro de ferro” a todos os povos ou a todas as pessoas que têm o mundo e a matéria em seus corações. Como consequência, por ser a Vida que se origina em Mim, arrebatará o espírito dos homens. E com a inclinação que sentem por Mim, criará a felicidade deles junto ao “Meu trono”, que é de fato a verdadeira sabedoria que emana de Mim pela eternidade.
12 – Vede, esta é a explicação destes versos tão fáceis de entender. Tudo, porém, deve ser examinado à luz dessa luz verdadeira, pois se assim não for, com o passar do tempo a penumbra levará os dirigentes para aos mais tenebrosos pântanos e lamaçais.
13 – Que isto seja bem observado e aprendido. Amém.

Bênção do lar

Recebido por Jacob Lorber, em 01 de janeiro de 1847

1 – Escreve, pois, Meu servo, pois desejo dar uma pequena bênção para os lares dos que com tanto afinco Me procuraram e ainda Me procuram, Me amaram e ainda Me amam, nos Meus irmãos e irmãs pobres que Me são tão importantes.
2 – Este é um desejo muito especial para todos vós que fostes Meus e ainda o sois, se assim for de vossa vontade: que todos vós tenhais uma alegria muito especial e que com prazer repartais vossos tantos alimentos com eles. Quanto mais miseráveis e andrajosos sejam, tanto mais caros aos vossos corações devem estar, pois eles Me são bem mais dignos de amor, que aqueles que têm um pouquinho a mais.
3 – Jamais pergunteis aos pobres, antes de dar-lhes algo: “Porque chegastes a este estado? Porque não economizastes no momento que ainda vos era possível? Porque não trabalhastes?” ; ou então: “Porque, já que desde o começo, quando tuas posses já eram bem reduzidas, ainda tomastes uma esposa e tivestes filhos, apesar da tua miséria?”, ou outras perguntas similares.
4 – Em verdade, quem assim agir, este estará exigindo de Mim uma prestação de contas de Meu gerenciamento doméstico. Mas aquele que exigir uma prestação de contas de Mim e Me julgar pelos Meus pobres, deste Eu, como Deus todo poderoso e Senhor da Vida e da Morte, exigirei contas tão severas, que nem o mais puro anjo conseguirá responder, quanto mais um juiz mundano tão miserável, que se arvora o poder de julgar e questionar os pobres antes de ter-lhes dado algo.
5 – Enquanto ainda tiverdes pobres, tanto tempo ainda Me tendes e à minha Bênção. Mas quando estes vos abandonarem, então a peste dos infernos se abaterá sobre vós, e vos destruirá pela eternidade. Não consta na Santa Escritura: “Vende tudo o que possuis, distribui entre os pobres e segue-Me; assim terás adquirido tesouros no céu.” ?

A anestesia com aplicação do éter

Recebido por Jacob Lorber, em 28 de fevereiro de 1847


1 – O tal éter sulfúrico é de fato o mais puro espírito do vinho; de enxofre, não possui o mínimo átomo. Pois o que há de enxofre volátil no preparo do éter sulfúrico se une ao vapor de água que ainda existe no vinho das frutas e depois cai de volta ao ácido de enxofre, como um líquido ácido.
2 – O vinho puro ou éter de frutas vai então como um líquido suave e puro, para unir-se à base já existente. Este, então, é o chamado éter sulfúrico.
3 – Todo tipo de éter, sendo um líquido espiritual específico, atua como anestesiante do sistema nervoso. Assim acontece com o vinho, a cerveja, a cachaça, etc, pois nestes líquidos a específica espiritual se encontra em estado mais livre e solta do que na água e noutras bebidas não destiladas e fermentadas. Mas no éter puro, esta específica espiritual já se encontra em estado quase que totalmente livre e só podem ser contida num recipiente hermeticamente fechado. Se este éter for colocado em contato com o interior do organismo, pela respiração, num organismo onde exista um espírito dos nervos, ele será apoderado avidamente pelos seus neurônios similares e usados nas moléculas nervosas.
4 – Mas quando estas moléculas tiverem sido fartas (com o éter), de uma forma inesperada elas começam a inchar feito um balão de gás e devido a este estado são incapazes de qualquer reação, tanto por estímulos externos ou internos, e assim estão totalmente anestesiados.
5 – Já que o neurônio está completamente inerte para o corpo, devido à hiperfartura das moléculas nervosas que assim cortaram todo tipo de contato entre as mesmas, a alma se liberta. Ao acontecer, ela se encontra, enquanto os nervos estão anestesiados, no mundo dos espíritos e na esfera idêntica em que o coração do anestesiado está.
6 – Se o estado do anestesiado for bom, a alma se encontrará num local agradável, cheia de felicidade e paz. Mas se os sentimentos do anestesiado forem maus, então sua alma, no período da anestesia, se encontrará num local desagradável, correspondente ao estado de seu coração.
7 – Mas a alma e o espírito dos nervos ainda se encontram ligados como durante o sono. O anestesiado se lembra do que viu enquanto estava no mundo espiritual, mas não sabe nada do que aconteceu com o seu corpo.
8 – Quando uma alma em um estado de sonambulismo ou de sonho, nestes casos ela sai, enquanto o espírito fica com os nervos (que morreriam se assim não fosse, pois precisam de seu alimento, cuja falta significaria morte total do corpo).
9 – Na anestesia com éter sulfúrico, substituto dos alimentos (como no sono natural, quando os nervos se alimentam do éter do estômago proveniente das comidas), os neurônios podem se tornar totalmente livres e se colocar completamente a serviço do espírito, o que explica as lembranças que se tem ao retornar da anestesia. A alma se lembra de tudo que viu no mundo dos espíritos.
10 – Nisto está à diferença entre o sono da anestesia e o sono do magnetismo, pois neste último a alma pode observar seu corpo a uma certa distância, o espírito dos nervos ainda está em contato com o corpo; mas na anestesia do éter tanto a alma como o espírito se encontram desligados do mesmo.
11 – Os efeitos posteriores da anestesia acontecem com algumas pessoas aprisionadas. Estas desejam intensamente sua liberdade e quando conseguem escapar do cárcere por algum buraco qualquer, mas são recapturados, aí elas terão um desejo muitíssimo maior de escapar da prisão o mais rápido possível.
12 – Este desejo é plantado na alma pela anestesia. Assim, algumas pessoas começam a apresentar sintomas de “fuga da alma” tendo convulsões diversas. Isto acontece mais vezes em pessoas de nervos fortes; não quer dizer que os de nervos fracos também não sofrerão disto. Para curar este estado, pode-se usar o hipnotismo ou então a aposição das mãos, acompanhadas por orações e jejum.
13 – Isto é para acalmar-vos pelos passos de vossa ciência e para que entendais o funcionamento benéfico do éter sulfúrico.
14 – Onde Eu Me encontro, o pior veneno do inferno nada pode fazer, muito menos este éter, o qual é naturalmente bom e útil para um uso adequado. Amém.
A garota que veio das estrelas

Recebido por Jacob Lorber, em 07 de março de 1847


1 – Sim, sim, escreve, pois Eu desejo vos contar algo bom. Mas nós todos devemos estar bem unidos e atentos. Esta garota é extremamente sensível e de pavio curto, se não lhe dizem coisas lindas, agradáveis e em palavras claras. Ela já leu muitos clássicos, está em pleno conhecimento da gramática e gosta mais do “meio-passado” do pretérito passado. Ela gosta de assuntos sábios, especialmente cósmicos.


2 – Temos que ser cuidadosos com estes assuntos, se desejarmos agradar-lhe com nossas palavras. Vamos, pois, escrever com inteligência, moderação, um pouco picante e engraçado, senão ela não terá nenhum agrado conosco. Vamos ao assunto.
3 – Uma vez vivia na Terra uma menina com o coração tão enfeitado, como o conjunto de estrelas que enfeita Orion. À noite, ela suspirava e chorava no sono. Mas durante o dia era vista alegre, rindo e brincando com todas as estrelas do firmamento, as quais ela só conseguia ver de dia. De noite o céu não lhe mostrava nenhuma estrelinha, e o sono era sem sonhos a noite toda.
4 – O dia então se lhe tornava pura magia, pois ele dava, a esta garota estranha, tudo aquilo que a noite (a mãe que alimenta a Terra) dá aos que estão sonhando. Advinha, pois, tu, querida filhinha  tu que vens do núcleo das estrelas, onde nenhuma noite cai nos campos poeirentos dos mundos luminosos  quem é esta garota que só vê estrelas de dia?
5 – Eu sei que não responderás facilmente esta pergunta. Mas mesmo assim tive que fazê-la, para mostrar-te duramente o manto da sabedoria e como com ele torna difícil iluminar o coração que plantas mundanas já plantaram suas raízes.
6 – Mas terás que conhecer esta garota estranha, pois ela se encontra muito mais perto de ti do que imaginas. Eu, pois, te darei a resposta. Ouve com atenção, tu, filha das estrelas. A garota estranha é o Amor Divino no coração dos homens, é o Espírito, o ser eternamente vivo que se originou em Mim.
7 – Este espírito originariamente vivia no ser humano em sua totalidade e tecia no coração o tecido brilhante para a vida eterna. Isto era para esta garota estranha um dia maravilhoso. Mas agora chegou a noite e ela suspira violentamente. Logo sons tenebrosos se apoderarão dela, e então ela chorará, a garota estranha no sono tenebroso da vida.
8 – Por isto, Minha querida filhinha, trata de avistar cada vez mais esta garotinha estranha neste teu coração tão educado. Só assim terás a felicidade de possuir um dia feliz em teu coração e estarás sempre alegre e sorridente.
9 – Estes são os desejos de teu Pai, teu Santo Pai, para o dia eterno do renascimento eterno do Espírito do Amor e da Verdade, por toda eternidade. Amém.
Exortação para o amor e a paciência

Recebido por Jacob Lorber, em 14 de março de 1847


1 – Queridos amigos, irmãos e filhos! Eu, vosso Deus, Pai, mestre e irmão, Eu, vosso professor e líder, vos comunico que fico muito feliz quando vós vos reunis em Meu Nome e conversais coisas boas sobre Mim e sobre o amor ao próximo. Pois conversas sadias como as vossas alegram ao espírito e causam prazer à alma, e isto é muito bom. Pois vós todos deveis sempre estar alegres em Meu Nome e fortalecer vossos corpos com alimentos e bebidas na medida certa.


2 – Porém ouvi! Um que usualmente está convosco deveríeis ter convidado para aqui estar e compartilhar destes momentos, não importa se ele viesse ou não. É indiferente se aqui está ou não, pois isto é problema dele, mas vos não desejais sua presença, e isto é problema vosso. E ele ficará muito magoado, quando souber do acontecido. Ele se comporta de tal maneira, como se vós não o interessásseis mais e nem Eu, mas isto não é verdade.
3 – Ele mesmo se culpa por ter errado convosco, mas não tem coragem para confessar e isto muito o deprime. Esta é a razão por que ele tem que fazer um esforço para vir aos vossos encontros. Pois este vosso irmão tem um coração bem prendado, mas habitado por um espírito fraco. Esta é a razão por que este homem tem mais força na sua alma que no seu espírito. Esta é a razão que deveis ter atenção para com ele, muita calma, paciência, indulgência e amor, se desejardes ser caminheiros de Minhas Sendas.
4 – Entendei isto: pessoas com corações cerimoniosos, almas fortes e espíritos fracos são muitos sensíveis e se dão conta das mínimas diferenças de sentimento que seus amigos lhe apresentam, e isto os magoa muito, pois sua alma, no seu isolamento, é extremamente sensitiva.
5 – Mas se alguém alimentar esta sensitividade, este está pecando contra seu irmão. Se alguém vir a fraqueza deste irmão, mas fingir que ele é um espírito forte, causando no irmão fraco a ira, vê, isto já é um pecado. Pois o espírito não pode ser levado à ira, mas a alma pode ser prejudicada com a zanga. Esta é a razão que estas duas (ira e zanga) devem ser evitadas ao extremo.
6 – Amor e paciência são infinitamente mais valiosas do que a sabedoria e justiça. Por isto, permanecei sempre no amor e na sua irmã, a paciência; assim o pecado vos será algo totalmente impossível.
7 – Para a justiça seria totalmente justo que Eu, seguindo as leis que dei a Moises, tivesse permitido que apedrejassem a adúltera até a morte. Mas no lugar da justiça se apresentaram o Amor, a Paciência e Misericórdia. E estes não permitiram que a pecadora fosse apedrejada até a morte, mas ainda escreveram seus pecados na areia, junto à justiça com todas as suas leis sobre todas as vidas, e entregaram o julgamento espiritual ao Amor, o único juiz. E cada um deve aplicá-lo a si mesmo, para que Eu o consiga encontrar e julgar então, no Meu Amor, em concordância com o seu amor.
8 – Pois então, ponde fora de vossos corações tudo ou qualquer vestígio de “revanche”, pois isto torna vossos corações diferentes do Meu, e isto não pode ser em vós, Meus Filhos.
9 – Bem, agora uma palavrinha sobre Meu servo, que vos foi dado como uma grande bênção, que foi chamado para Minha Seara faz sete anos e ao qual afastei, por pouco tempo, de vossas presenças, pelo seu e principalmente pelo vosso bem.
10 – Fizeste à Minha Pessoa o que lhe fizeste, e o que vós ainda lhe fazeis, também o fazeis a Mim, e o que ainda fareis por ele, será o grande tesouro que tereis no céu. Este tesouro já é vosso devido ao grande amor e sabedoria que possuis e no qual devereis encontrar o Reino da Vida Eterna, pois possuis Minha Misericórdia e Minha Bênção, do que milhões não têm a mínima ideia.
11 – Nesta graça aceitai a minha Bênção Paternal para todos vós, e que é vossa enquanto viverdes segundo Minhas Palavras. Amém.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx



Exortação para o amor e a paciência


1   ...   42   43   44   45   46   47   48   49   ...   56


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal