Palavras de agradecimento do servo


O Cristo do passado, do presente e do futuro



Baixar 2.41 Mb.
Página40/56
Encontro11.06.2018
Tamanho2.41 Mb.
1   ...   36   37   38   39   40   41   42   43   ...   56

O Cristo do passado, do presente e do futuro

Recebido por Jacob Lorber, em 21 de abril de 1844

1 – Escreve o que tu tens. Felicitar como fazem os homens, não é de meu feitio, mas sim ensinar, educar, orientar e dirigir o andarilho para aqueles caminhos que o levarão para Meu Reino  este é o Meu feitio. E é neste espírito que direi algumas palavras para teu amigo.


2 – Ouve bem o que Eu te darei pelo Meu Servo. Eu posso afirmar com certeza que é necessário para ti e para tua casa.
3 – Tu tens uma fé bastante forte e segura, mas teu amor no coração ainda está bem longe de ser tão seguro como tua fé; isto porque tu ainda amarras teu amor por Mim a uma personalidade visível e procuras Me ver e Me perceber em alguns lugares. E só após Me teres percebido ou até visto, é que teu coração arderá nas mais lindas chamas do Amor.
4 – Vê, é o que também acontece com tua família. Todos amam o Cristo que andou na Terra a ensinar, ou Aquele que virá novamente para julgar o mundo – pois o Cristo passado e o futuro são o que vós amais.
5 – Mais isto está errado. Pois neste caso Eu não posso Me aproximar de vós no presente como vosso amoroso Pai. Sou só o do passado ou do futuro e não posso vos fortificar, pois vós Me honrais somente em recordações, mas não Me amais vivo em vossos corações.
6 – Mas todas as lembranças às vezes se apoderam de assuntos com muito ardor e outras vezes os abandonam completamente, então é assim vosso comportamento Comigo. Se estiverdes a ler o evangelho que vos dei, ou se também lerdes qualquer outro assunto a Mim relacionado, então Me amais loucamente; mas isto não é amor, e sim uma excitação temporária de vossa capacidade de lembrar. Tão logo vos afasteis e olhardes alguma outra coisa, aí vossos abrigos de lembranças se fecham em vossa mente, e Eu estou fora, como se jamais tivesse estado lá dentro.
7 – Vós então podereis fazer visitas, relacionar-vos com o mundo, alegrar-vos com assuntos mundanos, conversar sobre assuntos corriqueiros a materiais, cobrir vosso corpo com adornos. E se um amigo ou amiga vos visita, aí tereis mais felicidade, do que jamais tiveste na fugaz lembrança de Mim.
8 – Pois o Cristo do passado e do futuro não vos impede em nenhuma destas atividades, pois Ele mora em vossas lembranças, mas não em vossos corações. Eu, porém, vos digo a todos. O Cristo do passado e o do futuro pouco vos será útil, se não observardes e amardes o Cristo atual e vivo em vossos corações.
9 – No momento em que Eu retirar Meu Servo, pelo qual vos tenho dado mensagens de fé, amor e esperança por aproximadamente quatro anos, logo logo Eu começarei a ser colocado só em vossas lembranças, e em pouco tempo a chama de amor em vossos corações só iluminará vossos corações por instantes.
10 – Agora vós vos alegrais toda vez que recebeis algo de Mim. Mas vossa alegria não é permanente, pois ela se molda ao ritmo de vossas lembranças. E vós logo vos alegrareis muito mais sobre um divertimento mundano, do que quando estais Comigo. Fazeis planos sobre o que fareis, sem jamais vos lembrar que nada podereis fazer sem Minha presença e anuência. Nem deveis tentar.
11 – E se Eu não permitir que façais algo, então ficareis tristes e direis: “Mas será que não podemos ter nenhuma alegria?”
12 – Eu, porém, vos digo: Sim podeis ter alegria, e esta alegria jamais deverá ser de vós tomada; mas Eu, vosso Pai Celestial, devo ser sempre vossa maior alegria.
13 – Perguntai a vós mesmos: O que vos oferece vossa alegria autoengendrada (feita por vós mesmos)? Quanto tempo esta alegria dura? Quantas horas vós desperdiçastes com tolices mundanas, conversas inúteis e risos... E logo estais novamente no lugar de sempre. E só graças a Minha enorme Paciência, deveis agradecer que, após estas horas de diversão mundana, não tenhas retrocedido para mais perto da morte.
14 – Nesta situação podeis entender que de um avanço em Minha direção não se pode nem falar, e Eu permaneço sempre em vós como o Cristo do passado ou do futuro.
15 – Eu te digo isto hoje, para que tua casa no futuro comece a vir a Mim, muito mais próximo do que até agora.
16 – Tu conheces os caminhos que levam a Mim. Se desejares fazer do Cristo do passado e do futuro um Cristo atual, vivo, presente, então deves trilhar estes caminhos seriamente, bem como tua casa. Só assim Me trarás de tua memória para dentro de teu coração e então sentirás aquela alegria que nenhum mundo ou nenhuma eternidade poderá tomar de ti nem por um ínfimo instante.
17 – Esta alegria, porém, não possuirás antes de repetires como Paulo: “Agora não vivo eu, mas sim Cristo vive em mim”.
18 – Vê, todo mundo é meu Inimigo; como pode alguém afirmar que Me ama, se oferece sua mão para saudar ao mundo?
19 – Observa bem este Meu ensinamento e conselho, só assim logo alcançarás aquela alegria que ninguém poderá te tomar. Isto seja o que Eu te desejo e Minhas felicitações neste dia. Minha Bênção, Amor e Misericórdia estejam contigo eternamente. Amém.

Paixão mundana desagradável


Recebido por Jacob Lorber, em 10 de maio de 1844

1 – Porque sempre exiges coisas de Mim? Ora pois, espera até que Eu as dê espontaneamente a ti. Tu não queres saber melhor que Eu quando posso e devo dar algo para alguém em seu proveito, não é?


2 – Hoje já fizeste algo que Me agradou, e por isto Eu te daria um presente, se estivesse no tempo que fosse de Meu agrado. Mas o “tempo” em que tu desejas algo não é de Meu agrado. Esta é a razão por que Eu não te dou nada. Pois Minha Compaixão e as felicitações e conversas mundanas não cabem no mesmo prato.
3 – Dize a tua “cliente” que, para conseguir a Minha boa vontade, não basta ler ou ouvir alguma palavra sobre Mim, mas sim se deve viver a mesma em seu coração.
4 – Mas isto não acontece a quem os prazeres mundanos alegram e preenchem seu coração com prazer.
5 – Basta! Eu não digo mais nada. Quem honrar esta pequena mensagem, merece muito mais. Isto fala o Senhor. Amém.

Religião e revelação

Recebido por Jacob Lorber, em 21 de maio de 1844

1 – Escreve, pois um “critério” correto sobre religião e revelação.


2 – Religião é uma “re-ligação” entre Deus e os homens, os quais ele criou livres e à sua imagem e que foram colocados no mundo material por Deus, para provar, fortificar e evoluir esta liberdade, a qual é a única condicionadora da vida do espírito, pois ela é o Amor, que é a razão original de toda a existência.
3 – É dito que Deus, em todo seu poder, poderia manter o homem e fazê-lo obedecer e seguir todos os desejos e ordens divinos. Para que, então, uma religião revelada? Por que permitir que a criatura se movimente livremente entre criaturas e seres que não a reconhecem e nem se reconhecem a si mesmos?
4 – Deus poderia muito bem, em seu poder infinito, dirigir e formar o homem, mas aí o homem não seria um ser humano, mas sim um animal. Ele seria julgado, igual aos animais, e deveria se mover entre as barreiras do eterno “dever”. Então por acaso teria o ser humano uma vida independente, como é a intenção do Criador?
5 – Não, isto ele não teria eternamente, pois toda a vida independente deve ser testada na sua liberdade, já que cada coação destrói a liberdade e assim julga e até mata a verdadeira vida.
6 – Mesmo o Amor é morto sem liberdade. Esta é a razão pela qual com o homem não se pode usar o poder divino, mas sim a religião revelada.
7 – Para se provar que a revelação que é passada é verdadeira, esta necessita se originar e se sustentar nesta independência. Pois cada criatura julgada já chega ao mundo com a perfeição a ela dedicada e não precisa de nenhuma revelação para evoluir. Mas bem diferente acontece com o homem! Este chega ao mundo totalmente nu e necessita de uma iniciação pela revelação, para começar seu caminho. Com a revelação ele iniciará a evolução de sua força vital de uma forma totalmente livre, a nada amarrada. Só assim se tornará um ser vivo totalmente independente e livre.
8 – Em que está o “critério” da veracidade de uma revelação divina realmente necessária? O critério não consta nada mais do que atuar de acordo com a revelação conhecida, e este se torna livre em espírito, mesmo que seja judeu, turco, um seguidor de Brahma ou cristão. Da mesma maneira acontece com alguém que aprende uma profissão numa escola; certamente se tornará um mestre, se estudar com vontade e prosseguir segundo os princípios da escola.
9 – Consta escrito o seguinte: “Quem atuar de acordo com Minhas Palavras, este reconhecerá logo se elas são de Deus ou se são de homens”.
10 – Nisto consta o critério principal para a veracidade de uma revelação divina, pois cada homem deve ser educado por Deus. Quem não receber de Deus, nada tem e nada sabe.
11 – Lede a Primeira Espínola de Paulo aos Corintos, o 2º Capítulo. Lá encontrareis um critério importantíssimo. Amém. Que assim seja.


1   ...   36   37   38   39   40   41   42   43   ...   56


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal