Palavras de agradecimento do servo


Ler e provar por ações Recebido por Jacob Lorber, em 20 de dezembro de 1843, das 17:30 às 18:45



Baixar 2.41 Mb.
Página37/56
Encontro11.06.2018
Tamanho2.41 Mb.
1   ...   33   34   35   36   37   38   39   40   ...   56

Ler e provar por ações

Recebido por Jacob Lorber, em 20 de dezembro de 1843, das 17:30 às 18:45



Esta é uma mensagem que veio ao teu mundo do “Sol Espiritual” e é a única de uma série de explicações sobre “o Sol Espiritual” que foram compiladas numa obra chamada “Recordações e Meditações sobre o Sol Espiritual” (editado por New Salem Verlag).
1 – Meus queridos filhos! Com as “Recordações” que vêm a seguir desejo vos dar uma regra mui importante e útil, sem a qual não conseguireis obter nenhum resultado positivo da leitura de livros que tratam de assuntos espirituais. Podereis ler milhares de vezes o livro sagrado (a Bíblia), como também a Nova Revelação, mas sem esta regra sempre chegareis a um ponto do qual não conseguireis ultrapassar.
2 – Com a repetição da leitura destes livros tereis preenchido totalmente vossa memória. Perguntai, porém, ao vosso espírito qual foi o ganho obtido com isto, e ele vos responderá de forma apática:
3 – “Eu certamente estou rodeado por um caos de material de construção. Pedras e madeiras estão sobrepostas sem ordem alguma, mas deste material não se conseguiu construir nem uma miserável choupana “mal enjambrada”, na qual eu habitaria. Vós continuais a amontoar o material; cada vez mais, pedras nobres e madeiras de lei encontram-se neste monte à minha frente, e eu não consigo colocá-las em ordem. Porém se por acaso eu consegui iniciar alguma organização, já vindes novamente com mais uma enxurrada de material novo. E assim eu fico cansado com minha labuta e no fim, ao olhar o tamanho do material a ser organizado, me assusto e penso com dor na longínqua probabilidade de todo este material caótico se tornar um lar bem organizado.”
4 – Vede, esta é uma resposta bem racional do espírito; esta mesma resposta poderá ser encontrada por uma pessoa que tenha lido muito.
5 – Se uma pessoa tiver lido aproximadamente mil livros em sua vida, que caos existirá em sua memória ao fim da mesma! E se ele tiver sorte, ao término de tanta leitura, ele chegará à conclusão de que nada sabe.
6 – Mas o que é de fato esta memória? Não passa de uma lamúria, queixa do espírito, que deseja com isto dizer que ele, devido a todo este exagero de material de construção, não é capaz de construir a mais ínfima choupana para se tornar seu lar.
7 – Existem, pois, pessoas que conhecem o Velho e Novo testamento palavra por palavra; mas perguntai-lhes pelo significado intrínseco de uma única palavra ou versículo, que elas nada saberão, tal qual aquelas que não conhecem um único versículo ou até desconhecem a existência da Palavra Santa. Que valor ou utilidade possui este material tão maravilhoso?
8 – O espírito habita somente o espiritual. Não é possível fabricar-lhe nem uma muleta cheia de defeitos a partir de algo material. Então onde ele habitará? Onde conseguirá fazer seus cálculos? Onde poderá iniciar a organização deste material?

9 – Não é então melhor possuir menos material, mas com o mesmo construir uma habitação apropriada para o espírito, para que o mesmo consiga um local seguro e livre, a partir do qual ele fará seus novos planos e construirá mais ao receber novo material?


10 – O que parecerá uma lavoura, por melhor terra que possua, se vós semeardes milhares de sementes diferentes na mesma, na maior desordem, e todas ao mesmo tempo? As sementes nascerão por certo, mas de que utilidade terá para o semeador? Tenho certeza que o plantio desta lavoura não servirá nem para alimento para os animais. As plantas mais fortes asfixiarão as mais fracas, as ervas daninhas vicejarão e o trigo aparecerá em alguns pontos, mais fraco e quase sem grãos.
11 – Disto podemos concluir que deve haver uma ordem em tudo e em todos os locais dos quais esperais obter um lucro ou conhecimento, pois sem a mesma só conseguireis colher espinhos, ervas, etc.
12 – De que consiste esta ordem?
13 – Se tiverdes um trigo puro, semeai-o numa lavoura limpa e preparada e podeis estar seguros de uma colheita limpa e boa.
14 – Quem tiver um bom local para construir e o material apropriado, este não aguarde a chegada de mais material, às vezes desnecessário, antes de iniciar a construção da casa, pois poderia entulhar todo o local onde planeja construir a casa.
15 – E neste caso, se o construtor chegar e te perguntar: - Amigo, em que lugar desejas construir tua casa? O que poderás responder? Com certeza será o seguinte: - Lá, meu amigo, onde se encontra aquele monte de material de construção.
16 – O construtor então te dirá: - Porque permitiste que depositassem o material no local da construção antes que tivéssemos feito a planta e edificado os alicerces? Se desejas construir tua casa naquele local, deves mandar retirar todo o material e deves deixar o lugar totalmente desimpedido; só então virei, medirei o local, farei as plantas, iniciarei os alicerces, e finalmente examinarei o material para me certificar se ele serve para construção de uma casa.
17 – Com este exemplo podereis ver que pouco valor tem uma leitura para alguém que não a usar seguindo a Ordem Verdadeira.
18 – Mas de que consta esta Ordem Verdadeira? Nada mais nem menos que cada um, ao receber material novo, imediatamente o organize e o utilize logo, para então construir a moradia antes que chegue um segundo carregamento de material. Desta maneira adiantaria rapidamente sua construção e sempre terá bastante espaço livre para adquirir material novo.
19 – Em poucas palavras, esta organização significa que, logo após receberdes novos conhecimentos, deveis transformar os mesmos em ação e deveis orientar vossas vidas de acordo. Só assim a leitura será útil. Se não for assim, sereis apenas ouvintes da Palavra, mas não atuantes nela.

20 – Haverá mais sobre “Recordações”. Amém.


Uma palavra para o servo


Recebido por Jacob Lorber, em 08 de fevereiro de 1844

1 – O que te preocupa, se alguém te repreende com assuntos tolos. Espelha-te em Mim, teu Senhor, e tu verás claramente as experiências desagradáveis que Me acometeram e que agora te acometem, mas que no teu caso são quase mínimas.


2 – Vê no Evangelho de João cap. 7 versículo 1-5. Lá enxergarás de sobejo como até meus irmãos mais fieis e crentes, os apóstolos, Me tratavam, pois não concordavam que Eu Me refugiasse na Galileia por um curto espaço de tempo, para descansar; que Eu fugisse de Judéia, onde ameaçavam Minha Vida.
3 – Meus irmãos e Meus apóstolos Me acusaram de ter abandonado Minha atividade. Achas que tu és melhor do que Eu? Que deves ter uma existência mais suave que Eu? Vê que ideia mais tola...
4 – Vê, se tu fosses um escritor insensato, Eu jamais teria te escolhido para receber Minha Palavra. Pois estes escritores enganam e acrescentam às Minhas Palavras suas ideias como Minhas. Por isto Eu te escolhi, pois serás capaz de dar ao mundo a Minha Palavra Verdadeira e com exatidão. Mas se ela for rejeitada em toda esta sua simplicidade e veracidade, então cuide-se o mundo, pois em curto tempo chegará sua hora.
5 – O zelo (fervor) Me é muito mais agradável do que a frouxidão (tibieza) em vós e em cada uma de vossas irmãs. Tu, porém, deves ser como um filtro de papel, pelo qual filtramos um líquido impuro. Pois se fosses fogoso demais, poderias apresentar idéias tuas como se fossem Minhas. Como Eu não te permito nenhum fervor próprio, tu só podes produzir o que te vem de Meu Zelo, mas sem que teu livre arbítrio seja danificado, só assim Minha Mensagem Verdadeira aflora à luz do dia.
6 – Aqui encontrarás o suficiente para te desculpares, e por isto ninguém deve se prender a teu zelo, mas somente ao Meu Zelo. A quem isto não bastar este pode contar com Meu julgamento.
7 – E o que foi dito aqui deve ser o suficiente para todos e para todo o sempre. Pois ninguém alcançará a bem-aventurança pelo zelo de meus servidores, mas sim pelo Meu Zelo, que é Meu Amor em todos vós. Amém.



1   ...   33   34   35   36   37   38   39   40   ...   56


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal