Palavras de agradecimento do servo


Um chamado de amor do Pai



Baixar 2.41 Mb.
Página32/56
Encontro11.06.2018
Tamanho2.41 Mb.
1   ...   28   29   30   31   32   33   34   35   ...   56

Um chamado de amor do Pai

Recebido por Jacob Lorber, em 11 de março 1843, pela manhã


1) Escreve esta mensagem para Meus filhos:
2) Meus filhinhos, de Mim podeis prenunciar a aproximação de uma vida espiritual plena de Mim, Vosso Pai amoroso. Observai os raios do amanhecer do sol celestial que se anuncia em vós e neste momento sabereis, cheios de felicidade e prazer, que Eu estou bem próximo.
3) Isto Eu vos dou como lembrança do Meu grande Amor e da Minha fidelidade às promessas que Eu vos fiz. Aceitai-Me plenamente em vossos corações e observai bem Minha Palavra. Aquele que assim fizer apoderar-se-á de Mim.
4) Eu vos guiarei e educarei cheio de cuidados e carinho para a Vida Eterna, com o amor cada vez maior que tendes dedicado a Mim, vosso amoroso Pai. E logo tereis aniversários espirituais muito mais lindos que estes que celebrais na vossa vida material.
5) Mas só o que quero é que Me ameis, Me ameis muito, a Mim, vosso santo e carinhoso Pai, que vos ama eternamente e vos carrega em suas mãos santas e todo-poderosas. Ó amai-Me, amai-Me Meus queridos filhos. Amém. Eu vos abençoo continuamente. Amém.
Sobre a observação dos dias santos

Recebido por Jacob Lorber, em 14 de março 1843, pela manhã


Ó Senhor, Tu amoroso Pai, vê, novamente se passou um ano (já são três) desde que Eu e alguns amigos tivemos a alegria  e continuamos a tê-la pela Tua infinita Misericórdia  de sermos abençoados com Tua Palavra, a nós, que somos tão indignos, especialmente eu. Como já observaste, hoje desejamos festejar mais um aniversário em Teu Nome, e Te pedimos que Tu, como tens feito até agora, alegre e edifiques nossas almas e nossos corações com Tuas palavras sagradas e amorosas. Ó querido e misericordioso Pai Jesus, ouve, por favor, este meu pedido e se assim for Tua vontade. Amém.
1) Então escreve. O que achas em considerar um dia como o mais apropriado para se tornar um dia especial de recordações, no qual seria permitido a todos se lembrar do dia em que Minha Bênção chegou a vós?
2) Tu achas que o primeiro dia da revelação seja o melhor dia, pois neste dia consegue-se recordar melhor do que todos os outros; o dia em que o fluxo, a corrente de bênçãos obtidas começou a fluir em vossos corações e que continuaria a fluir até hoje ininterruptamente e inesgotavelmente.
3) Por um lado tens razão, pois assim é a ordem comum das coisas na Terra. E é dela que se originam todos estes cultos variados de tão pouca utilidade, e que em si não são nada, mas disputam o primeiro lugar quanto ao número de dias de recordação de aparições especiais que ocorreram durante Minha vida terrena; ou ainda pior, quanto aos milhares de santos diferentes, alguns dos quais nem existiram e outros ainda nem foram canonizados para o céu até hoje.
4) Em segundo lugar, estes feriados são dias de festança e de preguiça. Nestes dias não se trabalha como deveria um bom servo, mas são sim dias de pecado.
5) E finalmente em terceiro lugar, estes dias de comemoração, não passam de verdadeiros dias de tédio. Após terem feito suas “obrigações” na casa de oração, as pessoas vão para casa e não sabem o que fazer de tédio, especialmente após o almoço. Especialmente quando o dia é chuvoso, ou se não tiverem bastante dinheiro para enfrentar uma tarde agitada. O mesmo acontece com as garotas, que por algum motivo ou falta de tempo não conseguiram se encontrar com seus garotos.
6) Vós nem tendes ideia como Eu sou “sua vida” em alguns “feriados de dias santos”. Em verdade, tais feriados muitas vezes são ótimos dias de trabalho para Satã. É lhe dada uma boa oferenda nestes dias, e ele não conseguiria desejar nada melhor. Existem comilanças, bebedeiras e muita preguiça; a honra é destruída, as pessoas se vestem com roupas atraentes, se comportam com volúpia, muito mais que em dia normal de trabalho. Dize-Me se num feriado não é ruim, não é um dia mais satânico do que santificado para Mim, e que os únicos a serem servidos neste dia são o inferno e Satã, e nunca Eu, o Pai.
7) Se Eu vos disser que Eu sou totalmente contrário a estes chamados “feriados” devido à maldade dos homens, espero que considereis com naturalidade esta Minha atitude. Ou será que desejais ser amigos destes dias em que muitos vos desejam dizer: “Em verdade nestes dias todos nós, amigos, irmãos e filhos, fomos mortos da maneira mais cruel por assassinos e assaltantes”.

8) Esta é a razão por que Eu e todos Meus anjos afastamos nossos olhos da Terra em todos estes Domingos ou feriados, os quais de fato não passam de dias em que um de Meus filhos foi executado, pois não queremos participar destas cenas horrorosas que os homens levam a cabo nestes feriados.


9) Por favor, não desejeis vós, criar mais um dia de feriado, para comemorar o aniversário do início de Minhas revelações, mas sim cada dia de vossa vida seja um dia calmo, lembrando de Minha Misericórdia, Graça e Piedade. Sim, cada dia seja um dia de festa em Meu Nome, pois estou junto a vós cada dia do ano e vos dou Minha Misericórdia diariamente.
10) Mas já que hoje vos reunistes em Meu Nome, concentrai vossos pensamentos em Mim, voltai vossos corações para Mim, e Eu definitivamente estarei presente entre vós. Mas não façais disto um hábito e não considerai este dia um dia especial; ele é mais um dia comum e é dedicado a Mim, como devem ser todos os outros e sempre estarei entre vós.
11) Vós sabeis bem demais quão pouca importância Eu dava ao “Sabat”, enquanto estive na Terra como homem. E Eu também não criei feriados, pois Eu bem sabia dos frutos produzidos nestes dias. Mas a avidez dos sacerdotes por sua vontade livre criou uma série de feriados que se tornaram dias bem lucrativos, mas que vão totalmente contra Meu desejo e Meus ensinamentos. De fato, para Mim e para os humanos estes dias são verdadeiros prejuízos e por isto não tem Minha Benção, mas sim Eu os abençoo.
12) E aquele que, nestes dias, for a um serviço religioso totalmente por hábito, este não vai a Meu serviço, mas sim do inferno. Aquele que for a uma casa de oração observe bem por que lá vai, se não desejar fazer parte das legiões que honram a Satã, pois nos dias de hoje uma casa de oração se tornou casa de Satã.
13) Não deveis ter feriados, mas sim cada dia deve ser um dia dedicado a atividades de caridade em Meu Nome, e Eu abençoarei continuamente este dia, e não a cada oito dias, com um cajado metálico empunhado por um monge cobiçoso, orgulhoso, avesso ao trabalho, ameaçador, mal cheiroso e totalmente sem amor e piedade.
14) Isto Eu os revelo, à vos e a todos os seres humanos, para que observeis bem o valor que para Mim possuem todos estes dias hipersantificados, estes feriados “in memorian” de celebrações e os domingos que são celebrados em Meu Nome, o Senhor da Verdade e da Vida.
15) Vós, porém, amai-Me, pois Eu vos amo muito. Aquele que Me amar ardorosamente terá em seu coração sempre o verdadeiro “Sabat” vivo e transformará o Sabat dos judeus em Meu dia, Meu dia todos os dias, cheio de amor e graça.
16) Este tipo de “Sabat” deveis observar continuamente e assim sereis verdadeiros adoradores de Deus, os que o adoram em espírito e no coração, em qualquer lugar ou a qualquer hora, tornando seus corações verdadeiros “feriados” para Mim.
17) Observai bem esta mensagem. Lembrai-vos sempre de Mim e não só em dias ditos especiais. Amém.

Uma prédica verdadeira

Recebido por Jacob Lorber, em 16 de março 1843


Ó Senhor, Pai santificado e amoroso, ouve minha súplica mais uma vez. Eu estou com dúvidas, não consigo me acalmar e não sei o que isto significa. Por favor, me ajuda.
A este pedido veio a seguinte resposta:
1) Bem, bem. Porque escreves o que desejas, como se Eu de sobejo já não conhecesse o que vai a teu coração? Pois escreve então.
2) Com respeito àquela mulher que predica, não te preocupes com ela, pois tens em Mim um predicador bem melhor, Este que te ensina desde três longos anos, diariamente, sobre a vida e seus segredos, e que continuará a te ensinar até o fim dos teus dias na Terra, cada vez com mais e mais clareza, e que te dará o prêmio do servo, já que tu, por amor a Mim, o verdadeiro predicador, e para com teus irmãos, crescerás na mesma proporção como Eu cresço em ti, na plenitude de Minha Palavra Viva, a que é Meu Amor, Misericórdia, Graça e Piedade, e na qual todo aquele que a ouvir em seu coração se tornará vivo.
3) Já que Eu, nesta época tão importante, começo a chamar os mortos de suas tumbas segundo a profecia que Eu te fiz, que isto seja um bom sinal misericordioso que possuis.
4) Pois onde Eu exijo grande arrependimento, lá estarei como Juiz à porta; porém onde Eu predico o Amor, lá estará o Pai à porta.
5) Pois então não te preocupas por mais nada do que por Mim, e poderás ter certeza que eternamente não fracassarás para ninguém que estiver em Meu caminho.
6) Mas aquele que se incomodar contigo, este também se incomodará Comigo. Mas deixemos que os incomodados se incomodem. No fim veremos o que conseguiram com o seu “incomodar-se”.
7) Tem certeza que somente aqueles que Me procurarem, a Mim, com todo afinco, e não permitirem um único desvio na sua busca, e aqueles que amarem a seu próximo sete vezes mais do que a si mesmos estes adorarão ao Pai, Deus e Senhor. Mas os que não fizerem assim logo acabarão com as mãos vazias, ou então Eu permitirei que encontrem uma série de cisões ou falsos ensinamentos para seu crescimento e elucidação, de modo que deixem de buscar ao léu e se voltem para Mim!
8) Em verdade aquele que Me amar por outra razão a não ser por Mim próprio, este não merece Minha Graça e Misericórdia.
9) Mas aquele que julgar seus irmãos e desejar ser melhor que eles, aquele que ainda se considerar um patrão, que ainda não conseguir rezar pelos seus inimigos e não puder abençoar aqueles que o maldizem, em verdade este ainda se encontra bem afastado de Minha Luz Misericordiosa.

10) Se um noivo rico souber que sua noiva finge que o ama e só o quer pela sua riqueza, dirá ele à noiva: “Afasta-te de mim. Jamais conheceste meu coração, mas sim somente meus tesouros materiais e somente eles te amarram a mim! Eu, porém, desejo dar-te o prêmio de acordo com o amor que me tens: o que está na minha arca de tesouros mortos e sem minha presença. Apodera-te disto, mas a mim nunca mais verás. E quando tiveres consumido toda a morte de minha arca, esta se fechará para ti eternamente.” Não dirá?


11) Eu, porém, sou um noivo que tudo sabe! Por isto conheço bem o coração de qualquer um. Eu vos digo: Aquele que desejar chegar a Mim pelo que sou, que venha confiante e alegre, que imediatamente será acolhido. Mas que cada um examine seu coração com grande cuidado! Pois enquanto houver só um pontinho de amor diferente, Eu lá não entrarei e não Me deixarei encontrar.
12) Cada amante, se for um verdadeiro amante, é um pouco ciumento, e isto muitas vezes por alguma ninharia, mas isto acontece porque ele é um amante verdadeiro. Pois o amor quer ser puro e deseja possuir com pureza. Eu, porém, sou, por todas as eternidades, o maior e mais puro amante. Esta é a razão por que sou extremamente ciumento e ninguém Me possuirá, a não ser aquele que Me amar incondicionalmente e acima de tudo.
13) Vê, esta é uma Palavra verdadeira, uma Prédica verdadeira. Permanece nela e não te preocupes com as dos outros, pois esta Minha Palavra sempre te satisfará. Pois a Palavra que vem de Minha Boca é bem melhor do que a que vem de uma visionária extasiada. Deixa a mulher em paz, pois Eu sei o que faço por intermédio de pessoas iguais a ela.
14) Com relação às serpentes com que sonhas, uma das quais morde a superfície de tua mão, isto só acontece por se falar de dragões na obra principal (Lorber estava recebendo a Criação de Deus) e significa que isto te ferirá um pouco no começo. Mas logo acordarás deste pesadelo.
15) Vê, isto é tudo que querias hoje. Observa isto, ama-Me e fica calmo. Amém.
Perdão dos pecados pelos sacerdotes

Recebido por Jacob Lorber, em 28 de março 1843, pela manhã


1) Sei que desejas dar um presente Meu para esta tua irmãzinha no dia de seu aniversário. Bem, Eu também desejo dar-lhe algo, tão logo ela o queira de fato. Mas ela não confia em nós e está presa aos “muros de Roma”. Tornou-se então bem difícil dar-lhe algo sério, importante e que seja de seu agrado.
2) Mas para que ela consiga entender o que de fato acontece com os “muros de Roma”, Eu vou chamar sua atenção aos alicerces sobre os quais Roma se ergue. É o versículo 18 do capítulo 18 de Mateus e também o versículo 23 do capítulo 20 de João.
3) Mas já que este alicerce é falso, podemos vê-lo claramente exposto em todo o capítulo 18 de Mateus, especialmente entre os versículos 14 a 35 e mais claro ainda no “Pai Nosso”. Pois no “Pai Nosso” consta: “Perdoa nossas dívidas, como nós perdoamos os nossos devedores”, diferente de: perdoa nossas dívidas, como os sacerdotes perdoaram as mesmas.
4) Este mesmo alicerce da Igreja Romana, também baseado no versículo 18 do capítulo 18 de Mateus, não é verdadeiro, pois lá não é outorgado à mesma o poder de perdoar os pecados, especialmente aos seus sacerdotes, que não passam de homens comuns. Mas existe sim um perdoar amoroso entre irmãos, dos pecados que cometeram entre si (o ato da confissão foi inventado por Roma, para conhecer todos os pensamentos dos homens, especialmente dos ricos e poderosos, para assim possuir todo o poder sobre os mesmos).
5) No momento em que as pessoas perdoarem umas às outras, perdoarem suas culpas entre si, então Eu também perdoarei tudo. Mas se elas retiverem suas culpas umas das outras, eu também reterei suas culpas.
6) Este é o verdadeiro significado deste ensinamento tão conhecido, mas tão mal aplicado; porém para Mim não existe nenhum outro válido. Quem viver de acordo com este ensinamento e nesta sua interpretação este chegará a Mim; quem não o fizer ficará do lado de fora, mesmo que tenha milhares de perdões de pecados dados pelos sacerdotes.
7) Observai todos vós isto com muito carinho e atenção e vereis que não são necessários breviários nem patuás, para que Eu perdoe vossos pecados.
Tal qual o amor, será a recompensa

Recebido por Jacob Lorber, em 07 de abril 1843, pela manhã

1) Escreve uma palavrinha do bem para qualquer um! Quem a observar com atenção terá “uma boa parte” que não lhe poderá ser tomada nunca mais. A palavrinha em Lucas 10 - 40 - 42 diz o seguinte:
2) 40 – Marta, toda preocupada com a lida na casa, veio a Jesus e disse: “- Senhor, não te importas que minha irmã me deixe só a Te servir? Dize-lhe que me ajude.” ; 41 – Respondeu-lhe o Senhor: “- Marta, Marta, andas muito inquieta e te preocupas com muitas coisas; 42 – No entanto, uma só coisa é necessária. Maria escolheu “a boa parte”, que não lhe será tirada.
3) Se Eu disse isto (que Maria tinha escolhido “a boa parte”) para a Marta, que Me servia com afinco, que direi àqueles que não têm nada, absolutamente nada de uma “Maria” (não confundir com a Mãe, mas sim aqui uma das irmãs de Lázaro), mas que podem de longe ser comparados a uma “Marta”, pois eles não Me servem, a Mim, mas sim ao mundo, com muito afinco o dia todo, e com tantos pensamentos e tanta conversa mundana, que não conseguem dedicar nem uma meia horinha do dia para uma conversa Comigo? E quando conseguem pensar em Mim, eles pensam como se estivessem pensando num inverno longínquo, que passou há mais de vinte anos.
4) Que devo dizer a estes para os quais uma meia hora é mais importante do que um mês de Amor Paterno que lhes dou? Que posso dizer àquele que passa o dia inteiro medindo e dobrando panos, para enfeitar-se ou enfeitar sua casa? Que devo dizer àqueles sobre uma Maria ou uma Marta, para aqueles que labutam o dia inteiro, às vezes até tarde da noite, cheios de interesse, e quando chega a hora de ouvirem uma palavrinha Minha, logo caem em profundo sono?
5) Que poderei ainda dizer àqueles que passam o dia pensando e fazendo planos, porque alguém os olhou com atenção ao caminharem na rua? E se alguém lhes chama a atenção para dirigir seus pensamentos e planos futuros para Mim, eles o olham com desprezo e lhe viram as costas.
6) Eu só falo sobre aqueles de quem ainda é possível falar, pois existem pessoas tão mundanas, das quais Eu não falo. Pois estas são aquelas que sempre estão com os sentidos no mundo e nos seus regentes, aqueles que vivem no ar e que governam nele; quer dizer, que regem de acordo com o espírito que nesta época influencia os filhos da incredibilidade, sob a qual todos se situam e vivem de acordo com as paixões da carne e que são de fato filhos genuínos do eterno Mal.
7) Bem a estes Eu não falo, mas sim falo aos que ainda se dizem Meus Filhos, mas que Me consideram  a Mim, o Santo Pai  nada melhor do que um vestido velho, se os seus afazeres diários lhes permitem um tempinho para dedicar um pensamento a Mim.
8) Então pergunto: O que devo dizer-lhes? Eu vos digo que muito pouco haverá para ser dito.
9) Para que algo seja dito, digo-vos, mas não como disse à Marta, que como foi o trabalho, tal será a recompensa. “Como é vosso amor, tal será o prêmio”.

10) Aquele que ofertar mais ao seu corpo do que a Mim a este corpo exija a recompensa, quando o mesmo virar pó e cinzas. Aquele que preferir o amor e o aplauso do mundo a Mim, tudo bem, mas ele que se satisfaça com o prêmio que o mundo lhe der. Mas podeis ter certeza que Eu jamais Me imporei a alguém.


11) Como forem as obras, assim também será a vida. Quem tiver grande prazer na morte e quem se satisfizer em revolver-se na mesma diariamente, sem temê-la, este que faça o que lhe causa alegria. No fim, deverá consolar-se com esta alegria macabra. Mas Eu Me encontrarei bem longe dele.
12) Mais do que isso, não é necessário dizer. Mas logo chegará a época destes ávidos servidores do mundo conhecerem que “recompensa boa” este seu trabalho lhes proporcionará. Mais nada direi.
13) Bênção para aqueles que aproveitarem estas palavras no coração. Para os mornos o Meu prêmio já está reservado: serão cuspidos de Minha Boca. Amém. Isto vos diz o Santo Pai.
Convite inútil

Recebido por Jacob Lorber, em 16 de abril 1843


1) Escreve, pois Eu sei o que tu queres e as dúvidas que te atormentam.
2) Vê, em quem estás pensando ainda não é possível nem aconselhar, nem ajudar, pois continua a procurar a felicidade no mundo e só deseja melhorar sua situação material. Comigo ele nem sequer se preocupa um pouquinho, pois não procura por Mim, exceto para obter benefícios mundanos.
3) No ano passado Eu o convidei calorosamente para sentar-se à Minha Mesa. Mas devido ao mundo e seus prazeres ele ainda não aceitou Meu convite, nem se dignou a fazer o que tão carinhosamente lhe aconselhei. Ele deverá entender que ele se encontra no mundo somente pela Minha Vontade e que veio de Mim. Ele vive e serve somente ao mundo e por isto deve se satisfazer com a recompensa que este lhe dá.
4) Cada um pode fazer o que deseja. Aquele que Eu convido pode vir ou não. E se for convidado, Me é indiferente se vier ou não. Pois o mundo tem seus filhos e Eu tenho os Meus. Mas se Eu convido Meus Filhos e eles não ouvem Meu chamado, é porque estão embasbacados com os prazeres que o mundo lhes pode dar.
5) Quando tiverem “usufruído” bem estes prazeres materiais e tiverem recebido todas as “recompensas” que o mundo lhes oferece, aí então escutarão com mais carinho ao Meu chamado, tão logo este lhes for dirigido mais uma vez.
6) Eu te digo: O que acontece no ambiente desta pessoa (o amigo de Lorber) Eu permito para sua evolução. Eu permito que ele desfrute do mundo, em grande parte para que veja quais lucros seu posto lhe traz, pois devido ao mundo ele nunca encontra nem um pouquinho de tempo para se ocupar Comigo.
7) Já que ele crê que fica cego tão logo comece a ler um capítulo de Meu livro, ele que use a visão que ainda lhe resta ao ler seus inúteis documentos e artigos de trabalho.
8) Eu não gosto nada de sua maneira de ser. Ele tropeça logo que começa a dedicar um tempo para Mim, mas fica lépido tão logo os assuntos mundanos se apresentam. Ele perde valioso tempo com coisas que nada lhe serão úteis.
9) Por isto, por enquanto não é possível aconselhá-lo ou ajudá-lo da maneira que ele acha que deve ser, mas ele está sim sendo curado com doses homeopáticas.
11) Isto, porém, Eu digo somente a ti e a teus três irmãos. Eles assim poderão dar-lhe algumas sacudidelas, quando houver uma boa ocasião para isto.


Cuidados com a Luz Celestial

Recebido por Jacob Lorber, em 17 de abril 1843


1) A cópia de “O Sol” por alguém não-qualificado não pode acontecer! Especialmente se quem desejar copiar a obra for velho demais para conseguir absorver uma Luz nova, e cujo espírito se envolveu com tantos preceitos falsos, que se encontra em plena contradição com a Luz de “O Sol”.
2) Vê, se tu deres a uma tal pessoa o direito de copiar Minhas Palavras tão vivas, esta pessoa que de fato e se encontra totalmente atrelada às cerimônias e regalias romanas e não aos ensinamentos do Evangelho, tu o tornarias pior e jamais melhor. Por um lado ele começaria a desconfiar de sua igreja e de sua consciência, por outro ele desconfiaria muito mais deste assunto que ele viria a copiar, pois Minhas Palavras estão em total desacordo com seus conceitos católicos.
3) Mas este homem é também um ser humano, cuja fé é de grande importância que não seja destruída. Por isto ninguém deve copiar tais revelações, a não ser que seja um filho da luz de Schwedenborg, ou um visionário, ou ainda jovem suficiente para se reformar, ou que esteja em conflito com o papismo, ou que seja um parente teu e consequentemente um parente espiritual.
4) Vê, esta Palavra (a Nova Revelação) pode matar ou vivificar! Esta é a razão por que se tem de fazer uso dela com muito cuidado. A quem ela conquista a este ela jamais abandonará, ou para a Vida ou para a morte.
5) Mas sabendo que a Palavra pode nos levar tanto para a Vida como para o julgamento, Eu hoje permito que esta Palavra vivifique aquele que dela se apoderar em espírito, amor e vida; mas ai daquele que a ler sem entusiasmo, sem vida e amor, aquele que só a toma para no fim livrar-se do julgamento.
6) Pois é muito melhor não conhecer Meu Amor, do que se apoderar dele comedidamente, apesar dele ter se apresentado a todos em toda Sua Plenitude.
7) Quem tiver obtido a Luz e dela se afasta, este entrará nas trevas. Mas aquele que tiver obtido o Amor como Minha própria Vida e dele se afasta, este encontrará a Morte. E quanto mais Amor Meu tenha absorvido, mais difícil será livrar-se da Morte.
8) Cada raio da Luz do Amor é mortal para aquele que o receber sem estar preparado para tal revelação, enquanto que cada raio de Misericórdia jamais será mortal para quem quer que seja, da mesma maneira que os raios de um relâmpago não matam ninguém, mas se alguém for atingido pelo relâmpago em si (o raio original) ele será morto quando ainda estiver no seu estado natural. Mas se alguém for sonâmbulo, este aguenta um mar de relâmpagos sem receber qualquer tipo de prejuízo, pois o estado do sonâmbulo é similar ao do relâmpago.
9) Nisto deves reconhecer, porque eu não desejo e nem posso desejar que alguém consiga cópias destas Minhas Palavras vivas e cheias de Amor, antes do tempo. Se ele não estiver preparado, pode colocar a vida de seu espírito em perigo.
10) Tu certamente não conseguirás entender totalmente como isto pode ser possível. Pensa, porém: Seja uma árvore atrofiada que se encontra plantada numa rocha e consequentemente tem uma vida muito frágil... Será que tu a salvarás, se a transplantares do seu sítio frágil para um terreno bom e fértil? Vê, é melhor deixar os estabelecidos no local em que se encontram, pois uma mudança violenta lhes custará a vida.
11) Aguarda ainda um certo tempo com a cópia e tu receberás tudo, de uma maneira clara, boa e segura. Observa isto bem. Amém.

A lâmpada espiritual do autoconhecimento

Recebido por Jacob Lorber, em 21 de abril 1843


1) Dá esta mensagem a Meu filho no dia de seu aniversário, pois ele deseja saber por que a fraqueza é melhor do que a força.
2) Ouve tu, Meu amado amigo e irmão em Meu Amor por ti. O que são estes três textos da segunda carta aos Corintos - capítulo 12 ? Eu posso te dizer que já foram citados por Mim no Evangelho como também nos profetas, especialmente em Jô, em Jeremias e nos salmos de arrependimentos de David.
3) Mesmo assim, eles ainda são um pouco nebulosos para um olho espiritualmente fraco. Por isto, no dia do teu aniversário, vou te dar uma pequena lâmpada, cheia de óleo de misericórdia do Meu Amor por ti. Esta lâmpada vai aclarar estes textos, tanto que eles parecerão estar transpassados pela luz de um forte sol. Bem, ouve agora. Assim é e disto é feita a lâmpada:
4) Quando, em Minha vida terrena, tive que dar testemunho da existência de Deus ante os judeus escribas e fariseus, Eu apresentei o seguinte exemplo, tirado de situações da vida:
5) Bem lá na frente, no lugar mais próximo do Santíssimo, um fariseu elegante apresentava a seguinte oração de agradecimento a Deus: "Ó Senhor! Obrigado, Senhor, por me teres dado tanta força, pela qual, desde minha infância, consegui te servir fielmente e ainda nunca pequei contra uma de tuas leis, ó Senhor. Pois eu obedeci as leis de Moisés até o último pontinho, eu cumpri as obrigações de minha categoria com exatidão, eu te ofertei óbolos ricamente e continuamente e sempre dei o dízimo pontualmente. Eu jamais me tornei impuro, nem na manhã, nem ao meio dia, nem à noite. E jamais deixei de santificar o Sábado com nada. .
6) Por isto eu Te agradeço, meu Deus, com total e absoluto fervor de toda a força que me é dada tão bondosamente por Ti, pelo qual eu sempre caminhei, andei com a justiça na Tua presença e sou justo do topo de minha cabeça até a ponta de meu dedinho do pé, e não sou pecador feito os judeus comuns, feito os andarilhos vagabundos, feito os ladrões, assaltantes, assassinos e adúlteros, os ofensores do Sábado e comedores de carne suína, e nem de longe como os pecadores artistas públicos, comediantes, dançarinos, mágicos, publicanos e estelionatários e muito menos como os samaritanos ou similares”. Esta foi aproximadamente a oração de agradecimento do fariseu justo.
7) Bem no fundo do templo se encontrava um publicano pecador. Este quase não se atrevia a levantar os olhos e falava todo constrangido:
8) "Ó Senhor! Eu, pobre fraco pecador, não sou bom suficiente para olhar teu Santuário e ocupar este lugar no fundo de Teu templo. Sê misericordioso, ó Senhor, comigo, pobre e fraco pecador, se eu ainda for digno de receber uma atenção misericordiosa". Neste momento o publicano bateu no seu peito e abandonou o templo em prantos.
9) Qual destes dois saiu do templo redimido? Eu te digo hoje o que já disse naqueles dias: De jeito algum o arrogante fariseu, que Me jogava à cara sua perfeição e que se achava muito melhor do que todos os outros, mas sim o frágil publicano pecador, que se considerava o mais indigno de todos. Foi por isto que Eu fui à sua casa, comi e bebi em sua companhia e o chamei de irmão e o aceitei na irmandade de Meus Filhos.
10) Vê, pois, se o publicano se tornou um amigo Meu, o contrário aconteceu com o fariseu. E assim vereis claramente por que Paulo disse: “Para que a grandeza das revelações não me leve ao orgulho, me foi dado um espinho na carne, um anjo de Satanás (o amor carnal, a paixão), para me esbofetear."
11) O mesmo disse Jô: “O que é mais fácil do que se elevar a posições elevadas e se considerar melhor do que todos os irmãos aos quais não é outorgada tão elevada posição? Mas o que é também muito mais perigoso para o espírito humano, do que esta tão fácil elevação sobre seus semelhantes?"
12) Esta é razão por que tanto Paulo, como todos os outros evangelistas e pregadores, teve em sua carne uma constante advertência, para permanecer na sua humildade que lhe dizia: "Vê, tu és somente um homem e não um Deus! Toda vez que caíres na Minha frente, tantas vezes Eu te levantarei, para o que consta tal mazela em si”. Por isto ele Me pediu, por três vezes, para que Eu o libertasse de tal provação.
13) Mas Eu lhe respondi: "Permanece humildemente em Minha Misericórdia, pois Meu poder somente é possível na tua fragilidade"; quer dizer, logo que reconheças tua fragilidade. Assim aconteceu com Paulo que disse: "Vou então alegremente glorificar minha fragilidade, para que a Força do Cristo consiga habitar sempre em mim. É por isto que eu, Paulo, estou sempre de bom humor na minha fragilidade, na desgraça, nas perseguições, nas dificuldades e temores pela vontade de Cristo. Pois sei que somente serei forte, quando for frágil!"
14) E por que isto? Paulo sabia muito bem que Eu estou bem mais próximo do fraco e humildade, do que daquele que se considera totalmente forte.
15) Ao caminhar, quem cai mais vezes que uma criancinha? E, no entanto Eu digo: “Enquanto não vos tornardes idênticos aos pequeninos, não conseguireis entrar no Meu Reino no Céu”. Com isto podes entender bem por que Paulo glorificava sua fragilidade.
16) Neste ensinamento também compreenderás por que o pastor abandona suas 99 ovelhas, para procurar aquela que se perdeu do rebanho. E no momento em que a encontra, cheio de alegria, a coloca sobre seus ombros e a carrega feliz para casa. Desta fragilidade glorificada por Paulo poderás entender com clareza por que o Pai foi ao encontro do seu filho perdido, o acolheu, lhe preparou um banquete, lhe entregou o anel do senhor, o enfeitou e lhe ofereceu grande honraria.
17) Acho que agora, municiado com esta luminária tão grande e clara, não te será difícil entender o vosso Pai e Deus Jesus. E ainda acrescento:
18) Aquele que, mesmo frágil, não foge à luta e consegue a vitória, Me é milhares de vezes mais agradável do que o forte, para quem a vitória é uma ninharia. Quando o frágil cair, lá estarei Eu para levantá-lo, não importa quantas quedas ele tiver. Mas o forte, este, se sofrer uma queda, que se levante por si só.
19) Que isto te sirva como uma corda que te ligue a Mim, Jesus. Pois Eu amarro com a mesma a tua fragilidade à Minha Força. Tem certeza disto agora e eternamente. Eu, teu Pai amoroso Jesus. Amém.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx





1   ...   28   29   30   31   32   33   34   35   ...   56


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal