Palavras de agradecimento do servo


Recado a certa pessoa que veio visitar alguém do grupo



Baixar 2.41 Mb.
Página22/56
Encontro11.06.2018
Tamanho2.41 Mb.
1   ...   18   19   20   21   22   23   24   25   ...   56

Recado a certa pessoa que veio visitar alguém do grupo

1 – Por acaso desejais ouvir aquele que veio visitar um de vosso grupo por causa de uma determinada irmã vossa, sendo ela uma fiel cúmplice dos servidores de Babel? Vede, ela começa tudo com muito jeito, a fim de conseguir vantagens para si por meio dos indignos, dos totalmente cegos, e da casta de religiosos (ou melhor, eles o conseguirão por intermédio dela).

2 – Eu, porém, vos digo que lhes será muito difícil lamber um galho cheio de espinhos. Quem quiser Me desafiar terá dado o seu último passo.
3 – Mas se a irmã, a que é casada, desejar praticar uma caridade, uma que Me seja agradável, então ela que vá procurar os pobres órfãos necessitados e adotá-los como se filhos fossem. Com isto ela preparará um tesouro no Céu. Se não for assim, no Além só receberá o pagamento do mundo.
4 – E se uma criança por Mim dada à vossa proteção se tornar supérflua, Eu a posso trazer de volta para Mim a qualquer momento. E assim, não tereis que vos desfazer de um filho (segundo um conselho traiçoeiro e maldoso dela), fazendo com que ele, longe de vossos olhos e ouvidos, se transforme num precoce traidor da Minha Bênção e Misericórdia que agora vos estou dando.
5 – (À pessoa do grupo que foi visitada) Dize à tua irmã cheia de preconceitos e com a alma deteriorada que tu preferes adotar ainda mais três crianças, do que deixar que uma única se afaste de ti antes do tempo. E que no futuro ela se preocupe somente consigo mesma, para que se liberte do espírito negro e estrangulador, pois é isto que ela precisa! Por nada mais ela deve se preocupar.
6 – O espírito que a possui é um antigo espírito da casta sacerdotal de Babilônica; em outras palavras, um discípulo de uma igreja que serve ao mundo material e não a Mim, pelo qual ela esteve apaixonada (como está na atualidade), que “transforma” o céu em inferno e vice-versa. Ele diz ser o diabo e senhor de toda morte, e que a matéria morta é sim o Deus eterno e vivo.
7 – Pobre e totalmente cego, enganado e enganador, vil inquilino da tiara romana... Eu, porém, vos digo: Estai atentos e cuidadosos ante os ataques sorrateiros de Satã! Ele deseja destruir Minha Obra!
8 – Ficai com vossos filhos junto a vós e orientai-os no Meu ensinamento! E Eu já aqui - e não somente no Além - os adotarei como Meus verdadeiros filhos e Me empenharei por eles agora e sempre.

(À pessoa do grupo que foi visitada) A tua irmã, porém, está com a cabeça cheia da clausura, o que já é uma prisão para o corpo, mas muito mais para o espírito. Ao espírito ela só levará a morte, e muito pouco dela se conseguirá libertar para vida.

9 – Da mesma maneira que já falei e dei o nome a estes “caridosos” da casta sacerdotal, já vos dei informações precisas sobre estas “irmãs-cinzas” e de como elas se encontram em Meu Livro. Eu agora vos digo: Maldito seja tal “caridoso” que veste roupas por ele criadas para se diferenciar e destacar dentre os outros! Quem não realiza a caridade bem escondidinha e com total desprendimento é um “caridoso do mal”.


10 – Ficai, pois, com vossos filhos sob vosso teto. Educai-os em Meu Nome, que Eu lhes serei um verdadeiro Pai.
11 – Isto falo Eu, vosso Pai, que é santo, santo, santo. Amém.

A finalidade das montanhas

Recebido por Jacob Lorber, em 17 de julho de 1841


Hoje recebemos pelo servo de Deus, Jacob Lorber, a seguinte revelação como continuação à anterior:
1 – O que é que são os Alpes, os picos mais elevados e os pequenos morros que se elevam sobre o plano da crosta terrestre? Nada mais que um grãozinho de poeira que se guarda numa maçã que caiu da árvore, numa estrada poeirenta. Mas o grão de poeira é solto, enquanto que as montanhas são elevações que se originam do interior da Terra. Com o que devemos comparar as montanhas? Será que com a poeira da maçã, com as irregularidades da casca da noz, ou então com as verruguinhas da casca de um ovo?
2 – Nem um nem outro serve para a comparação. Mas tomai os três exemplos juntos, e cada um responderá por alguma característica da Terra.
3 – Porém, qual é a que tomaremos em primeiro lugar? Aqui há pouco para escolher, mas se tomardes as três de uma só vez, aí sim teremos a medida exata.
4 – Por acaso a maçã tem que cair da árvore para ficar empoeirada? Ou ventos não podem levantar poeira da rua e empoeirar a maçã?
5 – Ou então, o que acontece com a noz? A fruta interna se adapta às irregularidades da casca, ou é ao contrário? Aqui tudo ficará melhor, se observarmos a constituição do fruto, pois todos fazem sua roupa adaptada ao corpo, não adaptam o corpo à roupa. Então o efeito começa no interior e não de fora para dentro, pois a força da vida sempre mora no centro, jamais na parte externa, na roupa.
6 – Mas o que pode se dizer das verruguinhas na casca do ovo? Como elas se originam e porque elas existem? É bem mais fácil para a galinha pôr um ovo totalmente liso, do que um coberto de milhares e milhares de pequenas verrugas. Não seria fácil dizer também o seguinte: “Para que as montanhas na superfície da Terra? Uma Terra lisa faria a rotação com mais facilidade sobre seu eixo, do que uma semeada de inúmeras montanhas”.

7 – Cabe observar então quem forçaria o ar e a água a acompanhar a Terra na rotação, pois nada está amarrado à mesma com correntes, de modo a ser forçado a ficar no lugar onde está, bem fixo à superfície.


8 – Se o ovo não possuísse verruguinhas, em que se apoiariam os nervos de pressão e de expulsão dos canais do ovário da galinha, para levar o mesmo (o ovo) para o exterior? E ao se encontrar na atmosfera externa, se não possuísse as tais verruguinhas, com o que ele receberia os fluidos eletromagnéticos que servem para a continuidade do ciclo vital e para a manutenção da matéria vital? E quando estiver sendo chocado, como captaria o calor do peito da galinha, ou dos raios do sol, ou também das areias aquecidas?
9 – Se não existissem as montanhas e a Terra fosse uma bola lisa, então em todos os cantos, mesmo no equador, o clima seria como o cume do Cheimboraço, ou como no polo norte, lá onde a neve eterna existe.
10 – As montanhas são para a Terra o mesmo que a verrugas são para o ovo. Elas não são somente condutoras de ar, mas atuam muito mais como absorventes de calor. O calor que absorvem do oxigênio só podem depositar nos vales e nas planícies mais baixas.
11 – Mas nas planícies bem extensas e muito distantes das montanhas, lá encontrareis menos vegetação, muitas vezes nenhuma, como acontece nos picos das montanhas. Isto se dá por um motivo duplo:
12 – Em primeiro lugar, por estarem longe demais das montanhas, lá nestas planícies há menos calor fertilizante. Com relação ao calor escaldante, ele não vem de outro lugar do que das plantações vizinhas, que cobrem as planícies com o hidrogênio que delas emanam. O mesmo hidrogênio também concentra os raios solares, e o ar atmosférico e os absorve e conduz. Como já foi dito, este calor não é um calor fertilizante, mas se iguala ao calor emitido por brasas ardentes num ambiente fechado. Se não é muito maléfico à vida animal, é simplesmente destrutivo para a vida das plantas. Não é difícil provar que onde a vida vegetal acaba, não há muito tempo para a vida animal continuar.
13 – Há regiões na África e no Sul da América que regiões frutíferas exalam hidrogênio em tal quantidade, que um mar de chuva se estende sobre os campos, pradarias e desertos de tal maneira, que toda a vida ali é destruída, como se tivesse sido jogada dentro de um forno em chamas.
14 – Mas há outra razão para estas regiões serem estéreis: elas sofrem uma grande falta d`água. Podeis viajar pelo mundo todo e dificilmente encontrareis uma só montanha que não tenha em seu sopé fontes de água boa.

15 – As montanhas, já conhecidas como “condutores de água e ar”, ainda são “criadoras de calor vital”. Elas também são “canalizadoras de água” em sentido duplo. Como já sabeis, todas elas se encontram situadas sobre bacias de águas profundas. Então, com sua pressão constante, elas levam a água a alturas bem razoáveis. Isto explica por que muitas montanhas têm aos seus pés fontes de água pura e cristalina.


16 – Como o ar atmosférico deve ser constantemente impregnado por vapores, os quais às vezes se originam do éter em busca da primitiva vida animal, então as montanhas são como os pólipos do mar, constantemente esfomeadas, e cada umidade que se lhes aproxima é por elas sugada e aprisionada. Por meio desta “água etérea” a vida subterrânea se inicia. A água passa por um processo químico e é de certa forma purificada, para que se torne útil para a vida. Pois a água não-purificada que vem do interior da Terra é tão inútil para a vida, como o é a etérea.
17 – Não deveis achar que “água etérea” é o mesmo que água da chuva, a qual só aparece quando nuvens que vêm das montanhas vizinhas por elas são saturadas de oxigênio. A “água etérea” não é formada de gotas, mas está na atmosfera, especialmente sobre as montanhas.
18 – A primeira visibilidade da “água etérea” se anuncia nas chamadas nuvens “carneirinhos”. Quando estas lentamente ficam cada vez mais etéreas e mais pesadas, então elas caem cada vez mais baixas, até alcançarem a região média de nuvens, onde começam a sugar o oxigênio para seu interior. E quando lá de uma certa forma se tornam um pouco “pesadas de vida”, então elas descem para regiões inferiores, nas regiões dos nevoeiros das montanhas, que começam a retirar a eletricidade das nuvens.
19 – Então começa a ventar com muita força nas montanhas. Quem não acreditar que os ventos não são nada mais que eletricidade vinda das nuvens (dos nevoeiros das montanhas), que trate de subir a uma destas montanhas com uma placa de absorção elétrica ou então com uma “pipa elétrica” e amarre esta placa numa barra de vidro, ou numa chapa coberta de resina. Se tiver coragem, aproxime-se da mesma e logo receberá - para sua educação - um golpe luminoso e fatal, que sobre ele se abaterá na velocidade de um raio.

20 – Vede, desta forma as montanhas também são, de uma certe forma, “condutores de água”.


21 – O que mais são então as montanhas? Não é necessário viajar muito para o planalto. Logo começareis a ver todo tipo de minerais que vos mostrarão o que as montanhas ainda são. Elas são fabricadas de todo tipo de minerais e metais!
22 – De onde vêm os metais nas montanhas? Eles vêm, tal qual a água, debaixo e de cima. Há um produto que vem de cima, das inúmeras estrelas do firmamento. Debaixo há produtos, em primeiro lugar, do fogo subterrâneo; em segundo lugar, há produtos das eternas polaridades que se agridem constantemente e que são sempre variáveis.
23 – Há uma grande variedade de metais e todos têm uma única e mesma causa original. Não dá para ser diferente! Numa pradaria existe uma variedade singular de ervas, mas em todo o lugar existe o mesmo solo, a mesma luz, o mesmo sol e a mesma chuva.
24 – Os homens não conseguem fazer o mesmo. Nenhum homem consegue fazer furos de vários tamanhos com a mesma furadeira, ou levantar com uma mesma força diferentes pesos. Ninguém consegue construir ou mesmo usar uma máquina furadeira cuja ponta é mais fina que o pensamento e cuja broca pode se estender para os mais longínquos recantos imagináveis do universo. E também ninguém consegue inventar uma alavanca que retire um sol central de seu centro.
25 – Vede, já que o homem não consegue inventar nem duas ferramentas tão simples, então como ele se comportaria para esclarecer como de uma única causa podem se realizar uma infinidade de variedades e verdades? Como provar que todos os metais nas montanhas se originam de uma única fonte, mas que nenhum é igual ao outro?
26 – Somente Aquele a quem conheceis consegue isto, conhece a arte significativa de preparar cores diferentes em um único caldeirão. Se colocardes uma variedade de tecidos no caldeirão, não conseguireis retirar do mesmo um pedaço com a mesma coloração do outro.
27 – Pois bem, após isto, a explicação é simples. Se aqui encontramos ferro, lá zinco, em outro lugar chumbo, prata, cobre ou semelhantes, nada mais é preciso para que cada uma das montanhas obtenha uma forma e uma qualidade diferenciada. Com o mesmo material que cada uma suga para si, consegue-se produzir diferentes metais.
28 – Quem ainda não consegue compreender isto pode fazer a seguinte experiência, que logo a luz se fará nele:
29 – Pegar um vasilhame bem espaçoso, por exemplo, um vaso de plantas bem grande; colocar nele a mesma terra, mas plantar nesta terra diferentes sementes; regar tudo com uma água quimicamente igual (com respeito aos raios solares, não é preciso se preocupar em absoluto, pois ainda são tal qual eram a trilhões de anos). Ao se observar a plantação, ver-se-á que a tarefa foi totalmente desnecessária. Pois de uma semente de cravo nascerá um cravo; de uma semente de violeta, uma violeta; de cada semente nascerá a planta correspondente, com todas as suas qualidades próprias.
30 – Quem pensar só um pouquinho e tiver em sua mente uma pequena faísca de vida que o leve para cima e não para baixo, se perguntará: “Como isto é possível? De uma mesma qualidade de terra, de uma mesma qualidade de água e de uma mesma qualidade de luz e calor, se consegue produzir uma tal variedade de produtos? E se eu examinar todas estas sementes quimicamente, encontrarei na origem um único tipo de material base. Mesmo que eu queime todas as plantas diferentes, sobrará um único tipo de cinza”.
31 Se eu centrifugar cada planta em separado, obterei de cada uma um suco de sabor e cheiro diferente. Mas se eu decompor quimicamente os sucos, no fim se constata que tudo é a mesma coisa. Eu chego ao carbono e ao oxigênio e assim posso considerar minha árdua experiência como finalizada e concluir que tudo não passou de um grande trabalho”.
32 – Quem chegou a esta conclusão já se encontra no umbral do pátio de entrada. Se ele bater à porta, poderá entrar com certeza; não imediatamente no templo, mas adentrará, nem que seja ao jardim. E é melhor estar ali e se encontrar na melhor saúde espiritual, do que permanecer na margem do Siloa com o corpo espiritual alquebrado, aguardando a chegada de um anjo salvador. Pois quem algo perdeu que comece a procurar, para reencontrar o objeto perdido. Isto é melhor do que aguardar despreocupadamente que um socorro venha e lhe entregue o tesouro perdido. Há que se procurar e de trabalhar alegremente.

33 – A Terra é um lugar cheio de montanhas, abismos, fendas, canais, vales e planícies. Em alguns lugares é completamente coberta por vegetação densa, às vezes impossíveis de se passar. Quem então tiver um tesouro e não o segurar com muita força, facilmente poderá cair e desaparecer. Quando isto acontecer, será muito difícil encontrar-se de novo, sendo este um planeta tão cheio de buracos tenebrosos e escuros. E se alguém perdeu algo, mas não dá a mínima importância e não tenta nem procurar, como poderá achá-lo de novo, se ainda por cima tem aversão a fotos?


34 – Em verdade, alguém assim não se tornará ativo em nada, mesmo que tenha escalado todas as montanhas. Todo aquele que escala uma montanha tem muito trabalho para alcançar seu cume.
35 – Mas qual é o prêmio para tal esforço? Para alguns o prêmio mais importante é olhar a vista, observar as outras montanhas, as vilas. Já o prazer principal - inspirar o ar límpido e vibrante da vida - isto ele recebe na maior indiferença.
36 – É assim é o homem naturalista: um constante escalador de sua altamente elogiada razão; ele escala de uma razão à outra, continuamente. Tão logo chega a um novo cume, acha que ainda não alcançou o mais bonito pico e planeja escalar um cume diferente. Assim corre de cume em cume, sem enxergar o mais importante e o que o satisfaria plenamente: a inspiração da Vida. Diz um pagão sábio: “O homem, com sua audácia, poderá conquistar ao céu. O que me impediria de conquistar o pico desta montanha?”. E no falar, começa a ação!
37 – Com grande esforço o homem escala mais um pico, com a ilusão que deste cume poderá ver nem que seja a metade da Terra, mas também aqui suas expectativas não se realizam. Entretanto este monte tem outros maiores atrás dele. O montanhista então começa a planejar mais e mais escaladas e deseja no fundo escalar todos de uma só vez.
38 – É assim é com a mente dos homens. Ela vai de um pico de intelecto a outro, mas o que é que ela enxerga em todos os cumes? Nada além de montanhas cada vez mais altas e geleiras que para ela são inalcançáveis. Um homem será abençoado, se após esta longa procura intelectual conseguir dizer: “Não é possível enxergar toda a Terra de uma única montanha. Quanto mais tenhamos visto, tanto mais claro se nos torna que, ante tudo aquilo que ainda existe para ser visto, não vimos quase nada”. Traduzindo, isto significa que aqueles que na sua ciência intelectual conseguiram chegar mais longe são os que reconhecem que nada sabem.
39 – Para vós Eu, porém, digo: Não é difícil limpar a poeira de uma maçã, pois o pó só está na casca. Seria mais difícil polir uma noz até ficar bem lisa e muito, mas muito mais difícil, desbastar as verrugas de um ovo sem quebrar a casca.
40 – A Terra em verdade é uma “maçã empoeirada”, pois nela se encontra a poeira de ruínas (o grande planeta que ficava entre Marte e Júpiter cujos pedaços maiores são conhecidos como asteroides e os menores caíram na Terra feito poeira - Grande. Evangelho de João / volume 8 / capítulos 74 a 76). Além disso, ela também é uma “maçã empoeirada” por estar envolta num cinturão de poeira atômica etérea. E em terceiro lugar, em sentido espiritual, ela é uma maçã bem suja, pois está coberta por um véu bem espesso de nuvens de poeira, as quais só permitem que em poucos lugares a luz brilhante do Sol espiritual consiga chegar à sua superfície.
41 – Além disso, a Terra é uma noz, pois primeiramente ela tem uma tarefa bem dura para cada um de seus habitantes: a dificuldade para abri-la. Em segundo lugar, é uma “noz” porque na sua crosta ela demonstra todas as irregularidades que existem em seu interior. Estas constituições rugosas são as cadeias de montanhas primárias, tal qual as excrescências das rugas internas da noz. Em terceiro lugar, é uma “noz” porque todo aquele que a habita e deseja penetrar na vida interna livre do espírito tem que descartar uma cobertura bem amarga, acrescida de uma casca dura, até conseguir chegar ao fruto vivo da vida.
42 – A Terra também é um “ovo”, pois quem deseja conhecer o interior da Terra, este que cozinhe um ovo, o parta em dois e o estude com um microscópio bem potente. Assim terá uma ideia bem próxima da constituição terráquea. Ela é um “ovo” também, porque com o calor do Sol fará nascer vários pintinhos. Em sentido espiritual a Terra é igual a um ovo, pois, tal como ele, só produz vida nova no calor, na paz e no silêncio. O homem também só na sua calma, na sua silenciosa humildade e no seu calor é que conseguirá chegar a Mim e será renascido. Nesta situação ele é igual ao pintinho que se liberta de sua prisão, sai da mesma cheio de vida e, sem nenhum problema, abandona a casca e vai em frente para a vida.
43 – Assim o homem também deveria ser espiritualmente. Só assim ele consegue enxergar - desde qualquer profundeza ou desde o cume de qualquer montanha - não somente a Terra toda, mas sim uma constelação solar, baseado nos elevados sentimentos da vida espiritual livre.
44 – Finalmente, que a escalada desta montanha sirva para que vos conscientizeis que o caminho para a vida eterna não é nada mais fácil do que esta escalada material.
45 – Pois, à distância, todos acham que a montanha não é muito alta. Mas ao se aproximar dela cada vez mais, deixa-se de ver seu cume. E quando se inicia a escalada desde o sopé, crê-se que cada morrinho sem vegetação é o ponto culminante da montanha. Mas à medida que vai subindo, o alpinista se convence cada vez mais que ainda terá que enfrentar sérias dificuldades até conseguir chegar ao pico e de lá ver o luminoso “sinal triangular da vida eterna”. Daí então será surpreendido pelo mais elevado sentimento, do qual não tinha a mínima ideia.
46 – Considerai bem este apêndice em vossos corações. Segurai firmemente a “bandeira” em vossas mãos. Cuidai bem de tudo que é espiritual, de valor incalculável e que vos foi dado em tamanha quantidade.
47 – Olhai bem tudo e estudai o que vos foi dado. Não só encontrareis universos nas montanhas, mas também em grãozinhos de areia. Amém. Amém.


Fariseus da atualidade

Recebido por Jacob Lorber, em 19 de julho de 1841

1 – Não comeces a escrever a obra principal hoje (Criação de Deus e O Saturno). Hoje o que te incomoda são as prédicas e comentários dos pregadores aguerridos, estes que estão cheios de egoísmo, pois eles desejam muito os tesouros da Terra ou então estão correndo atrás do “paraíso” como é apresentado pelos maometanos (e que realmente não existem lugar algum nem jamais existirá). A Mim eles louvam e glorificam somente por causa do tal “paraíso”, mas na maioria das vezes o fazem somente proforma por causa dos bens materiais e das posições elevadas de poder; não existe quase nenhum dentre eles que Me louve e Me ame por Mim mesmo.
2 – Mas para que tu e aqueles que te são iguais em pensamentos e sentimentos consigais um consolo adequado, ledes o capítulo 23 de Mateus, os versículos 13, 14 e 15 muito especialmente. Estes três versículos vos darão suficientes esclarecimentos sobre os fariseus da atualidade, para os quais os fariseus judaicos foram um exemplo e mestres proféticos.
3 – Logo vá a Lucas capítulo 23 e também aos versículos 13, 14 e 15. Lá encontrarás o testemunho de Pilatos sobre Mim e um grande consolo e alívio para ti. E novamente verás o verdadeiro “caso de amor” dos fariseus atuais Comigo. Ou tu por acaso achas que se Eu hoje chegasse ao mundo e tentasse discutir o poder do papa, achas que eles não seriam muito piores que Caifás o foi?
4 – Em verdade, eles iriam a todos os governantes para convencê-los de que Eu seria o arqui-inimigo herege e que deveria ser castigado exemplarmente: queimado vivo na fogueira. Crucificado Eu já sou diariamente ou a cada instante e milhares de vezes, também vendido e traído. Tu compreendes isto com certeza!
5 – No capitulo 13 de João no versículo 18, tu vais descobrir o que estes “comedores de pão” e “bebedores de vinho” de fato são e o que eles acham de Mim (geralmente são contra Mim). Pois, em verdade, eles são aqueles que sempre Me trataram aos pontapés!
6 – Entende bem: para eles Judas não era nada mais que um profeta mau, e eles agora são “in corpore” o que Judas foi então.
7 – A tua situação e a dos teus amigos podeis medir no capítulo 3 - versículos 12-14 das epístolas de Paulo aos romanos. Lá vereis como estais hoje e o que deveis fazer continuamente. Pois as obras das trevas não têm nenhum valor durante o dia! Quem quiser lutar, que lute com as armas da luz, e deixe que os comilões e beberrões pereçam em suas câmeras. Vós, porém, sede honrados em tudo e não vos unais a estes beberrões e comilões, mas sim permanecei unidos a Mim em amor, paciência, mansidão, e assim estais a Me atrair e vós tereis a vida.
8 – Mas quando estiverdes a cuidar de vossos corpos, não permitais que eles se tornem obesos e que quase vos afogueis na carne e tudo mais que significa carne. Entendei bem: vós todos ainda possuis muita “carne”. Aquele que cair na carne, este terá mais trabalho para se levantar, do que um elefante carregado que caiu num lamaçal.

9 – Por isto escrevei com letras bem grandes em vossos corações o versículo 14 da epístola mencionada, e assim trilhareis em caminho sem obstáculos! Amém.


10 – Isto falo Eu, a quem os construtores desprezaram e sobre o qual sempre têm-se lançado injurias e continuarão sempre. Amém.
--------------------------------------------------------------------------------------------------


Agradecimento do Servo

11 – Meu amado Senhor Jesus, Tu, verdadeiro consolador. Sempre encontras o mais certo para dizer e a palavra de consolo mais eficaz para nós, pobres pecadores. Por isto, aceita nossa eterna gratidão, eterno louvor e todo nosso amor e adoração! E sempre aleluia e hosanas a Ti e a Teu nome santo. Amém.




Palavra de advertência e de consolo

Recebido por Jacob Lorber, em 31 de julho de 1841



1 – Escreve uma palavrinha de advertência e de consolo a estas filhas que tem este amor de “castas” que sente por Mim em grande consideração estás “prisioneira em espírito e em corpo” (pois se encontram enclausurado num convento) elas que dão mais importância a livrinhos de orações escritos por alguém que às vezes está com a mente deturpada do que a Minha Palavra, que dão mais importância e mais valor aos ditos “santos” ou clérigos que a Mim. Que se ligue mais aos “santos do calendário” e às cerimônias mais elaboradas do que eram aos pagãos, que dão mais valor a confissão do que ao real arrependimento. Que se confessem diariamente, mas logo em seguida cometem os mesmos pecados de sempre. Elas que consideram verdade tantos truques enganosos dos conventos que se escondem das Escrituras Santas, e que consideram heresia tudo o que nele se fala sobre amor, vida, e quem ver o livro sagrado é quase considerado um bruxo. Adoram livrinhos de meditação escritos em latim (que geralmente não entendem) por monges históricos, aos quais quase consideram como deuses.
2 – Pobres cegas! Com certeza, no futuro, lhes será dada uma luz bem mais clara, mas para isto elas não podem estar baseadas nos seus privilégios clericais, devem ser destituídas de privilégios.
3 – Que aqui seja a palavra de advertência e consolo a essa filha desgarrada e enrolada.
4 – Procura a Mim na verdadeira humildade e no amor interno. Na paciência e na piedade! Pois se tu Me procurares, a Mim, só a Mim, estão Me encontrarás! E se Me tiverdes encontrado, então encontraste tudo! Pois só Eu sou o grande tesouro de todos os tesouros e sou muito mais que todos os mundos e céus.
5 – Se tu Me procuras, aí tens que Me procurar em ti e não nos outros. Será possível procurar lá longe Aquele que continuamente habita teu coração e te aguarda? Da mesma maneira que não vives tua vida num corpo estranho, mas sim no teu próprio, estão tu deves também começar a viver em Mim e Me procurar dentro de ti. Ali tu Me encontrarás! Pois para ti, Eu só moro em ti. E se não fosse assim, como poderias viver, respirar, pensar, sentir e reconhecer e então orar para Mim?
6 – Vê, esse é o caminho certo que leva a Mim! Todos os outros levam a desvios. Anda livremente nesse aqui, que assim encontrarás facilmente a meta desejada. Caminha nele livremente, sem temor, cheio de confiança. Logo reconhecerás como é leve Meu jugo e como a Minha carga não pesa nada.
7 – Usa de ler o Novo Testamento, e lá acharás a verdadeira escola da vida. E se começares a agir de acordo com os ensinamentos dele, então serás coberto de fachos de luz e de ti fluirá a água da vida.
8 – Sê feliz e alegre na tua pobreza, pois quanto menos alguém tiver com o mundo e seus ídolos mortos, tanto mais estará junto a Mim e tanto mais juros terás para receber quando aqui chegares. Por isso, sê feliz, pois estou mais perto de ti, do que imaginas!
9 – Ao leres o Novo Testamento, observa em primeiro lugar João capítulo 15 - versículo 17 ao 23. Lá encontrarás um tesouro enorme oculto. Ele se te revelará, e tu terás uma grande surpresa, pois verás a “chave verdadeira” com a qual abrirás o quartinho no qual Eu te aguardo. Amém.
10 – Isto fala o verdadeiro noivo, por intermédio desse Seu servo preguiçoso. Amém.
11 – P.S.: A chave (ou então as portas abertas do Reino) já foi apresentada nos quatro últimos versículos desse capítulo, os 24, 25, 26 e especialmente o 27. Pois o que aqui foi dito aos apóstolos, isto foi dito para o mundo. Isso fala o Primeiro e o Último. Amém.
Recomendações para o servo escrevente

Recebido por Jacob Lorber, em 08 de agosto de 1841

1 – Escreve, Eu já sei há muito tempo o que vós dois desejais.
2 – Tu Meu servo, considera bem a tarefa que Eu te dei, e o quanto ainda tens que fazer até que tenhas acabado a obra principal. Pois de hoje em diante ainda precisas de tanto tempo, quanto o gasto até o momento. A obra ainda precisa de tanto tempo, quanto o gasto até o momento. A obra ainda precisará de mais um ano, pois tu não és um escrevente muito eficaz. Seria bom que tu dispusesses de cinco horas por dia para a Minha Obra.
3 – Pois os temas que ainda faltam na obra principal são: uma visita de três dias à casa de Adão (após o Sábado), onde aconteceram coisas inimagináveis e que todos devereis observar muito bem; depois a volta para a planície e uma visão rápida de todos os povos da Terra; depois a morte de Adão, aos poucos a história dos seus filhos principais até a época de Noé e a miscigenação dos filhos de Jeová com as lindas filhas das planícies do mundo. Além disso e rapidamente: uma visão das guerras de Jeová; a convocação de Noé; os pregadores à penitência enviados aos vales; o início da construção da arca de Noé, seu trabalho escarnecido e seus guardiões. Logo a seguir: os grandes terremotos; sinais visíveis no firmamento, e finalmente o dilúvio com todas as suas consequências. E depois disto: um pouco mais até Abraão; o sumo sacerdote Melquisedec, e mais algumas palavras de encerramento.
4 – Ao terminar a obra principal, deve-se inserir algumas mensagens que já foram dadas, as quais serão indicadas no tempo certo.
5 – Vê, isto é o que falta da obra principal (Criação de Deus). Ainda existem umas grandes quantidades de revelações sobre a natureza e revelações sobre as estrelas e todo o firmamento, como também do mundo espiritual que existe sobre e entre sóis, corpos celestiais, planetas, luas e cometas.
6 – Faze as contas, para ver como conseguirás acabar tudo isto em dois anos. Pois até lá deve estar pronta, quero dizer, se a desejares e se for importante para ti.
7 – Se não for importante o suficiente, Eu já tenho outras pessoas, em países diferentes que adorariam receber esse presente e acaba-lo até a última vírgula.
8 – Vê, Eu não te digo o que tu deves fazer, mas como tu tens a Minha Palavra, tu deves te dedicar a ela diariamente (com exceção dos feriados), oito horas por dia, por dois anos, a fim de terminar tudo que é de extrema importância.
9 – Pois desta obra os homens devem reconhecer quão tola e inútil é sua atividade mundana.
10 – Quanto ao que desejas fazer além, para tal tens plena liberdade. Mas amplo é o pecado da preguiça quando uma pessoa posterga uma tarefa abençoada que recebeu de Mim, antes que Eu a retire de uma ou outra maneira.

11 – Vê, Eu te fiz espiritualizado para as pessoas, te tornei um mestre do coração e do amor. E fazer isso e dirigir tua vida de acordo com a Palavra, é esta a missão que Eu te imponho. Não penses em receber prêmios por receberes tais dádivas, pois isso é uma enorme graça, dada somente a poucos. Para ser premiado, o único que conta é viver de acordo com a Palavra, no Amor, na Paciência, na Mansidão, na completa fé e confiança, em todo tipo de abnegação, carregando a cruz sem revolta, tal como também doenças e sofrimentos, pois é assim que o coração fica totalmente limpo de todas as impurezas do mundo.


12 – Eis, pois, quanto tens que “labutar” para exercer tua mestria. Dificilmente poderás assim ter mais alguma tarefa. Mas morar tu podes em qualquer lugar, somente não junto a uma prostituta.
13 – Se for para o bem de teu irmão, podes ajudá-lo em teus momentos de lazer, mas aceitar um emprego regular na casa dele te será absolutamente impossível. Mas se tu decidires te mudar para a casa dele, faze-o totalmente sem alarde. Pois o mundo desse local não deve saber nada sobre a obra que elaborais juntos, pois senão ficaria muito zangado e hostil, e vós sentiríeis as consequências.
14 – Compreende isso bem! Pois um certo alguém observa com mil olhos os teus movimentos e está à espreita para encontrar algo que chame a atenção. No momento em que teu amigo trocar de emprego e posição, então sim podereis vos reunir sem problemas. Agora, porém, só deveis vos encontrar tomando muito cuidado.
15 – E a ti, amigo de Meu servo, digo que existem pessoas que acreditam que Jacob Lober está transmitindo a ti e a teus filhos os ensinamentos de Lutero e todo tipo de heresias anticatólicas. Elas creem que as aulas de música sejam somente uma cobertura política.
16 – Quando Meu servo acabar suas atividades aqui e se mudar para tua casa, isto causará certo desconforto. É, portanto, mais inteligente que Meu servo permaneça morando no aposento dele por mais um mês e meio. Neste meio tempo, Eu vos mostrarei uma saída bem segura.
17 – Mas Meu servo não deve modificar seus hábitos de vida por enquanto. Até quando ele vier a se mudar para tua casa, deverás, se possível, almoçar com ele pelo menos duas ou três vezes por semana e visitá-lo diariamente.

Obs.: Lorber morou um tempo com Anselmo Huttembrenner (ou Ancheas Huttenbrenner), chamado pelo Pai de Willig.


18 – Mas tu também tens que te entender com tua mulher, pois ela poderá fazer exigências ao Meu servo. Pois os que são econômicos, muitas vezes simplificam as suas necessidades, e tu já entendes o que Eu quero dizer!
19 – Medita sobre o Meu conselho e age conforme.
20 – Isso fala Aquele a quem tudo é conhecido! Amém. Amém. Amém.

Conselho para os trabalhadores da vinha

Recebido por Jacob Lorber, em 10 de agosto de 1841

1 – Ouvi! É assim que se expressa o conselho da eterna Sabedoria e do grande Amor, teu Senhor, teu Deus, teu Criador e Salvador e, só após isto, teu Pai que é santo, santo, santo.
2 – Se tu desejas andar em companhia de pessoas do outro gênero com intenções de purificá-las, observa bem em primeiro lugar as profundezas de teu coração. Vê bem que não existe nenhuma diferença visível entre uma semeadura proveitosa e outrora totalmente inútil, venenosa e má mesmo.
3 – Um coração que não foi bem examinado é igual um solo não adubado, onde as ervas daninhas crescem melhor do que o trigo. Por isso, não permitas que tais semeaduras enganem, pois tu não sabes que tipo de fruto elas produzirão.
4 – Em Meu Nome podes te aproximar de qualquer pessoa, mas Meu Reino não encontrarás a não ser junto a Mim, pela fé, pelo amor e pela total renúncia; isto só acontecerá quando tiveres te separado completamente do mundo em todo teu coração.
5 – “Senhor, aqui estou! O mundo se tornou um nojo para mim. Tu, porém, és tudo para mim, tudo, tudo, tudo. Eu não quero nada mais do que a Ti, somente a Ti.”
6 – Vê, somente neste momento Eu posso chegar. Onde puderes ser útil, age em Meu Nome e presta atenção na profundidade e nos verdadeiros sentimentos de teu coração. Pois lá ainda existe todo tipo de sementes. Eu, porém, sempre acompanharei aquilo que farás em Meu Nome a todos aqueles que Eu te entregar.
7 – Com respeito à irmã sobre quem Me perguntaste, ela, na sua total mesquinhez, olha com um olho para o céu, para ver se de lá vem alguma ajuda, mas com o outro olha para o mundo, par ver se lá há algum tesouro e pedras preciosas para ela. Ela deverá dirigir ambos os olhos, ouvidos e especialmente o coração para Mim, sem delongas, pois só aqui é que ela encontrará o maior tesouro de todos, e a ajuda lhe será dada.
8 – Tu, porém, purifica e preserva teu coração de tal forma que, quando Eu chegar inesperadamente, Eu não Me sinta tentado a seguir adiante ou mesmo retornar, pelo estado em que encontrar teu coração. Considera que somente uma coisa é necessária, e quem a escolher como sua, já escolheu a melhor parte.
9 – Isso falo Eu, o eterno Redentor e contínuo “Renascedor”. Amém. Amém. Amém.
Uma nova luz do amor

(uma carta de Jacob Lorber a seu amigo Karl Gottfried von Leitner)

Em 20 de agosto de 1841

1 – Caro e muito honrado amigo! Seria-me totalmente impossível expressar por escrito tudo aquilo que vi, ouvi e senti, tanto material como espiritualmente; tenho certeza que ainda mais verei, ouvirei e sentirei. Em verdade, para locais lindos como este o homem deveria ter centenas de olhos, ouvidos e corações. Pois com os sentidos normais, nós aqui nos tornamos verdadeiros glutões. As maravilhas daqui quase nos fazem desmaiar de prazer e eu me pergunto: O que fazer com tantas coisas maravilhosas que estou a receber?


2 – Em verdade aqui existe excesso de tudo, especialmente para olhos espirituais. Eu observo e estudo todas estas montanhas tão altas e não quero perder nenhuma destas preciosidades da natureza, especialmente todas estas localidades espalhas pelos vales. Mas com respeito às atividades naturais e espirituais, meu caro amigo, tanta atividade eu não poderia ter imaginado jamais. Deveras, se um cego aqui, somente com alguma ajuda espiritual e médica não tornar a ver, então eu devo me tornar um negador de Deus. Pois quem aqui não se tornar um crente vivo por este batismo, a crisma será totalmente desperdiçada. Eu aqui experimentei coisas das quais não tinha a mínima ideia. Dentro de mim ascendeu-se uma luz totalmente nova. E nos raios desta luz infinita eu vejo um mar de milagres que se sobrepõem uns aos outros em sua maravilha.
3 – Querido amigo! Eu daqui só posso lhe dizer que, em primeiro lugar, já recebi muitas mensagens do meu elevado locutor e que espero ainda receber muitas bem extraordinárias e preciosas. Em segundo lugar, me atrevo a lhe afirmar que esta minha coletânea espiritual, tanto recebida oralmente como por escrito, não será sem importância.
4 – Pois é o seguinte o que eu ouço: “Uma luz nova Eu te dou. Não é bastante quebrar a crosta das coisas tal como a madeira e o miolo, o cerne também. Mas devemos ver o que será da crosta e da madeira e do miolo. Quem quiser ver isto este que cuide de que verá corretamente. Quem quiser ouvir, que coloque sua mão no peito e conte cada pulsação e considere de que sentimentos o coração esta em volto. Só então ele e todas as coisas terão se colocado no verdadeiro chão e na verdadeira posição. Entende bem! Vê esta é uma nova Luz do Amor que te mostrará o fruto que se está formando no miolo, o miolo, na madeira e a madeira na crosta. E também, dependendo de tuas ações, a vida eterna em ti. Vê, esta é uma nova luz e tudo o que aqui recebes te será iluminado nesta nova Luz. Amém. Entende isto bem. Amém”.
5 – Veja, meu querido amigo, deste pequeno exemplo pode aguardar grandes revelações que lhe causarão enorme alegria. Eu aqui sou só um coletor, mas espero em breve que você e todos os outros, meu amigo, recebam esta carta em boa saúde.

6 – A Misericórdia do Senhor Jesus Cristo e seu Amor estejam consigo, agora e eternamente. Amém.

Isso deseja sempre vosso amigo e irmão em espírito

Jacob Lorber

servo do Senhor

Mensagem pela morte de um filho

Recebido por Jacob Lorber, em 23 de outubro de 1841


1 – Dize isto àquele a quem Eu Me dignei visitar e levar para junto de Mim sua criança mais jovem, que na Terra lhe dei como filho. Pois ele está de luto e chora muito. Não reconhece que fui Eu quem lhe outorgou tamanha graça, cuja grandeza ele certamente não conseguirá entender em toda a eternidade.


2 – Mas se um rei do mundo lhe tivesse dito: “Não gostaria de me entregar esta tua criança para que eu a eduque, a torne uma grande e importante rainha, uma imperatriz mui poderosa e, quando tiver a educação e a idade certa, também a presenteie com muitos países?”, não teria ele ficado extremamente feliz e não expressaria alegremente seu agradecimento a este regente?
3 – Ou se um rei viesse a ele e nomeasse sua filhinha como única herdeira de boa parte de suas propriedades, o que faria em relação à tão bondoso rei? Ou se um príncipe pedisse a mão de sua filha para ser sua futura rainha, será que ele enxotaria tal candidato de sua casa?
4 – Mas o que é tudo isto comparado com Minha chegada, quando faço tudo isto, mas para a eternidade, para a vida eterna? Aí então o pai dela chora, se lamenta e fica de luto.
5 – Como tudo isto ainda é tão frágil... Para que se obtenha uma ajuda extraordinária, não são necessários meios extraordinários? Ou será que o medicamento não deve ser compatível com a doença, para conseguir-se a cura? Quem, ao mostrar sua ferida ao médico (que por sua vez coloca nela seus óleos medicinas), começa a chorar e se lamentar, justo quando o óleo começa a curar a ferida? Como ainda sois cegos!!!
6 – Se os sapatos vos apertam, então constantemente chamais por ajuda. E quando Eu finalmente chego, para vos auxiliar, libertar e fortificar, então vos encheis de tristeza. Por que isto? Porque vosso coração ainda é cego. Vós procurais a ajuda, mas temeis e fugis do remédio que vos curará.
7 – Vê, Eu te mostrei um caminho plano, abri uma porta que há muito existia e derrubei uma muralha que tudo dividia. Por um grande deserto instalarei aquedutos que levarão a água da vida, que a todos vivificará. Vê, o deserto florescerá, e tu estás triste por isto?
8 – Aprende a Me conhecer melhor no futuro, pois Eu sou teu Pai! Como te atreves a ficar triste, quando Eu, teu santo Pai, no mais Divino Amor, não mais quero te ver triste? Pois Eu, teu santo Pai, venho à tua casa para nela reger.
9 – Por isso, não mais fiques triste, pois Eu, teu santo e amoroso Pai, assim o quis. Considera isso, que viverás eternamente. Amém.




1   ...   18   19   20   21   22   23   24   25   ...   56


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal