Palavras de agradecimento do servo


Ensinamentos divinos infrutíferos



Baixar 2.41 Mb.
Página16/56
Encontro11.06.2018
Tamanho2.41 Mb.
1   ...   12   13   14   15   16   17   18   19   ...   56

Ensinamentos divinos infrutíferos

Recebido por Jacob Lorber, em 28 de fevereiro de 1841

1 – Em certos círculos assim chamados “divinos”, considerados melhores ou mais educados, onde as mais variadas seitas cristãs existem, a moral é ensinada sempre de acordo com os pensamentos dos que estão no poder, de acordo com suas tendências políticas, mas que proporcione aos mesmos (poderosos) muitas vantagens econômicas mundanas e algumas vezes religiosas. Deus é apresentado ao povo como algo nebuloso e escuro, indefinido, e o povo não pode conhecê-lo nem amá-lo, mas sim é levado a temê-lo como o mais tirânico dos tiranos. É assim que a divindade é apresentada, somente como um flagelo.
2 – Vós perguntais o que acontece com estas pessoas que estão nestes cárceres? Olhai só um pouco em direção ao amanhecer! Vede, lá existe um grande número de multidões pálidas como mortos, cercados de pessoas armadas e juizes maldosos, e mais ainda uma inúmera quantidade de instrumentos mortais com os quais estes infelizes serão executados. Mais lá podeis ver foguinhos, fumegantes, forças, cadafalsos e muitos outros instrumentos mortíferos. Vede, este é o último degrau de “melhorar” para estes obsedados morais! Vós então vos perguntais: “O que foi que todos estes infelizes fizeram”? Sim, entre eles existem assassinos e agitadores contra o estado. Existem ainda pessoas com todo tipo de enganos e crimes que provocaram grandes estragos ao estado, entre elas uns que violaram leis políticas ou morais. Vede todos os crimes daquelas pessoas infelizes ali expostas, pois servem para o homem justificar a execução da pena.
4 – Bem agora vamos apresentar uma outra pergunta: Onde está a origem, a causa pela qual estas pessoas se tornaram criminosas? Mesmo que perguntásseis a muitas pessoas por esta causa, a única resposta seria: A causa está ou na educação desajudada e abandonada, ou - o que é a mesma coisa - nos pais, avós e bisavós destas pessoas, os quais já eram assim. Eu pergunto novamente como aconteceu que estas pessoas obtiveram uma educação tão errada e má, que abandonou uma geração completa ao abandono?
5 – A resposta não está nada longe. A causa principal de tudo isto não é nada além da política indiferente, da classe de pessoas que estão no poder e que só pensam em deixar seus subalternos na mais negra escuridão de conhecimento, pois assim é mais fácil dominá-los, além do que temem o momento em que o povo Me conheça melhor e comece a ter maior consciência de seu verdadeiro destino. Isto acabaria com seu poder e suas riquezas materiais (*).
6 – Tolos. Um povo que reconhece Deus e seu destino, também é um povo obediente e cheio de boa vontade, e milhares deste povo esclarecido podem ser governados muito mais facilmente que alguns destes analfabetos embrutecidos que de Mim só conhecem de um a “talvez” existência de um tirano ou de um ser que qual vampiro suga de seus crentes até a última gota de sangue, e só então o coloca de joelhos orando sobre uma nuvem e só assim lhe dá a vida eterna.

(*) há que se considerar que esta mensagem foi dada em meados de 1800.

7 – Não achais que é bem claro por que todas as pessoas tratam de se livrar o mais possível de tal Deus maldoso? E mesmo que ainda possuam algum tipo de religião, esta não passa de puro cerimonial, e isto só fazem por razões políticas! A conseqüência disto já foi dito: A população faz de um todo para se afastar e se libertar de tudo que representa religião cristã e teologias, como dizeis. Por outro lado, começam a acontecer cismas religiosas e novas seitas se criam. Isto foi feito por homens que viram que todos os ensinamentos teológicos eram uma grande idiotice. Então em seus espíritos disseram:
8 – “Ouvi irmãos com esta divindade que nos é ensinada não dá para fazer nada! Nós vamos então tomar os ensinamentos puros em nossas próprias mãos, estudá-los com muita atenção e ver se não é possível encontrar neles uma divindade melhor”. E nestes estudos eles descobriram que mesmo assim Eu sou Deus, mas esqueceram e não observaram Minha Vontade e Ordem com a devida força.
9 – Outros, por outro lado, Me colocaram novamente lá no alto e filosofaram, cada um no campo de suas atividades. Com isto, tudo o que passou por suas mentes eles consideraram como Minha Vontade. Eles uniram suas idéias de tal maneira ao que filosofaram sobre Mim, que tudo que eles pensaram foi considerado como Meu. E assim, no lugar da antiga ignorância começou a aparecer uma enorme quantidade de bobagens e tantas “crenças”, que nem vale a pena mencionar.
10 – A razão de tudo isto sempre foi - e ainda é - a política imoral, a preguiça e também o temor dos povos de andar nos caminhos predeterminados e que levam todos à vida eterna; isto deve ser feito com toda seriedade e severidade, mas com muito amor. Em verdade vos digo: Aquele que não se apoderar de Meu Reino como Eu apregoei não o receberá, mesmo que consiga reunir em si todas as seitas.

Pois só Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Amém.

Quatro perguntas na luz do espírito

Recebido por Jacob Lorber, em 06 de março de 1841



Quatro das filhas que assistem às reuniões novamente nos apresentam perguntas. Cada uma delas tem a sua questão:


  1. Explicações sobre Judas Iscariotes

  2. Explicações sobre o número desconhecido

  3. Explicações sobre o nó górdio

  4. Explicações sobre os quatro elementos


O Senhor falou a seu servo, Jacob Lorber, o seguinte:
1 – Filhas, a matéria que escolhestes é em verdade bem ampla! Mas mesmo que entendêsseis todos os elementos em vossas cabeças, vós vos igualaríeis ao tolo rico que não sabe o que fazer com seu tesouro, então o guarda em caixotes bem selados, e todo dinheiro de nada lhe serve.
2 – Sim, vós, por desejardes tanto estes tesouros da mente, Me venderíeis por trinta moedas, como o fez Judas Iscariotes,. Vede, todos são iguais ao traidor, se desejam enriquecer pelo amor-próprio, tanto faz se por conhecimento como por ouro. Pois aquele que não receber isto de Minhas Mãos, se não conquistar isto tudo pelo Amor que sente por Mim ou pelo seu próximo, então se iguala à Judas Iscariotes; sim, é um ladrão, um assaltante, pois se apropria de tudo por amor-próprio, por puro egoísmo, e assim peca por Minha conta.
3 – Não são então o fogo, o ar, a água e a terra coisas que Eu produzi de Mim? Não é cada número um limite dado ao infinito por Minha Ordem? Como pode alguém receber tudo isto, a não ser pelo seu mais puro Amor por Mim, ou, se for renascido, pela Minha Boca?
4 – Se alguém soubesse o momento em que a primeira centelha de luz aconteceu, se conhecesse todos os átomos do ar, se tivesse contato todas as gotas d’água deste o centro até a superfície da Terra, se com um microscópio tivesse contado cada partícula de poeira da Terra, todo o musgo nas árvores e rochas e observado todas as plantas, arbustos e árvores, tivesse dado um nome a cada um, se nenhum ser de toda a criação tivesse passado desapercebido, se com instrumentos bem evoluídos tivesse conseguido medir o tamanho, movimento e distância da luz e o peso de cada estrela fixa com a maior exatidão, sim, se ele tivesse podido fazer tudo isto, de pouca valia lhe seria. Seria o mesmo que se alguém tivesse contado as flores que crescem em seu jardim.
5 – E se vós, queridas filhas, desejais ter uma ideia do que é o “no górdio”, então estudai a cabeça de um tal cientista (egoísta e orgulhoso), na qual vai encontrar a mesma solução do nó; talvez não aqui, mas certamente no Além, com o nó semelhante ao do avarento Judas Iscariotes, quando pendurado da árvore. Ali o senhor das trevas lhe mostrou o rei da Macedônia, Alexandre - o Grande, com o nó górdio (ele o cortou com a espada).
6 – Se estudardes todos os elementos, não o façam com a mente, mas sim por amor a Mim em vossos corações. Só assim conseguireis aprender muito mais do que os cientistas tolos que tentam aprender em seus devaneios sobre a Criação do Universo.
7 – Em verdade vós certamente não encontrareis um “nó górdio” em vosso caminho. E o “número desconhecido”, o qual nenhum cientista ainda conseguiu desvendar, cada florzinha vos enumerará de forma maravilhosa. Pois, Minhas filhas, o “número desconhecido” sou Eu, vosso carinhoso Pai.
8 – Por isto calculai com afinco e quebrai, por amor a Mim, o nó de vossas paixões mundanas com a espada afiada da humildade.
9 – Filhas, não podeis imaginar que troca vantajosa estareis a fazer! Pois o que existe atrás do mundo coberto por um véu e por vós ainda “desconhecido” só conseguireis saber após terdes cortado o vosso nó de desejos materiais!
10Quem aprende com a cabeça, este aprende com dificuldade e sem fruto algum. Mas no coração uma partícula de poeira do sol se torna um mundo. Por isto aprendei no coração, e Eu, vosso Pai, vou Me tornar vosso professor. Amém.
11 – Isto falo Eu, vosso bondoso santo Pai!

Sem escravos, ligações pós morte, o Pai-nosso, manjedoura e horas de lazer

Mais perguntas na luz do espírito

Recebido por Jacob Lorber, em 13 de março de 1841



Perguntas:
1 – Como é possível que os escravos e os deportados consigam conviver com este horrível destino?
2 – Será que nossos irmãos falecidos se lembram de nós?
3 – Como devemos rezar o “Pai-nosso”, para que dê frutos?
4 – O que significa a manjedoura na qual Tu, Senhor, foste colocado como menininho?
5 – Como um estudante deve passar suas horas de lazer de forma agradável a Deus?
O Senhor respondeu a Seu servo Jacob Lorber o seguinte:
1 – Queridos filhos, Eu bem ouvi vossas perguntas, mas considerai que alguém pode fazer dois tipos de perguntas, o que corresponde à dualidade da vida. Uma pergunta pode ser feita ao exterior natural ou então ao espiritual interno, dependendo se ela se origina em um ou em outro.
2 – Bem, considerai em que solo cresceram vossas perguntas. Será que elas vos foram insufladas por um indiscreto abelhudo e leviano, ou elas se originaram de fato em vossos corações cheios de amor? Vede, existe uma profunda diferença entre um e outro tipo de pergunta.
3 – Quem pergunta segundo sua curiosidade leviana faz esta pergunta igual a um cego que deseja saber as diferentes cores de um quadro. Mesmo que seu amigo cheio de paciência lhe explique todas as cores, que pensais que o cego conseguirá imaginar sobre a harmonia das cores, suas diferentes nuances, as sombras, as profundezas dos tons e suas luminosidades?
4 – Queridos filhos, Eu não vou vos mostrar onde vossas perguntas nasceram. Vossa razão vai mostrar-vos, com toda exatidão, onde elas se originaram, após ouvirdes Minhas respostas verídicas.
5 – Com respeito às duas primeiras perguntas, não é nada importante se souberdes ou não como os escravos aguentavam os maus tratos e por que Eu permiti que isto acontecesse, bem como se os irmãos já falecidos se lembram de vós ou não. Mas o que importa de fato é vós vos lembrardes de Mim em todos os momentos de vossa existência, bem fundo de vossos corações.
6 – Pois quem Me entrega fielmente e cheio de fé seu coração pleno de amor, deste Eu com toda a certeza Me lembrarei ainda muito mais. Mas no momento pretendeis Me lembrar de alguém em Minha Misericórdia...?! Como ainda conseguis perguntar o que fazem os que moram em Mim? Por acaso pensais que vossos irmãos habitam em Mim mortos? Considerai bem se tudo aquilo que se integrou à Vida de todas as vidas conseguirá ser morto?

7 – Somente aos mortos não é possível lembrar. Mas quem vive e vive em Mim, este certamente obterá uma lembrança que flui de Minha Sabedoria e o atravessa, uma que mil vezes extrapola vossas recordações.


8 – Com respeito ao "Pai-nosso" acontece com esta oração exatamente o mesmo que com vossa pergunta de como fazê-la, a fim de produzir bons frutos. Pois quem não a ora em espírito e verdade, a esta pessoa a oração será tão útil como a explicação das cores para o cego.
9 – Como o cego de espírito pode dizer "nosso Pai", se ele jamais se esforçou em reconhecê-Lo em seu coração pelo amor e pela sua fé viva? Como, se jamais procurou se aproximar Dele em espírito e verdade?
10 – Como pode ele dizer: "Tu que estás no céu", se nem conhece o Pai nem o céu? Como pode dizer "Santificado seja Teu Nome" quem não conhece Meu Amor, muito menos Minha Palavra Viva? Este com toda certeza não conhece a Vida da vida e a santidade de toda a Salvação e no renascimento em Mim, o que é de fato o Meu Nome não pronunciável.
11 – Como poderia dizer: "Venha a nós o Teu reino", se ele se prende feito uma planta parasita nos galhos da árvore que deve dar frutos; quero dizer, ao mundo!? Como pode ele dizer: "Tua vontade seja feita", se jamais pensou em conhecer Minha Vontade e encara cada um de Meus Mandamentos como uma tibieza exasperada? Ou ainda se, quando jovem, faz questão de não obedecê-los e olha tudo referente à vida eterna com uma leviandade exasperante?
12 – Como pode dizer: "Dá nos o pão da vida", se em seu coração não tem a mínima idéia do que é este pão pelo qual está pedindo, mas sim está com grandes desejos de comida em seu estômago, que é o verdadeiro coração deste pedinte tão estéril?
13 – Como é que pode rezar pelo "Perdão de seus pecados", se seu coração ainda está repleto de impurezas que nele habitam, tais como a ira, inveja, altivez, deboche, desprezo e muitos outros vícios similares? Para conseguir o perdão dos pecados (que seja pleno de bons frutos) é necessário muito mais do que somente não ter inimigos. Pois, como ele poderá pedir pelo "Perdoa meus pecados, como eu perdôo meus inimigos" quem não tem inimigos? Eu quero dizer é que vosso coração deve estar acima de qualquer ofensa, não importa de que tipo ela seja. Se não for assim, estareis pedindo pelo julgamento invés do perdão.
14 – Como será possível pedir: "Não nos leves à tentação", se ele em primeiro lugar nem Me conhece e está rezando para as paredes? Como, se ele próprio, enquanto Eu o protejo de tudo quanto é tentação que existe, corre de um perigo ao outro, de um precipício ao outro, de uma morte a outra?

15 – Vede como este pedido é. Ele não se assemelha a um louco que pede por ajuda a um grande benfeitor, mas no momento em que a consegue joga uma parte no fogo, outra parte em águas sujas e finalmente em fossas, em lixões e em sepulturas cheias de carne podre? De que vale a ajuda a tal doido?


16 – Finalmente como pode ele dizer: "Livra-nos de todo mal", se ele, com muito afinco, se joga em todo o mal?
17 – Se desejardes orar esta oração para obter bons frutos, então deveis orar em espírito e em verdade e considerar bem o que é exigido nela, para colherdes o verdadeiro fruto desta oração. Senão obtereis desta oração justamente o contrário da grande bênção que estais a pedir.
18 – Em relação às duas últimas perguntas... A de manjedoura é bem infantil e também não posso vos dar uma resposta útil e compreensível a vós nestes dias, pois primeiro a mente e a razão interna devem ser abertas, para que consigais entender este segredo tão profundo, que nem um arcanjo o consegue entender ainda.
19 – Pois então esforçai-vos para que vossas "horas de lazer" se tornem horas a Mim consagradas, horas de paz e meditação. Só assim logo vereis como é grande Meu Amor por vós. Em verdade em um minuto Eu vos darei muito mais do que o mundo conseguirá vos dar em mil anos.
20 – Mas se as horas de lazer vos servem para algo diferente, então logo vos dareis conta de como Eu acostumo ficar alheio, implacável e impenetrável com aqueles que preferem todo o lixo, os vícios do mundo e os enganos de Satã a Mim.
21 – Meditai muito bem sobre Quem é que vos diz estas Palavras! Bem cedo vos tornareis Meus amigos! Tornai o "Juiz" em "Amigo", "Deus" em "Pai". E assim observareis Meu trabalho alegres e destemidos, quando Eu chegar com o Meu julgamento sobre a Terra.
22 – Pois para o mundo Eu serei um juiz implacável; mas em verdade, para Meus filhos Eu chegarei como o carinhoso Pai Divino.
23 – Procurai, pois, conhecer o Pai, pois assim vivereis eternamente no colo de Meu Amor. Amém.
24 – Isto fala, aquele que deveis procurar e reconhecer antes de tudo: vosso Pai. Amém.

Pelo aniversário da Nova Revelação

Recebido por Jacob Lorber, em 14 de março de 1841



Oração de agradecimento de Jacob Lorber
No domingo, 14 de março de 1841, o último dia do primeiro ano da chegada invisível das revelações de nosso Pai divino e amado, cujas Palavras Vivas de Sua primeira mensagem aconteceram no dia 14 de março de 1840, um domingo, às seis horas da manhã.
1 – Senhor, tu, Santo Pai! Já faz um ano em que naquele maravilhoso domingo Tu te dignaste a nos premiar, a nós, indignos filhos Teus, com Tuas Palavras Vivas.
2 – Senhor, Pai, como poderemos Te agradecer, como Te louvar e glorificar, pois não somos dignos de uma palavra Tua, quanto mais de um ano de mensagens vivas?
3 – Santo e Bondoso Pai! Não possuímos nada, a não ser um coração ainda muito impuro. O que existe de bom nele não é nosso, porém eternamente Teu. E é o reconhecimento que isto de bom não nos pertence (mas sim é Teu) o único agradecimento, o único louvor, o único prêmio que podemos Te dar. Toda esta bondade e verdade que vem de Ti, bondoso Pai, é a gota de Teu Amor que está em nós.
4 – De Teu Amor Tu nos deste isto, nós reconhecemos isto em nós. Então permite agora também, como o foi sempre, neste Teu Santo Amor que de Ti veio a nós, que te apresentemos nosso reconhecimento desta Graça na qual nos comprometemos a Te amar cada vez mais, cada vez com mais sinceridade e força. Pois só no Amor podemos Te dar o merecido sacrifício, o sacrifício que Te seja agradável. Portanto aceita, Pai, nosso agradecimento singelo e humilde.
5 – E como queremos ser felizes em Teu Santo Nome, hoje, no dia do aniversário da Nova Revelação e em todos os outros dias no futuro, escuta, por favor, o nosso pedido e vem a nós, para que não sejamos órfãos, pois Tu, Santo Pai, te tornaste tudo para nós. Sem ti não existirá mais nenhuma alegria, nem hoje nem na eternidade.
6 – Santo e Bondoso Pai, ouve nosso pedido filial e nos vivifica com a Tua Santa Presença. Amém.
A vinda do Pai em Jesus

Recebido por Jacob Lorber, em 14 de março de 1841

Resposta do Pai para seu servo.

1 – Escreve, pois, umas poucas palavras que devem anunciar Minha chegada ao vosso meio. Pois, se Eu chegar como Pai, Eu o faço no mais profundo silêncio do coração. Meus trovões só anunciam a aproximação de Deus e os tormentos do grande e implacável Juiz, como todas as criações enormes anunciam o poderoso e grande Criador e Senhor de tudo.

2 – Mas no momento em que começardes a sentir em vossos corações o suave amor por Mim, vosso santo e bondoso Pai, podeis estar certos que Eu estarei por perto! Pois ninguém consegue Me amar, se não possuir o Meu Amor. Meu Amor ninguém pode conseguir, a não ser de Mim mesmo; então quem tiver Meu Amor também Me terá, pois Eu sou o Amor eterno em si.
3 – No momento em que Meu Amor estiver convosco, então Eu também estarei convosco. E tudo o que fizerdes em Meu Nome, vós o fazeis em Meu Amor. Mas se o fazeis em Meu Amor, vós o fazeis em Mim. E quem estiver em Mim e atuar em Mim, neste Eu também estarei.
4 – Se vós Me convidardes para Me juntar a vós, será que Eu não faria o que vosso coração tanto deseja? Então consultai vossos corações, e o vosso amor vos dirá se e quando Eu estou junto a vós.
5 – Vede, Eu sou aquele que segue o amor até o fim de todos os mundos. Por isto amai e tende fé, que Eu estarei em vosso meio e em vós, o que vos confirmará o grande consolo nos vossos corações.
6 – Mas quando Eu chegar a vós, não deveis ocupar vossos estômagos com comilanças e entupir vossos ouvidos com conversas mundanas. Porém conversai como o faziam os dois discípulos no caminho de Emaús, e vós compartilhareis de sua mesma alegria. Mas se agirdes como tolos sem compreensão e sem amor, então o Santo Pai não conseguirá ficar convosco por muito tempo.
7 – Abandonai o mundo, deixai que ele seja como é, pois Eu sou muito mais que todo o mundo! Deixai que os governantes como eles são, pois Eu sou muito mais que eles. Deixai que as prostitutas sejam como elas são, cheias de infidelidade em seus corações, pois Meu Amor é mais suave, mais fiel, mais aconchegante que o de todas estas meninas mundanas sem valor algum. Em verdade, nenhuma jovem tem mais o amor nestes dias. Ela ama no homem somente o que ele possui. Àquilo que é para o interior do ser humano ela não dá um centavo, muito menos o seu amor-próprio poderoso e orgulhoso.
8 – Deixai que os cientistas sejam o que são, pois Minha Graça revela infinitamente mais que todos os inúmeros estudiosos. Deixai que a igreja material seja como ela é e tomai como exemplo a aranha. Quando há bom tempo, ela estende seus fios, para caçar todo tipo de insetos e para satisfazer seu enorme estômago. E quando se aproxima um tempo ruim, este animal tudo faz para evitar a destruição de sua teia de poder, mas os ventos que vêm do alto e a chuva torrencial dão a um fim a este seu covil mortífero.

Observai o que acontece na atualidade, e Eu vos afirmo que em pouco tempo vereis a veracidade do que Eu digo. Mas Eu Me encontro muito acima e muito mais profundamente que todas as igrejas juntas. Por isto olhai-Me, vós, que já Me conheceis um pouquinho em vossos corações. Então vossos ouvidos não mais serão incomodados com o ranger de dentes das igrejas, pois o puro Amor - que é a única igreja verdadeira, pela fé viva e pela palavra viva - este não range os dentes.


9 – Evitai todas estas coisas por amor a Mim e considerai Me como vosso verdadeiro e fiel amigo; como aquele noivo que quer ir embora cedo demais, mas quando se apronta para partir, vê como sua amada o abraça cheia de amor. Então ele retorna e não sai da casa antes de ter conformado a noiva completamente.
10 – Pois bem, fazei vós também como a noiva dedicada! Não deseja o amante também ouvir de sua amada uma palavra de carinho, antes de entrar em seu lar? Ao ouvir esta palavra ele fica pleno de alegria e ansioso por estar com ela. E quando assim estiver, exclamará como fizeram Pedro e Jacó: “Senhor, como é bom estar aqui!”.
11 – Mas se ao chegar ele encontrar a amada em conversa fútil com outros, ou então discutindo com alguém, ou até dizendo palavras carinhosas a outro, então o amante “cairá fora” - como costumais dizer - e deixará a tola “a ver navios”.
12 – Considerai, pois, que Eu nem sempre abro a porta e penetro na casa. Muitas vezes Eu aguardo à porta. Se Eu escuto assuntos que Me agradam, então Eu entro. Onde isto não acontece, Eu deixo as marcas de Meus passos na poeira, ao Me afastar.
13 – Se quereis que Eu seja vosso hóspede, agi como é de agrado do hóspede, que então Eu entrarei. Mas no momento em que Eu entrar em vossas casas (corações), não deixeis que Eu novamente vá embora, mesmo que Eu vos diga que realmente tenho que partir. E em verdade, se fizerdes o que for correto e certo, então Eu ficarei convosco agora e para sempre.
14 – Ouvi bem, somente no íntimo de vossos corações cheios do mais puro amor é que vos todos reconhecereis que o tal hóspede é vosso santo e bondoso Pai, que veio para permanecer, junto com o seu Reino, em vosso meio. Amém.

Isto falo Eu, o ilustre hóspede, como vosso amado e santo Pai. Amém.



Como honrar os santos corretamente

Recebido por Jacob Lorber, em 20 de março de 1841


Quatro perguntas feitas por membros da reunião:

1 – De que maneira devemos louvar os santos?

2 – Como devemos amar ao Senhor corretamente?

3 – “No começo era a Palavra, e a Palavra estava com Deus, e Deus era a Palavra”. O que significa esta introdução do Evangelho de João?

4 – Como é a verdadeira humildade?

As quais foram respondidas pelo Senhor:
1 – Queridos filhos! É mesmo tão difícil encontrar o que queremos? Quando alguém estiver com fome, será que ele vai demorar muito antes de procurar algo para comer? Ou se algum estiver com sede, será que andará longe de uma fonte para sua sede ardente? Em verdade ele parará na fonte mais próxima, para acalmar logo sua sede. Vede, que seja isto o mesmo para vós.
2 – Vós compreendereis que vós todos ainda tendes muita sede e fome no espírito, quando estenderdes vosso coração (que é o “estômago” do espírito), quando o chamardes a vos aconselhar, quando vos questionardes acerca da essência das coisas que vos rodeiam numa infinita quantidade e quando ainda questionardes a vida íntima de vosso espírito ainda bem desconhecido por vós.
3 – Olhai o grande “menu” da Criação e depois a grande “dispensa” do espírito, e então não será difícil considerar no futuro que um grãozinho de areia pode se tornar um mundo; mais fácil ainda será reconhecerdes o poder de Minha Luz e que dela - pela água viva do poço do Jacó - tudo se realiza.
4 – Mas quando este grãozinho de poeira já se torna tão grande e cheio de milagres por nós ainda desconhecidos, como não serão aquelas coisas nas quais tal grãozinho de poeira mergulha e desaparece? Isto considerando só o grãozinho... Imaginai observar os milagres de uma planta, uma árvore, montanha, animais e mesmo de um ser humano.
5 – Após ter-vos sido mostrado como no futuro podereis encontrar comida mais facilmente e vos alimentar, Eu agora vos darei pelo que estais a pedir, após não terdes tido sucesso sozinhos.
6 – Com respeito a honrar e louvar os santos, Eu vos digo o seguinte: Louvai e honrai com vossa humildade, amor e dedicação somente o Santo Único e Todo poderoso. Assim todos os outros santos que conheceis e também os que não conheceis serão louvados. Esta é a única forma verdadeira de louvá-los. Pois somente a Mim é digno de se dar toda admiração, todo louvor, todo agradecimento, toda a glória e toda adoração. Só por Mim e em Mim todo o mundo será enaltecido, após terem enaltecido o Meu Nome em seus corações, pelo verdadeiro amor da fé viva em espírito e verdade.
7 – Porém, para que consigais entender isto melhor, considerai ainda que Eu sou a porta para Vida. E quem não entrar por esta porta, este é um ladrão e assaltante. Por isto quem estiver carregado e fatigado, ou então for um doente cheio de dores, este que venha a Mim, para que Eu o fortifique e carregue. Pois algo igual ele nunca encontrará, a não ser em Mim e Comigo.

8 – Com respeito à segunda pergunta, é o seguinte: Só Me ama corretamente aquele que só ama a Mim e ao seu próximo através de Mim. Quem Me amar assim é quem Me ama em Espírito e verdade. Pois como poderia Me amar de forma diversa, já que Eu sou o eterno espírito de todo o Amor, de todo poder e força e também da Eterna Verdade?


9 – Quem Me amar assim é aquele que obedece Meus pensamentos. Porém quem obedece Meus mandamentos, a este Eu chegarei à Minha Trindade - como Pai, Filho e Espírito Santo - e vou habitar em seu coração. Lá Me manifestarei pela palavrinha viva que era no princípio, que era e é eternamente em Deus. Pois Deus mesmo, eternamente foi, é e será a Palavra, essência em todas as coisas, como a vida eterna, o Amor, a Luz, a força e o poder de eternidade a eternidade.
10 – Quem Me amar desta forma tão correta, este é humilde de todo coração. Ou será que um altivo consegue amar alguém? Não está no orgulho o desprezo de todo o resto que o rodeia? Os orgulhosos não querem ver ninguém mais elevado do que ele mesmo. Se ele não pode estar na parte mais elevada, se ele ainda tiver que se submeter a um mais importante, ele o faz somente por interesse. E no momento em que ele dedicar um amor fictício a alguém, ele o representa, dizendo no íntimo: “Já que não posso te dominar pela força, quero te prender com artimanhas e te tornar meu escravo”.
11 –A mesma coisa fala o cobiçoso a seus amigos, e os noivos mundanos a suas prometidas tolas. Pois todos eles só levantam seus escolhidos da mesma forma que uma águia levanta a lebre: para ter alguma vantagem com a sua queda.
12 – Vede, queridos filhos, disto tudo podemos concluir que somente o verdadeiramente humilde consegue Me amar em espírito e verdade.
13 – Quem Me amar assim, este Me ama como a palavra viva e eterna que é Jesus Cristo, a vida eterna e tudo o mais que obtemos por Ele. Quem amar a Jesus Cristo, o Crucificado, quem o glorifica ante o mundo e quem com grande alegria o reconhece em seu coração, a este Eu, como o único Jesus Cristo, o louvarei e reconhecerei ante o Pai; quero dizer, ele será iluminado na presença de Minha Divindade e em toda a sua glória, por todo o sempre.
14 – Quando alguém Me ama e Me glorifica, com isto é amado e glorificado, então com certeza todos os Meus membros - que são os santos no céu - não deixarão de ser glorificados e amados também. Pois tudo do que Eu Me aposso Eu não tomo para Mim mesmo, mas sim para vós e vossos irmãos.
15 – Quem algo Me der, este estará dando a todos. Mas quem o der a algum outro, este é um tolo. Pois o que ele dá, ele não receberá de volta, e sua doação não chegará ao destino que ele deseja, mas, qual fruto verde, será pisoteada debaixo da árvore da qual caiu.
16 – Queridos filhos, considerai esta dádiva não como uma que vem do homem, mas sim como uma plena de vida. Prendei-a bem em vossos corações e agi de acordo, só assim reconhecereis que a Palavra é tudo em tudo, e como a Palavra está em Deus, e como Deus - Ele mesmo - é a palavra eternamente. Amém.
17 – Isto diz esta Palavra, de Si mesmo, a vós! Amém.


1   ...   12   13   14   15   16   17   18   19   ...   56


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal