Palavras de agradecimento do servo


Luz e conselho para os fracos



Baixar 2.41 Mb.
Página14/56
Encontro11.06.2018
Tamanho2.41 Mb.
1   ...   10   11   12   13   14   15   16   17   ...   56

Luz e conselho para os fracos


Recebido por Jacob Lorber, em 26 de janeiro de 1841

1 – Escreve, pois, uma palavrinha cheia do mais elevado consolo para esta alma que está continuamente doente e que, na sua fraqueza, não consegue ajudar nem mesmo aconselhar. Ela se colocou numa situação bem crítica, ao confessar-se com um sacerdote inescrupuloso, sem ter pedido conselho a Mim ou a um sacerdote de coração puro. Esta confissão desnecessária e sua consequência a levou a ter uma grande angústia no seu coração tão fraco. Ela parece uma doente de cujo leito se aproximam dois médicos antagonistas. O médico menor se opõe contra o mais importante, mas de fato nada conhece sobre a doente, enquanto que o outro a cura com muita segurança e facilidade. Mas o médico inferior informa em bom tom ser ele o único que possui o medicamento universal e que somente este pode curar, o resto é tudo amaldiçoado.


2 – Disse a esta alma doente que somente Eu sou o médico certo e o único que pode ajudar, com toda a liberdade, a quem Eu quiser. Disse também que Eu não permitirei jamais que Me amarrem estes pequenos gananciosos sacerdotes, pois estes se preocupam muito mais pela conservação de sua autoridade do que pela verdadeira cura espiritual de seus confessados.
3 – Vê, este tipo de gente não é bom para Meu rebanho! Ele se preocupa em proteger as ovelhas dos lobos pela lã que elas produzem, mas não pelas ovelhas em si. O “bom pastor”, no entanto, cuida e protege suas ovelhas pelas suas vidas, pois elas lhe pertencem, e pouco se preocupa com a lã, pois uma ovelha bem cuidada produzirá uma boa lã. Com a vida vem a lã.
4 – Olha o universo de Minha Criação! Tudo isto existe por Meu Amor, Sabedoria, Misericórdia e Graça. Por acaso achas que Eu faço tudo isto por causa da permissão e da ameaça dos sacerdotes e só por eles Eu mantenho, renovo e povoo constantemente a Terra e todos os outros corpos celestiais? Ou que Eu tenha que pedir permissão a um sacerdote, ou então lhe pedir conselhos, para saber quanta luz Eu devo outorgar ao Sol e quando ele deve nascer ou se pôr? Ou qual foi o sacerdote que foi crucificado (por sua vontade) junto a Mim? Ou não foram justamente estes Meus sacerdotes que causaram Minha crucificação e que Me difamaram como se Eu fosse do diabo e contra seu suposto reino de Deus, o qual, sob o jugo deste tipo de sacerdotes, tinha se tornado muito mais um reino de Satã do que agora, em sua grande maioria?
5 – E no ser humano? A vida vem de Mim ou de um sacerdote? Sua existência se origina em Mim, o Criador, ou em um sacerdote qualquer? Eu te afirmo que sou um Deus, Senhor e Pai totalmente independente e não dependo em nada dos sacerdotes e sua casta. E se houver um sincero arrependimento, posso perdoar todos os pecados a todo ou qualquer ser. Mas - o principal e a todos os pecadores - apenas no momento em que desejo desconsiderar os pecados de alguém, dependendo de sua total e absoluta mudança de pensamento. Vê, Eu aí não preciso Me basear nas tais “absolvições” que a casta sacerdotal apresenta aos homens.
6 – Em verdade te digo: Quando Eu voltar, os cães e gatos Me reconhecerão muito mais cedo do que estes sacerdotes ávidos de poder, para os quais a lã é muito mais importante do que a vida de suas ovelhas.
7 – Mas se um destes sacerdotes não te outorgar sua absolvição, então vem a Mim cheio de confiança e lembra-te da parábola do filho perdido. Tem a absoluta certeza de que Eu, como santo verdadeiro e carinhoso Pai, te receberei em Minha Casa e no Meu Coração, abertos e sem nenhuma das penalidades que te impõem estes maus inquilinos de Minha casa na Terra.
8 – Nada temas, pois, e segue-Me. E Eu jamais permitirei que sejas destruído! Dirige teus filhos com afinco para Meu lado, e Eu te apoiarei sempre. E lembra-te que o Senhor da Criação é muito mais o Senhor do Espírito e faz tudo o que for de Sua Vontade.
9 – Vê, Eu te guio e eternamente te guiarei! Não te preocupes, então, com estes guias cegos. Amém.

Isso falo Eu, teu bom e amado Pai, que aqui te abençoa. Amém. Amém.



Confiança no Pai Celestial

Recebido por Jacob Lorber, em 26 de janeiro de 1841



1 – O homem é um pensador, Eu, porém, sou um guia. O amanhecer mais alegre ainda traz a todos preocupações. Mas quando chega o anoitecer e uma vez alcançada a meta, repleto de paz, ele pensa: Foi esta a Vontade do Pai.
2 – Escreve, pois, Meu servo, e passe esse Meu conselho a este teu irmão tão preocupado: “Tu deve confiar somente em Mim e confiar totalmente!”. Pois Eu bem sei onde o sapato está apertando e também sou um guia muito competente. Todos os caminhos são Meus conhecidos, e Eu sou o Caminho mais próximo e o mais curto. Quem nele caminha, este jamais deixará de encontrar a meta. Pois a quem Eu guio, este tem de fato um acompanhante seguro e confiável. Quem andar no Meu caminho, este estará perseguindo uma meta segura; sim, sou o Guia, o Caminho e a Eterna Meta Viva!
3 – Vê, pois, Meu querido filho, tu te preocupas em vão; isto se tu Me amas, Me chamas fielmente e acreditas indubitavelmente que Eu, teu Todo-poderoso e Santo Pai, sou Aquele que fala e te diz estas palavras pela boca de Meu servo escrevente. Faze assim, pois, cheio de confiança e fé em Mim. Podes ter a mais absoluta certeza que levarei tudo a um fim satisfatório e na hora certa.
4 – Em verdade, se tu Me amas e tens confiança em Mim por uma hora completa, então fazes muito mais, do que se tivesses inutilmente te preocupado por dez anos e com estas preocupações muitas vezes te afastado de Meu Caminho abençoado por qualquer ninharia!
5 – Dize-Me: Podes acrescentar para todos os tens filhos um só dia de vida? Ou te é possível fortalecer aos fracos e enfraquecer os fortes? Ou então tornar os pequenos grandes e os grandes pequenos? Ou que os cegos vejam e os videntes se tornem cegos, que os surdos consigam ouvir novamente e os de boa audição se tonem surdos?
6 – Vê, Eu sou um Senhor que reina sobre os vivos e os mortos! E os vivos sempre ouvem Minha voz paternal, a entendem e agem de acordo. Mas voz trovejante do Senhor Todo-poderoso os mortos entenderão quando chegar a sua hora. E toda a Terra, a Lua e todos os sóis estrelados e seus acompanhantes Me devem obedecer!
7 – Vê, desde o maior até o mais ínfimo, todos os incontáveis objetos do universo dependem de Minha Vontade. Mas tu, tu voluntariamente te encontras com teu coração em Meu Amor Paterno, que é a única centelha inicial de tudo. Como é possível que algo ainda te preocupe, pois sempre poderás contar com Meu Amor?
8 – Observa Meu servo! Ele não tem nenhuma fortuna, a não ser o que tem de Mim. Mas mesmo assim Eu posso afirmar que ele é muito, mas muito mais feliz e rico nesta sua pobreza material, do que alguém com tesouros e mais tesouros materiais aqui na Terra.
9 – Vê, aqueles a quem Eu abasteço, estes estão muito bem cuidados aqui no mundo material, mas muito mais estarão na eternidade e ficarão bem satisfeitos com o Meu Alimento. E Meu emprego não obrigará ninguém a cumprir horários de trabalho, mas sim oferecerá a feliz liberdade do Amor. Amém.



1   ...   10   11   12   13   14   15   16   17   ...   56


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal