Orientação para Pais e Pacientes “tratamento da asma”



Baixar 34.53 Kb.
Encontro01.03.2018
Tamanho34.53 Kb.

Orientação para Pais e Pacientes

“TRATAMENTO DA ASMA”


O que é a doença?


A asma brônquica é uma doença crônica do sistema respiratório que se for diagnosticada precocemente e bem controlada permite uma boa qualidade de vida


O que acontece com as vias aéreas durante uma crise de asma?

inflamação

broncoespasmo (contração da musculatura das vias aéreas)

aumento na produção do muco

Quais são os fatores desencadeantes da crise de asma?


Algumas crianças chiam quando entram em contato com mofo, poeira, fumaça de cigarro, cera ou quando brincam com gato ou cachorro, outras chiam quando o tempo muda, outras quando gripam, outras quando vão ao curral, outras quando tem problemas na escola ou em casa, etc.

Por que é importante tratar a criança com asma?

O controle do ambiente é imprescindível para a criança asmática?


 Não espere pela chieira e cansaço, inicie o tratamento prescrito pelo médico, aos primeiros sinais de pré-crise e procure o Centro de Saúde mais próximo de sua casa.

 Pratique exercícios físicos fora da crise para aumentar sua capacidade respiratória.

A asma tem caráter repetitivo e pode levar a crises agudas com diferentes graus de insuficiência respiratória (leve, moderada e grave). As crises devem sempre ser precocemente tratadas e, mesmo assim, algumas vezes podem exigir imediata internação para que se evite o óbito.

Além do tratamento da crise há medicamentos que diminuem a reatividade dos brônquios fazendo com que estas crianças tenham crises cada vez mais leves e espaçadas e consequentemente faltem menos a escola, consigam praticar esportes, cresçam adequadamente, em fim tenham uma boa qualidade de vida.

Por outro lado se a asma não for tratada adequadamente pode prejudicar o pulmão de uma forma definitiva e levar na vida adulta a uma dificuldade respiratória permanente.

Como vimos vários fatores, isolados ou em conjunto, podem desencadear crises de asma, são os fatores desencadeantes. Esses fatores podem ser de diversos tipos como:



  • fatores alérgicos - pó de casa (ácaro), mofo, pêlo de animais (gato, cão, periquito, etc). Os ácaros são pequenos carrapatos que se alimentam de pele humana descamada. Em suas fezes encontra-se a substância que provoca a alergia respiratória quando inalada. Eles preferem ambientes pouco iluminados e quentes. Gostam muito de ficar nas camas, nos sofás, nas almofadas, nos cortinados, nos livros, nas roupas de lã, fendas de assoalhos e em todo local que acumule poeira. Os ácaros não são visíveis a olho nu e em uma cama podem ser encontrados cerca de 2 milhões de ácaros, se não forem tomadas medidas para o seu controle. Portanto, o ácaro é, por vezes, uma importante causa de manutenção de crises.

    Os fungos ou mofos ou bolores alojam-se em lugares úmidos como banheiros, paredes com infiltrações e casas de praia fechadas por longos períodos, também desencadeiam crises de asma.

    Os animais domésticos podem carregar em seus pêlos vários alérgenos, mas podem induzir asma também por componentes descamados de sua pele ou de seus pêlos e penas. Já foram demonstrados alergenos na saliva, na urina e nos pêlos de gatos. O pêlo do animal permanece na casa longo tempo após o seu afastamento do local, por isso, às vezes, pode ser difícil perceber uma melhora dos sintomas antes de 6 a 8 semanas.





      Nem todo alérgico é asmático

      Nem todo asmático é alérgico

      Mas boa parte dos asmáticos tem alergia



    .

  • fatores irritantantes - fumaça de cigarro, produtos de limpeza, perfumes, tintas poluição atmosférica de modo geral, quando respiradas, irritam as vias aéreas podendo desencader crise de asma. Em relação ao cigarro, ele é nocivo também para as pessoas que estão próximas ao fumante, é o chamado tabagismo passivo.



















      A fumaça de cigarro é um importante agressor para as vias aéreas



    .


  • fatores climáticos - mudança brusca de temperatura pode levar a inflamação das vias aéreas fazendo crianças chiarem. É um fator comumente relatado em nosso meio.

  • fatores infecciosos - gripe, sinusite. As infecções viróticas (gripes) são importantes fatores desencadeantes principalmente em crianças menores de 3 anos de idade. Já a sinusite pode ser responsável por um controle inadequado da asma.



  • refluxo gastroesofágico é o retorno do alimento do estômago para o esôfago e, às vezes, ocorre em bebês. Esse refluxo irrita o esôfago e a partir daí pode desencadear crises. A medida que a criança cresce, o refluxo tende a se corrigir espontaneamente, mas enquanto isto não acontece, o paciente deverá receber tratamento anti-refluxo, prescrito pelo médico que o acompanha.



  • exercícios físicos podem desencadear crise de asma em decorrência da maior quantidade de ar inspirado. Esta maior quantidade de ar inspirada ocasiona resfriamento e ressecamento das vias aéreas com conseqüente liberação de substâncias promotoras da crise. A prática de qualquer esporte é importante para pacientes asmáticos e a presença de asma desencadeada por exercícios físicos não deve prejudicar esta prática, já que, este tipo de crise pode ser prevenida pelo uso da “bombinha” 30 minutos antes do início da atividade.

  • fatores emocionais - problemas na escola, problemas em casa como ciúmes de irmão recém-nascido, brigas entre os pais, etc, podem determinar o aparecimento de crises, através de vias nervosas ou por respiração excessiva que a emoção determina.







  • crise da noite ou pela manhã. O organismo humano modifica seu funcionamento de acordo com as horas do dia graças a um relógio biológico localizado no cérebro, o “rítmo circadiano”. Em função do rítmo circadiano os brônquios apresentam menor calibre de madrugada e pela manhã, por isso alguns pacientes só tem dificuldade respiratória nestes horários. É importante que este fato seja comunicado ao médico.

  • medicamentos e alimentos são fatores desencadeantes menos frequentemente observados em crianças. Entre estes medicamentos está a aspirina (AAS, Melhoral), antinflamatórios não hormonais (Voltaren, Feldene) e os beta bloqueadores (Inderal, Propanolol). O metabissulfito, conservante encontrado em enlatados em geral e a tartrazina, corante amarelo encontrado em doces e balas, também podem desencadear crises.



Portanto, os fatores que podem ser controlados devem ser controlados e atenção especial deve ser dada ao quarto da criança, porque é o local onde permanece pelo menos 8 horas seguidas.

O quarto

1- deve ser bem arejado e ensolarado.

2- deve-se evitar tapetes, cortinas, almofadas, bichos de pelúcia, livros, em fim todas os objetos que podem juntar pó (o ácaro vive no pó).
3-as roupas de cama devem ser trocadas duas vezes por semana e expostas diariamente ao sol.

4-se houver mofo nas paredes deve-se passar no local ácido fênico a 5%.

5-o colchão e o travesseiro devem ser revestidos com capa de plástico, napa ou material semelhante. Quinzenalmente deve-se utilizar um acaricida . No momento de sua aplicação a criança deve estar fora de casa.
6-se houver mais pessoas dormindo no mesmo quarto, estas camas deverão ser preparadas com os mesmos cuidados.

7-deve-se cuidar bem da limpeza do quarto onde a criança dorme, o quarto é o local onde ela passa o maior número de horas.



A casa
1-a retirada do pó doméstico deve ser diária, feita com pano úmido evitando-se assim sua suspensão no ar.

2-não deve ser usada cera e materiais de cheiro forte. Durante a limpeza a criança deve ficar em outro local.

3-as almofadas feitas de paina e algodão devem ser forradas com plástico ou trocadas por outras de espuma inteiriça. A paina e o algodão sensibilizam o paciente.

É fundamental que os familiares e o paciente aprendam a


Por que é importante aprender a identificar os sinais de pré-crise. a pré-crise?

Porque o tratamento terá maior êxito se for iniciado precocemente, na pré- crise. A pré-crise, freqüentemente, se manifesta com tosse seca, irritativa, obstrução nasal, coriza. Estes sintomas precedem a chieira e o cansaço.



Quais os medicamentos que podem ser usados para tratar uma criança em crise aguda de asma?

Existem medicamentos para tratar a crise de asma como:



  • os broncodilatadores

  • os corticoides (Meticorten, Decadron,etc)

  • a aminofilina que atualmente é menos usada.



Há vários tipos de broncodilatadores como o salbutamol (Aerolin) a terbutalina (Bricanyl) o fenoterol (Berotec).


Há diferentes maneiras de “usar”os boncodilatadores:

1-pela boca, através de comprimidos ou xaropes (via oral)


2-através da via inalatória. Em nosso ambulatório a via inalatória é utilizada quando é receitada a bombinha também chamada de spray ou aerossol e quando é receitada a micronebulização

3-.através de injeção (usada somente junto com o médico )

Ao ser receitada a via inalatória menor quantidade de remédio é introduzido no corpo da criança, porque a via inalatória permite que se coloque o medicamento diretamente onde êle deve agir - nos BRÔNQUIOS. Assim que o remédio é colocado nos brônquios ele começa a agir facilitando a passagem de ar e diminuindo a dificuldade respiratória. Como vimos, o tratamento inalatório permite aplicar a droga diretamente na árvore traqueobrônquica o que possibilita início de ação mais rápido, a utilização de uma dosagem menor e consequentemente efeitos colaterais minimizados, se comparados com a terapia oral ou parenteral.

Apesar desta superioridade, muitas crianças que recebem prescrição de medicamentos inalatórios, continuam com os seus sintomas pobremente controlados. Isto deve-se a um entendimento superficial da técnica inalatória. É essencial que a técnica inalatória prescrita seja adequada à idade da criança, cuidadosamente ensinada e sempre testada nas consultas subsequentes. Recomenda-se os seguintes passos:



  • agitar o recipiente;

  • fazer uma expiração normal;

  • acoplar o recipiente a um condutor e colocar a outra extremidade do condutor na boca do paciente (como condutores são usados vários dispositivos como aerocâmaras, copo de plástico, etc)

  • ao mesmo tempo em que ativar o spray fazer uma inspiração lenta e profunda (5 a 7 segundos);

  • prender a respiração por 10 segundos ou mais, imediatamente após a inspiração lenta e profunda;

  • repetir a dose após 5 a 10 minutos.

Quando a criança é incapaz de executar uma técnica inalatória adequada, pela sua baixa idade ou consequente a uma crise aguda de asma, o condutor é substituido por um espaçador. O espaçador, possui na extremidade próxima da boca, uma válvula unidirecional, que separa o ar inspirado do ar expirado. Isto facilita o uso do aerossol Para aquelas incapazes de prender o bocal com os lábios e inspirar através dele, este pode-ser substituido por uma máscara que envolva a boca e o nariz, desde que haja força respiratória suficiente para movimentar a válvula.

Muitas vezes a criança não consegue sair da crise somente usando os broncodilatadores. Nestes casos o médico receita outros medicamentos como o oxigênio e o corticóide. Na crise aguda o corticoide é administrado através na via oral (pela boca) ou através de injeção no músculo ou na veia.

Como avaliar a gravidade de uma crise?


A família da criança asmática precisa identificar a gravidade de uma crise. Caso não seja disponível medir o pico de fluxo os seguintes sinais devem ser observados:

  • Chieira tem valor relativo. O aumento da chieira significa piora da crise até certo ponto. Em casos de obstrução muito severa, poderá ocorrer ausência total de chieira (sibilos) porque não passa quantidade quase nenhuma de ar. O fluxo é mínimo e não se consegue ouvir o chiado.

  • Retrações: a pele e os músculos do tórax que estão entre as costelas entram para dentro, indicando extremo esforço para respirar.Também se percebe tal esforço pela tensão que adquire a musculatura do pescoço e a posição rígida do tórax.

  • Expiração muito prolongada conseqüente a obstrução à saída do ar.

  • Freqüência respiratória: o cansaço faz com que haja dificuldade em falar frases ou períodos maiores. A fala é entrecortada para que a criança possa respirar

  • Posição: o paciente não tolera ficar deitado, mantém-se sentado para poder respirar melhor, com freqüência apoiando-se em uma cadeira ou nos joelhos

  • Sudorese intensa

  • Cor azulada ou arroxeada dos lábios, orelhas, face e unhas; cor arroxeada da língua significa extrema gravidade.

Por que muitas crianças precisam usar medicamentos para a asma mesmo quando não estão em crise?

A asma pode ser classificada em leve, moderada e grave e dependendo da constância ou não dos sintomas em asma persistente ou intermitente.

As crianças que apresentam crises muito frequentes ou graves ou asma persistente necessitam de tratamento mesmo quando não se encontram em crise, é o que chamamos de tratamento profilático. O tratamento profilático combate a inflamação fazendo com que as crises sejam cada vez mais espaçadas e menos graves. Após o controle ambiental o tratamento medicamentoso da inflamação é o aspecto mais importante no tratamento da asma. O tratamento profilático é feito com medicamentos através da via inalatória ou via oral. Em nosso ambulatório utilizamos pela via inalatória o cromoglicato dissódico -(Intal) ou o corticóide - a beclometasona (Beclosol ou Clenil). Este tratamento precisa ser diário e prolongado, sua duração é determinada pelo médico após examinar a criança periodicamente e observar sua resposta. Quando não é possível a utilização da via inalatória o tratamento profilático é feito pela via oral e a droga utilizada é a prednisona (Meticorten) em dias alternados.

É importante entender que cada paciente deve receber um programa específico de tratamento, a ser combinado com seu médico.



Classifique a asma de seu filho junto com o médico.




©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal