O recém-nascido é pleno de potencialidades e vivencia desde sua vida intra-uterina uma série de transformações que são decisivas para o seu crescimento e desenvolvimento



Baixar 284.3 Kb.
Página5/5
Encontro02.07.2019
Tamanho284.3 Kb.
1   2   3   4   5
.

MARCONI, M.A.; LAKATOS, E.M. Técnicas de Pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, analise e interpretação de dados. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

MEHRY, E.E. Saúde: cartografia do trabalho vivo em ato. São Paulo (SP): HUCITEC, 2002.

MENDES, L.R.; BROCA, P.V.; FERREIRA, M.A. A leitura mediada como estratégia de cuidado lúdico: contribuição ao campo da enfermagem fundamental. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, v. 13, n. 3, p. 530-36, jul-set, 2009.

MERHY, E.E. A perda da dimensão cuidadora na produção da saúde. In: O SUS em Belo Horizonte. São Paulo: Xamã, 1998.

MINAYO, M.C.S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 14. ed. Petrópolis (RJ): Vozes, 2001.

MONSANTO. A Terapia do Abraço. Disponível em: Acesso em: 07 abr. 2010.

NIETSCHE, E.A.; LEOPARDI, M.T. O saber da Enfermagem como tecnologia: a produção de enfermeiros brasileiros. Texto & Contexto Enfermagem, Florianópolis, v. 9, n. 1, p. 129-52, jan-abr, 2000.

OLIVEIRA, I.C. dos S. A história da tecnologia e suas repercussões no cuidar em saúde da criança. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, Rio de Janeiro, v.6, n.1, p. 101-106, dez, 2002.

OLIVEIRA, I.C.S.; RODRIGUES, R.G. Assistência ao recém-nascido: perspectivas para o saber de enfermagem em neonatologia (1937-1979). Texto & Contexto Enfermagem, Florianópolis, v. 14, n. 4, p. 498-505, out-dez, 2005.

OLIVEIRA, M.M.C.; BARBOSA, A.L.; GALVÃO, M.T.G.; CARDOSO, M.V.L.M.L. Tecnologia, ambiente e interações na promoção da saúde ao recém-nascido e sua família. Revista Rene, Fortaleza, v. 10, n. 3, p. 44-52, jul./set, 2009.

PACHECO, S.T.A. O cuidado prestado pelo acadêmico e enfermagem em unidade de terapia intensiva neonatal na ótica da mãe, uma análise compreensiva [dissertação]. Faculdade de Enfermagem, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro (RJ), 2000.

POLIT, D.; HUNGLER, B. Fundamentos de pesquisa em enfermagem: métodos, avaliação e utilização. 5ª ed. Porto Alegre (RS): Artmed, 2004.

RAMPAZZO, L. Metodologia Científica para alunos dos cursos de graduação e pós- graduação. Lorena: Stiliano, 1998. 139 p.

REICHERT, A.P.S.; LINS, R.N.P.; COLLET, N. Humanização do Cuidado da UTI Neonatal. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 9, n. 1, p. 200-13, jan/abr, 2007. Disponível em: <http://www.fen.ufg.br/revista/v9/n1/v9n1a16.htm>.

RICHETTO, A.M.; SOUZA, A.B.G. A higiene do recém-nascido e cuidados com o coto umbilical. In: SOUZA, Aspásia Basile Gesteira; e colaboradores. Enfermagem Neonatal: Cuidado integral ao recém-nascido. 1. ed. São Paulo: Martinari, 2011.

RODRIGUES, M.S.P.; LEOPARDI, M.T. O Método de Análise de Conteúdo. Uma versão para enfermeiros. Fortaleza: Fundação Cearense de Pesquisa e Cultura, 2008.

SÁ NETO, J.A. de; RODRIGUES, B.M.R.D. Tecnologia como fundamento do cuidar em neonatologia. Texto & Contexto Enfermagem, Florianópolis, v. 19, n. 2, p. 372-7, abr-jun, 2010.

SANTOS, A.R. Metodologia científica: a construção do conhecimento. 4. ed. Rio de Janeiro: DPEA, 2001.

SCOCHI, C.G.S. Cuidado individualizado ao pequeno prematuro: o ambiente sensorial em unidade de terapia intensiva neonatal. Revista Paulista de Enfermagem, v. 14, n. 1, p. 9-16, jan-abr, 2001.

SILVA, D.C. da; ALVIM, N.A.T; FIGUEIREDO, P.A. de. Tecnologias leves em saúde e sua relação com o cuidado de enfermagem hospitalar. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, v. 12, n. 2, p. 291-8, jun, 2008.

SILVA, J.M.; SILVEIRA, E.S. Apresentação de Trabalhos Acadêmicos: Normas e Técnicas. 4. ed. Juiz de Fora: Tempo, 2006.

SILVA, R. da S.; CHRISTOFFEL, M.M.; SOUZA, K.V de. História, conquistas e perspectivas no cuidado à mulher e à criança. Texto & Contexto Enfermagem, v.14, n.4, p. 585-593, out-dez, 2005.

SOUZA, A.B.G. e colaboradores. Enfermagem Neonatal: Cuidado integral ao recém-nascido. 1. ed. São Paulo: Martinari, 2011.

SOUZA, A.B.G. História da neonatologia. In: SOUZA, A.B.G. Enfermagem Neonatal. São Paulo: Martinari, 2011.

SOUZA, I.M.C. de. O toque no cuidado de enfermagem à criança: uma abordagem introdutória. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, Rio de Janeiro, v. 6, n.1, p. 141-146, dez, 2002.

SOUZA, K.M.O. de, FERREIRA, S.D. Assistência humanizada em UTI neonatal: os sentidos e as limitações identificadas pelos profissionais de saúde. Ciência e Saúde Coletiva, v. 15, n. 2, p. 471-480, mar, 2010.

SOUZA, M.W.C.R. de; SILVA, W.C.R. da; ARAÚJO, S.A.N. Quantificação das manipulações em recém-nascidos pré-termo em Unidade de Terapia Intensiva: uma proposta de elaboração de protocolo. Conscientiae Saúde, v. 7, n. 2, 2008.

TABARRO, C.S. et al. Efeito da música no trabalho de parto e no recém-nascido. Revista Escola de Enfermagem da USP, v. 44, n. 2, p. 445-52, 2010. Disponível em:

TALENTO, B. Jean Watson. In:  GEORGE, J.B. et al. Teorias de Enfermagem: Os Fundamentos à Prática Profissional. Tradução de Regina Machado Garces. Porto Alegre: Artes Médicas, 2003.

TOMA, T.S.; MONTEIRO, C.A. Avaliaçäo da promoção do aleitamento materno nas maternidades públicas e privadas do Município de Säo Paulo. Revista Saúde Pública, v. 35, n. 5, p. 409-414, out, 2001.

TRAGANTE, C.R.; CECCON, M.E.J.; FALCAO, M.C. Desenvolvimento dos cuidados neonatais ao longo do tempo. Pediatria, São Paulo, v. 32, n. 2, p. 121-130, 2010.

TRONCHIN, D.M.R.; TOMA, E. Estrutura e organização da Unidade Neonatal: Aspectos de Enfermagem. In: LEONE, C.R.; TRONCHIN, D.M.R. Assistência Integrada ao recém-nascido. São Paulo: Editora Atheneu, 1996.

WATSON, J. Enfermagem pós-moderna e futura: um novo paradigma da enfermagem. Porto: Lusociência, 2003.

WHITFIELD, M.F. Psychosocial effects of intensive care on infants and families after discharge. Seminars in Neonatology, London, v.8, p. 185-193, 2003.




APÊNDICES
TABELA 1 – HOSPITAIS UNIVERSITÁRIOS FEDERAIS DO BRASIL


REGIÃO GEOGRÁFICA

HOSPITAIS UNIVERSITÁRIOS DO BRASIL


REGIÃO NORTE

Universidade Federal do Amazonas
HU GETÚLIO VARGAS

Universidade Federal do Pará
HU BETINA FERRO DE SOUZA

HU JOÃO DE BARROS BARRETO



REGIÃO CENTRO-OESTE


Universidade Federal do Goiás
HOSPITAL DAS CLÍNICAS

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
HU MARIA APARECIDA PEDROSSIAN


Universidade Federal de Mato Grosso
HU JÚLIO MÜLLER

Universidade de Brasília
HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

Universidade Federal de Grande Dourados

HOSPITAL UNIVERSITÁRIO


REGIÃO NORDESTE


Universidade Federal do Piauí
HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

Universidade Federal de Alagoas
HU PROF. ALBERTO ANTUNES

Universidade Federal da Bahia
HU PROFº EDGARD SANTOS

MATERNIDADE CLIMÉRIO DE OLIVEIRA

Universidade Federal do Ceará
HU WALTER CANTÍDIO


MATERNIDADE ESCOLA ASSIS CHATEAUBRIAND


Universidade Federal de Campina Grande
HU ALCIDES CARNEIRO

Universidade Federal do Maranhão
HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

Universidade Federal da Paraíba
HU LAURO WANDERLEY

Universidade Federal de Pernambuco
HOSPITAL DAS CLÍNICAS

Universidade Federal do Rio Grande do Norte
HU ANA BEZERRA


HOSPITAL DE PEDIATRIA PROF. HERIBERTO FERREIRA BEZERRA


HU ONOFRE LOPES


MATERNIDADE ESCOLA JANUÁRIO CICCO

Universidade Federal de Sergipe
HOSPITAL UNIVERSITÁRIO



REGIÃO SUL



Fundação Universidade Federal do Rio Grande
HU Dr. MIGUEL RIET CORREA JUNIOR

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE

Universidade Federal do Paraná
HOSPITAL DE CLÍNICAS

Universidade Federal de Pelotas
HOSPITAL ESCOLA

Universidade Federal de Santa Catarina
HU POLYDORO ERNANI DE SÃO THIAGO

Universidade Federal de Santa Maria
HOSPITAL UNIVERSITÁRIO


REGIÃO SUDESTE

Universidade Federal do Espírito Santo
HU ANTONIO DE MORAES

Universidade Federal Fluminense
HU ANTONIO PEDRO

Universidade Federal do Rio de Janeiro


HU CLEMENTINO FRAGA FILHO
HOSPITAL ESCOLA SÃO FRANCISCO DE ASSIS
INST. DE DOENÇAS DO TÓRAX
INST. PUER. PED. MARTAGÃO GESTEIRA
INSTITUTO DE GINECOLOGIA
INSTITUTO DE NEUROLOGIA DEOLINDO COUTO
INSTITUTO DE PSIQUIATRIA
MATERNIDADE ESCOLA

Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
HU GAFFRÉE E GUINLE

Universidade Federal de Juiz de Fora
HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

Universidade Federal de Minas Gerais
HOSPITAL DE CLÍNICAS

Universidade Federal do Triangulo Mineiro

HOSPITAL ESCOLA

Universidade Federal de Uberlândia
HOSPITAL DE CLÍNICAS

Universidade Federal de São Paulo
HOSPITAL SÃO PAULO

Fonte: Brasil (2011)



UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA

FACULDADE DE ENFERMAGEM
Instrumento de Coleta de Dados
Nome: _______________________________________ sexo: ________

Idade: __________ Tempo de formação: ____________

Tempo de atuação em UTIN:_______

Hospital:__________________________________________________________

Nº de leitos na UTIN: ____________

Tempo de existência da UTIN: ________________

Quais os profissionais de saúde atuam na unidade

( ) Enfermeiro - quantos? _________ ( ) Técnico de enfermagem – quantos?__________

( ) Médico – quantos? ______________( ) Psicólogos – quantos?______________

( ) Fisioterapeuta – quantos?_________( ) Terapeuta ocupacional - quantos?_________

( ) assistente social – quantos? _________ ( ) Outros: _____________________________________

Escala de plantão dos enfermeiros: _________________________________________________________




  1. Descreva o seu entendimento sobre humanização em unidade de terapia intensiva neonatal.

  2. Quais as estratégias de humanização são empregadas na UTIN que o (a) senhor (a) atua?

  3. Que outras estratégias o senhor (a) imagina ser possível empregar em UTIN e o que falta para estas serem empregadas em sua Unidade?

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA

FACULDADE DE ENFERMAGEM
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO
O senhor(a) está sendo convidado(a) como voluntário(a) para participar da pesquisa “A arte de cuidar em enfermagem: tecnologias aplicadas no cuidado neonatal”. O motivo que nos leva a estudar esse assunto é a importância de uma enfermagem imbuída da vontade de prestar um cuidado que abranja o neonato em sua integralidade e que as intervenções e estratégias que levam a este cuidado sejam aprendidas por todos os enfermeiros interessados em assistir a dimensão bio-psico-sócio-espiritual. Dessa forma, a relevância deste estudo encontra-se no fato de que o mesmo pode contribuir para a reflexão, busca e divulgação de estratégias e tecnologias de enfermagem que favoreçam as condições de saúde dos recém-nascidos internados em unidade de terapia intensiva neonatal.

Neste estudo pretendemos conhecer as estratégias de humanização empregadas nas unidades de terapia intensiva neonatal dos hospitais universitários federais da região sudeste do Brasil e descrever o entendimento que os enfermeiros atuantes nestas unidades têm de humanização. A coleta de dados será realizada através de um questionário encaminhado via e-mail ou correio. O instrumento abordará questões referentes ao conceito de humanização e as estratégias empregadas para a efetivação deste conceito e será aplicado aos sujeitos da pesquisa que serão os enfermeiros atuantes nas UTIN.

Para participar deste estudo você não terá nenhum custo, nem receberá qualquer vantagem financeira. Você será esclarecido (a) sobre o estudo em qualquer aspecto que desejar e estará livre para participar ou recusar-se a participar. Poderá retirar seu consentimento ou interromper sua participação a qualquer momento. A sua participação é voluntária e implica em risco mínimo, que consiste nos mesmos que o sujeito está exposto em seu cotidiano. Apesar disso, você tem assegurado o direito a ressarcimento ou indenização no caso de quaisquer danos eventualmente produzidos pela pesquisa. O pesquisador irá tratar a sua identidade com padrões profissionais de sigilo. Você não será identificado em nenhuma publicação que possa resultar deste estudo.

Os resultados da pesquisa estarão à sua disposição quando finalizada. Seu nome ou o material que indique sua participação não será liberado sem a sua permissão. Os dados e instrumentos utilizados na pesquisa ficarão arquivados com o pesquisador responsável por um período de cinco anos, e após esse tempo serão destruídos. Este termo de consentimento encontra-se impresso em duas vias, sendo que uma cópia será arquivada pelo pesquisador responsável, e a outra será fornecida a você.

Eu,__________________________________________________, portador(a) do documento de Identidade ____________________, fui informado(a) dos objetivos do presente estudo de maneira clara e detalhada e esclareci minhas dúvidas. Sei que a qualquer momento poderei solicitar novas informações e modificar minha decisão de participar se assim o desejar. Declaro que concordo em participar desse estudo. Recebi uma cópia deste termo de consentimento livre e esclarecido e me foi dada à oportunidade de ler e esclarecer as minhas dúvidas.

Juiz de Fora, ____ de ______________ de 20___.


_____________________________________

Assinatura do (a) participante


_____________________________________

Assinatura do (a) pesquisador (a)

Em caso de dúvidas com respeito aos aspectos éticos deste estudo, você poderá consultar:


CEP- Comitê de Ética em Pesquisa - UFJF

Pró-Reitoria de Pesquisa / Campus Universitário da UFJF

Juiz de Fora (MG) - CEP: 36036-900

Fone: (32) 2102-3788 / E-mail: cep.propesq@ufjf.edu.br


Pesquisador (a) Responsável: Iêda Maria Vargas Dias e Flávia Andrade Fialho

Endereço: Faculdade de Enfermagem – Campus Universitário da UFJF

Bairro Martelos CEP 36036-330 Juiz de Fora - MG

Fone: (32) 3216-2299 / E-mail: flavinhafialho@bol.com.br




1 A origem do termo ambiente cuidativo encontra-se na Teoria do Cuidado Humano Transpessoal de Jean Watson.





1   2   3   4   5


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal