O poder secreto do jejum



Baixar 17.71 Kb.
Encontro17.01.2018
Tamanho17.71 Kb.

O PODER SECRETO DO JEJUM
Eu saúdo a todos com a graça e a paz do Senhor Jesus.
Textos Base: Mateus 4:2, 6:16-18 e 9:14-15
E, depois de jejuar quarenta dias e quarenta noites, teve fome.”
Quando jejuardes, não vos mostreis contristados como os hipócritas; porque desfiguram o rosto com o fim de parecer aos homens que jejuam. Em verdade vos digo que eles já receberam a recompensa. Tu, porém, quando jejuares, unge a cabeça e lava o rosto, com o fim de não parecer aos homens que jejuas, e sim ao teu Pai, em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.”
Vieram, depois, os discípulos de João e lhe perguntaram: Por que jejuamos nós, e os fariseus muitas vezes, e teus discípulos não jejuam? Respondeu-lhes Jesus: Podem, acaso, estar tristes os convidados para o casamento, enquanto o noivo está com eles? Dias virão, contudo, em que lhes será tirado o noivo, e nesses dias hão de jejuar.”
Oração para que Deus abençoe cada vida presente e conceda graça e sabedoria para a ministração da palavra.
Como vimos nas passagens que nós acabamos de ler, o jejum é tratado por Jesus como uma disciplina natural para a vida do crente. Trata-se, na verdade, de uma arma das mais poderosas que Deus tem nos disponibilizado e ensinado para sermos vitoriosos na nossa caminhada espiritual, que foi de fundamental importância em vários momentos cruciais da jornada do povo de Deus, tanto no Antigo como no Novo Testamento e durante toda a etapa de desenvolvimento da Igreja até os nossos dias, como nos é atestado por:

  • Moisés, em Êxodo 34-27-28, quando após 40 dias de jejum completo, ele recebeu as tábuas da Lei e viu a Glória de Deus;

  • Samuel, em 1 Samuel 7:6, quando o povo de Israel jejuou 1 dia para se purificar e subir à guerra contra os filisteus, em Mispa, onde obtiveram grande vitória;

  • Elias, em 1 Reis 19:8, quando ele falou com Deus numa caverna do Monte Horebe, após caminhar 40 dias em jejum completo, depois de ser alimentado por um anjo;

  • Josafá, em 2 Crônicas 20:3, quando após 1 dia de jejum de todo o povo de Judá, Deus derrotou todo os exércitos dos amonitas, moabitas e do povo do Monte Seir que subiram contra Josafá;

  • Davi, em Salmos 35:13-14, quando ele se humilhou diante de Deus e obteve grande vitória sobre os seus inimigos;

  • Ester, em Ester 4:16, quando após um jejum de 3 dias Deus permitiu que ela fosse recebida pelo Rei e obtivesse o seu favor para mudar uma sentença de morte que pairava contra todo o povo judeu;

  • Esdras, em Esdras 8:21-23, quando ele comandou um jejum coletivo em favor da jornada até Jerusalém;

  • Neemias, em Neemias 9:1, quando ele comandou um jejum coletivo de 1 dia com arrependimento e confissão de pecados para um renovo da aliança com Deus;

  • Daniel, em Daniel 9:3, quando ele jejuou para entender a profecia dos 70 anos e para o fim das assolações sobre Jerusalém;

  • Joel, em Joel 2;12-15, quando ele convocou um jejum coletivo para arrependimento e consagração do povo de Deus a fim de que houvesse um novo conserto com o Senhor e Ele cessasse a seca e a miséria em Israel;

  • Jonas, em Jonas 3:5, quando todos os ninivitas e os seus animais jejuaram clamando pela misericórdia de Deus e obtiveram grande livramento;

  • Zacarias, em Zacarias 8:19, quando ele profetizou o derramamento das bênçãos do senhor sobre o povo durante os dias de jejum durante as festas solenes;

  • Ana, em Lucas 2:37, que, aos 84 anos, depois de uma vida de jejum e oração, teve a revelação no templo que Jesus era o Salvador prometido;

  • Cornélio, em Atos 10:30-31, que jejuava e orava quando o Senhor respondeu à sua oração;

  • Paulo e Barnabé, em Atos 13:2-3 e 14:23, que, quando a Igreja de Antioquia jejuava e orava, foram comissionados para a 1ª viagem missionária, e que oravam e jejuavam antes de eleger e comissionar os presbíteros das novas igrejas que fundavam;

  • Paulo, em Atos 27:34, quando, após um jejum de 14 dias de todos os tripulantes, O senhor operou um grande livramento do naufrágio havido, e em 2 Coríntios 6:5 e 11:27, quando ele fala das vigílias e jejuns feitos;

  • Heróis da fé da Igreja Cristã, em registros biográficos: Policarpo, Martnho Lutero, Charles Finney, Jonathan Edwards, John Wesley, Moody, Charles Spurgeon, etc.

Assim como foi em toda a história do povo de Deus, o jejum continua a ser um instrumento dos mais poderosos nos dias de hoje. Ora, onde existe oração e jejum, existe vitória no meio das dificuldades, libertação, cura, livramento, milagres, revelações de Deus e manifestação da Sua glória. Entretanto, é preciso ficar claro que não devemos jejuar como forma de barganha por favores pessoais, mas sim para aprendermos a mortificar a carne e alcançarmos uma comunhão maior com o Senhor ou para obter uma vitória em alguma luta que estejamos passando ou para cumprir uma tarefa especial que o Senhor tenha nos confiado.


Mas, de que forma o jejum pode nos ajudar, alguns perguntam? Principalmente pela desobstrução do “canal” que nos conecta com a unção de Deus, pois este tem a tendência de ficar obstruído através do curso natural das nossas vidas na interação com este mundo decadente. Por isso, a melhor maneira de purificar o nosso sistema espiritual e mantê-lo livre de obstruções é fazermos uso rotineiro de um período de jejum e oração.

Entre os principais benefícios advindos do jejum podemos citar:



  • Você será capaz de identificar as prioridades da vida de modo mais claro;

  • Você encontrará equilíbrio na área de sua vida que está mais desarrumada e o Senhor tratará diretamente das suas maiores fraquezas;

  • Você começará a valorizar e realmente apreciar as coisas que Deus tem lhe concedido e ficará mais forte contra as manifestações do ego carnal;

  • Você alcançará um maior domínio próprio;

  • Você se tornará mais sensível ao Espírito de Deus;

  • Você receberá uma capacitação especial para o ministério em que Deus tem te colocado.

Infelizmente, é fato que existe pouca clareza e falta de unidade com relação à abordagem desse tema dentro das próprias igrejas evangélicas. Entre os principais pontos sobre os quais têm havido confusão, gostaríamos de compartilhar com os irmãos alguns esclarecimentos dados por um dos maiores evangelistas dos nossos tempos, o Pastor Mahesh Chavda:



  • o arrependimento deverá preceder o jejum quando se está em pecado;

  • o jejum para impressionar os outros têm conseqüências opostas às desejadas;

  • o jejum deve ser acompanhado de períodos de adoração, oração e leitura da Palavra, sem o que, ele estaria reduzido a uma simples dieta alimentar;

  • os limites de comprometimento da saúde do corpo devem ser respeitados, mas não os caprichos do comodismo ou as contrariedades da carne;

  • jejuns de até 3 dias podem ser feitos sem a ingestão de líquidos, mas mais do que isso exige o consumo de água e/ou sucos naturais;

  • jejum completo requer abstenção de alimento e de água, jejum normal requer abstenção de alimentos; jejum parcial requer abstenção de tudo aquilo que nos é apetecível (varia de pessoa para pessoa) ou é feito só ao longo de partes do dia (ex. meia-noite ao meio-dia);

  • jejum coletivo: período pequeno (todos juntos); períodos grandes (revezamento, conforme a possibilidade de cada um);

  • a abstenção de contato sexual durante o período de jejum demanda um acordo entre os cônjuges e não deve ser feita por períodos prolongados;

  • a prática do jejum deve ser introduzida gradativamente e o ritmo de crescimento é absolutamente específico para cada um;

  • Deus sempre estará disposto a ajudar os servos que estiverem dispostos a responder ao Seu chamado para uma prática rotineira da disciplina do jejum e da oração.

Um grande avivamento está para chegar à Terra nesses tempos do fim. Uma fome muito grande pela Palavra do Senhor está começando a varrer diversas Nações do mundo. Nesses dias, o Senhor está liberando uma nova palavra profética acerca de um princípio antigo de Sua Palavra. Este princípio antigo é a combinação de jejum, vigília e oração e o novo mover de Deus está diretamente relacionado a esta combinação utilizada de modo corporativo pela Igreja, atraindo a atenção do Senhor dos Exércitos e removendo todos os obstáculos para que as janelas do mundo espiritual se abram e grandes contingentes de pessoas sejam levados ao arrependimento dos pecados e a um compromisso real com Jesus. A oração corporativa, de forma misteriosa e sobrenatural, jogará por Terra todo muro que divide o Corpo de Cristo e transcenderá as diversas linhas denominacionais.


Para finalizar, eu peço aos presentes que fechem os seus olhos por um momento e ouçam com atenção algo que o Senhor quer falar de modo especial aos nossos corações nessa manhã.
Como cristãos, eu e você precisamos estar juntos no campo de batalha, apresentando-nos a Deus como um grupo comprometido de guerreiros de jejum e oração, dispostos a enfrentar toda a atuação maligna e apresentar com poder o testemunho de Jesus sobre a Terra. É tempo de nos posicionarmos como soldados do exército do Deus vivo, com a finalidade de resgatar as nossas famílias, cidades e Nações para Cristo. Já é tempo de compreendermos que recebemos as boas novas de Jesus para termos muito mais que salvação em Seu nome. O Senhor deseja que estejamos desfrutando de uma nova e gloriosa unção, mas ela só virá através do jejum e da oração. Precisamos rogar ao Senhor da seara que nos conceda graça, poder, sinais e maravilhas no nosso ministrar, de forma a confirmar a pregação da Sua poderosa Palavra, gerando frutos e mais frutos de salvação, conforme Jesus profetizou para nós em João 14:12: “Em verdade, em verdade vos digo que aquele que crê em mim fará também as obras que eu faço e outras maiores fará, porque eu vou para junto do Pai.” Você está disposto a enfrentar esse desafio? Então já é tempo de descobrir o poder secreto do jejum e se posicionar como um guerreiro do Senhor.
Essa é a mensagem de Deus para nós, que ela possa frutificar abundantemente em nossos corações. A graça e a paz do Senhor Jesus seja com todos.




©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal