NutriçÃo e comunidade: em busca da saúde através da alimentaçÃO



Baixar 45.38 Kb.
Encontro13.01.2018
Tamanho45.38 Kb.

Aplicação de metodologias numa Comunidade: buscando a Saúde através da Alimentação

Alessandra Nunes de Melo – Daniel de Araújo Batista - Janalyne de Carvalho Correia Moreira - Juciany Medeiros Araújo - Waneska Martins Pereira


Orientador: Eymard Mourão Vasconcelos

Universidade Federal da Paraíba (UFPB)-grotao@yahoogrupos.com.br




Resumo
Uma alimentação saudável e equilibrada é essencial para manter e/ou recuperar a saúde e prevenir algumas patologias. Nesta perspectiva, surge o referido projeto que se desenvolve desde de outubro de 2002 em uma Comunidade da periferia de João Pessoa-PB, aonde estudantes de nutrição participantes do Projeto de extensão universitária “Educação Popular e Atenção Primária à Saúde da Família”, tendo como método de trabalho a Educação Popular, sob a ótica de Atenção Primária Integral à Saúde, elaboraram um questionário de avaliação nutricional, sendo aplicado às famílias da Comunidade, procurando estabelecer um diálogo consistente com estas e problematizando as dificuldades identificadas.

Crianças de uma família acompanhada pelo projeto



Introdução




O Projeto é desenvolvido desde de outubro de 2002 na Comunidade Maria de Nazaré localizada na periferia de João Pessoa-PB,entre os bairros dos Funcionários III e Grotão. Surge aliado ao Projeto de extensão universitária “Educação Popular e Atenção Primária à Saúde da Família”, cuja atuação ocorre na perspectiva Freiriana, sob a ótica de Atenção Primária Integral à Saúde. Defende o conceito de integralidade, com a finalidade de formar um profissional mais socialmente compromissado, nesta direção estudantes de 11 cursos das ciências da saúde e sociais se organizam em duplas interdisciplinares e realizam visitas semanais às famílias da comunidade promovendo ações preventivas e mobilizadoras para o desenvolvimento de atuações em políticas de saúde.

Os estudantes de Nutrição participantes deste projeto se articularam e organizaram um questionário de avaliação nutricional com o objetivo de identificar os hábitos alimentares das famílias daquela comunidade, buscando formas de atuação que possam melhorar a qualidade da alimentação das mesmas, bem como direcionar a visão de estudantes das outras áreas do conhecimento para a alimentação das famílias, algo imprescindível para o estabelecimento da saúde destas.

O questionário apresentava informações simples sobre alimentação diária, condições sócio-econômicas e da saúde, sendo aplicado por cada dupla, às famílias. Essas duplas receberam uma orientação prévia, dos estudantes de nutrição, aplicando o questionário em 76 famílias durante o período de novembro de 2002. A análise dos dados aponta para o fato das famílias não adotarem uma dieta diversificada, provavelmente, por pertencerem a uma comunidade de baixa renda, supondo a existência de deficiências nutricionais específicas que provocariam o aumento da suscetibilidade das famílias a determinados tipos de doenças.



Objetivos



  • Geral:

- Identificar os hábitos alimentares das famílias assistidas pelo projeto de extensão “Educação Popular e Atenção Primária à Saúde da família”.




  • Específicos:

- Buscar formas de atuação, junto a Comunidade, que possam melhorar a qualidade da alimentação das famílias;


- Direcionar a visão de estudantes das outras áreas do conhecimento para questões alimentares existentes na Comunidade;
- Avaliar a influência da situação sócio-econômica em relação aos hábitos alimentares;

Metodologia

O método empregado foi de pesquisa-ação, definido para a finalidade deste estudo como uma estratégia de pesquisa, na qual existe uma ação por parte do investigador, com vistas à transformação de realidade concreta, através da qual ele pretende também aumentar o seu conhecimento e a consciência dos sujeitos pesquisados a respeito da problemática estudada, envolvendo a prestação de serviço, a observação sistemática, o diálogo com os sujeitos pesquisados que acontece tanto em situações informais como em situações planejadas que ocorrem sob a forma de entrevistas, e o retorno aos sujeitos da elaboração teórica que o pesquisador faz a partir dos dados coletados.


O estudo, realizado na Comunidade Maria de Nazaré, foi desenvolvido em etapas. Na primeira fase, foram realizadas orientações prévias pelos estudantes de nutrição, sobre noções de nutrientes e métodos de avaliação alimentar, aos demais estudantes integrantes do projeto “Educação Popular e Atenção Primária à Saúde da Família” durante reuniões semanais do mesmo. Em seguida, o questionário de avaliação nutricional* foi aplicado por meio de entrevistas às famílias por cada dupla participante do projeto, buscando informações simples sobre alimentação diária da família através da anamnese alimentar que continha questões relacionadas ao estado de saúde, qualidade de lipídios consumidos, quantidade de refeições realizadas e freqüência (dia, semana ou mês) da ingesta de algumas preparações e alimentos pelas famílias. Também abrangeu a situação sócio-econômica e de escolaridade das mesmas. Os dados recolhidos foram processados através de análise qualitativa sob a visão social da alimentação.
A elaboração e aplicação de estratégias para atenuar a problemática identificada através da análise se estabeleceram como uma terceira fase do trabalho, caracterizada, principalmente, pela confluência do conhecimento científico e a capacidade prática de enfrentamento dos problemas comuns, colocando aquele a serviço da sociedade.

Resultados


A análise dos dados identificou que das 76 famílias entrevistadas, cujo número médio é de cinco pessoas, 79% possui uma renda inferior ou igual a dois salários mínimos e 6,6% delas não apresentam renda. Em 81,6%, pelo menos uma pessoa que compõem a família trabalha. Com relação ao nível de escolaridade, os ensinos fundamentais de primeira fase completa e incompleta representam 54% (27%-completo; 27%-incompleto) do total da amostra; 26,3% não possui escolaridade e 6,5% completaram o ensino médio.


Com relação aos hábitos alimentares, a maioria das famílias (96,1%) realiza as três refeições principais, sendo considerado o almoço a refeição mais importante para 82,9%(Gráfico 1 e 2). O óleo vegetal é o tipo de lipídio mais utilizado na preparação da alimentação (tabela 1); e as vísceras que apesar de seu baixo custo e seu elevado valor nutricional, são consumidas com pouca freqüência (Gráfico 3). Já o arroz (branco e refogado) e as frituras possuem uma maior freqüência de consumo, ao contrário das saladas cruas, legumes cozidos e purês (tabela 2).
Através da observação das patologias mais freqüentes dos antecedentes familiares pôde-se verificar que as doenças nas quais a alimentação exerce alguma influência apresentam tendências de crescimento (Gráfico 4).


Legenda: D -Desjejum; A- Almoço; J- Jantar; LM- Lanche da manhã;LT- lanche da Tarde; COL- Colação




Legenda: A - Almoço; C - Café da manhã; J - Jantar; NR – Não responderam





Tabela 2 - Frequência de alimentos ingeridos
































Total de

Frequência

Saladas

Legumes

Arroz

Arroz

Purês

Frituras

Assados

famílias

 

cruas

Cozidos

refogado

Branco

 

 

 

 

D

27,73

30,26

38,16

55,26

7,89

43,42

22,37

76

S

34,21

42,11

21,05

21,05

25

31,58

47,37

 

M

13,16

9,21

7,89

9,21

18,42

13,16

11,84

 

N

25

18,42

32,89

14,47

48,68

11,84

18,42

Legenda: D- diariamente; S- Semanalmente; M- Mensalmente; N- nunca.

 







Tabela 1 - Tipo de óleo ou gordura utilizada no preparo da alimentação das famílias




Tipo de óleo ou gordura

% utilização

Óleo Vegetal*

67,50

Gordura vegetal

8,00

Gordura animal

2,00

Óleo e gordura Vegetal

18,50

Óleo e gordura

2,00

Não souberam

2,00

* azeite - 7,7% das famílias utilizam com freqüência na Alimentação




Conclusão

A saúde e o bem-estar na comunidade compreendem os fatores que ultrapassam o presumível consenso do sentido tradicional de saúde física e mental. Abrangem alimentação, moradia, renda, emprego, educação e segurança adequados para todas as pessoas que vivem em uma comunidade.


O questionário de avaliação alimentar foi de fundamental importância para identificar problemas relacionados à alimentação das famílias da Comunidade assistida pelo projeto. Um deles foi a falta de variedade dos alimentos que, provavelmente, está relacionado com a condição sócio-econômica precária, podendo esta ser considerada um fator limitante para obtenção de hábitos alimentares saudáveis, ainda mais associado ao baixo nível de escolaridade e de conhecimentos nutricionais dessa comunidade. Decorrem deste, outros problemas como possíveis deficiências de micronutrientes e complicações de algumas patologias (diabetes, hipertensão, cardiopatias, etc).
A orientação adequada das necessidades de saúde da comunidade envolve a participação de muitos provedores nela estabelecidos. É necessário a colaboração dos estudantes das outras áreas do conhecimento, participantes do projeto, e dos indivíduos da comunidade para atingir essas necessidades. Diante disso, o trabalho de educação nutricional, através da rádio comunitária, peças teatrais e palestras direcionadas às famílias e aos estudantes, abordando conhecimentos básicos sobre nutrição, técnicas de manipulação, higiene e reaproveitamento de alimentos tem sido o primeiro passo na tentativa de melhorar as condições de saúde.

Referências bibliográficas



  • DUARTE, Antonio Cláudio & CASTELLANI. Semiologia Nutricional. Rio de Janeiro-RJ: AXCEL Books, 2002.




  • Krause Alimentos, nutrição e dietoterapia/ editado por L. Kathhleen Mahan, Sylvia Escott-Stump: São Paulo-SP: Roca-10ed, 2002.




  • VALENTE, Flávio Luiz Schreck. Fome e Desnutrição-Determinantes Socias. São Paulo – SP: Cortez Editora – 2ºed., 1989.




  • VASCONELOS, Eymard M; Educação Popular e Atenção à Saúde da Família. HUCITEC p. 19 a 31, 1997.





©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal