Nota de aula prática: Seios Paranasais, Faringe e Laringe Prof



Baixar 12.7 Kb.
Encontro14.11.2017
Tamanho12.7 Kb.


/2



Nota de aula prática: Seios Paranasais, Faringe e Laringe - Prof. Paulo Jr.

Seios Paranasais

Conceito: prolongamentos da cavidade nasal que escavam os ossos do crânio. A abertura da comunicação entre os seios e a cavidade nasal é estreita, tornando lenta a renovação de ar.



a) Seios Frontais:

  • localizados entre a cavidade nasal e a craniana.

  • recebem o ar proveniente do meato nasal médio

  • nos eqüinos o ar passa primeiro pelo seio maxilar caudal antes de chegar ao seio frontal.

  • nos bovinos se divide em porções rostral e caudal.

b) Seios Maxilares:

  • ocupam a parte caudolateral da maxila

  • comunicam-se livremente com a cavidade nasal

  • nos eqüinos o seio maxilar é dividido em rostral e caudal.

  • nos carnívoros é pequeno, formando apenas um recesso maxilar.

Todas as espécies ainda possuem um pequeno seio palatino.

Nos ruminantes e suínos verifica-se o seio lacrimal.

Nos eqüinos e suínos existe o seio esfenoidal;

Nos eqüinos, os seios esfenoidal e palatino são contínuos, formando um único seio esfenopalatino.


Função: incerta (aquecer o ar? aumentar a superfície óssea para inserção muscular sem aumentar o peso do crânio?)

Importância clínica: sinusites; descorna; fístulas dentárias em cães.


Faringe

Conceito: órgão responsável pela condução do ar da cavidade nasal até a laringe e do alimento da cavidade oral até até o esôfago. Pertence aos sistemas respiratório (nasofaringe) e digestório (orofaringe).

Característica: dividida pelo palato mole em duas partes:

Nasofaringe (dorsal ao palato mole)

Orofaringe (ventral ao palato mole)

Estruturas a serem identificadas:

a) Arco palatofaríngeo: liga o palato mole à parede lateral da faringe.

b) Arco palatoglosso: liga o palato mole à língua

c) Recesso piriforme: parte laríngea da faringe

d) Óstio faríngeo da tuba auditiva (localizado na nasofaringe)


Laringe

Conceito: órgão formado predominantemente por cartilagens, capaz de conduzir o ar da faringe para a traquéia. Além disso, contribui para a fonação, atua nos mecanismos de espirro, tosse e evita a aspiração de alimentos.
Características: suspensa da base do crânio pelo aparelho hióide; facilmente palpável no animal vivo. Sua conformação é dada por 4 cartilagens:
Cartilagens:

a) Epiglote:

mais rostral

formato foliáceo

controla a passagem de ar ou de alimento

prega glossoepiglótica

forma o vestíbulo da laringe

b) Tireóidea:

maior


formada por duas lâminas laterais fusionadas ventralmente

parte rostral: "pomo de Adão"



c) Cricóide:

mais dorsal

forma um anel com lâmina no dorso e arco ventralmente

Articula-se com o primeiro anel traqueal pelo ligamento cricotraqueal.


d) Aritenóides:

forma irregular (pirâmide)

processo vocal (fixação da prega vocal)

processo muscular (lateralmente)



processo corniculado (dorsalateralmente)

processo cuneiforme (fusão com a epiglote)
Obs.: nos eqüinos, o processo cuneiforme pertence à cartilagem epiglótica.
Ventrículo lateral da laringe é um divertículo presente apenas nos eqüinos e carnívoros, limitado rostralmente pela prega ventricular e caudalmente pela prega vocal.
Músculos extrínsecos da laringe: originam-se fora da laringe (p.ex.: esterno) e se inserem nas cartilagens da laringe. Movimentam a laringe como um todo, usualmente na direção rostral. São inervados pelo n. hipoglosso.

Músculos intrínsecos da laringe: origem e inserção nas cartilagens, movimentando-as entre si para a abertura ou fechamento da glote. São inervados pelo n. laríngeo recorrente.


Importância Clínica: entubação orotraqueal; paralisia de laringe.




©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal