Natureza da luz o que é a luz



Baixar 375.34 Kb.
Página1/2
Encontro23.09.2019
Tamanho375.34 Kb.
  1   2

Natureza da luz - O que é a luz?

Teoria corpuscular da luz



Em 1672, o físico inglês Isaac Newton (fig. 1.1) apresentou uma teoria conhecida como modelo corpuscular da luz. Nesta teoria a luz era considerada como um feixe de partículas emitidas por uma fonte de luz que atingia o olho estimulando a visão.

Esta teoria conseguia explicar muito bem alguns fenômenos de propagação da luz .


 


Fig. 1.1 Sir Isaac Newton (1642-1727)

Newton publicou muitos trabalhos no campo da ótica e da matemática. Revolucionou a ciência física formulando as três leis básicas da mecânica e a lei da gravitação universal. Newton descobriu também que a luz poderia se dividir em muitas cores, através de um prisma, fenômeno da dispersão da luz (fig. 1.2), e usou esse conceito experimental para analisar a luz.

 


 Fig. 1.2 Dipersão da luz através de um prisma
Teoria ondulatória da luz

No século XIX, o cientista francês L. Foucault, medindo a velocidade da luz em diferentes meios (ar/água), verificou que a velocidade da luz era maior no ar do que na água, contradizendo a teoria corpuscular que considerava que a velocidade da luz na água deveria ser maior que no ar (Newton não tinha condições, na época, de medir a velocidade da luz).



Na segunda metade do século XIX, James Clerk Maxwell (fig. 1.3), através da sua teoria de ondas eletromagnéticas, provou que a velocidade com que a onda eletromagnética se propagava no espaço era igual à velocidade da luz, cujo valor é, aproximadamente:
c = 3 x 10 8 m/s = 300 000 km/s
 


Fig. 1.3 James Clerk Maxwell (1831-1879) 

Físico escocês que fez importantes trabalhos em eletricidade e eletromagnetismo. O seu maior trabalho foi a previsão da existência de ondas eletromagnéticas.

Maxwell estabeleceu teoricamente que:


A luz é uma modalidade de energia radiante que se propaga através de ondas eletromagnéticas.

Hertz, 15 anos após a descoberta de Maxwell, comprovou experimentalmente a teoria ondulatória, usando um circuito oscilante. Características de uma onda: comprimento de onda () e freqüência (f).



A velocidade da onda é dada pelo produto do comprimento de onda , (fig 1.4), pela freqüência, f, ou seja, este produto é constante para cada meio:

V = 

1.1

O que se observa pela relação 1.1 é que quanto maior a freqüência menor o comprimento de onda e vice-versa.

Fig. 1.4 Representação de uma onda apresentando comprimento , amplitude A e velocidade V



O espectro eletromagnético (conjunto de ondas eletromagnéticas - fig. 1.5) apresenta vários tipos de ondas eletromagnéticas: ondas de rádio, microondas, radiação infravermelha, luz (radiações visíveis), ultravioleta, raios X e raios gama. As ondas diferem entre si pela freqüência e se propagam com a mesma velocidade da luz no vácuo.

Fig. 1.5 Espectro eletromagnético mostrando a faixa da luz visível (a figura não está em escala)

No espectro eletromagnético o domínio correspondente à luz é:

f = 8,35 x 1014 Hz que corresponde a = 3,6 x 10-7 m (cor violeta), até f = 3,85 x 1014 Hz que corresponde a  = 7,8 x 10-7 m (cor vermelha).


 

Dualidade onda/partícula

Quando parecia que realmente a natureza da luz era onda eletromagnética, essa teoria não conseguia explicar o fenômeno de emissão fotoelétrica, que é a ejeção de elétrons quando a luz incide sobre um condutor.

Einstein (1905 - fig 1.6) usando a idéia de Planck (1900), mostrou que a energia de um feixe de luz era concentrada em pequenos pacotes de energia, denominados fótons, que explicava o fenômeno da emissão fotoelétrica.


 


Fig. 1.6 Albert Einstein (1879-1955). 
O mais importante físico do século XIX.

Em 1905 fez a famosa teoria da relatividade, que propunha analisar 
os movimentos das partículas que apresentavam grandes velocidades 
para as quais a mecânica Newtoniana não era válida.

A natureza corpuscular da luz foi confirmada por Compton (1911). Verificou que quando um fóton colide com um elétron, eles se comportam como corpos materiais.

Atualmente aceita-se o fato de que:





  1   2


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal