Municípios de atuaçÃo do isep



Baixar 3.12 Mb.
Página3/6
Encontro08.10.2019
Tamanho3.12 Mb.
1   2   3   4   5   6

CONCEPÇÃO DE INFÂNCIA

Período de formação humana com características próprias. Um período de aprendizagem e desenvolvimento que se estrutura a partir das interações criança/criança, criança/adulto, criança/objetos físicos e sociais. É nas e pelas interações que a criança faz descobertas, invenções, construindo seu conhecimento e sua personalidade.




  1. CRIANÇA

Sujeito ativo, criativo, inventivo, investigador, afetivo, que por meio da mediação do adulto/educador constrói e amplia seu conhecimento de mundo.

“A criança é um cidadão de direitos e um sujeito sócio-histórico-cultural que em função das interações entre aspectos biológicos e culturais, apresenta especificidades no seu desenvolvimento.” (BRASIL, PROINFANTIL, 2005, p.23).


  1. CURRÍCULO PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

O currículo para a Educação Infantil deve ser pensado e planejado pelo grupo de profissionais que atuam neste segmento nas redes de ensino municipais e sistematizando levando em consideração os tempos, espaços, materiais, agrupamentos, diferentes formas de expressão, como por exemplo: as linguagens.

O professor tem papel de mediador de conhecimentos. Uma de suas funções é provocar as crianças através da criação de desafios que as levem a tomar decisões ampliando seu conhecimento.

A função do professor é ampliar os espaços e planejar ações que propiciem a aprendizagem e o desenvolvimento cultural e histórico das crianças. São objetivos da educação infantil:


- Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações;

- Descobrir e conhecer progressivamente seu próprio corpo, suas potencialidades e seus limites, desenvolvendo e valorizando hábitos de cuidado com a própria saúde e bem-estar;

- Estabelecer vínculos afetivos e de troca com adultos e crianças, fortalecendo sua auto-estima e ampliando gradativamente suas possibilidades de comunicação e interação social;

- Estabelecer e ampliar cada vez mais as relações sociais, aprendendo aos poucos a articular seus interesses e pontos de vista com os demais, respeitando a diversidade e desenvolvendo atitudes de ajuda e colaboração;

- Observar e explorar o ambiente com atitude de curiosidade, percebendo-se cada vez mais como integrante, dependente e agente transformador do meio ambiente e valorizando atitudes que contribuam para sua conservação;

- Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;

- Utilizar as diferentes linguagens (corporal, musical, plástica, oral e escrita), ajustadas às diferentes intenções e situações de comunicação, de forma a compreender e ser compreendido, expressar suas idéias, sentimentos, necessidades e desejos e avançar no seu processo de construção de significados, enriquecendo cada vez mais sua capacidade expressiva;

- Valorizar algumas manifestações culturais, demonstrando atitudes de interesse, respeito e participação rente a elas e valorizando a diversidade (BRASIL, RCNEI, v. I, p.63).


Partindo dos objetivos da Educação infantil, compreendemos o planejamento de forma integrada entre os três eixos: interações, linguagens e brincadeiras e na abordagem de Projetos que sustenta toda a organização do trabalho pedagógico. O Planejamento integrado engloba tempo, espaço, interações, linguagens e brincadeiras, organizados na relação entre a intenção pedagógica do professor e a curiosidade da criança.

Para que o trabalho pedagógico seja organizado de forma coerente é necessário planejamento. Planejar é organizar objetivos, espaços, materiais, pensamentos, situações e ocasiões de aprendizagem. É permitir trocas e comunicações entre os três protagonistas ativos e pares interativos, crianças, professores e família.

Ao planejar o professor poderá partir de trabalhos com pequenos e grandes grupos que propiciem trocas e interações, organizar espaços que incidem a exploração ativa como as áreas ou cantos permanentes ou temáticos e explorar a curiosidade e os conhecimentos através da elaboração de projetos de pesquisa ou de construção.


  1. A ROTINA

A rotina escolar é uma seqüência de atividades que visam a organização do tempo que a criança permaneceu na escola. Auxiliando o professor na hora de seu planejamento.

As atividades de rotina são aquelas que devem ser realizadas diariamente, oportunizando as crianças o desenvolvimento e a manutenção de hábitos, indispensáveis á preservação da saúde física e mental como, por exemplo, a organização, a higiene, a alimentação correta, o tempo e os espaços adequados, as atividades do dia.

Isso pode ser feito com auxílio de um quadro onde a rotina é demonstrada através de desenhos que represente cada ação, ou oralmente


Exemplo:
Recepção das crianças: hora da chegada;

Chamada: reconhecimento do eu e do outro;

Calendário: reconhecimento de tempo e espaço;

Ajudante do dia; responsabilidade e autonomia;

Higiene;

Lanche monitorado;

Escovação;

Hora da história;

Parque e brincadeiras;

Organização da sala e dos espaços.



12.1 A RODA
A roda acontece sempre no início da aula, o momento da roda acontece com grande interação é a hora onde as crianças trocam ideias e falam sobre tudo que os interessa, e neste momento o professor pode conhecer a cada criança e observar quais os assuntos que interessa a cada um, na roda através da interação com as outras crianças todos aprendem a respeitar a vez do outro.

Na roda o professor pode desenvolver várias atividades como, por exemplo, a marcação do dia no calendário, brincadeiras com os crachás com o nome, brincadeiras diversas, histórias e outros. Também podem ser apresentadas as atividades do dia e realizar discussões sobre o projeto.

O tempo da roda deve ser equilibrado conforme o interesse das crianças.

12.2 HORA DA HISTÓRIA

Contar uma história é uma experiência de grande significado para quem conta e para quem ouve, muitas crianças são capazes de antecipar as seqüências e emocionadas e reagem escondendo-se atrás de amigo, apertando as mãos, arregalando os olhos. Depois, o suspiro de alivio e do riso quando o herói venceu os obstáculos.

Na história, a criança se projeta momentamente nos personagens e penetra no mundo da fantasia. A história pode ser contada, lida, com ou sem apresentação de figuras.

Pode ser curta, de modo a ser contada num mesmo dia, poderá também ser contada aos poucos. Segundo o referencial curricular nacional para a educação infantil.

Contar história costuma ser uma prática diária nas instituições de educação

Infantil. Nesses momentos, além de contar, é necessário ler as histórias e possibilitar seu reconto pelas crianças.






Figura 2: Hora da história

Fonte: SEMED – Paulo Lopes





1   2   3   4   5   6


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal