Ministério da saúDE


Preencher Ficha de Vigilância Epidemiológica e de Notificação dos Eventos Adversos Pós-vacinais



Baixar 1.08 Mb.
Página13/15
Encontro21.10.2017
Tamanho1.08 Mb.
1   ...   7   8   9   10   11   12   13   14   15

Preencher Ficha de Vigilância Epidemiológica e de Notificação dos Eventos Adversos Pós-vacinais




A unidade de destino deve ter uma escala de sobreaviso para recebimento das amostras.


Amostra 3


Amostra 4



Coletar 9,0 mL de sangue total em 2 tubos com 4,5mL cada

um contendo citrato, conservar e transportar em temperatura ambiente. Deve chegar ao destino o mais rapidamente possível, no máximo 48 horas após a coleta.



Coletar 5 mL de sangue total em tubo com heparina, conservar e transportar em temperatura ambiente, devendo chegar ao destino em até 24 horas após a coleta.



Amostras 1 e 2



Coletar sangue total em 2 tubos com 6 ml cada (sem anticoagulante).

Extrair o soro e conservar em gelo seco ou freezer a –70ºC*.

Coágulos - enviar em temperatura ambiente para o Lacen..

Amostras de vísceras



Em caso de óbito coletar 4 amostras de vísceras (2cm3 cada) incluindo fígado e cérebro (prioridades), pulmão, timo, coração, baço, linfonodo, rim e cérebro. 2 amostras devem ser conservadas em solução de formalina a 10% em tampão fosfato (PBS), mantidas a temperatura ambiente e 2 amostras em frascos estéreis conservadas e transportadas a –70ºC ou em gelo seco.

Amostra 1 - LACEN Estadual
Realizar sorologias:

Dengue, Febre Amarela,

Hepatites A, B e C, Leptospirose, Riquettsioses,

Citomegalovírus, Mononucleose e outras pertinentes.

Encaminhar aos laboratórios de referência conforme área de abrangência


* Caso não se

*Caso não se disponha de gelo seco, é aceitável a utilização de gelo reciclável ou gelo comum envolto em papel (como jornal) na caixa térmica, para evitar contato direto do gelo com os tubos, enviando a imediatamente para o destino. A temperatura de acondicionamento destas amostras deverá estar entre 4 e 8 ºC ou abaixo de – 70ºC. A pior temperatura para as mesmas é em torno de 20ºC.


Encaminhamentos e endereços



Região

Amostra nº 1

Amostra nº 2

Amostra nº 3

Amostra nº 4

Amostras de vísceras

Norte, Centro-Oeste (-MS), PI e MA

LACEN

IEC

Adolfo Lutz

FIOCRUZ


CPqRR e Bio-Manguinhos

IEC

SP, Sul e MS

LACEN

Adolfo Lutz

Adolfo Lutz

FIOCRUZ


Adolfo Lutz

Adolfo Lutz

Sudeste (-SP) + Nordeste (-PI e MA)

LACEN

FIOCRUZ

Adolfo Lutz

FIOCRUZ


CPqRR e Bio-Manguinhos

FIOCRUZ

Norte, Centro-Oeste (-MS), PI e MA

LACEN

IEC

Adolfo Lutz

FIOCRUZ


CPqRR e Bio-Manguinhos

IEC

SP, Sul e MS

LACEN

Adolfo Lutz

Adolfo Lutz

FIOCRUZ


Adolfo Lutz

Adolfo Lutz

Sudeste (-SP) + Nordeste (-PI e MA)

LACEN

FIOCRUZ

Adolfo Lutz

FIOCRUZ


CPqRR e Bio-Manguinhos

FIOCRUZ






Contatos:

Coordenação Geral do Programa Nacional de Imunizações DEVEP / SVS / MS

Tel.: (61) 2107 4416 ou 2107 4421.
FIOCRUZ – Departamento de Virologia – Laboratório de Flavivírus. Dra. Rita Nogueira.

Tel. (21)2598-4373. Endereço postal: Av. Brasil 4365, Manguinhos – CEP 21045-900, Rio de Janeiro, RJ – Pavilhão Cardoso Fontes.
Centro de Pesquisas René Rachou – FIOCRUZ. Laboratório de Doença de Chagas. Dr. Olindo Assis Martins Filho. Tel. (31)295-3566 r. 165. Fax: (31)295-3115. Endereço postal: Av. Augusto de Lima 1715. CEP 30190-002.

Belo Horizonte – MG.



Esquema dos procedimentos laboratoriais



Amostra 1


Diagnóstico etiológico e diferencial - sorologia


Febre amarela; hepatites A, B e C; leptospirose; riquettsioses; mononucleose; dengue; infecções por citomegalovírus, hantavírus e outras infecções ou condições mórbidas que sejam pertinentes.

Amostra 2




1   ...   7   8   9   10   11   12   13   14   15


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal