Mestrado em Economia – especialização em Economia Financeira 4º curso



Baixar 62.6 Kb.
Encontro05.10.2019
Tamanho62.6 Kb.



Licenciatura em Direito

Economia Política
Fichas de trabalho

Ficha nº 7



Assunto: Princípios de macroeconomia. Agregados económicos. Contas nacionais. Orçamento Estado.
A TEMA DE DISCUSSÃO 7
Leia atentamente e faça um comentário, considerando o efeito das políticas económicas em geral e da política fiscal em particular. Considere a importância das políticas fiscais, tais como: o problema de um orçamento equilibrado ou deficitário, receitas versus despesas públicas e a promoção do Bem Estar social nas sociedades modernas.
A política fiscal (PF) é objeto de estudos e controvérsias desde meados da década de 1930, quando John Maynard Keynes, em sua Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda (1936), propôs o uso dos gastos e receitas do governo como meio de influenciar, positivamente, o nível de atividade econômica (produção e emprego) nas economias de mercado.
http://www.ie.ufrj.br/eventos/seminarios/pesquisa/texto06_04_18.pdf
Independentemente do critério de classificação que venha a ser adotado, os instrumentos fiscais referem-se às despesas e às receitas do setor público.
http://www.vemconcursos.com/opiniao/index.phtml?page_ordem=visitados&page_autor=23&page_id=578

B – QUESTÕES
1. Qual dos seguintes pontos não está directamente relacionado com a análise macroeconómica?
A. O nível geral dos preços.

B. A percentagem da população trabalhadora que está desempregada num dado período

de tempo.

C. O volume total de produção de uma economia.

D. A relação entre o preço do trigo e a quantidade oferecida no mercado.

E. O funcionamento do sistema monetário.


2. Dos seguintes sete pontos, dois são correspondentes à óptica do produto nacional, dois à do rendimento nacional e dois à da despesa nacional. O restante não é incluído em qualquer deles.
Verifique esta afirmação.

A. Os salários dos trabalhadores de caminhos-de-ferro.

B. A compra de maquinaria por parte de uma empresa.

C. O valor dos serviços prestados pelas empregadas de uma loja.

D: O "valor acrescentado" pelas indústrias de aço e ferro.

E. Os gastos de uma família em comida.

F. O investimento de um indivíduo nas acções de uma empresa recentemente constituída.

G. Os dividendos pagos aos accionistas de uma companhia transformadora

3. No ano passado, as contas nacionais da economia fechada da Piromania foram parcialmente destruídas por um incêndio e os seguintes dados constituem tudo aquilo que restou.
FBCF 1000

Lucros retidos nas empresas 600

Valor dos stocks no dia 1 de Janeiro 250

Renda, dividendos e juros pagos pelas empresas 800

Consumo público 300

Valor da produção da indústria não transformadora 1800

Pensões dos reformados 900

Investimento líquido 700

Consumo privado 2000

Impostos indirectos líquidos de subsídios 500

Valor dos stocks no dia 31 de Dezembro 450
Calcule:

i) O PNBPm

ii) O PNLPm

iii) O PNLcf


4. Os seguintes dados são referentes à economia do país "ABC":
- Produto nacional bruto a preços de mercado 1500

- Investimento bruto 200

- Investimento líquido 60

- Consumo privado 1000

- Consumo público 330

- Rendimento nacional 1200

- Salários (inclui cont. Seg. Social por parte das empresas) 900

- Rendas 110

- Impostos directos pagos pelas empresas 0

- Juros pagos pelas empresas 60

- Saldo orçamental -20

- Subsídios do Estado às empresas 0

- Saldo dos rendimentos dos factores de e para o estrangeiro 0

- Lucros não distribuídos -20

- Transferências unilaterais de e para o exterior 0

Calcule:
a) PNL a custo de factores.

b) Exportações líquidas.

c) Impostos indirectos.

d) Lucros totais.

e) Rendimento pessoal Disponível.

f ) Poupança pessoal.

5. Suponha que lhe são fornecidos os seguintes dados referentes a uma determinada economia:


- Oferta global 1550

- Salários (inclui cont. Seg. Social por parte das empresas) 500

- Impostos indirectos 50

- Consumo 550

- Juros pagos pelas empresas 100

- FLCF 200

- Investimento bruto 300

- Rendas 350

- Amortizações 75

- Lucros 125

- Exportações 380

- Subsídios do Estado às empresas 30

- Rendimentos de factores nacionais provenientes do resto do mundo 100

- Rendimentos de factores externos pagos ao resto do mundo 80


Determine os seguintes agregados:
a) Consumo público.

b) Variação de existências.

c) Importações.
6. Suponha que dispõe dos seguintes elementos respeitantes à economia do país X:
- Consumo privado 1000

- Rendas 150

- Impostos indirectos 70

- Exportações líquidas -50

- Contribuições para a Segurança Social pagas pelas famílias 40

- Contribuições para a Segurança Social pagas pelas empresas 40

- Amortizações 100

- Rendimentos de factores enviados para o estrangeiro 10

- Stocks em 1 de Janeiro 50

- Juros da dívida pública 20

- Investimento líquido 150

- Consumo público 300

- Rendimento de factores nacionais recebidos do estrangeiro 40

- Impostos directos pagos pelas famílias 200

- Salários e ordenados 800

- Stocks em 31 de Dezembro 20

- Subsídios do Estado para as empresas 20

- Lucros não distribuídos 35

- Pensões de reformados e abonos de família 110

- Juros pagos pelas empresas 10

- Transferências unilaterais liquidas do exterior 15

- Impostos directos pagos pelas empresas 5


Determine os seguintes agregados:
a) Formação bruta de capital fixo.

b) Rendimento nacional.

c) Dividendos.

d) Rendimento pessoal.

e) Rendimento pessoal disponível.

f) Poupança pessoal.

g) Poupança privada.

h) Saldo orçamental.

i) Saldo da balança corrente e de capital.

j) Verifique a identidade fundamental da Macroeconomia para esta economia.


7 . Elabore um comentário a partir da análise, por rubricas, do seguinte Orçamento de

Estado de Portugal de 2001 (valores em %), tendo em consideração o papel do

Estado.
TIPO DE DESPESA %

1. Despesa Corrente 89,0
DESPESA OBRIGATÓRIA 51,9
Lei das Finanças Locais 3,8

Lei de Programação Militar 0,6

Lei de Bases da Seg.Soc. e Rend.Min.G. 7,6

Caixa Geral de Aposentações 6,9

Saúde-SNS; ADSE; outros subsistemas 17,1

Contribuição financeira p/ UE 3,2

Bonificações de Juros 1,2

Encargos Correntes da Dívida 11,4


DESPESA DISCRICIONÁRIA 13,8
Cooperação (excluindo activos financeiros) 0,3

Subsídios 1,0

Ensino Superior 2,8

Desp. Funcionamento e Outras 9,7



PESSOAL 23,2
2. Despesas de Capital 11,0
Despesas Obrigatórias 3,7

Despesa Discricionária 7,3



C – LEITURA ORIENTADA
Leia atentamente os capítulos 3 e 4 do “Relatório de orientação da política orçamental” do Ministério das finanças em
http://www.min-financas.pt/inf_economica/ROPO2007.pdf

(páginas 13 a 28) e preencha a respectiva ficha de leitura orientada.



Anexo Ficha de leitura
Preencha a seguinte FICHA DE LEITURA em relação ao texto desta unidade


TEMA:






REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS





IDEIAS PRINCIPAIS DO TEXTO





PROBLEMAS APONTADOS NO TEXTO






PROBLEMAS/DÚVIDAS SUSCITADOS






TESES CRITICADAS PELOS TEXTOS




PALAVRAS-CHAVE





©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal