Manual popular de dúvidas, enigmas e "contradições" da Bíblia



Baixar 2.59 Mb.
Página46/55
Encontro11.06.2018
Tamanho2.59 Mb.
1   ...   42   43   44   45   46   47   48   49   ...   55

2 Timóteo




2 TIMÓTEO 1:10 - Se Jesus destruiu a morte, por que ainda morremos?

PROBLEMA: Paulo afirma nesse texto que Cristo "não só destruiu a morte; como trouxe à luz a vida e a imortalidade, mediante o Evangelho". Mas a morte não foi destruída, pois "a morte passou a todos os homens" (Rm 5:12), e "aos homens está ordenado morrerem uma só vez" (Hb 9:27).

SOLUÇÃO: Em primeiro lugar, Cristo não destruiu a morte física imediatamente, mas pela sua morte e ressurreição ela será finalrnente abolida. Cristo foi o primeiro a experimentar a ressurreição num corpo imortal (1 Co 15:20) - o resto da humanidade vai experimentar isso mais tarde, na sua segunda vinda (1 Co 15:50-56).

Segundo, Cristo destruiu a morte oficialmente quando ele mesmo a derrotou, pela ressurreição. Entretanto, a morte física não estará de fato completamente abolida até que ele volte, quando "se cumprirá a palavra que está escrita: Tragada foi a morte pela vitória" (l Co 15:54). Paulo acrescenta, ainda: "O último inimigo a ser destruído é a morte" (1 Co 15:26).



2 TIMÓTEO 2:14 - E errado os cristãos discutirem questões teológicas?

PROBLEMA: Paulo parece ter proibido discussões teológicas quando ele instruiu Timóteo, a respeito dos crentes: "para que evitem contendas de palavras que para nada aproveitam" (2 Tm 2:14), e quando lhe disse "E repele as questões insensatas e absurdas" (2 Tm 2:23). Por outro lado, o próprio Paulo discutiu com os judeus em suas sinagogas (At 17:2, 17) e debateu com filósofos no Areópago (At 17:18ss). De fato, Judas exortou-nos a batalhar "diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos" (Jd 3).

SOLUÇÃO: Uma distinção precisa ser feita entre os dois sentidos do que seja argumentar ou discutir. Argumentar não é necessariamente algo errado, mas devotar-se ardentemente a isso é. Devemos batalhar pela fé, mas devemos fazer isso sem contendas. Fazer com toda seriedade um esforço para defender a fé é algo bom (cf. Fp 1:17; 1 Pe 3:15). Mas engajar-se em disputas infrutíferas não é bom. De igual forma, Paulo não se opôs quanto a discutir qual o real sentido das palavras num determinado contexto - ele se opôs simplesmente a ardorosas disputas semânticas.

2 TIMÓTEO 2:25 - O arrependimento é uma dádiva de Deus ou um ato humano?

PROBLEMA: Paulo fala nesse versículo: "que Deus lhes conceda... o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade" (cf. At 5:31). Contudo, em outras passagens, o arrependimento é considerado um ato próprio de uma pessoa. Jesus, por exemplo, apela às pessoas: "arrependei-vos e crede no Evangelho" (Mc 1:15). Paulo nos diz que Deus "notifica aos homens que todos, em toda parte, se arrependam" (At 17:30). Afinal, arrepender-se é uma dádiva de Deus, ou um ato da pessoa?

SOLUÇÃO: Há duas possíveis respostas para essa questão, as quais não negam a responsabilidade dada por Deus ao homem de ele exercer o seu livre-arbítrio. Primeiro, o arrependimento pode ser entendido como um dom ou uma dádiva de Deus. Mas tal como acontece com todas as demais dádivas, para ser desfrutado, ele tem de ser recebido. Desse modo, Deus oferece a todos os que querem a dádiva do arrependimento para a vida eterna. Aqueles que não querem essa dádiva não recebem o arrependimento. Dessa maneira, Deus é imparcial em sua oferta, mas o homem ainda é responsável por aceitar ou rejeitar a dádiva do arrependimento, que é necessária para a salvação.

Um segundo modo de ver esse ponto apenas observa os dois diferentes sentidos em que a palavra arrependimento é usada nesses versículos aparentemente contraditórios. Um grupo de versículos fala do arrependimento como sendo uma oportunidade, e outro grupo fala dele como sendo um ato. No primeiro, o sentido é de ser uma disposição dada por Deus, deixando o ato do arrependimento propriamente dito com a pessoa. É, assim, uma provisão de Deus, ao passo que no outro a palavra refere-se a uma decisão humana. Essa posição pode resumir-se da seguinte maneira:


DOIS SENTIDOS DIFERENTES DE ARREPENDIMENTO


Como uma oportunidade dada por Deus

Como um ato do livre arbítrio humano

Como uma disposição provinda de Deus

Como um ato da pessoa

Como uma provisão de Deus

Como uma decisão da pessoa

Assim entendidos, não há contradição entre os diversos textos sobre arrependimento. Qualquer que seja a interpretação, uma coisa é certa: não há nenhum versículo que diga que Deus se arrepende por nós. Cada criatura, que é moralmente livre, é responsável por arrepender-se. O mesmo pode ser dito a respeito do fato de ser ou não ser a fé um dom de Deus.



2 TIMÓTEO 3:12 - Todos os que vivem uma vida piedosa são perseguidos, ou apenas alguns?

PROBLEMA: Nesse versículo o apóstolo Paulo faz uma afirmação bastante abrangente, dizendo: "Ora, todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos". Isso parece estar em total contradição com a declaração de Salomão de que "sendo os caminhos do homem agradáveis ao Senhor, até a seus inimigos faz que tenham paz com ele" (Pv 16:7, EC). Como essas duas afirmações podem ser verdadeiras?

SOLUÇÃO: Nenhuma dessas duas passagens deve ser entendida como sendo de aplicação universal. Os provérbios eram apenas declarações gerais, e não verdades universais. De igual forma, a declaração de Paulo dificilmente pode se aplicar a pessoas que morram logo depois de sua conversão, ou que vivam num ambiente cristão toda a sua vida.

Mesmo tomado de forma totalmente literal, o fato de se ter "paz" com os inimigos não significa que eles não nos estejam perseguindo. Isso simplesmente quer dizer que o crente, tal como Cristo ordenou, não faz retaliação alguma contra seus inimigos, nem responde às suas agressões (cf. Mt 5:39-40).



2 TIMÓTEO 3:16 - Essa passagem prova a inspiração de toda a Escritura, ou de apenas parte dela?

PROBLEMA: Paulo diz nessa passagem: "Toda a Escritura é inspirada por Deus". Alguns acham que "toda" deveria ser substituída por "cada". Ainda, outros crêem que o verbo de ligação "é" deveria ser colocado depois de "inspirada por Deus", dando margem para se poder admitir que algumas passagens não sejam inspiradas.

SOLUÇÃO: Primeiro, muitas versões traduzem esse versículo assim: "Toda a Escritura é divinamente inspirada" ou então como a ARA: "Toda a Escritura é inspirada por Deus". Se o verbo "é" fosse colocado após a expressão "inspirada por Deus", isso daria margem a se admitir que; alguns textos da Bíblia não são inspirados.

Segundo, algumas versões não têm o artigo "a" depois da palavra "toda", ficando com o sentido de "cada". Argumentam alguns que no grego não consta o artigo definido antes dessa palavra. Entretanto, toda vez que a palavra "Escritura" (graphê) é usada no NT ela se refere ao ; escritos inspirados e que têm autoridade - e nunca o oposto – seja com ou sem o artigo definido no grego. Essa palavra é usada com referência às Escrituras hebraicas (como no versículo em questão), ou com referência aos escritos do NT (2 Pe 3:16).

Terceiro, a palavra correspondente à expressão "inspirada por Deus" sugere que Deus guiou os autores do NT, de modo que eles escrevessem cada palavra como se fosse ditada por Deus. Como observamos em 2 Pedro 1:20-21, nenhuma profecia da Escritura proveio da vontade do homem, mas os escritores da Bíblia foram movidos (levados) pelo Espírito Santo a falar da parte de Deus.

A palavra correspondente a "movidos" (pherõ) em 2 Pedro é a mesma usada em Atos 27:15, que diz que o navio que levava Paulo foi tomado por uma tempestade em que eles não podiam resistir ao vento. Eles cessaram toda manobra, e deixaram-se "levar" pela tempestade. Assim também foi com relação ao Espírito inspirando os autores das Escrituras quando escreveram a Palavra de Deus. Mas se todos os autores da Escritura foram movidos por Deus, então as palavras da Bíblia foram como que ditadas por Ele, sem erros, já que Deus não pode errar (Hb 6:18; Tt 1:2; Jo 17:17).

Finalmente, mesmo que se pudesse argumentar com base no NT que nem todo emprego da expressão "Escritura" se refira a um texto inspirado, isso não invalidaria o ensino de Paulo de que todo o AT é inspirado por Deus. O contexto deixa bem claro que a "Escritura" a que ele se refere em 2 Timóteo 3:16 são "as sagradas letras" (3:15), que a mãe e a avó de Timóteo lhe tinham ensinado (cf. 2 Tm 1:5), e estas seguramente eram todo o AT dos judeus.




1   ...   42   43   44   45   46   47   48   49   ...   55


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal