ManifestaçÕes bucais das doenças ocupacionais



Baixar 10.33 Kb.
Encontro24.10.2017
Tamanho10.33 Kb.


MANIFESTAÇÕES BUCAIS DAS DOENÇAS OCUPACIONAIS
Ana Carolina Martins de Camargo Mello

Especialista em Odontologia do Trabalho - Pr
Introdução

A Odontologia do Trabalho foi reconhecida oficialmente como especialidade odontológica na última versão da Classificação Brasileira de Ocupações, em 2009, organizada pelo Ministério do Trabalho e Emprego, mas desde 2002 a especialidade é regulamentada. Desde então vem crescendo a conscientização da importância do cirurgião-dentista do trabalho, tendo em vista que boa parte da população adulta brasileira está inserida no mercado de trabalho, e a presença do especialista promoverá a saúde para esta parcela da população que não é cuidada pelos programas governamentais tradicionais, que geralmente priorizam as faixas etárias mais jovens.


Discussão

No ambiente de trabalho são vários os fatores, característicos do processo produtivo, que podem desencadear danos à saúde, inclusive problemas bucais. O Ministério da Saúde afirma que, no grupo de doenças do sistema digestivo relacionadas, ao trabalho há uma nítida interface com a odontologia ocupacional, uma vez que várias doenças apresentam manifestações bucais, exigindo que os profissionais estejam preparados para identificá-las e estabelecer condutas adequadas para a prevenção. Problemas dentários são, também, causa importante de absenteísmo e podem estar associados ao comprometimento de órgãos vizinhos (ossos, seios da face e articulações), à função de mastigação correta, à possibilidade de se comportarem como focos sépticos e à possibilidade de expressarem enfermidades dissimuladas durante o período de desenvolvimento dentário.

O Departamento Intersindical de Estudos e Pesquisas de Saúde e dos Ambientes de Trabalho (DIESAT), manifestou em Março de 1984, através de sua publicação oficial “Trabalho&Saúde” que: “As doenças bucais não se desvinculam das condições gerais de saúde do corpo e não podem ser deixadas de lado quando se discutem as incapacidades que atingem os trabalhadores. Apesar dos problemas dentários específicos não constituírem uma incapacidade diretamente decorrente da atividade produtiva, seus efeitos sobre esta atividade são apreciáveis, influindo sobre a capacidade de trabalho e o nível de vida”

O profissional da saúde tem por objetivo cuidar da saúde do trabalhador para que o processo trabalho-doença não exista ou não evolua, tendo um caráter preventivo, dedicando especial atenção, àquelas doenças que o trabalhador, pode adquirir no seu ambiente de trabalho, devido a um grande número de causas que podem ser de origem por agentes físicos, mecânicos, químicos ou biológicos.

Estudos revelam que algumas manifestações bucais potencialmente relacionadas a certas exposições ocupacionais aos agentes químicos, podem causar manifestações bucais como: pigmentação de estruturas bucais, desmineralização do esmalte e perda de substância dentária, cárie dentária, lesões da mucosa, periodontopatias, osteomielite e necrose óssea, neoplasias malignas, além de sintomas como gosto metálico, sensação de secura na boca, perda de sensibilidade, perda de paladar e sangramento gengival.

Prender objetos entre os dentes, durante a atividade laboral, pode ser um dos fatores etiológicos da doença ocupacional, por trauma mecânico, repetitivo habituais entre sapateiros, estofadores, marceneiros e costureiras. Já os músicos e sopradores de vidro, que utilizam instrumentos de sopro como força de trabalho, podem causar ou agravar quadros de abrasão, especialmente nos dentes anteriores e provocar lesões irreversíveis nos lábios.

Nos trabalhadores expostos à radiação solar pode ser verificado o aparecimento de neoplasias malignas no lábio.

Cabe ao cirurgião-dentista do trabalho orientar sobre a adoção de Equipamentos de Proteção Individual, o controle de exposição, o uso de filtros labiais, a educação em saúde e o diagnóstico precoce do câncer bucal, de fundamental importância na prevenção deste tipo de câncer.

Deve-se ter em mente que as lesões dentárias são irreversíveis, pois não há regeneração na estrutura dentária, uma vez que somente o tratamento odontológico com o uso de brocas e resinas poderá tratar a lesão ou trauma ocasionado pelo processo de trabalho.

Conclusão



As doenças ocupacionais são a realidade do trabalhador e precisam ser diagnosticadas e tratadas precocemente e somente o cirurgião-dentista do trabalho, atuando de forma preventiva, aos riscos inerentes à atividade laboral, estará colaborando para a promoção de saúde e melhor qualidade de vida da população.
Dra. Ana Carolina Martins de Camargo Mello

Especialista em Odontologia do Trabalho

denteperfeito@bol.com.br

denteperfeito.com





Compartilhe com seus amigos:


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
Universidade estadual
união acórdãos
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande