Linhas de pesquisa do programa de pós-graduaçÃo em engenharia florestal



Baixar 67.96 Kb.
Encontro11.06.2018
Tamanho67.96 Kb.



Universidade Federal do Paraná

Setor de Ciências Agrárias - Centro de Ciências Florestais e da Madeira


Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal

Av. Lothário Meissner, 3400 - Jardim Botânico - CAMPUS III

80210-170 - CURITIBA - Paraná

Tel. (41) 360.4212 - Fax. (41) 360.4211 - http://www.pgfloresta.ufpr.br

e-mail: pinheiro@floresta.ufpr.br




LINHAS DE PESQUISA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA FLORESTAL


CONSERVAÇÃO DA NATUREZA




  1. Conservação e planejamento integrado de bacias e de recursos hídricos

Nivaldo Eduardo Rizzi

Está voltada para o estudo, planejamento e monitoramento de bacias hidrográficas e de recursos hídricos de maneira integrada. Além de enfocar a influência da floresta no ciclo hidrológico, objetiva conservar o espaço territorial natural, tendo a conservação dos recursos hídricos como meta, considerando a indissociabilidade entre a quantidade e a qualidade da água. Visa garantir a adequação dos meios de exploração dos recursos ambientais (naturais, econômicos e socioculturais) às especificidades do meio ambiente. Abrange também os estudos do meio ambiente orientadas pelas políticas ambiental e de recursos hídricos. Como produto maior dos conceitos abordados, essa linha procura fornecer as bases técnico-científicas para a elaboração dos planos hidrológicos de bacias hidrográficas. Está relacionada às seguintes linhas de pesquisa do CNPq:


5.02.05.01.3 Hidrologia Florestal

5.02.05.03.0 Conservação de Bacias Hidrográficas

5.03.02.02.7 Conservação de Solo e Água

3.01.04.02.5 Hidrologia

3.07.01.00.7 Recursos Hídricos

3.07.01.01.5 Planejamento Integrado dos Recursos Hídricos

3.07.03.04.2 Resíduos Sólidos, Domésticos e Industriais

3.07.04.00.6 Saneamento Ambiental

3.07.04.04.9 Qualidade do Ar das Águas e do Solo

3.07.04.06.5 Legislação Ambiental


2. Ecologia e conservação de ecossistemas vegetais

Carlos Vellozo Roderjan


Franklin Galvão

Renato Marques

Yoshiko Saito Kuniyoshi

Visa reunir informações para o entendimento de processos relacionados a estrutura e o funcionamento das principais unidades fitoecológicas, especialmente as do estado do Paraná. Estudos de populações e de comunidades vegetais, considerando aspectos ambientais de caráter microclimáticos, geomorfológicos e pedológicos, ciclagem de nutrientes, sucessão e distribuição fitogeográfica, são temas que envolvem fortemente essa linha de pesquisa. Com base nas informações geradas, infere-se sobre a conservação de segmentos das unidades estudadas e limitações de manejo. Está relacionada às seguintes linhas de pesquisa do CNPq:


2.05.03.00.8 Ecologia Aplicada

2.05.02.00.1 Ecologia de Ecossistemas

2.03.05.00.1 Fitogeografia

2.03.06.00.8 Botânica Aplicada

2.03.04.00.5 Taxonomia Vegetal

2.03.02.00.2 Morfologia Vegetal

2.03.03.03.3 Ecofisiologia Vegetal

5.02.01.01.6 Dendrologia


3. Áreas verdes, arborização urbana e estudo de paisagem:

Daniela Biondi Batista

Na arborização urbana, composta da arborização de ruas e áreas verdes, envolve estudos, análises e avaliações correlacionadas com os fatores do ecossistema urbano, tais como: clima, solo, vegetação remanescente e população humana. No estudo da paisagem são desenvolvidas metodologias de valoração para a aplicação no planejamento de uso e ocupação territorial, avaliação de impactos ambientais, proteção de recursos cênicos e desenvolvimento turístico. Utilizam-se também conhecimentos da percepção, comportamento e atitude humana para o estabelecimento de estratégias de envolvimento da comunidade no planejamento e na proteção da paisagem.

5.01.04.02.0 Parques e Jardins
5.01.04.03.9 Arborização de Vias Publicas
6.04.03.01.2 Adequação Ambiental
6.04.04.00.0 Paisagismo
6.04.04.04.3 Projeto de Espaços Livres Urbanos

4 – Unidades de Conservação e Biodiversidade:

Visa analisar, em termos teóricos e práticos, as políticas de conservação da natureza relativas aos objetivos, planejamento, manejo e administração de unidades de conservação de proteção integral (uso indireto) e de manejo sustentável (uso direto). Visa gerar conhecimentos sobre relações entre ambiente, vegetação e fauna. O objetivo geral é identificar aspectos manipuláveis da vegetação, com efeitos marcantes sobre a fauna, para a proposição de modificações de técnicas silviculturais ou de manejo da atividade florestal comercial, a fim de criar condições de vida (hábitat) para uma fauna. Visa estudos microclimáticos e meteorológicos na conservacão da biodiversidade e proteção de florestas. Está relacionada às seguintes linhas de pesquisa do CNPq:


5.02.05.00.5 Conservação da Natureza

5.02.05.02.1 Conservação de Áreas Silvestres



5. Ecologia, controle e uso do fogo:


Antônio Carlos Batista

Ronaldo Viana Soares

Pesquisas sobre o papel do fogo nos ecossistemas florestais, os efeitos produzidos nos ecossistemas, relação flora e fogo, fauna e fogo. Pesquisas sobre prevenção e combate aos incêndios florestais; desenvolvimento e avaliação de métodos para prevenção. Monitoramento e modelagem de incêndios florestais. Está relacionada às seguintes linhas de pesquisa do CNPq:


5.02.00.00.3 Recursos Florestais e Engenharia Florestal
5.02.01.08.5 Proteção Florestal
5.02.05.00.5 Conservação da Natureza
5.01.05.00.0 Agrometeorologia
1.07.03.06.3 Climatologia

ECONOMIA E POLÍTICA FLORESTAL



6 - Economia e política de produtos e de mercados florestais:

Anadalvo Juazeiro dos Santos

Anselmo Chaves Netto

Blas Enrique Caballero Nuñez

Dartagnan Baggio Emerenciano

João Carlos Garzel Leodoro da Silva

Paulo de Tarso de Lara Pires

Ricardo Berger

Romano Timofeiczyk Junior

Vítor Afonso Hoeflich

Está voltada para análises econômicas e financeiras da produção florestal, estudos de oferta e demanda de produtos florestais, análises de investimentos no setor e a geração de empregos. Analisa as principais cadeias produtivas que envolvem as atividades florestais e madeireiras, objetivando subsidiar estratégias institucionais de pesquisa, formulação de políticas públicas e estratégias empresariais. Analisa os mercados de produtos florestais específicos como por exemplo papel e celulose, chapas, serrados entre outros. Incorporam-se os estudos econométricos, o estudo de relações intersetoriais, análises multivariadas relacionadas aos problemas florestais, os processos quantitativos dinâmicos em sociometria e relacionados com a área florestal e modelos econômicos linear. Engloba os aspectos relativos as práticas e formas da política florestal, suas aplicações e resultados, e o estudo dos instrumentos legais para a aplicação da política dos recursos florestais. Também compreende os estudos das relações entre a política e a legislação florestal. Está relacionada às seguintes linhas de pesquisa do CNPq:

5.02.02.01.4 Economia Florestal

6.03.01.01.5 Economia Geral

6.03.02.00.3 Métodos Quantitativos em Economia

6.03.02.01.1 Métodos e Modelos Matemáticos Econométricos e Estatísticos

6.03.04.01.4 Crescimento e Desenvolvimento Econômico

6.03.07.00.5 Economia Industrial

6.03.09.00.8 Economia Rural e Urbana

5.02.02.02.2 Política e Legislação Florestal

6.01.01.01.6 Teoria Geral do Direito

6.01.02.00.4 Direito Publico

6.02.02.03.3 Política e Planejamento Governamentais

6.03.05.02.9 Relações do Comercio Político Comercial, e Integracão Econômica

6.05.03.01.7 Administração Municipal e Urbana

6.05.03.04.1 Aspectos Econômicos do Planejamento Urbano e Regional

6.05.03.09.2 Legislação Urbana e Regional

7. Economia do meio ambiente e de produtos não madeiráveis


Anadalvo Juazeiro dos Santos

João Carlos Garzel Leodoro da Silva

Discute a internalização da variável ambiental nas análises econômicas, tendo como pano de fundo a busca de padrões de desenvolvimento sustentável. São enfocados temas como análise de empreendimentos, custos de proteção ambiental e metodologias de avaliação monetária do ambiente. A teoria econômica neoclássica é utilizada como principal instrumento de análise. Discute também aspectos econômicos que envolvem os produtos florestais não madeiráveis, as metodologias de valoração, análise de mercados, comercialização, definindo suas cadeias produtivas e os mercados de plantas medicinais, demanda, oferta e os canais de comercialização, bem como o comércio exterior dos produtos fitoterápicos. Está relacionada às seguintes linhas de pesquisa do CNPq:


6.03.10.00.6 Economias Agraria e dos Recursos Naturais

7.06.01.04.6 Geografia Econômica

7.06.02.00.0 Geografia Regional

7.06.02.03.4 Análise Regional



8. Administração, marketing e estratégia florestal:

Dartagnan Baggio Emerenciano

João Carlos Garzel Leodoro da Silva

Análises e estudos de marketing, estratégia empresarial das organizações, os negócios ambientais, comportamento do consumidor, processos e métodos de administração das organizações. Estuda as estratégias de marketing de empresas florestais e ambientais, compreendendo o comportamento dos consumidores desses produtos. As estratégias de marketing são importantes devido a dinâmica de mercado, e esse, por sua vez, define o processo empresarial e também ambiental, visto estar intimamente ligado aos desejos da sociedade, que são, em última instância, os consumidores desses produtos, madeireiros e ambientais. Com essa linha de pesquisa procura-se também compreender os atuais modelos de estratégia empresarial na área florestal e os modelos aplicados em outros segmentos, procurando retornar ao setor melhores estratégias de atuação. Está relacionada às seguintes linhas de pesquisa do CNPq:


6.02.03.00.5 Administração de Setores Específicos

5.01.06.00.7 Extensão Rural

5.02.02.03.0 Administração Florestal

3.08.04.01.9 Estudo de Mercado

3.08.04.03.6 Analise de Custos

3.08.04.06.0 Avaliação de Projetos

6.02.01.00.2 Administração de Empresas

6.02.01.01.0 Administração da Produção



MANEJO FLORESTAL



9. Processamento de imagens e sistemas de informações espaciais aplicadas aos recursos naturais

Christel Lingnau

Nelson Carlos Rosot

Trata do estudo de técnicas de processamento de imagens digitais aplicadas à áreas com cobertura vegetal. As pesquisas vinculadas a essa linha envolvem estudos voltados a florestas, a povoamentos florestais e a aspectos ambientais em geral, através de sensores com diferentes resoluções espaciais e espectrais. A integração dos dados, obtida através do sistema de informações espaciais, prevê o monitoramento, modelagem, prognoses, além de outras avaliações, com enfoque voltado à questões ambientais e de produção florestal em florestas e em povoamentos florestais. Está relacionada às seguintes linhas de pesquisa do CNPq:

1.07.02.06.7 Sensoriamento Remoto

1.07.04.04.3 Fotogrametria

1.07.04.05.1 Cartografia Básica

1.07.05.04.0 Hidrogeografia

1.07.05.05.8 Geoecologia

1.07.05.07.4 Geocartografia


10. Inventário florestal, sistemas e métodos de amostragem:

Henrique Soares Kohler

Joésio Deoclécio Pierin Siqueira

Julio Eduardo Arce

Nelson Yoshihiro Nakajima

Sylvio Péllico Netto

Visa identificar e estudar variáveis que permitam a obtenção quantitativa e qualitativa da produção florestal. Definir e avaliar modelos de crescimento para obter soluções de problemas florestais segundo probabilidades admissíveis. Está relacionada às seguintes linhas de pesquisa do CNPq:

5.02.02.04.9 Dendrometria e Inventario Florestal

5.02.02.05.7 Fotointerpretaçao Florestal

1.02.02.05.8 Analise Multivariada

1.02.02.06.4 Regressão e Correlação

1.02.02.08.0 Analise de Dados

1.02.03.00.1Probabilidade e Estatística Aplicadas




  1. Manejo de florestas e de povoamentos florestais:

Afonso Figueiredo Filho

Carlos Roberto Sanquetta

Roberto Tuyoshi Hosokawa

Sebastião Amaral Machado

Mediante utilização de modelos de crescimento, obter dados da produção florestal para quantificação de estoques em séries temporais até o presente e o futuro – prognose da produção. Definição de métodos visando o rendimento sustentado segundo o produto florestal desejado. Quantificação e análise de sortimentos de madeira, mediante pesquisa e identificação de modelos de crescimento e de funções de forma adequados. Construção de base de dados fundamentada em inventários sucessivos e em técnicas de análise de tronco. Está relacionada às seguintes linhas de pesquisa do CNPq:

5.02.02.00.6 Manejo Florestal

5.02.02.06.5 Ordenamento Florestal

1.03.03.01.4 Linguagens de Programação

1.03.04.03.7 Software Básico

6.07.01.00.5 Teoria da Informação

6.07.03.01.6 Organização de Arquivos



SILVICULTURA




12 – Silvicultura e melhoramento de espécies florestais:


Alessandro Camargo Angelo

Antonio Carlos Nogueira

Antônio Rioyei Higa

Carlos Bruno Reissmann

Celso Garcia Auer

Fernando Grossi

Ivan Crespo Silva

Jorge Roberto Malinovski

Nilton José Sousa

Esta linha de pesquisa trata de estudos de produção de sementes, nutrição florestal, melhoramento florestal, genética quantitativa em melhoramento florestal. Trata também da proteção, controle de pragas e doenças florestais. Está relacionada às seguintes linhas de pesquisa do CNPq:

5.02.01.00.0 Silvicultura

5.02.01.03.4 Genética e Melhoramento Florestal

5.02.01.04.2 Sementes Florestais

5.02.01.05.0 Nutrição Florestal

5.02.01.06.9 Fisiologia Florestal

5.02.01.08.5 Proteção Florestal

5.01.02.00.1 Fitossanidade

5.01.02.01.0 Fitopatologia

5.01.02.02.8 Entomologia Agrícola

5.01.02.03.6 Parasitologia Agrícola

5.01.02.04.4 Microbiologia Agrícola

5.01.02.05.2 Defesa Fitossanitária

5.01.03.00.8 Fitotecnia

5.01.03.05.9 Melhoramento Vegeta

2.03.03.01.7 Nutrição e Crescimento Vegetal

2.02.00.00.5 Genética

2.02.03.00.4 Genética Vegetal

2.03.03.00.9 Fisiologia Vegetal

5.01.03.03.2 Produção e Beneficiamento de Sementes

13 – Produção, abastecimento, proteção e recuperação florestal:


Alessandro Camargo Angelo

Antonio Carlos Nogueira

Antônio Rioyei Higa

Carlos Bruno Reissmann

Celso Garcia Auer

Fernando Grossi

Jorge Roberto Malinovski

Nilton José Sousa

Esta linha de pesquisa visa desenvolver sistemas de formação e produção para espécies florestais autóctones ou exóticas em conformidade com os princípios da sustentabilidade, com ênfase à silvicultura de espécies de rápido crescimento, utilizadas para finalidades industriais. Essa linha envolve o desenvolvimento de pesquisas que abarcam desde a produção de sementes, passando pela colheita da madeira, até a própria certificação florestal. Trata da tecnologia de produção de mudas, morfogênese, planejamento e conservação de rede viária florestal. Engloba também pesquisa de técnicas que auxiliam a recuperação dos processos ecológicos em áreas afetadas por ações prejudiciais à natureza, sejam obras de engenharia, extração de recursos minerais, extrativismo vegetal, poluição, agropecuária, entre outros. Está relacionada às seguintes linhas de pesquisa do CNPq:


5.02.01.02.6 Florestamento e Reflorestamento

5.02.01.07.7 Solos Florestais

5.02.03.00.2 Técnicas e Operações Florestais

5.02.03.01.0 Exploração Florestal

5.02.03.02.9 Mecanização Florestal

5.01.01.01.3 Gênese, Morfologia e Classificação dos Solos

5.01.010.2.1 Física do Solo

5.01.01.03.0 Química do Solo

5.01.01.04.8 Microbiologia e Bioquímica do Solo

5.01.01.05.6 Fertilidade do Solo e Adubação

5.01.03.01.6 Manejo e Tratos Culturais

5.01.03.04.0 Produção de Mudas

3.01.05.00.5 Infra-estrutura de Transportes

3.10.01.00.9 Planejamento de Transportes

3.10.01.01.7 Planejamento e Organização do Sistema de Transporte

3.10.02.01.3 Vias de Transporte

3.10.02.02.1 Veículos de Transporte

3.10.03.00.1 Operações de Transportes

5.01.01.06.4 Manejo e Conservação de Solo

5.02.05.04.8 Recuperação de Áreas Degradadas




TECNOLOGIA E UTILZAÇÃO DE PRODUTOS FLORESTAIS



14. Tecnologias de exploração, caracterização e uso de madeiras e de produtos da madeira;

Processos de transformação e controle industrial da madeira e de produtos da madeira;

Gestão da qualidade e otimização de processos de industrias florestais:

Carlos Eduardo Camargo de Albuquerque

Dimas Agostinho da Silva

Ghislaine Miranda Bonduelle

Graciela Ines Bolzón de Muñiz

Ivan Tomazelli

Jorge Luis Monteiro de Mattos

Marcio Pereira da Rocha

Ricardo Jorge Klitzke

Sidon Keinert Junior

Setsuo Iwakiri

Umberto Klock

Estão relacionados aos estudos e pesquisas em anatomia e identificação da madeira, propriedades físicas e mecânicas da madeira, de espécies florestais nativas e exóticas, correlacionando com sua utilização industrial. Abrange estudos sobre identificação de madeiras comerciais, propriedades químicas e anatômicas da madeira. Trata da caracterização das madeiras para usos múltiplos e envolve também estudos sobre técnicas de colheita de madeira.

Tecnologia e processos de fabricação de celulose e papel, qualidade de fibras de diversas espécies florestais. Trata de estudos de quantidade e métodos de extração de óleos essenciais de espécies florestais, da tecnologia, rendimentos e qualidade de fibras na produção de celulose e papel, de ensaios com diversas variáveis como espécie, adesivos, condições de formação da lâmina e painéis de madeira, compensados, de partículas de fibra, de madeira-cimento; propriedades físicas e mecânicas dos painéis. Envolve o estudo da otimização em processamento mecânico, tais como resultados da variação da velocidade de corte e resultados na superfície cortada, entre outros. Contempla estudos sobre agentes biodegradadores da madeira e medidas para o seu combate e/ ou controle e estudos de secagem de madeiras visando o melhor rendimento e qualidade em secagem. Trata do aproveitamento de resíduos florestais para transformação em energia, bem como de formas de aproveitamento dos subprodutos da madeira.

Desenvolvimento de pesquisas que visem a otimização de processos industriais através da redução de desperdícios de matéria-prima e de insumos e da gestão de recursos humanos, com o objetivo de aumentar a produtividade e qualidade. Dentro dessa linha também é avaliada o impacto da certificação da qualidade e suas interações com a certificação ambiental em empresas de base florestal. Trata do impacto da indústria de base florestal no meio ambiente:

5.02.04.01.7 Anatomia e Identificação de Produtos Florestais

5.02.04.02.5 Propriedades Físico-Mecânica da Matéria

5.02.04.03.3 Relações Água Madeira Secagem

2.03.02.03.7 Anatomia Vegetal

3.05.02.01.2 Termodinâmica

3.05.04.05.8 Maquinas, Motores e Equipamentos

3.08.03.05.5 Desenvolvimento de Produto

5.02.04.06.8 Química da Madeira

5.02.04.07.6 Resinas de Madeira

5.02.04.00.9 Tecnologia e Utilização de Produtos Florestais

5.03.01.00.4 Maquinas e Implementos Agrícolas

5.03.04.00.3 Construções Rurais e Ambiência

5.02.04.04.1 Tratamento da Madeira

5.02.04.05.0 Processamento Mecânico da Madeira

5.02.04.08.4 Tecnologia de Celulose e Papel

5.02.04.09.2 Tecnologia de Chapas

5.02.06.00.1 Energia de Biomassa Florestal

3.01.02.02.2 Estruturas de Madeira

3.05.02.03.9 Aproveitamento de Energia

3.06.03.15.3 Papel e Celulose

3.06.03.20.0 Tratamento e Aproveitamento de Rejeitos

3.08.01.01.0 Planejamento de Instalações Industriais

3.08.01.03.6 Higiene e Segurança do Trabalho

3.05.02.02.0 Controle Ambiental

3.05.05.05.4 Processos de Fabriçao, Seleção Econômica

3.08.01.00.1 Gerência de Produção

3.08.01.02.8 Planejamento, Projeto e Controle de Sistema de Produção

3.08.01.05.2 Garantia de Controle de Qualidade





: pos-graduacao
pos-graduacao -> Programa: Ciências Farmacêuticas
pos-graduacao -> Disciplina unidade: Faculdade de Ciências Farmacêuticas Nome do Curso: Saúde Pública Nome da Disciplina: Microbiologia Bucal
pos-graduacao -> Disciplina unidade: Faculdade de Ciências Farmacêuticas Nome do Curso: Saúde Pública Nome da Disciplina: Odontologia em Saúde Coletiva II
pos-graduacao -> Disciplina unidade: Faculdade de Ciências Farmacêuticas Nome do Curso: Saúde Pública Nome da Disciplina: Odontologia em Saúde Coletiva I
pos-graduacao -> Eduardo luís testa das neves
pos-graduacao -> Programa: Ciências Farmacêuticas
pos-graduacao -> Universidade estadual de maringá
pos-graduacao -> Disciplina unidade: Faculdade de Ciências Farmacêuticas Nome do Curso: Saúde Pública Nome da Disciplina: Odontogeriatria
pos-graduacao -> Programa: Ciências Farmacêuticas
pos-graduacao -> Mariana de senzi zancul




©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal