Inventário de Proteção ao Acervo Cultural Cidade/Minas Gerais



Baixar 452.08 Kb.
Encontro07.10.2019
Tamanho452.08 Kb.

Pouso Alto/ Minas Gerais

Inventário de Proteção ao Acervo Cultural

Estruturas Arquitetônicas e Urbanísticas


  1. Município: Pouso Alto

  2. Distrito: Sede

  3. Designação: Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição

  4. Endereço: Praça da Matriz

  5. Propriedade: Arquidiocese

  6. Responsável: Padre José Antônio Nogueira

  7. Situação de Ocupação: Própria

Ficha No 09


  1. Histórico:

Em 16 de janeiro de 1752, criou-se o curato de Nossa Senhora da Conceição. O decreto imperial de 14 de julho de 1832 elevou o curato à categoria de freguesia, edificando-se a seguir a primeira Igreja Matriz. Muito contribuiu para essa construção Francisco Theodoro da Silva, Barão de Pouso Alto, doando esse benemérito cidadão, as primeiras imagens, obras preciosas e arte sacra à mencionada igreja.

Consta nos anais da diocese que, em 5 de abril de 1885, houve um grande incêndio na paróquia de Pouso Alto tendo se queimado vários livros. Sabe-se ainda que a igreja foi abençoada no dia 8 de dezembro de 1975 por Dom Othon Malta e foi sagrada no dia 1º de dezembro de 1979 por Dom José Costa Campos e pelo co-sagrante Dom Antônio Afonso de Miranda. A matriz possui a imagem da Nossa Senhora dos Remédios, padroeira de uma igreja em Caxambu, vinda de Portugal.



  1. Descrição:

A Matriz Nossa Senhora da Conceição possui estilo eclético e está implantada na praça da matriz em local de grande destaque no contexto urbano. A fachada principal possui um vão que guarnece a portada da edificação. Essa possui duas folhas almofadadas em madeira, coroadas por uma bandeira fixa em arco pleno com caixilhos em vidro. A moldura desse vão é revestida por argamassa pintada de azul. Acima da portada aparece, desenhada em argamassa, uma grande cruz que leva ao centro um óculo dotado de vitral. Ao lado aparecem dois vãos em arco pleno, com molduras em argamassa, guarnecidos por caixilhos de madeira vedados com vidro. Essa fachada é dotada de dois elegantes cunhais e revestida por pedra azul e arrematada por uma cornija triangular que se desenvolve lateralmente encontrando-se com as duas torres laterais assimétricas. A torre da direita é mais baixa e possui um símbolo circular encimado por uma janela idêntica à do centro da fachada. Sobre a cornija observa-se um volume com aberturas em arcada. Esse é encimado por uma cúpula octangular dotada um óculo em cada faceta e arrematada por uma cruz. A torre da esquerda desenvolve-se da mesma forma, mas possui um bloco mais elevado devido à presença de um vitral circular entre o vão e o volume da arcada. Em formatos retangulares, ambas são finalizadas por cunhais em suas extremidades.

Nas fachadas laterais, também revestidas por pedras, são encontradas janelas idênticas às da fachada frontal e portas dotadas de vitrais, caixilhos metálicos e bandeiras fixas em vidro. Nota-se ainda o entablamento em argamassa branca que contorna a edificação, também presente no volume superior, recuado em relação ao térreo, dotado de aberturas circulares em vitrais.



O interior da Matriz é dotado de um coro que abrange toda a largura da nave. A divisão da nave para as duas laterais é feita através de uma arcada conformada por oito pilastras arrematadas por capitéis estilizados. O arco cruzeiro faz a separação entra a nave e o altar. Esse possui pintura branca, detalhes em alto relevo, piso e rodapé em granito. Ao centro encontra-se um nicho reservado à Nossa Senhora da Conceição, padroeira da Igreja. Nas laterais da nave é feito acesso à sacristia, estão algumas imagens de santos entalhadas em madeira. O restante das imagens, que são de grande valor histórico, estão no coro. A igreja, que se encontra em bom estado de conservação, é revestida por piso cerâmico e forrada em madeira sob a qual observam-se lustres de ferro. Possui cobertura que se apóia em estrutura de madeira, se desenvolvendo em várias águas, com manto revestido em telhas cerâmicas do tipo francesas.

  1. Documentação Fotográfica:





  1. Documentação cartográfica (esquema):






Pouso Alto/ Minas Gerais

Inventário de Proteção ao Acervo Cultural

Estruturas Arquitetônicas e Urbanísticas


  1. Uso atual:

( ) Residencial

( x ) Institucional

( ) Industrial

( ) Serviço

( ) Comercial

( ) Outros:



  1. Proteção legal existente:

( ) Federal

( ) Estadual

( ) Municipal

( x ) Nenhuma



  1. Proteção legal proposta:

( ) Tombamento Federal

( ) Tombamento Estadual

( ) Tombamento Municipal

( ) Entorno de bem tombado

( ) Restrições de uso e ocupação

( x ) Inventário



  1. Estado de Conservação:

( ) Excelente

( x ) Bom

( ) Regular

( ) Péssimo






  1. Análise do Entorno – Situação e Ambiência:

A matriz localiza-se em uma cota elevada em relação à seus arredores próximos, e também por possuir uma volumetria dominante, ela se destaca no contexto urbano, podendo ser observada de vários pontos da cidade. Duas importantes escadarias de pedra feitas, segundo depoimentos dos moradores locais, por escravos, dão acesso, de forma radial, à praça da Matriz. Essa praça, revestida por de bloquetes de concreto, possui um chafariz e um muro de arrimo de pedra, ambos executados por escravos, segundo conta a tradição oral. Possui ainda árvores de pequeno porte situadas em frente à igreja e palmeiras voltadas à fachada lateral direita e posterior da edificação. Não são observadas edificações adjacentes. As mais próximas possuem linguagem que remetem ao estilo colonial e, apesar do precário estado de conservação de algumas, não estão ameaçadas de desaparecer.



  1. Análise do Estado de Conservação:

A edificação encontra-se em bom estado de conservação devido, sobretudo, à constante manutenção e às sucessivas reformas a que foi submetida. Os problemas evidenciados encontram-se na praça da Matriz. Houve o desmoronamento de algumas pedras do muro de arrimo, e o chafariz, feito também por escravos, encontra-se degradado.



  1. Fatores de Degradação:

Recentemente parte desse muro, chamado de “paredão” pelos moradores da cidade, desestabilizou-se devido a uma forte chuva. Algumas pedras não suportaram o aumento do peso promovido pela chuva, alem da conseqüente diminuição do atrito entre essas e o solo, o que favoreceu a seu desmoronamento.



  1. Medidas de Conservação:

A manutenção do imóvel, associada à sua utilização de forma adequada, é suficiente para manter sua integridade estética e construtiva. Quanto à praça da matriz, parte de seu muro de arrimo deve ser refeita e o chafariz deve ser restaurado.



  1. Intervenções:

Devido a um problema em sua cobertura, teve de ser reconstruída. Isso aconteceu em 1960 quando ganhou novas alvenarias, estruturas e coberturas. A matriz também sofreu outras intervenções de substituição e conservação. Possui algumas esquadrias com caixilhos em vidro e metal, não originais, mas que imitam o estilo das anteriores. Suas alvenarias internas eram revestidas por azulejos e hoje possuem apenas argamassa pintada em branco. No altar mor existiam várias imagens e uma mesa eucarística entalhada em madeira. Essa foi substituída por uma mesa em mármore forrada por um pano rústico e as imagens encontram-se guardadas no coro. O antigo assoalho em madeira deu lugar ao piso em azulejo.

  1. Referências Documentais / Bibliográficas:

JUNQUEIRA,Leonel. Pouso Alto sua gente e sua história. 2◦edição.




  1. Informações Complementares:




  1. Levantamento: Clarissa Pontes Melo

  2. Elaboração: Clarissa Pontes Melo

  3. Fotógrafo: Clarissa Pontes Melo

  4. Revisão: Andréa Zerbetto

Data: Março/2004

Data: Março/2004

Data: Março/2004

Data: Março/2004





©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal