Igreja cheia de sabedoria



Baixar 18.86 Kb.
Encontro12.10.2018
Tamanho18.86 Kb.

IGREJA CHEIA DE SABEDORIA
QUEBRA-GELO: VARRENDO OS PROBLEMAS.
Texto: Atos 6:1-7
Introdução 
Este mês já falamos dos 4 amigos do paralítico que o levaram a Jesus para ser curado. Depois falamos da igreja de Jerusalém, que era cheio de poder (atitudes para abençoar os outros); Semana passada falamos da igreja perseverante na doutrina dos apóstolos e na comunhão, e isto era fruto de uma igreja cheia do Espírito Santo. Uma igreja que cresce é cheia do Espírito Santo e cheia do poder de Deus. E hoje falaremos da igreja cheia de sabedoria.
Por que a igreja precisa ser cheia de sabedoria?

A sabedoria é uma das características mais mencionadas a respeito de Deus. Deus é classificado como “onisciente”, ou seja, sabe ou conhece todas as coisas. “Ó profundidade da riqueza da sabedoria e do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos e inescrutáveis os seus caminhos!”. (Romanos 11:33)


Uma igreja cheia de sabedoria é cheia de Deus. A sabedoria é um componente essencial na vida cristã. Vamos ver isto na lição de hoje.
Para sabermos se somos uma igreja cheia de sabedoria precisamos refletir sobre as lições que encontramos em Atos 6.1-7:
I - UMA IGREJA CHEIA DE SABEDORIA BUSCA TRATAR OS CONFLITOS DA VIDA EM COMUNIDADE.
- Com o crescimento da igreja, surgiram conflitos internos. Quais conflitos? A insatisfação dos judeus de fala grega para com os de fala hebraica/aramaica. E qual era o motivo? O esquecimento em distribuir alimento às viúvas gregas. (Atos 6.1)
Obs.: A vida em comunidade é sempre uma grande bênção, mas conviver com irmãos podem trazer sérios problemas nos relacionamentos. Por isto precisamos de sabedoria para lidar com os conflitos e dificuldades que surgem na caminhada, pois não tratá-los corretamente ou não resolvê-los sabiamente, geraremos uma igreja doente, com mágoas, decepções, fofocas, mau testemunho, discórdia, inveja e muitas outras coisas; e também deixaremos de ser uma igreja que vive o purê de batatas, onde as pessoas, por permitirem sentimentos ruins e não tratados, não tiram suas máscaras (cascas), para viver a essência da igreja de Jesus, como Ele deseja.
O Salmos 133.1 precisa ser uma realidade na vida da igreja: Como é bom e agradável quando os irmãos convivem em união!”
- Neste conflito que surgiu na igreja de Atos (At 6.1), os apóstolos que são chamados no versículo de "Os Doze" (Atos 6.2-3), tiveram sabedoria em reunir os demais discípulos, orientando-os a resolverem o problema, o conflito.
Ler Pv 3.13-15, 10.31 e Ec 10.10 e veremos como a sabedoria de Deus deve estar presente em nossas vidas.
E qual foi a solução “dos Doze”? que a comunidade escolhesse 7 homens cheios do Espírito Santo e de sabedoria para servir as mesas das viúvas gregas.
Se enfrentamos conflitos na vida, na família, no trabalho, no GP, na igreja, temos que pedir a Deus “sabedoria”, que dá livremente (Tg 1.5), para resolve-los. Os apóstolos podiam chegar dando um sermão/bronca nos discípulos, mas com sabedoria eles fizeram o que era certo. E Tiago explica porque a sabedoria que vem do alto é essencial para vida: Mas a sabedoria que vem do alto é antes de tudo pura; depois, pacífica, amável, compreensiva, cheia de misericórdia e de bons frutos, imparcial e sincera”Tg 3.17
II - UMA IGREJA CHEIA DE SABEDORIA DEFINE PRIORIDADES PARA O MINISTÉRIO DOS CRENTES
- Não há como fazermos todas as coisas dentro de uma igreja (celebração juntos), correto? Alguns são diáconos, outros ministram louvor, um prega, outro recolhe as ofertas, outro ora, alguns ministram as classes para as crianças, outros cuidam do lanche, mas mesmo assim, muitos ainda ficariam de fora. Mas com nossa caminhada em grupos pequenos, aprendo que ministério eficaz é aquele que tem prioridades e as coloca em prática em sua vida como um todo.

- Em Atos 6.1-7 fica evidente que a igreja de Atos estava cheia de sabedoria porque definiu prioridades para o ministério de todos os crentes. "Os Doze" poderiam reunir os discípulos como fizeram e dizer que a partir daquele dia eles fariam tudo (como muitos fazem por ai). Nos vv.2 e 4 descobrimos que o ministério pastoral tem prioridades: a oração, estudo da Palavra e ensino. No v.3 temos a instituição do ministério diaconal que teria como prioridade suprir as necessidades das viúvas e necessitados. E assim por diante, todos os ministérios na igreja. Pois na igreja, não há somente o ministério pastoral ou diaconal. Na caminhada da igreja todos os crentes têm e exercem ministério (I Coríntios 12.4-6; 28; Efésios 4.11-12) e consequentemente cada um desses ministérios tem suas prioridades.


-  No Grupo Pequeno, todos: líder, líder em treinamento, diácono, secretario, louvor, anfitrião, etc.. todos tem suas prioridades. Na igreja/comunidade, o Trustees, o Conselho Pastoral, o Pastor Presidente, todos tem suas prioridades. Todos servem, como membros do corpo, ao Senhor da Igreja – Jesus Cristo. Um exemplo é o ministério de louvor: Servir a Deus e a igreja com excelência através da música nas celebrações, fora disso não é prioridade.
- Uma igreja cheia de sabedoria descobre isso em Deus e através de sua liderança espiritual. Em todo o processo temos a participação "dos Doze", trazendo a proposta (v.2), orientando quem deveria exercer o ministério diaconal (v.3) e delegando autoridade espiritual (v.6). E quando isso acontece os benefícios são visíveis (v.5). Depois deste versículo não há em Atos nenhuma outra dificuldade em relação à distribuição de alimento às viúvas gregas. Nunca se esqueça: Quando em uma igreja todos sabem as prioridades de cada ministério pode-se dizer que há sabedoria no coração daqueles crentes.
III - UMA IGREJA CHEIA DE SABEDORIA VIVE COMO COMUNIDADE DISCIPULADORA

- Jesus enfatizou em Mateus 28.19: "Ide fazei discípulos...". Tem muita gente preocupada com o fim dos tempos, quando será, como será? E esquecendo-se que Jesus deixou-nos uma grande responsabilidade: além de evangelizar, discipular as pessoas.

- Lucas escreve em Atos 6.1 e 7, ele diz que naqueles dias a igreja crescia em número de discípulos (v.1) e no v.7 ele afirma que a palavra de Deus se espalhava e crescia rapidamente o número de discípulos. Para uma igreja crescer em número de discípulos era porque o discipulado daquelas pessoas interessadas em seguir a Jesus estava acontecendo. É claro que a maneira era diferente de hoje, mas a essência era a mesma: relacionamento, exemplo e palavra de Deus.

- Uma igreja cheia de sabedoria é uma comunidade discipuladora, pois ela sabe que a única maneira de gerar frutos que permaneçam é através do discipulado (como Jesus fez com os Doze e depois nos orientou a fazer). Na realidade é uma falta de sabedoria negligenciar o discipulado das pessoas. Por isto enfatizamos tanto os Grupos Pequenos, porque dali surgem os novos discípulos.

- Crescer em número de discípulos deve ser um alvo para cada crente, para cada GP, para nossa igreja, pois é através dele que as pessoas aprendem a viver aquilo que Jesus ensinou (Mateus 28.20).

- Em Atos 6.5-6 a igreja escolheu a Estevão, Filipe, Prócoro, Nicanor, Timom, Pármenas e Nicolau para a função diaconal, porque eles eram homens de bom testemunho, cheios do Espírito Santo e de sabedoria (v.3). Será que eles nasceram com essas qualidades? Será que eles pegaram dos apóstolos através do ar? Todos eles foram discipulados e certamente discipularam outros.


Conclusão
- Em Atos 6.1-7 aprendemos três lições que servem de alvo para as nossas vidas. Uma igreja cheia de sabedoria trata os conflitos da comunidade, define prioridades para o ministério de todos os crentes e vive como comunidade discipuladora.
- Que Deus nos abençoe e nos ajude a sermos essa igreja. Em nome de Jesus, amém.
MOTIVO DE ORAÇÃO: VISÃO 50/500 E SERMOS UMA IGREJA COM SABEDORIA DE DEUS PARA AGIR COMO APRENDEMOS NA LIÇÃO DE HOJE.



©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal