Identidade visual da universidade federal de pelotas: uma análise a partir da percepçÃo do usuário



Baixar 15.65 Kb.
Encontro08.01.2019
Tamanho15.65 Kb.

9ª MPU 2010

IDENTIDADE VISUAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS: UMA ANÁLISE A PARTIR DA PERCEPÇÃO DO USUÁRIO

BIERHALS, Susan v. A.* susan_bier@yahoo.com.br; GARCIA, Isabella; Orientação: PORTELLA, Adriana.



Palavras Chave: Identidade Visual, Universidade, percepção.
Introdução/Objetivos
Este estudo analisa a sinalização externa dos prédios da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) através (i) dos elementos fixados nas fachadas e os dispostos no seu entorno, bem como (ii) da imagem que o usuário tem desses elementos de identificação. A UFPel foi escolhida como estudo de caso por ser constituída por diferentes cursos situados em diversos locais da cidade de Pelotas e Capão do Leão. O problema de pesquisa identificado é: os elementos de identificação dos prédios da UFPel não promovem uma identidade visual única para a universidade pois são elementos fragmentados representativos de cada unidade e não da universidade como um todo.

Metodologia
Os métodos de coleta e análise de dados aplicados estão fundamentados em literaturas do Design Gráfico, Teoria Urbana, e Psicologia Ambiental. Iniciando pelo reconhecimento e análise do momento histórico e cronológico em que foi criado e implantado o atual sistema de identificação. Constata-se que a Universidade possui 37 locais de atuação (ensino e administrativo) e que historicamente ela surge do aglutinamento de unidades fragmentadas e ainda hoje se mantém assim sob alguns aspectos. Um questionário será aplicado para investigar de modo exploratório a imagem que diferentes grupos de usuários têm da UFPel. Os dados dos questionários serão analisados quantitativamente através de estatística não-paramétrica.

Esta pesquisa também analisa os fatores envolvidos no processo de criação das placas de identificação visual da UFPel a fim de investigar se há alguma preocupação em promover/gerar uma identidade visual para a Universidade. Os entrevistados são os responsáveis pela programação visual da UFPel. Um eficaz sistema de sinalização dos prédios de uma universidade tem o poder de estreitar os laços com a sociedade, para maior transparência de atuação à população que serve. (Ruão & Carrillo, 2005, p. 89). No caso da UFPel, foi afixada uma sinalização à fachada do prédio da Faculdade de Odontologia que presta serviços odontológicos à comunidade. Ainda assim essa identificação se diferencia das demais unidades, como por exemplo, da Faculdade de Administração (Fig.2).



Figura 2: Placas de identificação dos prédios da Faculdade de Odontologia e Faculdade de Administração (Fonte: Bierhals, 2010).

A última etapa da pesquisa propõe uma análise qualitativa comparando os fatores envolvidos no processo de criação da identificação visual das universidades públicas e privadas.

Resultados e Discussão
Considerando que o estudo encontra-se na fase de aplicação de questionários e análise das entrevistas e referenciais teóricos, os principais resultados parciais são: (i) quanto à apresentação: observa-se que as unidades de atuação da UFPel distribuídas em 37 diferentes locais a fazem independentemente não havendo uma padronização que unifique os prédios. Com isto é imprescindível que se atinja o propósito da identificação como distinção da organização no seu ambiente. (ii) quanto à identificação existente: ou é ilegível pela dimensão da fonte ou há algum tempo não recebe manutenção tornando-se ineficiente. (iv) quanto à coordenação: não existe um departamento para esse trabalho na universidade, e nem tampouco é prioridade dessa instituição.

Figura 1: Não há identificação nos prédios da Faculdade de

Turismo da UFPel e Instituto de Ciências Humanas (Fonte: Bierhals, 2010).
Considerações Finais ou Conclusão
A UFPel tem se apresentado em expansão e, por esse fato, é imprescindível um eficaz sistema de identificação visual que têm a razão de “organizar, planificar e dar unidade e com isso, transmitir uma imagem de solidez e segurança” (PÉON, 2001, p. 105). Embora a identificação já exista em algumas unidades, não acontece de forma clara e eficiente. Muitos prédios sequer estão identificados e os que possuem algum tipo de identificação, o fizeram de forma aleatória e independente, descartando a padronização e assim uma unidade visual. Por isso, um novo projeto, numa política de comunicação de longo prazo, deve padronizar a identificação de todas as unidades, considerando os prédios históricos, que não podem receber placas de sinalização que prejudiquem a sua fachada.

Referências Bibliográficas
BRITO, Andréia Bordini de. Sistema de sinalização para RU da UFSM, Santa Maria-RS,

Revista Expressão. Jan/jun 2001. Pág 37 a 44.

BRITO, Andréia Bordini e BARBOSA, Anallu. Sistema de sinalização para Casa de carnes.

Pág 105 a 111.

PÉON, Maria Luísa. Sistemas de Identidade Visual. Rio de Janeiro, Editora 2AB, 3ª Ed.,

2003.


FAGGIANI, Kátia. O poder do design: da ostentação a emoção, Brasília: Editora Thesaurus,

2006.


GLÜER, Laura Maria & CRUZ, Cassiana Maris Lima. A imagem da universidade: reflexões

sobre avaliação institucional, na dimensão da comunicação com a sociedade. São Leopoldo,

UNIrevista - Vol. 1, n° 3, 2006.

RUÃO, Teresa & CARILLO, Maria Victoria. A modernização da identidade visual das

Universidades. Os casos da Universidade da Extremadura (Espanha) e da Universidade do

Minho (Portugal). Comunicação e Sociedade, Vol. 8, Universidade do Minho, Portugal, 2005.

HOLLIS, Richard. Design Gráfico: uma história concisa. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

DUTTON, J. E. & DUKERICH, J. M., Keeping an eye on the mirror: image and identity in

organizational adaptation, Academy of Management Journal, 34 (3): 517-554, 1991.

GUINZEL, L. E., KRAMER, R. M. & SUTTON, R. I., Organizational impression management



as a reciprocal influence process: the neglected role of the organizational audience,

Research in Organizational, Behavior, 15: 227-166, 1993.




FURG, 19 a 22 de outubro de 2010.





©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal