Filosofia Aproximações da Filosofia Aproximação Etimológica



Baixar 11.57 Kb.
Encontro12.10.2018
Tamanho11.57 Kb.

Filosofia
Aproximações da Filosofia
Aproximação Etimológica
-Pitágoras é questionado se é sábio, discorda e afirma que é ignorante, ou seja é amigo do saber, tem vontade em saber mais.

-“fileo” significa amor, ou seja existe um amor, um interesse e uma procura pelo amor da sabedoria

-Sábio não é aquele que já não está disposto a aprender , mas sim aquele que está sempre disponível para aprender, por isso podemos concluir que aqueles que se consideram sábios a si mesmos não sabem, são arrogantes e não estão dispostos aprender
Importância da Admiração
-Dar importância a coisas pouco chamativas ex: Porque há a ordem e não a desordem?

-Na origem da filosofia está o espanto, significa que é uma admiração que não é óbvia. Concluímos então que suscita muitas dúvidas e refletimos então sobre o assunto

-O Homem que pensava para além do óbvio era filósofo

-A Filosofia nasce da admiração

-A filosofia foi criada pelo desejo de conhecer

-A filosofia progrediu como: 1) as questões mais óbvias 2) as questões mais complexas

-Filosofar significa encontrar/resolver problemas
Aproximação Histórica
-A água é tomada como o principio de tudo

-O cosmos surgiu como espécie de energia inteligente a “apeiron”           


Busca da Felicidade
-Questão da vida boa não se deve confundir com boa vida

-Sócrates centrou-se mais no homem e não no mundo como Tales e os filósofos de Mileto.


A Filosofia
-A Filosofia nasce na Grécia devida à sua posição privilegiada que permitia o contacto com outros povos, outras culturas, outras formas de pensamento.

A palavra Filosofia divide-se em philos (amigo/amor) + sophia (sabedoria). A filosofia consiste na procura da sabedoria.

 

-O filósofo é aquele que ama o saber e, consequentemente, aquele que busca a sabedoria. Essa sabedoria não é algo que se dê na sua plenitude, isto é, não é algo que se atinja de forma absoluta e totalitária.



 

-Assim podemos desde já constatar que o filósofo não é o sophos (=sábio) pois este, porque pensa que tudo sabe, não procura saber mas, pelo contrário, o filósofo é aquele que assume uma atitude de humildade perante a realidade e constata que pouco ou nada sabe, e por isso quer saber mais.

 

-A Filosofia consiste numa constante procura da verdade e da sabedoria, procura essa que se apresente de forma infinita pois quando se pensa que se atingiu a verdade, novas dúvidas se levantam e volta-se novamente à ignorância. Esta ignorância não é absoluta mas é sim uma douta ignorância (ignorância sábia).


-A douta ignorância não é mais do que a consciencialização do pouco que sei face à imensidão do saber. Ela é uma ignorância construtiva porque tem por objetivo atingir a verdade e porque não parte nunca da estaca zero. Assim, estamos perante um movimento dialético.

 

-O filósofo tem consciência que sabe pouco e tenta sempre saber mais e quando pensa ter atingido a verdade, imediatamente constata que ela é apenas uma pequena parcela do muito que ainda existe para saber.



           

-A Filosofia é, pois, uma busca contínua da verdade e da sabedoria, que implica constantes questionações, críticas e reflexões.

A filosofia é a busca da verdade, mas em termos absolutos é provavelmente inatingível. A verdade nunca será absoluta mas sim uma aproximação à verdade. O trabalho da filosofia é fazermos aproximar a verdade.
A Atitude Filosófica
-questiona a realidade problematizando-a

-é inconformista, isto é, não aceita o que parece óbvio, o que está estabelecido ou aquilo que aparece como evidente

critica

-implica sempre reflexão sobre problemas levantados pela existência quotidiana e uma tomada de posição



-revela uma insatisfação e a procura de mais e melhor conhecimento
Relação Amor e Filosofia
- Amor surgiu do fruto entre o engenho e a pobreza, o primeiro é sábio, inteligente, rude, arrogante como todos os Deuses. Já a pobreza é a ausência de todas estas características.
-Filósofos como Sócrates afirmavam que o amor era a única coisa que ele podia entender e falar como conhecimento de causa. Já Platão compara o amor a uma caçada, ou seja, é o desejo por algo que não se possui, mas também afirma que o amor é a principal motivação da filosofia










©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal