Faculdade de medicina



Baixar 224.07 Kb.
Encontro02.07.2019
Tamanho224.07 Kb.



UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

FACULDADE DE MEDICINA

COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA

CONCURSO


DE

RESIDÊNCIA MÉDICA


NUTROLOGIA

Instruções:

1 – Aguarde a autorização do fiscal de sala para abrir o caderno de questões;

2 – A prova é composta de 40 (quarenta) questões;

3 – Verifique problemas com impressão, número de páginas ou falta de questões;

4 – No final do caderno estará disponível um rascunho, que deverá ser preenchido com o n° de sua

inscrição e tipo de prova, para posterior conferência com o gabarito;

5 – O cartão resposta deverá ser preenchido e assinado somente com caneta esferográfica a ser

fornecida pela Comissão;

6 – Marque apenas uma opção de resposta para cada questão, preenchendo totalmente a quadrícula que

julgar ser a resposta correta;

7 – Não rasurar o cartão resposta, pois não haverá substituição do mesmo;

8 – O cartão resposta somente poderá ser entregue, após decorridos ao menos 02 (duas) horas após o

início da prova;

9 – Ao final da prova, os três últimos candidatos restantes na sala deverão entregar seus cartões

simultaneamente;

10 – Ao aviso do término do tempo de prova, o candidato que ultrapassar esse limite, continuar

marcando e se recusar a entregar a folha de respostas, terá a sua prova anulada.


TIPO 1



01 - Aline, 28 anos, foi admitida no hospital com pielonefrite aguda e tratada com Ciprofloxacina oral. Após três dias de terapia, ela retorna ao hospital apresentando febre persistente de 38,9ºC e dor em flancos. A cultura de urina revelou 100.000 unidades formadoras de colônia de E. coli por ml, com sensibilidade à Ciprofloxacina. Durante o exame, você constata taquicardia, taquipnéia e letargia.
Qual será a próxima etapa da avaliação e abordagem?
Assinale a alternativa correta:

a) – Solicitar hemocultura e ampliar o espectro de antimicrobianos.

b) – Avaliação cirúrgica para analisar a possibilidade de apendicite.

c) – Acrescentar uma terapia fúngica.

d) – Obter acesso venoso e administrar líquidos.

e) – Iniciar a infusão de noradrenalina.



02 - Você está assistindo na casa de seus avós a uma partida de futebol entre Brasil x Alemanha. Após o 7º gol da Alemanha, você se deparou com o seu avô “desacordado”. O que fazer de imediato?
Assinale a alternativa incorreta:
a) – Imediatamente dê um “soco no precórdio”. Caso não ressuscite, inicie a as manobras de RCP, com as ventilações boca-a-boca alternando com as compressões torácicas eficazes.
b) – Em apenas dez segundos você estabelece algum contato e checa a presença de pulso central para identificar uma situação de parada cardiorrespiratória.
c) – Isole o local mantendo todas as pessoas afastadas ao seu redor numa distância de aproximadamente cinco metros e peça para alguém contatar 192 ou 193 e trazer um DEA.
d) – Sequenciar a abordagem colocando-o em decúbito dorsal no chão, desnude o tórax e inicie as compressões torácicas eficazes, numa frequência mínima de 100 por minuto.
e) – Não interromper as compressões torácicas até a chegada do desfibrilador.


03 - Mateus, 16 anos, com diabetes mellitus tipo 1 é trazido pelos pais ao Pronto Socorro por causa da preocupação com cetoacidose diabética (CAD), pois já teve três episódios nos últimos seis meses. Quais as alterações e sintomas diagnósticos são específicos de CAD?
Assinale a alternativa correta:
a) – Hipotensão, desidratação, hálito frutado.

b) – Hiperglicemia, cetose, acidose metabólica.

c) – Poliúria, polidipsia, fadiga.

d) – Glicemia de 600mg/dl, diante das altas concentrações de insulina.

e) – Níveis altos de HCO3- e glicose.


04 - Pedro, 21 anos, sofreu um acidente de carro e foi trazido ao serviço de emergência após ter perdido um grande volume de sangue ainda no local do acidente. Sua pressão arterial inicial é de 70 x 35mmHg, e a frequência cardíaca está em 142bpm. Qual a alternativa que descreve a fisiopatologia da condição do paciente?
Assinale a alternativa correta:
a) – Excesso de IL-6 e leucotrienos.

b) – Explosão de radicais livres do oxigênio.

c) – Pré-carga cardíaca insuficiente.

d) – Resistência vascular sistêmica excessiva.

e) – Contratilidade miocárdica insuficiente.

05 - Maura, 64 anos, é examinada no hospital, apresentando enfraquecimento do braço direito e queda facial do lado esquerdo. Sua pressão arterial está em 180x105mmHg. Qual a conduta para hipertensão? Assinale a alternativa correta:

a) – Reduzir a pressão arterial para menos de 160x80mmHg por meio da administração de Labetalol.


b) – Reduzir a pressão arterial para menos de 130x80mmHg.
c) – Reduzir a pressão arterial para menos de 160x80mmHg, caso seja elegível para receber rtPA.
d) – Reduzir a pressão arterial para menos de 160x80mmHg por meio da administração de Nitroprussiato de Sódio.
e) – Não intervir na pressão arterial da paciente, mas continuar a monitorá-la.

06 - Qual das situações clínicas descritas abaixo está associada com o agente etiológico Rotavírus?
Assinale a alternativa correta:
a) – Uma mulher de 22 anos que trabalha numa creche desenvolveu diarreia aquosa durante o inverno.
b) – Um estudante universitário de 21 anos que viajou durante a primavera para Cancun e desenvolveu diarreia.
c) – Vários funcionários desenvolveram vômitos e diarreia aquosa significativa dentro de um período de quatro horas após terem comido maionese.
d) – Um homem de 42 anos comeu ostras e, passados dois dias, desenvolveu cólicas abdominais e febre de 38,4ºC, acompanhadas de diarreia aquosa.
e) – Uma mulher de 74 anos esteve internada por quarenta e três dias para tratamento de infecções hospitalares, apresentando quinze episódios diários de diarreia aquosa, oito dias após a alta hospitalar.
07 - João, 53 anos, chega ao hospital queixando-se de dor no flanco direito há duas semanas. Ele relata ter notado um pouco de hematúria macroscópica e não consegue comer nada devido à náusea e vômitos. Qual das alternativas representa uma indicação para internação hospitalar?
Assinale a alternativa correta:
a) – Hematúria macroscópica.

b) – Dor no flanco direito.

c) – Náusea e vômitos, mesmo com o uso de antieméticos.

d) – Idade acima de 50 anos.

e) – Presença de um cálculo renal de 6mm.

08 - Vários pacientes são levados ao setor de emergência apresentando queixa de cefaleia. Qual dos pacientes descritos a seguir deve ser examinado primeiro, pelo risco de uma condição mais prejudicial à vida?
Assinale a alternativa correta:
a) – Homem, 54 anos, com cefaleia há seis horas e pressão arterial de 210 x 120mmHg.
b) – Mulher, 29 anos, com cefaleia latejante e forte envolvendo o lado esquerdo da cabeça.
c) – Mulher, 35 anos, submetida à procedimento cirúrgico sob raquianestesia, e que agora queixa de uma forte cefaleia bilateral quando está sentada.
d) – Mulher, 28 anos, com cefaleia forte, que recebeu um diagnóstico de pseudotumor cerebral.
e) – Mulher, 52 anos com cefaleia forte e latejante, na região fronto-temporal direita, com dor e sensibilidade aumentada na mesma região, tendo sua dor agravada quando mastiga.

09 - Qual dos seguintes pacientes é o melhor candidato para modificação do estilo de vida apenas, em vez de usar medicações hipolipemiantes?
Assinale a alternativa correta:
a) – Homem, 60 anos, diabético e tabagista com infarto do miocárdio recente: colesterol = 201mg/dl, HDL = 47mg/dl e LDL = 138mg/dl.
b) – Diabético, 64 anos: colesterol = 210mg/dl, HDL = 28mg/dl e LDL = 156mg/dl.
c) – Mulher assintomática, 57 anos; colesterol = 235mg/dl, HDL = 92mg/dl e LDL = 103mg/dl.
d) – Homem, 37 anos, com síndrome nefrótica: colesterol = 285mg/dl, HDL = 49mg/dl, LDL = 183mg/dl.
e) – Homem, 52 anos, hipertenso controlado, assintomático e atleta: colesterol = 176mg/dl, HDL 21mg/dl e LDL = 155mg/dl.

10 - Antônio, 64 anos, tem feito consultas para manutenção de saúde anualmente e tem seguido todas as recomendações de seu médico, que o aconselha a fazer a vacina contra varicela-zoster. Em relação à utilização dessa vacina, assinale a alternativa correta:
a) – A vacina está recomendada para pacientes com 65 anos ou mais.
b) – A vacina não está recomendada se o paciente já teve herpes-zoster.
c) – A vacina é feita com vírus vivo atenuado.

d) – A vacina tem possibilidade de reação cruzada com o vírus herpes simples e oferece alguma proteção contra ele.


e) – A vacina reduz a incidência de herpes zoster, mas não diminui a gravidade da nevralgia pós-herpética.
11 - Luís, 20 anos, tem história de febre baixa, há duas semanas, tosse leve, mal-estar e mialgia. Ao exame físico, constatou-se que seus linfonodos cervicais posteriores estavam aumentados e que havia uma significativa esplenomegalia. O hemograma revelou um linfocitose, com contagem absoluta de linfócitos de 10.000/μL, níveis de hemoglobina e contagem de plaquetas normais. O esfregaço de sangue periférico mostra a presença de grandes linfócitos atípicos.
Qual é o diagnóstico mais provável?
Assinale a alternativa correta:
a) – Leucemia linfocítica aguda (LLA).

b) – Leucemia linfocítica crônica (LLC).

c) – Infecção aguda por HIV.

d) – Infecção por EBV.

e) – Coqueluche.

12 - Arnaldo, 45 anos, com diabetes tipo 2 tem pressão arterial de 145x90mmHg e 150x95mmHg em duas ocasiões. Qual das seguintes alternativas é apropriada como terapia inicial para esse paciente?
a) – Diuréticos tiazídicos.

b) – Inibidor da enzima conversora de angiotensina (ECA).

c) – Agentes betabloqueadores.

d) – Vasodilatadores arteriais como a hidralazina.

e) – Agentes alfabloqueadores.


13 - Jonathas, 15 anos, queixa de artrite migratória em joelhos, punho esquerdo e tornozelo há alguns dias. Há dois dias apresenta dor precordial e dispnéia aos grandes esforços. Ao exame artrite em tornozelo direito, taquicardia, sopro sistólico em foco mitral com irradiação para axila. Dos parâmetros abaixo qual não faz parte dos critérios maiores de Jones modificados para o diagnóstico do paciente?
a) - coreia

b) - intervalo PR prolongado

c) - eritema marginado

d) - nódulos subcutâneos

e) - artrite, cardite

14 - Ângela, 24 anos, queixa dor, tumefação articular em joelhos e tornozelos e lesão eritematosa em região malar. Anita, 28 anos, queixa, há quatro meses, de artrite simétrica em punhos, metacarpofalangeanas e interfalangeanas proximais, rigidez matinal maior que trinta minutos. Dos dados clínicos e laboratoriais quais não devem ser encontrados nas duas pacientes?
Assinale a alternativa correta:

a) - úlceras orais indolores e derrame pleural

b) - fotossensibilidade e fenômeno de Raynaud

c) - títulos elevados de fator reumatoide e erosões articulares ao RX

d) - anticorpo antinuclear positivo e células LE

e) - VDRL positivo e anticorpo antinuclear positivo




15 - Paulo, 35 anos, apresenta quadro clínico de anemia. O esfregaço sanguíneo revelou hemácias microcíticas e hipocrômicas. Qual das alternativas abaixo demonstra o mecanismo da anemia?
a) - índices hematimétricos, VCM, HCM, CHCM

b) - contagem de reticulócitos

c) - dosagem da ferritina

d) - dosagem da Vitamina B12

e) - pesquisa do COOMBS direto

16 - Dirce, 72 anos, tabagista, apresenta dispneia aos esforços progressiva com três semanas de evolução associado à tosse produtiva. Saturação periférica de oxigênio dentro dos limites da normalidade. Ao exame físico percebe-se macicez na base do pulmão, diminuição frêmito toraco-vocal, redução dos ruídos respiratórios à esquerda. O pulmão direito é normal. Qual das condutas abaixo você adotaria inicialmente?
a) - antibióticos intravenosos

b) - oxigenoterapia sob cateter nasal

c) - toracocentese

d) - broncodilatadores

e) - intubação orotraqueal com aspiração de secreção
17 - A obesidade é o acúmulo inapropriado de gordura corpórea em condições metabólicas capazes de aumentar a morbi-mortalidade.
Assinale a alternativa incorreta:
a) - a pancreatite aguda acontece nos obesos com frequência muito maior, associada, sobretudo, à colelitíase e à hipertigliceridemia > 500mg/ml
b) - a presença de apneia obstrutiva do sono não se relaciona com o aumento do risco cardiovascular
c) - a obesidade aumenta o risco de tromboflebite e tromboembolismo pulmonar
d) - a obesidade aumenta a incidência de algumas neoplasias, como mama, intestino grosso e estômago
e) - os estudos de Framingham sugerem que a cada 10% de aumento de massa corpórea, aumenta 6,5mmHg na pressão arterial sistólica

18 - Lucas, 24 anos, está em tratamento de tuberculose pulmonar com Isoniazida, Rifampicina, Pirazinamida e Etambutol. Depois de dois meses de uso relata dormência nos pés. A conduta para o paciente é:
a) - realizar tomografia computadorizado na coluna lombar

b) - manter a medicação e monitorizar outros sintomas neurológicos

c) - iniciar Piridoxina (vitamina B6)

d) - pesquisar adenopatia tuberculosa comprimindo o nervo femoral

e) - realizar eletroneuromiografia


19 - Leandro, 27 anos, saudável, recebe o diagnóstico de pneumonia comunitária, sendo medicado com Azitromicina. No quinto dia é reavaliado, estando afebril há 72 horas com estabilidade respiratória e hemodinâmica, mas sem melhora na radiografia de tórax controle.
Das alternativas abaixo, qual a ser adotada?
a) - manter Azitromicina por sete a dez dias

b) - associar antibiótico para Enterobacterias

c) - considerar o tratamento concluído

d) - mudar o antibiótico para Cefalosporina

e) - mudar o antibiótico para Quinolona


20 - Osmar, 62 anos, portador de cirrose hepática de etiologia indeterminada, vem apresentando alterações do comportamento nas últimas semanas. Com relação à Encefalopatia Hepática, assinale a alternativa incorreta:
a) - Confusão mental e alteração do ciclo sono-vigília são sintomas comuns.

b) - Os sintomas podem ser classificados em subclínicos e de graus 1 a 4.

c) - Sangramento do trato gastrointestinal e presença de infecções são causas comuns.
d) - A utilização de antibióticos via oral não absorvíveis ainda é controversa, devendo ser utilizado apenas em casos especiais.
e) - O uso de Lactulose está indicado pois, acarreta redução de compostos ricos em amônia a nível cerebral

Caso Clínico para as questões 21 e 22

Catarina, 45 anos, hipertensa, em uso de Losartana 50mg/dia e diabete melito tipo II em uso de insulina NPH 20 UI/dia, será submetida a uma cirurgia eletiva videolaparoscópica para correção de refluxo gastroesofágico grave. Exames pré-operatórios evidenciam hemograma com hematimetria normal, função renal normal e glicemia de 180mg/dL.



21 - Assinale a alternativa correta entre as medidas que devem ser tomadas no pré-operatório:
a) Manter o hipotensor em dose habitual, suspender a insulina na véspera da cirurgia e iniciar com hipoglicemiante oral
b) Suspender hipotensor no dia da cirurgia e administrar metade da dose da insulina no dia da cirurgia
c) Manter hipotensor e insulina nas doses habituais e administrar 100 a 120ml/h de soro glicosado a 5% no pós-operatório
d) Manter hipotensor, administrar metade da dose de insulina no dia da cirurgia e administrar 100ml/h de soro glicosado 5% no pré, per e pós-operatório
e) Não realizar a cirurgia e aumentar dose de insulina, para obter uma glicemia entre 100 e 120mg/dL
22 - O estresse cirúrgico desencadeado no pós-operatório desta paciente ocasionará alterações metabólicas pós-traumáticas, resultantes da interação de vários hormônios. Qual a alteração que não faz parte desta resposta?
a) Inibição da liberação de insulina pancreática pelo aumento das catecolaminas
b) Diminuição do débito cardíaco em consequência de várias alterações hemodinâmicas no período pós-traumático
c) Aumento da secreção de aldosterona com consequente diminuição da excreção renal de sódio
d) Aumento dos níveis circulantes de testosterona
e) Diminuição da produção do hormônio antidiurético (ADH) com consequente diminuição do clearance de água livre

23 - Luiz Paulo, 70 anos, com insuficiência hepática compensada, pesando 65Kg, será operado de hérnia inguinal sob anestesia local. O anestésico disponível é a lidocaína a 2% com vasoconstritor. O paciente é monitorizado e recebe 5mg de Midazolan para sedação. O cirurgião infiltra a região inguinal usando 20ml do anestésico e cinco minutos após o paciente apresenta tremores musculares, náuseas, hipotensão, bradicardia e se torna confuso. Qual deve ser a conduta do cirurgião neste momento?
a) Administrar mais 5mg de Midazolam para aumentar a sedação do paciente
b) Iniciar rapidamente com trombolítico e colher enzimas cardíacas
c) Administrar O2 a 100% sob máscara, e colocar o paciente em posição de Trendelemburg
d) Elevar cabeceira da mesa e aumentar a hidratação
e) Realizar a cirurgia o mais rápido possível

24 - João Antônio, 21 anos, foi levado ao Pronto Socorro, vítima de ferimentos por arma branca na parte superior do hemitórax direito, todas acima do mamilo. Está com nível de consciência rebaixado, foi intubado e drenado o tórax com saída de 1500ml de sangue. A FR é de 14 irpm com O2 a 100%. Foi infundido 2000ml de solução cristaloide e a PA é de 60x0mmHg e a FC 160bpm. O próximo passo no tratamento deste doente é:
a) Fazer FAST (Focused Abdominal Sonography for Trauma)

b) Fazer tomografia de tórax

c) Fazer arteriografia

d) Realizar infusão de mais 1000ml de cristaloide e 2 unidades de concentrado de hemácias


e) Transferência imediata para o centro cirúrgico

25 - Marco Túlio, 65 anos, queixa-se de perda de peso de 10Kg em três meses, dor epigástrica após alimentação e melena. Relata ter sido operado de úlcera há 20 anos. A endoscopia mostra estômago operado e anastomose corpo jejunal tipo BII, com uma lesão ulcerada de 1cm ao nível da anastomose, além de sinais de sangramento recente. A pesquisa de Helicobacter pylori foi positiva. Não foi possível realizar biópsia devido ao risco de sangramento. A melhor conduta para este caso é:
a) Tratar H. pylori e repetir endoscopia com biópsia

b) Quimioterapia e radioterapia

c) Gastrectomia total com linfadenectomia D2

d) Gastrectomia paliativa

e) Gastrectomia com anastomose do fundo gástrico ao jejuno

26 - Josias, 18 anos, vítima de ferimento por projétil de arma de fogo no ombro esquerdo, dá entrada no pronto socorro trazido pelos bombeiros. Ele está consciente, queixando-se de dor no ombro; o murmúrio vesicular está diminuído à esquerda, tendo sido o tórax então drenado, com saída de pequena quantidade de sangue, porém sem escape de ar. Está hipotenso, com PA de 80x40mmHg e FC: 120bpm. Foi feita reanimação com 2000ml de Ringer Lactato, tendo a frequência cardíaca caído para 100bpm e a PA subiu para 122x84mmHg. O próximo passo é:
a) Reexaminar o tórax

b) Fazer aortografia

c) Fazer tomografia computadorizada de tórax

d) Colher gasometria arterial

e) Fazer ecocardiograma transesofágico

27 - Larissa, 25 anos, vítima de ferimento por arma de fogo no hemitórax esquerdo, foi levada a um hospital que não tem condições de fazer grandes cirurgias. Lá foi drenado o tórax da paciente com saída de 700ml de sangue e o médico decide transferi-la para o hospital de referência. Um pouco antes de iniciar da remoção da paciente, a pressão arterial cai para 80x68mmHg e a FC sobe para 136bpm. O passo seguinte deve ser:
a) Fechar o dreno de tórax

b) Cancelar a transferência

c) Fazer toracotomia de urgência
d) Adiar a transferência até que o médico que quer encaminhar a doente possa entrar em contato com um cirurgião de tórax
e) Repetir avaliação primária e manter a transferência

28 - Lara, 20 anos, na 32ª semana de gestação, foi vítima de acidente automobilístico. Dá entrada no pronto socorro ofegante, extremamente ansiosa e pedindo socorro. O murmúrio vesicular está diminuído e a percussão está timpânica à direita, com FR de 28irpm. A PA é de 80x60mmHg e a FC de 100 bpm.
A medida mais apropriada é:
a) Intubação traqueal

b) Descompressão do hemitórax direito por punção

c) Empurrar manualmente o útero para a esquerda

d) Iniciar a administração de cristaloides através de duas veias periféricas de grosso calibre


e) Administrar sangue específico
29 - Durante colonoscopia em Artur, 50 anos, evidenciou-se lesão no reto a 6cm da borda anal, lesão estenosante mas que permitiu a passagem do aparelho e que concluiu o exame até o íleo sem outras lesões. A biópsia evidenciou um adenocarcinoma moderadamente diferenciado. Qual a conduta a ser adotada?
a) Retossigmoidectomia com anastomose primária
b) Amputação do reto
c) Radioterapia, quimioterapia e cirurgia depois
d) Ressecção trans-anal
e) Colostomia e depois radioterapia e quimioterapia

30 - Rafael, 54 anos, foi admitido no pronto socorro com quadro de dor abdominal de início gradual e de padrão inespecífico nas regiões mesogástrica e fossa ilíaca esquerda (FIE) há cerca de 24 horas e com piora da intensidade nas últimas seis horas. Paciente encontra-se em BEG, corado com temperatura de 37,7ºC e FC de 108bpm. Abdome com dor à palpação em FIE com descompressão brusca positiva. Com relação à investigação complementar qual dos seguintes exames está mais indicado para elucidação diagnóstica desse paciente:
a) Enema opaco

b) Colonoscopia

c) Retossigmoidoiscopia flexivel

d) Retossigmoidoscopia rígida

e) Tomografia computadorizada do abdome


31 - Carlos, 64 anos, é portador de tumor de retroperitônio de crescimento lento. Refere que nos últimos seis meses, vem apresentando hiporexia, adinamia e emagrecimento com perda de 18Kg neste período. Seu peso atual é de 61Kg. Teve a cirurgia programada e foi realizado no pré-operatório uma avaliação nutricional pelo método da avaliação subjetiva global que identificou desnutrição moderada /grave. Com relação à avaliação nutricional e nutrição pré-operatória é incorreto afirmar:

a) Há indicação de nutrição parenteral prévia, por período máximo de 15 dias


b) Perda ponderal igual ou superior a 20%, nos últimos seis meses, sugere uma intensa depleção protéica e baixa da imunidade
c) A dosagem da transferrina sérica retrata melhor os índices de desnutrição do que a albumina sérica
d) As proteínas responsáveis pelo estado imunológico são as proteínas de fase aguda: fibrinogênio, fibronectina, ceruloplasmina
e) A perda ponderal é um indicador fraco e sem significado quanto ao risco de mortalidade e de tempo de internação

32 - Leonardo, 40 anos, procura serviço médico, referindo que há dois dias iniciou com náuseas e vômitos, dor abdominal difusa e distensão abdominal. Nega comorbidades. Ele está afebril e hemodinamicamente estável, porém anúrico e a creatinina sérica é de 3,0mg/dL. O leucograma é normal e PCR pouco elevada. A tomografia computadorizada (TC) de abdome confirma pancreatite aguda necrotizante com fleimão peripancreático, sem evidência de colelitíase ou colecistite. Nega episódios anteriores de pancreatite. O próximo passo na conduta deve ser:
a) Internar e iniciar com nutrição parenteral total (NPT)

b) Dieta zero, reposição volêmica e antibioticoterapia

c) Debridamento cirúrgico pancreático

d) Aspiração com agulha fina do líquido peri pancreático

e) Antifúngicos profiláticos


33 - Jessyca, 25 anos submetida à bypass gástrico em Y de Roux para tratamento da obesidade, recebeu alta hospitalar no segundo dia de pós-operatório. Um mês após de sua operação, começou a ter vômitos intermitentes, que persistiram até há dois meses. No momento, refere parestesia simétrica bilateral nas coxas e dificuldade para caminhar. A investigação revelou subestenose da anastomose gastro jejunal. A causa mais provável de seus sintomas neurológicos é uma deficiência de:
a) Ferro

b) Folato

c) Vitamina B1 (tiamina)

d) Vitamina B6 (piridoxina)

e) Vitamina B12 (cobalamina)

34 - Luiz Augusto, 58 anos, procura serviço médico com queixas de epigastralgia e plenitude gástrica. Nega qualquer história de doenças gástricas na família. Foi solicitada uma endoscopia digestiva alta para o paciente.
Diante do resultado, assinale a associação correta:
a) Diante do achado de um adenocarcinoma gástrico, você vai encaminhá-lo à cirurgia, devendo orientá-lo para que seus filhos façam endoscopia digestiva alta regularmente de cinco em cinco anos a partir dos 40 anos
b) Diante do achado de pólipos hiperplásicos, você deve alertá-lo para a possibilidade de associação futura com carcinoma gástrico
c) Diante do achado de uma pequena lesão gástrica decorrente de um linfoma MALT de baixo grau, deve-se encaminhá-lo imediatamente a um cirurgião devido a chance de cura de um tumor em estádio inicial
d) O achado de uma lesão de Dieufaloy deve indicar a orientação do paciente quanto ao risco de perfuração gástrica
e) O achado de uma lesão ulcerosa isolada com cerca de 0,6cm no bulbo duodenal provavelmente está relacionada com o uso de antiinflamatórios não esteroides e você deve alertá-lo para a interrupção do uso dessas medicações

35 - João Paulo, 65 anos, apresenta-se com dor abdominal progressiva seis horas depois ter sido submetido a colonoscopia e biópsia de um grande pólipo séssil. Durante o procedimento, foi observado preparo intestinal adequado. Ao exame do abdome não há sinais de irritação peritoneal. O Raio X de tórax obtido é mostrado.

A conduta mais adequada no momento é:


a) Laparotomia exploradora

b) Enema opaco com contraste iodado

c) Repetir colonoscopia com melhor preparo

d) Antibioticoterapia intravenosos e observação

e) Tomografia computadorizada de abdome
36 - Joana, 47 anos, hipertensa e diabética tem refluxo ácido que não respondeu à terapia com inibidores da bomba de prótons. Seu índice de massa corporal é 43kg/m2. A endoscopia revela esofagite grau 1. A manometria esofágica mostra boa progressão do peristaltismo com esfíncter esofágico inferior, tônus e relaxamento normais. O procedimento cirúrgico mais propenso a melhorar o refluxo deste paciente seria:
a) Fundoplicatura total

b) Fundoplicatura parcial

c) Cirurgia de Fobi-Capella

d) Cirurgia antirefluxo endoscópico

e) Gastrectomia vertical (Sleeve)

37 - Marisa, 40 anos, vai a consulta médica ambulatorial, com histórico de constipação intestinal crônica, além de referir dor anal ao evacuar há três meses. Ao exame, apresenta uma fissura anal lateral à esquerda.
Qual a conduta correta?
a) Tratamento clínico visando menor consistência das fezes, associado à tratamento tópico local com medicamentos para relaxamento do esfíncter anal interno
b) Tratamento clínico visando menor consistência das fezes, associado à tratamento cirúrgico (esfincterotomia lateral interna)
c) Tratamento clínico visando menor consistência das fezes, associado a tratamento tópico local com medicamentos para relaxamento do esfíncter anal externo
d) Investigar causas secundárias
e) Tratamento clínico visando melhor consistência das fezes associado à tratamento cirúrgico (esfincterotomia lateral externa)

38 - Fernanda, 28 anos, foi submetida a uma operação de cesariana; evoluiu no P.O com grande distensão abdominal e dor difusa à palpação, porém sem sinais de irritação peritoneal. Raio X de abdome com grande distensão colônica com diâmetro cecal estimado em 10cm. Foi levantado hipótese de síndrome de Ogilvie, sendo tentadas todas as medidas clínicas iniciais sem sucesso. A medida mais apropriada agora é:
a) Cecostomia

b) Colectomia total

c) Sigmoidostomia

d) Colonoscopia

e) Ileostomia descompressiva


39 - Matheus, 85 anos, chega ao Pronto Socorro com hemorragia digestiva baixa de grande volume e instabilidade hemodinâmica, sem resposta adequada às medidas de reposição. Qual a conduta correta?
a) Colonoscopia

b) Arteriografia

c) Colectomia total de urgência

d) Colectomia parcial (a ser avaliado no ato da cirurgia) de urgência

e) Cintilografia


40 – Geraldo, 55 anos, tabagista (um maço/dia) há 40 anos, obesidade Grau II (IMC= 38 kg/m2), foi vítima de queda de motocicleta em rodovia. Foi submetido à laparotomia exploradora e realizado esplenectomia. Não apresentava nenhuma outra lesão. No primeiro dia pós-operatório apresentou febre (38,5°C). Qual a hipótese diagnóstica, o exame inicial a ser solicitado e a conduta terapêutica?
a) Septicemia; hemoculturas; antibioticoterapia de amplo espectro

b) Atelectasia; radiografia de tórax; fisioterapia respiratória

c) Abscesso intra-abdominal; tomografia de abdome; punção ou laparotomia

d) Pneumonia hospitalar; radiografia de tórax; antibioticoterapia



e) Ileo paralítico, radiografia de abdome, hidratação




UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA

C CONCURSO DE RESIDÊNCIA MÉDICA - 2016




Nome: _____________________________________________________________________

Nº Inscrição: ____________ Tipo de Prova: 1 2 3 4
RASCUNHO


001

A

B

C

D

E

011

A

B

C

D

E

021

A

B

C

D

E

031

A

B

C

D

E

002

A

B

C

D

E

012

A

B

C

D

E

022

A

B

C

D

E

032

A

B

C

D

E

003

A

B

C

D

E

013

A

B

C

D

E

023

A

B

C

D

E

033

A

B

C

D

E

004

A

B

C

D

E

014

A

B

C

D

E

024

A

B

C

D

E

034

A

B

C

D

E

005

A

B

C

D

E

015

A

B

C

D

E

025

A

B

C

D

E

035

A

B

C

D

E

006

A

B

C

D

E

016

A

B

C

D

E

026

A

B

C

D

E

036

A

B

C

D

E

007

A

B

C

D

E

017

A

B

C

D

E

027

A

B

C

D

E

037

A

B

C

D

E

008

A

B

C

D

E

018

A

B

C

D

E

028

A

B

C

D

E

038

A

B

C

D

E

009

A

B

C

D

E

019

A

B

C

D

E

029

A

B

C

D

E

039

A

B

C

D

E

010

A

B

C

D

E

020

A

B

C

D

E

030

A

B

C

D

E

040

A

B

C

D

E


“O sábio fala porque tem alguma coisa a dizer; o tolo, porque tem que dizer alguma coisa.”
Platão






©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal