Ethan Frome


OPERACIONALIZAÇÃO 3.1.Inserção



Baixar 470.55 Kb.
Página2/11
Encontro29.11.2017
Tamanho470.55 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11

3.OPERACIONALIZAÇÃO

3.1.Inserção

3.1.1.Público Alvo


Pacientes portadores de feridas, cadastrados pelo sistema do município de Belo Horizonte.

Estes pacientes assumirão um compromisso de continuidade no tratamento junto à Unidade de Saúde, através do preenchimento do Termo de Compromisso (anexo I).

OBS.: os pacientes que não aceitarem assinar o Termo de Compromisso não serão inseridos neste programa.

3.1.2.Critérios


  • Enquadrar-se no público alvo;

  • Ter vaga disponível na unidade.

3.1.3.Capacidade Operacional


Para o início do programa, está previsto o acompanhamento simultâneo de 10 pacientes/mês por Unidade de Saúde, com as coberturas, cremes e soluções.

A admissão de novos pacientes pressupõem a alta de usuários já inseridos no serviço. Durante período que estiverem aguardando vaga, estes pacientes passarão por uma avaliação médica e receberão orientações a respeito dos cuidados com a ferida (limpeza, alimentação, repouso etc.) pelo enfermeiro. A realização dos curativos ocorrerá na Unidade de Saúde ou no domicílio conforme o caso.

A lista com os nomes dos pacientes ficará disponível na unidade e deverão ser chamados para ingressar ao serviço, através de visita domiciliar ou telefonema.

3.2.Acompanhamento


Os pacientes serão acompanhados por toda equipe de saúde, levando em consideração as atribuições de cada profissional e as particularidades de cada paciente.

A primeira avaliação será realizada pelo enfermeiro, que encaminhará ao médico após suas condutas iniciais (Deliberação COREN-MG -65/00 do Anexo II)

Os retornos durante o tratamento com coberturas, cremes e soluções ocorrerão de acordo com a necessidade do paciente e critério do profissional de saúde, não podendo extrapolar o máximo preconizado para cada cobertura ou solução.

Os retornos ao médico ocorrerão no período máximo de 60 dias ou antecipadamente, quando necessário.



Os pacientes que receberem alta do curativo devem comparecer a 02 retornos: 1º, com 15 dias, e o 2º com 30 dias para reavaliação da região afetada bem como o seu estado geral.

3.3.Alta


Motivos:

  • Cura (epitelização completa da ferida);

  • Falta ao retorno agendado 02 vezes consecutivas ou 03 vezes alternadas sem comunicação prévia;

  • Não seguir corretamente as orientações dadas pelos profissionais da equipe de saúde ou não concordar com elas;

  • Não concordar com as condutas prescritas pela equipe de saúde (alta a pedido);

  • Óbito.



4.ATRIBUIÇÕES

4.1.Auxiliar de Enfermagem


  • organizar e manter a sala de curativo em condições adequadas para o atendimento;

  • receber o paciente, acomodando-o em posição confortável e que permita boa visualização da lesão;

  • orientar o paciente quanto ao procedimento a ser executado;

  • explicar a técnica do soro em jato para o paciente no primeiro atendimento;

  • executar o curativo conforme prescrição do enfermeiro ou médico e sempre sob a supervisão destes profissionais;

  • orientar o paciente quanto a data do retorno, cuidados específicos e gerais;

  • organizar a sala de atendimento;

  • proceder à limpeza do instrumental;

  • fazer a desinfecção de superfície.

4.2.Enfermeiro


  • fazer consulta de enfermagem, avaliação, classificação da ferida e propor o curativo adequado;

  • preencher a Ficha de Registro de Atendimento à Pessoa Portadora de Ferida (Anexo III);

  • encaminhar o paciente para avaliação médica (clínico ou generalista) para determinar a etiologia da lesão e em caso de intercorrências;

  • orientar o paciente quanto ao termo de compromisso em relação ao tratamento;

  • solicitar, quando necessário, os seguintes exames laboratoriais: hemograma, albumina sérica, glicemia e cultura do exsudato com antibiograma;

  • mensurar a lesão;

  • prescrever, quando indicado, as coberturas, soluções e cremes para curativo das lesões, bem como terapia compressiva e creme hidratante, conforme padronizado neste protocolo;

  • executar o curativo;

  • evoluir a ferida a cada troca de curativo preenchendo a “Ficha de Evolução do Portador de Ferida” Curativo (Anexo IV). Deverá ser preenchido uma Ficha de Evolução para cada ferida;

  • capacitar e supervisionar a equipe de enfermagem nos procedimentos de curativo;

  • fazer a previsão e controle de consumo das coberturas, cremes e soluções para realização dos curativos por meio da Ficha de Controle e Dispensação de Coberturas, Soluções e Cremes (Anexo V).

4.3.Médico


  • avaliar, clinicamente, o paciente e definir a etiologia da ferida;

  • prescrever, quando indicado, as coberturas, soluções e cremes para curativo das lesões, bem como terapia compressiva e creme hidratante, conforme padronizado neste protocolo;

  • interpretar exames solicitados e propor tratamento adequado em cada caso;

  • solicitar, quando necessário, os exames relacionados no item 4.2 e outros, conforme fluxos estabelecidos na Rede Municipal de Saúde;

  • encaminhar o paciente para avaliação com especialista, quando necessário;

  • acompanhar a evolução do quadro clínico junto com a equipe de enfermagem da Unidade de Saúde;

  • programar retorno no período máximo de 60 dias ou antecipadamente quando necessário;

  • estabelecer alta do paciente.

OBS.: em caso de suspeita de infecção local, deverá sempre ser solicitado cultura com antibiograma;

5. ATENDIMENTO NA UNIDADE BÁSICA

5.1.Fluxo do Atendimento

5.1.1.Fluxograma do Paciente



OBS.: A alta e os encaminhamentos ocorrerão conforme atribuições e competência de cada profissional

5.1.2.Fluxograma por Dia de Atendimento




5.1.3.Fluxo para Aquisição das Coberturas, Cremes e Soluções







1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal