Escultura dental na reconstruçÃo de dentes anteriores fraturados



Baixar 6.72 Kb.
Encontro24.10.2017
Tamanho6.72 Kb.

UFPB-PRG XIII Encontro de Iniciação à Docência



0081.DOR.CCS.MT.10.R.P.9

escultura dental na reconstrução de dentes anteriores fraturados

Aline Calado Araújo1; Dayane Franco Barros Mangueira2; Isabela Albuquerque Passos Farias2; Antônio de Pádua Cavalcante da Costa2

Centro de Ciências da Saúde – CCS; Odontologia - DOR – MONITORIA

Fraturas de dentes anteriores podem acarretar perda da função mastigatória, alteração na oclusão e comprometimento da estética, além de afetar psicologicamente o paciente. O incisivo central superior é o dente mais suscetível a fraturas em razão de traumas e da sua vulnerável ocupação na arcada dentária. Este estudo teve como objetivo realizar uma revisão da literatura sobre a reconstrução de dentes anteriores fraturados baseando-se nos princípios anatômicos. Para tanto, foram consultados os bancos de dados: BBO, Medline, Periódicos - CAPES. As fraturas coronárias representam 18 a 22% dos traumatismos dentários. Dessas, os incisivos superiores centrais são os mais acometidos. Para restaurar os dentes anteriores, alguns aspectos devem ser considerados: a forma do dente, individualmente, semelhança com o seu contra-lateral, relação com o grupo de dentes a que ele pertence e, finalmente, harmonia com a face do paciente. Em casos de fratura de incisivo central a altura sempre deve ser seguida pelo contra-lateral; se os dois estiverem fraturados, deve-se seguir aproximadamente a altura dos caninos. A relação de altura/largura, dos incisivos centrais é na ordem de 0,75 a 0,8; valores menores resultariam em dentes excessivamente longos e valores maiores dentes curtos. Na escultura dental devem-se respeitar as particularidades anatômicas do incisivos a ser reconstruído, dentre eles, destaca-se: face vestibular apresentando forma trapezoidal e convexidade em todos os sentidos, sulcos de desenvolvimento evidentes, borda incisal ligeiramente inclinada para o lado distal, ângulo distal mais arredondado quando comparado ao mesial; a face lingual deve conter as cristas marginais e a fossa lingual. Os espaços interdentais e o cíngulo devem ser preservados, e os pontos de contato reconstruídos. Portanto, a fixação dos conhecimentos da morfologia dentária, noções de oclusão, desenvolvimento das habilidades manuais e acuidade visual, adquiridos na disciplina de Escultura Dental, são fundamentais para a reconstrução anatômica de dentes anteriores fraturados.


Palavras-chave: Estética Dentária, Fraturas do Dentes, Escultura dental.

APRESENTAÇÃO - PAINEL



1 Monitor

2Orientador

: anais -> XIIENEX XIIIENID -> ENID -> MONITORIA -> TRABALHOS
TRABALHOS -> 0037. Dmf. Ccs. Mt. 10. R. O. 11 VariaçÕes anatômicas da porçÃo terminal da veia retromandibular em humanos
TRABALHOS -> 0047. Dcos. Ccs. Mt. 10. R. P. 13 Aspectos tomográficos das anquiloses da atm
TRABALHOS -> 0047. Dcos. Ccs. Mt. 10. R. P. 19 Enxerto ósseo de tórus palatino em região anterior de maxila – relato de caso
TRABALHOS -> Monitoria de odontologia em saúde coletiva: relato de experiência
TRABALHOS -> 0037. Dmf. Ccs. Mt. 10. R. P. 10 Uma abordagem histológica sobre o que é LÍngua pilosa
TRABALHOS -> Variações Anatômicas de Origem das Artérias Facial e Lingual
TRABALHOS -> Neurofibroma de nervo laringeo superior
TRABALHOS -> Implantação de um Banco de Dentes Humanos: Importância para as disciplinas pré-clínicas do Departamento de Odontologia Restauradora
TRABALHOS -> Protocolo de escultura dental em resina e amálgama para dentes posteriores
TRABALHOS -> Monitoria da disciplina de dentística clínica II: experiência e prática




©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal