Em conflitos armados


ANEXO 4 – Disposições relevantes das Instruções Gerais para a Inspeção de Saúde de Conscritos nas Forças Armadas



Baixar 1.03 Mb.
Página6/10
Encontro18.09.2019
Tamanho1.03 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10

ANEXO 4 – Disposições relevantes das Instruções Gerais para a Inspeção de Saúde de Conscritos nas Forças Armadas

INSTRUÇÕES GERAIS PARA A INSPEÇÃO DE SAÚDE DE CONSCRITOS NAS FORÇAS ARMADAS

(Aprovadas pelo Decreto nº 60.822, de 7 de junho de 1967, e alterações posteriores)


Capítulo IV
(Redação dada pelo Decreto nº 703, de 1992)

Instruções Técnicas


13. Instruções Técnicas para inspeção de saúde de conscritos, voluntários e candidatos à matrícula em Órgãos de Formação de Oficiais da Reserva.

13.1 - Normas Gerais de Inspeção de Saúde pelas JIS:

13.1.1 - A metodologia de execução da inspeção de saúde dependerá do objetivo da seleção.

13.1.2 - As inspeções de saúde para seleção de triagem, geral e suplementar serão realizadas pelas JIS, de acordo com a seguinte orientação:

a) Inspeção para seleção de triagem: realizada na própria localidade de alistamento. Destina-se a liberar os notoriamente incapazes definitivos (incapaz C), através de exame psicofísico sumário.

Poderá ser feita por médico civil de órgão público ou contratado para esse fim;

b) Inspeção para seleção geral e suplementar: realizada no segundo semestre do ano, que precede o da incorporação ou matrícula (Cap. I, Subitens 3.2 e 3.3). Constará de exame psicofísico o mais completo possível, sendo facultativo a solicitação de exames complementares para elucidação diagnóstica;

c) Inspeção para seleção complementar: consiste em revisão médica realizada pelo serviço de saúde da OM (Cap. I, Subitem 3), durante o período que antecede a incorporação ou a matrícula, que contará com o concurso dos exames complementares possíveis, considerando a prevalência regional e aos indispensáveis, previstos no n° 13.4.16 deste capítulo.

Trata-se de uma revisão médica que não pode alterar o julgamento das JIS, mas tão-somente contra-indicar a incorporação ou matrícula. Naqueles casos em que for detectada causa de incapacidade definitiva (incapaz C), o inspecionado deverá ser encaminhado para nova inspeção de saúde pelas Juntas Regulares de Saúde (JRS) - Marinha, ou Juntas de Inspeção de Saúde de Guarnição (JISG) - Exército, ou Juntas Regulares de Saúde (JRS) - Aeronáutica, conforme a Força Singular, visando à alteração do parecer da JIS;

d) As JIS deverão esforçar-se para definir claramente os diagnósticos. Excepcionalmente, quando houver incapacidade definitiva devida à ocorrência de sintomas, lesões, síndromes e sinais maldefinidos, as JIS esclarecerão, ainda, em seus laudos, a sede, região lado e outros dados julgados necessários para justificar o parecer.

13.2 - Para julgamento da aptidão ou incapacidade dos conscritos, as JIS deverão observar as prescrições contidas nos seguintes anexos desta IGISC:

I - Inspeção de Saúde de Conscritos ou Voluntários para os Órgãos de Formação de Oficiais da Reserva;

II - Relação das Doenças, Lesões e Estados Mórbidos que Motivam a Isenção Definitiva dos Conscritos e Voluntários para o Serviço Militar nas Forças Armadas, inclusive os que se destinam aos Órgãos de Formação de Oficiais da Reserva;

III - Índices Mínimos de Aptidão de Conscritos para o Serviço Militar nas Forças Armadas;

IV - Tabela de Altura, Pesos e Perímetros Torácicos Correspondentes.

13.3 - Deverão ser investigados, principalmente:

a) Quanto aos antecedentes familiares: tuberculose, câncer, alcoolismo e doenças mentais;

b) Quanto aos antecedentes pessoais: condições de nascimento, vida escolar, doenças de infância, doenças venéreas, convulsões, traumatismo e intervenções cirúrgicas.

13.4 - Os exames processar-se-ão de acordo com a ordem seguinte:

13.4.1 - Registro de peso e altura:

a) será observada a "Tabela de Alturas, Pesos e Perímetros Torácicos" (Anexo IV);

b) os perímetros torácicos, máximo e mínimo, serão tomados com a fita métrica envolvendo horizontalmente o tórax na altura dos mamilos, respectivamente, em inspiração e expiração máximas;

c) o perímetro médio é igual à soma desses dois números dividida por dois;

d) grande envergadura é a distancia entre as extremidades dos dedos médios, os braços abertos em cruz.

13.4.2 - Exame do ouvido:

a) o ouvido externo e mastóide devem ser examinados pela inspeção e palpação. O conduto auditivo externo e o tímpano serão examinados por luz refletida ou otoscópio. O cerúmen, se houver, será removido antes do exame;

b) observar anormalidades do conduto auditivo e tímpano, infecções, tumores e deformidades adquiridas ou congênitas do pavilhão auricular;

c) a acuidade auditiva será determinada pelo teste da voz cochichada: o inspecionado, a 5 (cinco) metros do examinador, com o ouvido a ser testado, voltado para o mesmo, cobrindo com a mão o outro ouvido. O examinador diz algumas palavras ou números em voz cochichada. O resultado será expresso de 0 a 5, dependendo da distância, em metros, em que as palavras são distinguidas;

d) excepcionalmente, quando houver indicação e possibilidade técnica, será empregada a audiometria:

e) os resultados do teste da voz cochichada ou da audiometria serão cotejados com índices constantes dos Anexos I, II ou III, conforme o caso.

13.4.3 - Exame dos olhos:

a) o exame do olho consiste na verificação, pela inspeção de alterações, tais como: assimetrias oculares (posição, tamanho, cor, rima palpebral), ptose palpebral, pterígio, estrabismo, sinais de infecção, ulcerações, tumores, cistos, opacificações, degenerações, seqüelas de traumatismos ou queimaduras, defeitos congênitos, nistagmo, ectrópio, entrópio, alterações do lacrimejamento, dos reflexos pupilares, etc., bem como verificação da pressão intra-ocular pelo método palpatório;

b) para a uniformidade de linguagem e facilidade de julgamento, adotar-se-ão as escalas de Snellen ou Decimal na avaliação da acuidade visual para longe e a escala de Jaeguer na avaliação da acuidade visual para perto;

c) o senso cromático será determinado através de pranchas pseudo-isocromáticas. Os resultados serão cotejados com os índices dos Anexos I, II e III.

13.4.4 - Exame do nariz, da laringe e da faringe:

Pesquisar deformidades congênitas, tumores, seqüelas de traumatismos e de agentes químicos, infecções, deficiências funcionais na respiração, fonação e deglutição, fístulas, hipertrofia das amígdalas, etc.

13.4.5 - Exame dos dentes e da boca:

Serão assinaladas, principalmente, deformidade congênitas, deficiências funcionais da mastigação, estado sanitário da boca, cáries, infecções, mal-oclusão, tumores, restaurações, próteses insatisfatórias e falta de dentes.

13.4.6 -Exame da cabeça e pescoço:

Observar anormalidades, deformações, perdas de substâncias, fístulas, atrofias, movimentos anormais, cistos, tumores, cicatrizes, linfonodos hipertrofiados, bócio, etc.

13.4.7 - Exame do aparelho respiratório:

a) o tórax será examinado pelos métodos semiológicos possíveis;

b) a intradermorreação para pesquisa de BK (PPD) é obrigatória na seleção complementar; admitindo-se a realização de exames radiológicos (abreugrafia ou telerradiografia) nos casos duvidosos. Somente serão toleradas alterações radiológicas insignificantes sem repercussão funcional e, decididamente, sem potencial mórbido evolutivo;

c) pesquisar deformidades do tórax, seqüelas de traumatismos, defeitos congênitos e adquiridos. Investigar ainda a presença de dispnéia e outros sinais de insuficiência respiratória, infecções, asma brônquica, etc.

13.4.8 - Exame do aparelho circulatório:

a) constará de ausculta cardíaca, registro do número de pulsações, prova de esforço simples, se necessária e medida da pressão arterial obrigatória em todas as fases da seleção médica;

b) investigar principalmente a existência de cardiopatias congênitas ou adquiridas. Aqui, os sopros cardíacos devem ser cuidadosamente avaliados;

c) serão valorizados, igualmente, distúrbios do ritmo, alterações da área cardíaca, hipotensão arterial com sintomas, hipertensão arterial e doenças vasculares periféricas;

d) no exame deste aparelho a história clínica é muito importante;

e) nas regiões endêmicas de doença de Chagas, será realizado teste sorológico específico conforme disposto na alínea 13.3.16.

13.4.9 - Exame do aparelho disgestivo:

a) pesquisar anormalidades da parede (hérnias, fístulas, tumores, cicatrizes), à inspeção e/ou palpação. Visceromegalias, prolapsos, hemorróidas, fissuras anais, etc., devem ser pesquisadas;

b) a histórica clínica é importante nesta fase, detendo-se sobre os seguintes aspectos: cirurgias, infecções, distúrbios funcionais, hospitalizações, etc.

13.4.10 - Exame do aparelho gênito-urinário:

a) pesquisar anormalidades, defeitos e malformações da genitália externa, tais como anorquidia, hipospádia, fimose, etc.

Pesquisar tumores, infecções, fístulas, doenças sexualmente transmissíveis, criptorquidia, varicocele e outros distúrbios demonstravéis pelo exame de urina quando for o caso ou através de anamnese;

b) as doenças deste aparelho devem ser rigorosamente investigadas, devido sua elevada freqüência na faixa etária considerada.

13.4.11 - Exame da pele e tecido celular subcutâneo:

a) será feito com o paciente em pé, despido, em frente ao examinador, apresentando-lhe-sucessivamente a frente, as costas e os lados do corpo;

b) visará principalmente infecções, ulcerações, tumores, cicatrizes que impeçam o uso do uniforme e do equipamento militar, lesões compatíveis com Hanseníase (Teste à sensibilidade dolorosa com alfinete) nevos vasculares, edemas, micoses, eczemas, tatuagens, etc.

13.4.12 - Exame do aparelho ósteo-músculo-ligamentar:

a) a normalidade deste aparelho é fundamental para o bom desempenho das atividades militares. Por essa razão, o rigor dos peritos nesta fase do exame é imperativo;

b) deve ser pesquisada a plena motilidade das articulações;

c) pesquisar lesões traumáticas, degenerativas ou inflamatórias, deformidades, fraturas antigas, luxações, amputações, edemas, deficiências, alterações da marcha, etc.;

d) os seguintes exames impõem-se pela freqüência de achados patológicos na prática.

13.4.12.1 - Exame dos pés:

a) observar deformidades ou quaisquer alterações na estrutura normal dos pés, tais como falta de dedos, hiperdactilia, sindactilia, anomalias do arco plantar e outras anomalias;

b) não se deve considerar, de início, como patológicos os falsos pés planos dos adultos que andam constantemente descalços cujo aspecto plano deve-se ao desenvolvimento das partes moles. O que interessa é determinar se os pés conservam sua estética e se os elementos músculo-ligamentares-tendinosos estão dinamicamente preservados, conferindo aptidão ao candidato.

13.4.12.2 - Exame do eixo dos membros inferiores:

Desvio em varo, sem comprometer a atitude marcial, não é incapacitante.

13.4.12.3 - Exame dos joelhos:

Pesquisar lesões ligamentares, a presença de pontos dolorosos nos trajetos meniscais, de bloqueios e hidrartrose.

13.4.12.4 - Exame do comprimento dos membros inferiores:

Quando existe diferença no comprimento dos membros inferiores, o lado do membro inferior mais curto mostra o ombro mais baixo que o do lado oposto, báscula da bacia e escoliose.

13.4.12.5 - Exame dos membros superiores:

a) pesquisar deformidades ou quaisquer alterações na estrutura das mãos, devendo o inspecionado fazer flexão e extensão dos dedos segurando um objeto com o polegar e o indicador e depois com toda a mão;

b) pesquisar, ainda, luxação recidivante do ombro, escápula alada, deformidades do cotovelo e alterações da motilidade do ombro, cotovelo e punho.

13.4.12.6 - Exame da coluna vertebral:

a) pesquisar escoliose, cifo-escoliose, cifose, hiperlordose, além de outras deformidades como hemi-vértebra, espondilolise, espondialolistese e outras;

b) lembrar que as escolioses posturais e as fisiológicas, de curvas muito leves, atribuídas a maior utilização de um membro superior não são incapacitantes.

13.4.13 - Exame neurológico:

a) pesquisar marchas anormais, movimentos associados, desvios laterais, presença de movimentos involuntários, etc., observando o inspecionado percorrer certa distância sobre uma linha reta, sucessivamente, com os olhos abertos e fechados;

b) pesquisar inquietude, desvio dos braços, tremores, movimentos involuntários, etc., observando o inspecionado, por um certo tempo, em posição erecta, com os pés juntos, braços estendidos à frente;

c) pesquisar hipoplasias, hipertrofias, fraquezas musculares, etc., diâmetro e reflexos pupilares, estrabismo, nistagmo, ptose palpebral, movimentos dos olhos, da língua e da face;

d) pesquisar a sensibilidade (pinçamento digital, instrumento pontiagudo, etc.) em diversos pontos: testa, face, punho, joelho, tornozelo, etc., bem como, os reflexos osteotendinosos.

13.4.14 - Exame psiquiátrico:

a) durante a anamnese e no transcorrer do exame físico os peritos deverão colher dados que possibilitem julgar do estado mental e do psiquismo dos inspecionados, tais como: rapidez de compreensão, memória, raciocínio, afetividade, vontade, conduta, etc.;

b) pesquisar taquicardia, eretismo cardíaco, sudorese palmar, palidez ou rubor excessivos e outros sinais de emotividade exagerada;

c) distúrbios da fala são incapacitantes, quando incompatíveis com as funções militares;

d) investigar os antecedentes sociais do inspecionado: a organização familiar, o meio de origem, o rendimento escolar e a adaptação e sintomas sugestivos do uso de drogas capazes de causar dependência física ou psíquica os quais, se presentes, deverão ficar registrados na Ficha de Seleção.

13.4.15 - Exame do sistema endócrino:

a) a ectoscopia e anamnese são importantes, investigar deficiências nutricionais e alterações do desenvolvimento físico, bem como os sinais das patologias mais freqüentes que acometem este sistema;

b) particularmente importantes são as manifestações de disendocrinismo, quer frustas ou evidentes.

13.4.16 - Exames complementares:

13.4.16.1 - A solicitação de exames complementares dependerá: da fase de seleção, do tipo de seleção, das indicações clínicas e da disponibilidade locais.

13.4.16.2 - Nas inspeções para seleção de: triagem, geral e suplementares, são facultativos.

13.4.16.3 - Nas inspeções para seleção complementar são obrigatórios os seguintes:

a) intradermorreação para pesquisa de sensibilidade ao BK (PPD), feita em Organização Militar de Saúde ou em órgão de Saúde Pública;

b) os mesmos exames complementares exigidos para o pessoal da ativa e de igual modo quando se tratar de inspeções de conscritos designados para tropas especiais, ou para o desempenho de atividades peculiares, conforme regulamentação de cada Força (Exemplo: paraquedista, mergulhador, atividades aéreas, de selva,etc.);

c) os exames complementares que, em decorrência de indicações clínicas e/ou epidemiológicas, se tornem mandatórios para a formulação do parecer, tais como, por exemplo: exame rotineiro de urina (suspeita de nefropatia); parasitológico de fezes e/ou teste sorológico específico (em zonas endêmicas de esquistossomoses e/ou doenças de Chagas, respectivamente), etc.

13.4.16.4 - Observação: na seleção complementar, sempre que houver possibilidade, seja à custa de recursos próprios ou em decorrência de convênios de interesse mútuo com serviços de hemoterapia, devem ser realizados os exames hematológicos completos: hemograma, testes sorológicos para Lues, doenças de Chagas, Hepatite a Vírus, Sida/Aids, etc.

14. Dos diagnósticos:

14.1 - As doenças, afecções, síndromes, lesões, perturbações mórbidas ou defeitos físicos diagnosticados devem ser registrados com a maior clareza e por extenso, precedidos das rubricas numéricas correspondentes à da classificação internacional de doenças, em vigor.

14.1.1 - No caso de não ser diagnosticada doença ou defeito físico ou quando estes carecem de importância no julgamento em apreço, será apenas lançada em lugar do diagnóstico, a expressão Ausência de Anormalidades ao Exame Clinico .

14.1.2 - Sendo verificado defeito físico ou doença compatível com o Serviço Militar, este deve ser mencionado no respectivo diagnóstico, acompanhado da expressão: compatível com o Serviço Militar.

14.1.3 - No caso de diagnóstico de doença que motiva a incapacidade definitiva para o Serviço Militar, a doença incapacitante deverá constar da "Relação das doenças, lesões e estados mórbidos que motivam a Isenção Definitiva dos Conscritos e Voluntários para o Serviço Militar nas Forças Armadas, inclusive os que se destinam aos Órgãos de Formação de Oficiais da Reserva" (Anexo I). A rubrica numérica correspondente à doença será lançada pelo médico na coluna diagnóstico do Livro de Registro de Atas de Inspeção de Saúde, seguida do diagnóstico por extenso, como por exemplo: 030.0 - Hanseníase virchowiana.

14.1.4 - Nas cópias de ata de inspeção de saúde ou documentos equivalentes, será omitido o diagnóstico por extenso, sendo transcrito apenas a rubrica numérica, salvo quando se tratar de cópias de ata que devam instruir processos ou para fins de justiça e disciplina, quando deverá ser lançado integralmente, sem lançamento da respectiva rubrica numérica, sendo, neste caso, o documento classificado como Confidencial Os diagnósticos por extenso constante das cópias de ata, nunca serão publicadas em Boletim Diário ou interno, ou outros documentos de divulgação.

15.- Dos pareceres:

15.1 - Os pareceres ou conclusões das Juntas serão dados sob uma das seguintes formas:

a) Apto A - quando satisfizerem os requisitos regulamentares, possuindo boas condições de robustez física. Podem apresentar pequenas lesões, defeitos físicos ou doenças, desde que compatíveis com o Serviço Militar;

b) Incapaz B-1 - quando incapazes temporariamente por doenças, lesões ou defeitos físicos recuperáveis a curto prazo. Para efeito do Serviço Militar, este prazo será de 1 (um) ano;

c) Incapaz B-2 - quando incapazes temporariamente por doenças, lesões ou defeitos físicos recuperáveis a longo prazo e/ou que desaconselhem sua incorporação ou matrícula. Para efeito do Serviço Militar, este prazo será superior a 1 (um) ano;

d) Incapaz C - quando incapazes definitivamente (irrecuperáveis) por doenças, lesões ou defeitos físicos considerados incuráveis e incompatíveis com o Serviço Militar.

15.2 - Observação: os pareceres de incapacidade física temporária ou definitiva referem-se única e exclusivamente aos requisitos para a prestação do Serviço Militar, sem implicação quanto à aptidão ou incapacidade para o exercício de atividades civis.

16. - Das observações:

16.1 - Na coluna de observações do Livro de Registro de Atas de Inspeção, registrar-se-ão: 1ª a ou 2ª inspeção, 1ª ou 2ª época, o motivo da inspeção (incorporação ou matrícula) e a ocorrência extraordinária da inspeção ser realizada por um único médico, quando isso acontecer, ("2ª época" correspondente a "Seleção Suplementar").





1   2   3   4   5   6   7   8   9   10


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal