E-commerce entre estudantes de graduaçÃO



Baixar 66.67 Kb.
Encontro04.04.2019
Tamanho66.67 Kb.

UTILIZAÇÃO do e-coMMERCE (Comércio eletrônico) entre estudantes de graduação em Administração de empresas na fasam (faculdade sul-americana) na cidade de goiânia-go
Ilton Belchior Cruvinel 1

Cássia Silva Bernardes2

George Mendes Marra3

Joelmir Feliciano4



Evaldo de Melo Ferreira5


RESUMO
Este trabalho desenvolveu-se com o objetivo de identificar, entre os estudantes do Curso Administração de Empresas da FASAM, o perfil dos consumidores que compram no mercado eletrônico. Saber o perfil deste público será fundamental para definir a melhor estratégia de marketing e, então, oferecer ao cliente o melhor produto com o menor preço. A metodologia utilizada foi pesquisa bibliográfica com embasamento teórico de autores que falam sobre o tema, bem como uma pesquisa de campo, quantitativa que foi aplicada. Assim, a partir de dados reais obtidos com as respostas, foram apresentados fatores que caracterizam o perfil destes e-consumidores. Foram destacados os fatores de decisão capazes de levar as pessoas a finalizarem um processo de compra, o que torna este estudo vantajoso, tanto para empresas quanto para os clientes. Como o ambiente virtual é bastante amplo, o perfil do e-consumidor então se torna o caminho a ser seguido para permitir que se chegue até o cliente. Trata-se de uma nova ferramenta com inúmeras possibilidades e, neste ambiente virtual, a facilidade de acesso é imensurável e rápida. Observa-se que o processo de evolução é contínuo e, por esta razão, requer atualização constante em decorrência do avanço tecnológico. Todavia, a tendência deste cenário é crescer e aperfeiçoar as ferramentas e conceitos já existentes. Como se trata de um ambiente virtual, os clientes se tornam mais exigentes e, de modo geral, ainda se demostram com certo receio, o que contribui para levá-los a desistirem facilmente de finalizar suas compras.
PALAVRAS-CHAVE: e-commerce; identificação de mercado; compras virtuais; mercado; criptografia.

ABSTRACT
This work was developed with the objective of identifying students between the profile of the consumers shopping at the electronic market. Knowing the profile of this audience will be critical to determine the best marketing strategy and then offer the customer the best product at the lowest price. Has, as its foundation, the literature review of authors who talk about the topic as well as a quantitative research has been applied. Thus, from real data obtained from the answers they were presented factors that characterize the profile of these e-consumers. the decision factors that can lead people were deployed to finalize a purchase process, which makes this study advantageous both for companies and for the customers. As the virtual environment is quite broad, the e-consumer profile then becomes the path to follow to allow it to come to the customer. This is a new tool with endless possibilities and in this virtual environment, ease of access is immeasurable and fast. It is observed that the process of evolution is continuous and, therefore, requires constant updating as a result of technological advancement. However, the trend of this scenario is to grow and improve existing tools and concepts. As it is a virtual environment, customers become more demanding and, in general, still demonstrate with certain fear, which helps to get them to give up easily to finish your shopping.
KEYWORDS: e-commerce; market identification; virtual shopping; Marketplace; encryption.
1 INTRODUÇÃO
A Internet pública é uma rede de computadores mundial, isto é, uma rede que interconecta milhões de equipamentos de computação em todo o mundo (KUROSE & ROSS, 2007). Cada vez mais empresas estão adotando modelos de negócio baseados na Web (parte multimídia da Internet) para atingir mercados antes inacessíveis.

Comprar por meio da Internet traz ao usuário conforto e também maior segurança, não sendo necessário correr os riscos, por exemplo, que o comércio de rua pode trazer aos clientes. Com o crescimento dessa modalidade de compra, os comerciantes são obrigados a mudar alguns conceitos relativos à venda. Em geral, uma dualidade é apresentada. Uma vez que é um ambiente de negócio fértil, esse é carente de um corpo técnico maduro. Uma das questões subjacentes é se é plausível supor a aplicabilidade dos métodos de estratégia de marketing tradicionais neste novo paradigma de mercado (OLIVEIRA & TOALDO, 2015).

A lista dos serviços on-line está ficando maior e quase toda atividade na vida real tem agora sua contraparte virtual na internet, simplesmente adicionando o prefixo (e) para obter um equivalente on-line estabelecida, como e-commerce, e-book, e-bank, e-library, e-ticket, e-learning e e-shopping (MOUSTAFA et al., 2016).

O e-commerce é em sua essência um tipo de sistema de informação que conecta computadores, pessoas e grandes empresas. Os compradores conduzem suas transações on-line interagindo no meio virtual (LU et al., 2016). Uma plataforma on-line reúne compradores e vendedores, oferecendo serviços para que os dois lados do mercado transacionem para então ganhar com o comércio (TADELIS, 2016). Confiança e percepção de risco ainda são os dois principais fatores que envolvem as transações on-line, onde fornecedores possuem a responsabilidade pela segurança do ambiente de operação (KIM & KOO, 2016).

Algumas das características do mercado virtual é que quando os clientes têm a oportunidade de acessar a vasta quantidade de produtos existentes na internet, a escolha fica mais difícil, porém existe maior possibilidade de pedir conselhos sobre o produto ou mesmo sobre o fornecedor do que se pretende comprar (HUSEYNOV et al., 2016). O público que mais acessa o mercado virtual são os jovens.

O presente trabalho tem como objetivo principal verificar o comportamento de alunos de graduação do curso de Administração de Empresas da FASAM sobre comércio eletrônico.



2 MATERIAL E MÉTODOS

Foi utilizado um questionário com 13 perguntas diretas, a fim de alcançar o objetivo específico deste trabalho, que é identificar o perfil do consumidor de e-commerce (compras pela internet) entre os acadêmicos de Administração de Empresas da Faculdade Sul-Americana-FASAM.

Utilizou-se, como ferramenta de apoio para a elaboração do questionário, o programa Google Docs. Esse programa permite a criação de diversos tipos de questionários de forma rápida e objetiva; e a aplicação destes, se dá através de e-mails que são enviados para o endereço eletrônico de cada um dos entrevistados, no caso os alunos do curso de administração da FASAM. Foram utilizados todos os e-mails dos alunos de Administração dos períodos matutino e noturno cadastrados na secretaria da instituição.

A priori foi utilizado o Censo da FASAM, que consiste no total de 277 alunos matriculados em todos os períodos do curso de Administração. Porém dos 277 e-mails disponibilizados pela Instituição Superior de ensino pesquisada, 85 e-mails estavam inativos, e destes, 105 usuários responderam o questionário enviado por e-mail. Logo, os outros 87 estudantes não devolveram o questionário respondido ou não quiseram participar da pesquisa.

Diante de um N populacional de 277 alunos, obtivemos uma amostra n de tamanho 85 correspondendo a 37,90% da população em estudo. O que é bastante satisfatório para realizar a pesquisa. A aplicação do questionário ocorreu entre os dias 09 de setembro de 2015 a 16 de outubro de 2015.

Na análise dos resultados, foi utilizada a estatística descritiva por meio de construção de gráficos, utilizando as respectivas distribuições de frequência de cada uma das perguntas no questionário. Esses gráficos foram construídos utilizando o programa de planilha eletrônica Microsoft Excel 2011, cujos dados são apresentados em porcentagem, para melhor leitura e entendimento do tema.



3 RESULTADO E DISCUSSÃO

Com base nos conceitos e teorias discutidas e nos levantamentos realizados com a pesquisa, propõe-se uma caracterização do alunado da instituição pesquisada. Com 105 questionários válidos obteve-se uma demonstração do aspecto sócio demográfico. São apresentados os dados relacionados ao gênero, formação e faixa etária, estado civil, período, remuneração, com relação ao acesso à Internet e quantidade, forma e local, qual produto/serviço adquirido, decisão e satisfação de compra, dentro da amostra da pesquisa, a qual foi realizada entre os alunos do curso de Administração de Empresas.


GRÁFICO 1. Percentual com o gênero dos entrevistados.



FONTE: Autores (2015).


Os resultados no gráfico 1 representa o sexo dos alunos entrevistados; percebe-se, entre eles, que a participação maior é com 55 alunos do sexo feminino, totalizando 53%. Igualmente observa-se que, entre os demais alunos entrevistados - menos de 48 alunos – são do sexo masculino; quantidade esta que representa 47% do total dos entrevistados.

GRÁFICO 2. Maior percentual de solteiros(as) entre os entrevistados



FONTE: Autores (2015).


O gráfico 2 representa o estado civil dos alunos. A maioria deles - 64% do total - afirma estar solteiro(a). Outros 32% dos participantes são casados, e 4% dos entrevistados estão separados/divorciados.

GRÁFICO 3. Fase do curso em que estão matriculados



FONTE: Autores (2015).


Nota-se, no terceiro gráfico, o período no qual atualmente o aluno entrevistado está cursando; destes, a maior participação, 25% dos alunos, estão no oitavo período e, em relação aos demais períodos, houve a participação de 12%, respectivamente representado pelo terceiro quarto e sétimo períodos, enquanto que os demais, e em menor quantidade, podem ser distribuídos nos demais períodos. Assim, estratificado por período, o perfil pesquisado com o seu quantitativo entre os períodos e gerando informações totalmente relevantes nesta pesquisa.
GRÁFICO 4. Idade média dos entrevistados

FONTE: Autores (2015).

De acordo com o gráfico 4, 31% dos alunos representam a faixa etária de 21 – 25 anos. Outra parcela, 27%, com idade de 26 – 30 anos e com idade de 16 – 20 anos são 17%. Os outros restantes somam 25% do total.

Ao analisar os aspectos intrínsecos ao e-commerce, é importante observar o comportamento do consumidor que compra através do mercado eletrônico. Aliás, foram relacionados abaixo alguns fatores resultantes da pesquisa com os alunos do Curso de Administração. Assim, a intenção é apresentar graficamente o que eles buscam como é o consumo ou quais produtos são mais procurados para compra, bem como fatores de influência na decisão de uma compra e nível de satisfação do cliente.

Em estudo feito por duas empresas consultoras de mercado, no ano de 2014 com jovens na idade entre 18 de 24 anos, gastavam boa parte de sua renda em compras on-line, sendo que produtos eletrônicos são o maior gasto em comparação com outras gerações. Correspondendo a cerca de US$2mil todos os meses (E-COMMERCE, 2014).
GRÁFICO 5. Ocupação dos entrevistados

FONTE: Autores (2015)

No gráfico acima, pode-se observar que entre os alunos entrevistados a maioria, representada por 85%, possui renda. A outra parcela, composta por 15% dos entrevistados, respondeu que não possui renda.
GRÁFICO 6. Frequência de acesso à Internet

FONTE: Autores (2015).

Neste sexto gráfico apresentado, nota-se que 92% dos alunos entrevistados responderam que acessam a Internet todos os dias. Apenas 7% das respostas assinalam que os alunos entrevistados acessam a Internet de 2 a 4 vezes por semana. A minoria representada por 1% deles acessa apenas uma vez por semana. Para as outras opções que lhes foram apresentadas, nenhuma foi selecionada, ou seja, em média serão seis acessos para cada. Verifica-se que, em relação à quantidade de acessos à internet, que os alunos entrevistados estão sempre atualizados, tendo em vista que ao efetuar compras nas lojas virtuais este consumo ocorrerá de forma imediata. O gráfico 6 demonstra que o usuário do e-commerce demanda muito tempo de pesquisa antes de efetuar a compra.
GRÁFICO 7. Forma de acesso à rede mundial de dados

FONTE: Autores (2015).

O sétimo gráfico, pode-se afirmar que o dispositivo celular (smartphone) é o campeão de acesso a internet; observa-se que essa preferência se deve à facilidade no manuseio, a comodidade para transportá-lo e o baixo custo para a aquisição do dispositivo são fatores que contribuem para esta escolha. Além disso é possível utilizar a rede sem fio da operadora de celular ou uma rede sem fio local (WiFi).

GRÁFICO 8. Local de acesso à Internet



FONTE: Autores (2015).


Conforme demostra o gráfico acima, com 55% das respostas o local mais utilizado para acessar a internet é em casa, ou seja, mesmo que os alunos tenham fácil acesso, por exemplo, no trabalho ou estágio, ainda sim a preferência da maioria é acessar a Internet na comodidade de suas residências. Essa tendência de acesso teria como princípio a maior velocidade de acesso à Internet na residência do aluno do que em outros lugares públicos. Outro fator seria a falta de confiança em redes sem fio públicas.

GRÁFICO 9. Percentual de compras pela internet



FONTE: Autores (2015).


De acordo com nono gráfico, as respostas obtidas pelos entrevistados à pergunta que lhes foi feita, a maioria – 82% - afirmou ter feito alguma compra por meio da internet. Apenas 18% dos alunos entrevistados responderam que não, que nunca fizeram nenhuma compras pela Internet.

GRÁFICO 10. Fatores intervenientes no momento da compra



FONTE: Autores (2015).

Observa-se, no gráfico 10, que a maioria dos entrevistados foi movida pela melhor oferta. Compraram pela Internet devido ao melhor preço, totalizando 27%. Outro fator que os levou ao consumo foi o fator promoção. Neste quesito, 20% fazem parte. Os outros 14%, por causa da comodidade, enquanto que 12% por causa do frete grátis.

A maior parte das compras feitas pela Internet é decorrente do valor cobrado pelos produtos que são vendidos pelas lojas virtuais. Outro fator de decisão que leva o cliente a consumir através do mercado eletrônico é a promoção feita pelo marketing digital; acredita-se que, devido ao fácil acesso a estas informações, o consumidor pode escolher o produto de sua preferência na comodidade de sua casa e receber os mesmos sem custo adicional, tornando vantajoso para o cliente final, ou seja, neste processo de decisão, o preço, a promoção, a comodidade e o frete grátis são os mais citados pelos alunos entrevistados e, de acordo com a representação gráfica anterior, a procura pelo menor preço é o atrativo maior. A pesquisa de preços pode ser auxiliada por programas que comparam um produto em vários sites como por exemplo o www.buscape.com.br, facilitando a decisão de compra.

GRÁFICO 11. Principais tipos de produtos adquiridos pela Internet

FONTE: Autores (2015).


Percebe-se que das compras feitas pela Internet, 26% compraram eletrônicos, 25% roupas ou acessórios, 20% compraram livros, 16% compraram eletrodomésticos, 5% responderam que compraram outros produtos, também 5% compraram perfumes e 3% compraram CDs/DVDs.

FIGURA 12. Satisfação com a compra feita.



FONTE: Autores (2015).


Este gráfico representa o grau de satisfação dos alunos entrevistados. Após efetuarem suas compras pela Internet, demonstraram estar satisfeitos com a compra 73% e, muito satisfeitos 25%. Apenas 2% sinalizaram estar insatisfeitos após a compra.

Em relação aos resultados relacionados ao e-commerce, ressalta-se que a grande maioria dos alunos entrevistados possui trabalho remunerado e, desta maioria, destaca-se a preferência pelo acesso via celular (smartphone) diariamente.

O formulário com as perguntas da pesquisa de identificação do perfil foi aplicado, como já dito anteriormente, aos alunos do Curso de Administração de Empresas nos turnos matutino e noturno da FASAM. Entre eles, observou-se que mais de 80% efetuam compras pela internet. Isso significa que não foi difícil traçar o perfil destes consumidores.

Ao verificar as respostas dadas pelos entrevistados, em referência ao consumo dos mesmos, através do mercado eletrônico, obteve-se que a grande parte deles já efetuou compras em lojas virtuais. O fator determinante que os influenciou na compra foi o preço dos produtos, as promoções, a comodidade e o frete grátis. Outro quesito diz respeito aos itens mais comprados: os eletrônicos; e, após as compras, os consumidores do comércio eletrônico demonstraram estar bastante satisfeitos com as compras.

A mudança que ocorre no mundo e, principalmente, em relação ao mercado eletrônico, faz com que os administradores de lojas virtuais se atualizem rapidamente e, se possível, na mesma velocidade com que a tecnologia evolui. Portanto, essa necessidade faz com que os mesmos se preocupem com a imensa quantidade de informações que a internet produz diariamente. Surge, então, a difícil tarefa de conseguir atingir o seu público alvo com eficácia.

Diante dessa evolução, pode-se constatar que estamos conectados de várias maneiras por meio da Internet. É extremamente importante observar essa revolução e, ao mesmo tempo, analisá-la pelo fato de ser fascinante e encantadora. Isso em decorrência do fácil acesso quanto ao contato com o cliente, que é visivelmente instantâneo. Assim, a velocidade extraordinária que a Internet imprime a esse processo nos permite conquistar facilmente novos usuários, sobretudo entre os jovens. Afinal, com a tecnologia é possível que cliente e empresa estabeleça comunicação rapidamente, em qualquer hora e lugar.

Para o mercado, essa transformação digital traz um novo cenário de compra e venda de produto jamais imaginável. Surge então o comércio eletrônico que, através de sites, que podemos chamar também de lojas virtuais, quaisquer pessoas possam acessar, por meio de dispositivos como notebooks, tablets, smartphones, 24h por dia, e comprar produtos de qualquer loja virtual do mundo.

O comércio eletrônico é mediado por muitas informações, como propaganda, publicidade de lojas virtuais de todos os segmentos existentes; tudo isso aliado à rapidez com que o mercado eletrônico evolui permite surgir o excesso de informações, o que pode contribuir para tornar confuso para o e-consumidor. Então, identificar o perfil do consumidor é algo importantíssimo para as empresas que queiram alcançar seu público alvo com facilidade.

Diante disso, a preocupação em encontrar o cliente certo para cada produto específico, torna-se imprescindível traçar o perfil deste consumidor que foi objetivado nesta pesquisa. Durante a pesquisa, foi possível identificar que 92% dos entrevistados acessam a Internet todos os dias; destes, a maioria já fez compras pela internet. Nesse contexto, a probabilidade de estes continuarem comprando através do comércio eletrônico é considerada altíssima.

Após análise da presente pesquisa, verificou-se que a maioria dos entrevistados se compõe de mulheres com o estado civil de solteiras, e que cursam atualmente o oitavo período. Ademais, sabe-se que quanto maior o grau de escolaridade maior também será a busca de informações, a pesquisa pelo menor preço e melhor produto. Dados de pesquisa do IBGE (2014) ressaltam que as mulheres estão estudando mais que os homens e retardando para engravidar; assim, estão em busca de melhores empregos e, em alguns casos citados na pesquisa, conseguem ter maiores salários e serem financeiramente independentes.

Os entrevistados em sua maioria são jovens e estão na faixa etária em média de 26 anos. Possuem uma renda relativamente baixa, de pouco mais de um salário mínimo. Estes e-consumidores são atraídos pela facilidade que representa a Internet e o fator de maior influência para realizar uma compra pela rede é o preço. As buscas pelos menores preços e as pesquisas destes produtos são feitas diariamente, fator este observado após análise dos dados, devido à maioria de os entrevistados terem respondido que acessam diariamente a internet.

Se estes alunos estão sempre conectados, será vantajoso para as lojas virtuais lançar diariamente na Internet suas campanhas de promoções ou lançamento de algum novo produto. Certamente, ao longo do dia este será visualizado por seu público alvo; então, a importância de saber a quantidade de vezes que o e-consumidor acessa a rede é exatamente para saber o momento certo que este cliente estará on-line para que as campanhas cheguem até a sua finalidade: o cliente.

Como a concorrência é alta neste tipo de mercado e o consumo está crescendo, as empresas deverão ter o cuidado em atender com prontidão e saber fidelizar os clientes com bons preços e produtos de qualidade, de modo a oferecer a maior comodidade de navegação em suas lojas virtuais. Os e-consumidores entrevistados afirmam que preferem acessar as lojas virtuais de suas casas e o dispositivo de sua preferência são seus celulares smartphones. Observa-se, assim, que estes e-consumidores buscam estar em um ambiente que oferece acesso à Internet rápido e com conforto. Pesquisando sites podemos observar que a maioria das lojas virtuais está adaptando os seus endereços eletrônicos para aplicativos específicos para dispositivos móveis, atendendo, portanto, a preferência dos e-consumidores pela utilização destes dispositivos, devido à facilidade de manuseio e até mesmo pelo baixo custo.

De acordo com os dados obtidos nesta pesquisa, percebe-se que o consumidor, em especial os jovens buscam comprar produtos via e-commerce. Nesse sentido, é necessário observar os sistemas de segurança que os sites de e-commerce oferecem, como por exemplo, se eles oferecem criptografia em transações eletrônicas.

Por que precisamos de segurança nas transações eletrônicas via e-commerce?

O objetivo de qualquer solução de segurança é impedir que alguém roube, corrompa ou manipule informações importantes. De uma forma geral, as preocupações de segurança de uma empresa são duas: confidencialidade e integridade. Em outras palavras, um sistema de segurança serve para evitar que um atacante roube os dados veiculados em rede e que ele use a própria rede para comprometer a reputação da empresa (ELSENPETER & VELTE, 2002).

A criptografia moderna é um conhecimento científico, sistemático, coerente e formulado matematicamente. Teria permanecido um assunto envolvendo poucos se a história desse início de século XXI não fosse marcada pela Sociedade da Informação, pelas Redes Digitais, pela Internet. Os algoritmos criptográficos modernos são baseados em técnicas matemáticas como fatoração de números inteiros, logaritmos discretos etc. Técnicas que associadas ao poder de computação atual podem realizar sistemas com níveis de segurança excepcionais.

Não é preciso ser um matemático para usar um criptossistema, ou para usar um software que faça criptografia. Os cientistas e os desenvolvedores de software já fizeram tal trabalho para o cidadão comum, e para aquele que não é técnico.

Segundo nosso dicionário Aurélio temos criptografia quando escrevemos em cifra ou em código. O intento é tão somente tornar incompreensível um texto que inicialmente nos é claro ou legível, para tanto, constrói regras especiais que também permitem reverter o processo. Em geral, tais regras são chamadas de algoritmos de criptografia. Um algoritmo é um conjunto bem definido de regras que se destinam à solução de um problema qualquer e que, para isso, utilizam um conjunto finito de etapas.

É preciso reverter o processo senão poderíamos perder dados, ou ainda, não poderíamos dar nossos dados a outra pessoa, e ela pudesse então processá-los. Assim temos que ter uma chave que permita desvendar o texto criptografado (codificado ou cifrado). De maneira que nossa mensagem possa ser criptografada e descriptografada, codificada e decodificada. Tecnicamente uma chave criptográfica é um valor matemático que tem o poder de determinar como um texto que é originalmente legível seja criptografado. Desta forma, ela será requisitada para o trabalho de decifrar o texto, devolvendo-o a sua forma original. Toda chave possui um tamanho que é expresso em bits. Quanto maior o tamanho de bits de uma chave maior a dificuldade em quebrar por criptoanálise o texto criptografado. Por exemplo: uma chave de 2048 bits frente a uma chave de 56 bits. A primeira chave seria considerada computacionalmente segura: ela exige um enorme esforço ou poder de computação associado ao tempo gasto para se quebrar uma cifragem feita com tal chave. A criptoanálise é um conjunto de métodos e procedimentos para decifrar uma mensagem sem o conhecimento da chave (MARTINI, 2001).

Quando a Web repentinamente chegou ao público, ela foi usada no início apenas para distribuir páginas estáticas. Porém, em pouco tempo, algumas empresas tiveram a ideia de usá-la para transações financeiras, como compras de mercadorias por cartão de crédito, transações bancárias on-line e mercado de capitais eletrônico. Essas aplicações criaram uma demanda por conexões seguras. Em 1995, a Netscape Communications Corporation., que então dominava o mercado de fabricantes de navegadores Web, respondeu introduzindo um pacote de segurança chamado SSL (Secure Socket Layer). Esse software e seu protocolo são amplamente utilizados pelos principais navegadores Web (Ms-Internet Explorer, Mozilla Firefox, Google Chrome, Opera, Apple Safari). Depois que a conexão é estabelecida, a principal tarefa da SSL é manipular a compactação e a criptografia. Quando o HTTP (Hyper Text Transfer Protocol – Protocolo de Transferência de Hiper Texto) é usado sobre a SSL, ele se denomina HTTPS (Secure HTTPS) (TANENBAUM, 2003)

Por fim, espera-se ter atendido aos preceitos constantes do objetivo primordial deste trabalho; foi possível identificar o perfil dos alunos e-consumidores do Curso de Administração, os quais se mostraram bastante exigentes e disseram estar satisfeitos em relação aos produtos já consumidos no comércio eletrônico.



4 CONCLUSÕES
O e-commerce, desta feita, mostra-nos ser uma tendência entre os jovens que crescem junto com a tecnologia. Como este cenário muda rapidamente, o acesso aos novos produtos por meio do mercado eletrônico é praticamente imediato; todavia, esta facilidade faz com que os clientes consigam adquirir seus produtos quase na mesma velocidade e poderão ser adquiridos de qualquer parte do mundo. Então o mercado eletrônico se torna vantajoso tanto para os clientes quanto para as empresas; o segredo está em saber utilizar a internet como forma de competitividade para atrair novos clientes; nesse viés e com a certeza de que em um futuro próximo, devido ao crescimento rápido, a internet poderá concentrar a maioria das lojas de grande ou pequeno porte, sabe-se que muitas lojas físicas existentes hoje tendem a se extinguir.

A Internet se tornou um grande negócio, o e-commerce, o comércio eletrônico é hoje uma realidade concreta que não podemos desconsiderar.


REFERÊNCIAS
E-COMMERCE BRASIL – EXCELÊNCIA EM E-COMMERCE. Jovens são um dos grandes impulsionadores do e-commerce. Disponível em: . Acesso em: 01 mar. 2016.
ELSENPETER, R.; VELTE, T. Iniciando em eBusiness. Tradução Marcelo Alves Mendes, São Paulo: MAKRON Books, 2002

HUSEYNOV, F.; HUSEYNOV, S. Y.; ÖZKAN, S. The influence of knowledge-based e-commerce product recommender agents on online consumer decision-making. Information Development, USA, v. 32, p. 81-90, 2016. Disponível em: http://idv.sagepub.com/content/early/2014/04/09/0266666914528929.


IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Indicadores Conjunturais - 2014. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/pesquisas/anos_anteriores_2014.shtm . Acesso em: 15 nov. 2015.
KIM, G & KOO, H. The causal relationship between risk and trust in the online marketplace: A bidirectional perspective. Computer in Human Behaviour, USA, v. 155, p. 1020-1029, 2016. Disponível em: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S074756321530220X.
KUROSE, J. & ROSS, K. Redes de Computadores e a Internet – Uma abordagem top-down. Tradução Arlete Simile Marques – 3 ed. São Paulo: Pearson Addison Wesley, 2006

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2010.


LU, B.; FAN, W.; ZHOU, M. Social presence, trust, and social commerce purchase intention: An empirical research. Computers in Human Behaviour, USA, v. 56, p. 225-237, 2016. Disponível em: http://aisel.aisnet.org/cgi/viewcontent.cgi?article=1285&context=pacis2014.
MARTINI, Renato. Criptografia e cidadania digital. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna Ltda., 2001
MOUSTAFA, K. Internet and Advertisement. Science and Engineering Ethics, USA, v. 22, p. 293-296, 2016. Disponível em: http://link.springer.com/article/10.1007%2Fs11948-015-9647-z.
OLIVEIRA, M. G & TOALDO, A. M. M. NEW TIMES, NEW STRATEGIES: PROPOSAL FOR AN ADDITIONAL DIMENSION TO THE 4 P'S FOR E-COMMERCE DOT-COM. JISTEM - Journal of Information Systems and Technology Management, São Paulo, v. 12, n. 1, p. 107-124, Apr. 2015. Disponível em: http://www.jistem.fea.usp.br/index.php/jistem/article/view/10.4301%252FS1807-17752015000100006.
PINTO, Sandro C. M; ARANHA, Alexandre F.; SANTOS, Carlos César R. Metodologia científica: artigo e relatório técnico e científico. São Paulo: All Print Editora, 2014.
TADELIS, S. The Economics of Reputation and Feedback Systems in E-Commerce Marketplaces. IEEE Internet Computing, USA, v. 20, p. 12-19, Jan.-Feb. 2016. Disponível em: http://www.computer.org/csdl/mags/ic/preprint/07325207.pdf.
TANENBAUM, Andrew S. Redes de Computadores; tradução Vandenberg D. De Souza. – Rio de Janeiro: Elsevier, 2003


1Mestre em Ciências Ambientais e Saúde, Especialista em Marketing Empresarial e Planejamento Estratégico, Faculdade FASAM, Goiânia, Goiás Brasil. E-mail: iltoncruvinel@hotmail.com

2 Graduada em Administração, Goiânia, Goiás Brasil

3 Especialista em Redes de Computadores, PUC-GO, Goiânia-GO, Brasil. E-mail: george.mendes@gmail.com

4 Mestre em Estatística, IME-UFG e FASAM, Goiânia, Goiás, Brasil

5 Mestre em Agronomia, Especialista em Planejamento e Gestão Ambiental, Especialista em Tratamento e Disposição Final de Resíduos Sólidos e Efluentes Líquidos, Doutorando em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasil.

: files -> journals
journals -> Medidas de dureza vickers na superfície de blocos de resina fenólica com canais endodônticos simulados
journals -> Relação entre ritmo acentual e escrita nas sessões de chat Resumo
journals -> Título do artigo (Arial 26)
journals -> Inativação dos fatores antinutricionais que compõem o grão de soja e perdas no processo de extrusão Resumo
journals -> Obtenção de hidrolisados de concentrado proteico de soro de leite com atividade inibitória da enzima conversora de angiotensina: Ação das proteases do Bacillus licheniformis e do Aspergillus oryzae
journals -> Modelo de Formação dos Artigos para o tic'2005
journals -> O desenvolvimento motor e benefícios das crianças de 06 Á 08 anos que praticam karate
journals -> ObtençÃo de hidrolisados protéicos de feijão com baixo teor de fenilalanina
journals -> Considerações sobre as regras fundamentais da sucessão legítima
journals -> Modelo para elaboraçÃo e formataçÃo de artigos científicos




©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal