Do curso de medicina


DIMENSÃO: CORPO DOCENTE – CONDIÇÕES DE TRABALHO



Baixar 3.81 Mb.
Página14/114
Encontro24.10.2017
Tamanho3.81 Mb.
1   ...   10   11   12   13   14   15   16   17   ...   114

7. DIMENSÃO: CORPO DOCENTE – CONDIÇÕES DE TRABALHO




7.1 Número de Vagas por Docente Equivalente a Tempo Integral no Curso


O ingresso dos servidores efetivos no curso se deu por meio de concurso público, conforme a Lei 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Espera-se que o curso permita ao corpo docente dedicação para o desenvolvimento curricular e obtenção do perfil desejado do egresso. Os docentes devem conhecer o projeto do curso, participar de atividades de preceptoria dos alunos, participar em atividades para o desenvolvimento curricular e o curso buscará alocar carga horária aos docentes que permita a participação em atividades de planejamento curricular e educação permanente. O Regime Jurídico da União para os servidores públicos federais possui critérios de progressão de docentes e a UNIFAP dispõe de um sistema de avaliação permanente dos mesmos.



7.2 Pesquisa e Produção Científica


O projeto do curso prevê o desenvolvimento de pesquisa, com participação de docentes e de alunos (iniciação científica), assume interesse especial a possibilidade de produção de conhecimento na interface universidade/comunidade, priorizando as metodologias participativas e favorecendo o diálogo entre as categorias utilizadas por pesquisados e pesquisadores, visando à criação e recriação de conhecimentos possibilitadores de transformações sociais, em que a questão central será identificar o que deve ser pesquisado e para quais fins e interesses se buscam novos conhecimentos.

A Extensão Universitária é o processo educativo, cultural e científico que articula o Ensino e a Pesquisa de forma indissociável e viabiliza a relação transformadora entre Universidade e Sociedade. A Extensão é uma via de mão-dupla, com trânsito assegurado à comunidade acadêmica, que encontrará, na sociedade, a oportunidade de elaboração da práxis de um conhecimento acadêmico. No retorno à Universidade, docentes e discentes trarão um aprendizado que, submetido à reflexão teórica, será acrescido àquele conhecimento.

Esse fluxo, que estabelece a troca de saberes sistematizados, acadêmico e popular, terá como consequências a produção do conhecimento resultante do confronto com a realidade brasileira e regional, a democratização do conhecimento acadêmico e a participação efetiva da comunidade na atuação da Universidade. Além de instrumentalizadora deste processo dialético de teoria/prática, a Extensão é um trabalho interdisciplinar que favorece a visão integrada do social.

A Extensão na UNIFAP coloca-se como prática acadêmica que objetiva interligar a Universidade, em suas atividades de Ensino e Pesquisa, com as demandas da sociedade, reafirmando o compromisso social da Universidade como forma de inserção nas ações de promoção e garantia dos valores democráticos, de igualdade e desenvolvimento socioeconômico. A Extensão deve contribuir para o desenvolvimento de um processo pedagógico participativo, possibilitando um envolvimento social com a prática do conhecimento e, na sua interface com a pesquisa, deve responder cientificamente às demandas suscitadas pela comunidade.

A Extensão compreende iniciativas de educação continuada, prestação de serviços e Ação Comunitária como princípios inerentes aos processos de Ensino e de Pesquisa, promovendo a parceria entre Universidade, Comunidade e outras instituições congêneres. A Extensão reconhece na sociedade uma fonte de conhecimento significativo, naturalmente qualificado para o diálogo com o conhecimento científico. As políticas de Extensão fundamentar-se-ão numa concepção de universidade compreendida pela indissociabilidade entre o Ensino, a Pesquisa e a Extensão.

A Extensão favorece o exercício da cidadania e a participação crítica, fortalecendo políticas que assegurem os direitos humanos, bem como a construção de processos democráticos geradores de equidade social e equilíbrio ecológico.

A Extensão promove ainda o desenvolvimento integral da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho, apontando para práticas coletivas que sejam integrais na sua relação pessoal, mobilizadoras nas suas opções ética e cidadã e comprometidas com suas ações políticas e sociais.

Com relação à Pesquisa, assume interesse especial a possibilidade de produção de conhecimento na interface universidade/comunidade, priorizando as metodologias participativas e favorecendo o diálogo entre as categorias utilizadas por pesquisados e pesquisadores, visando à criação e recriação de conhecimentos possibilitadores de transformações sociais, em que a questão central será identificar o que deve ser pesquisado e para quais fins e interesses se buscam novos conhecimentos.

Os Objetos da Extensão incluem:

- Programas Institucionais: núcleos de planejamento, execução, assessoria, consultoria e viabilização de projetos ligados ao Ensino e à Pesquisa que funcionam vinculados à Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários, e subordinado ao colegiado do Curso e PROGRAD.

- Projetos: atividades oferecidas por meio de palestras, cursos e atividades afins que têm tempo limitado e que objetivam promover conhecimentos específicos; podem ou não estar ligados aos programas institucionais já existentes na UNIFAP.

- Eventos: planejar, assessorar e/ou viabilizar atividades solicitadas à comunidade interna e externa quando da realização de congressos, simpósios, seminários, cursos, workshops, debates, encontros, fóruns, semanas acadêmicas, aulas especiais, visitas, jornadas, feiras e outras atividades afins. É o caso de “Semanas Internas da Medicina”, “Ciclo de Atualização sobre Diabetes e Hipertensão”, “Semana de Estudos sobre Doenças Tropicais e Parasitárias”, “Workshop sobre Avanços Tecnológicos na Medicina”, “Avaliação de Saúde Geral de Comunidades Indígenas e Quilombolas do Estado do Amapá”;

- Apoio ao estudante: orientar o acadêmico, auxiliando-o na resolução de questões relativas a mercado de trabalho, estágios, moradia, transporte e em questões de ordem pessoal e psicológica, caso seja necessário. Poderão ser programados Ciclos de Debates sobre “Perspectivas de trabalho para o médico no Estado do Amapá”, “Ética e Profissionalismo na Medicina” etc.

- Prestação de serviços: deve ser produto de interesse acadêmico, científico, filosófico, tecnológico e artístico, de Ensino, Pesquisa e Extensão e deve ser encarada como um trabalho social, ou seja, ação deliberada que se constitui a partir da realidade e sobre a realidade objetiva, produzindo conhecimentos que visem à transformação social. São exemplos: “Semana de avaliação de Pressão Arterial e Glicemia Capilar em comunidades”, “Avaliação nutricional de adultos e crianças de uma comunidade”, “UNIFAP na comunidade”, “Semana de Prevenção do Câncer de Útero”, “Saúde na Terceira Idade” etc;

- Cursos: São ações planejadas e organizadas para difusão de conhecimento, que atendam às expectativas e às demandas da comunidade, executadas em espaços temporais de curto e médio prazos. São exemplos “Cursos de atualização em Antibióticos”, “Como tratar a Crise Hipertensiva”, “Diabetes: como prevenir e conviver com a doença”, “A Utilização Popular de Plantas Medicinais”, “Medicina Complementar: importância e eficácia”, “Orientação sobre Prevenção de Doenças Sexualmente Transmissíveis e AIDS para adolescentes e adultos de escolas de ensino médio”;

- Projetos Subsidiados: São projetos subsidiados aqueles de cooperação mútua ou não, financiados com recursos oriundos de convênios e ou parcerias institucionais, através dos poderes públicos municipais, estaduais e /ou federal; recursos oriundos de convênios e ou parcerias institucionais com a iniciativa privada; recursos oriundos de convênios e/ou Parcerias Institucionais com Organizações não governamentais (ONGs) e de Organizações Sociais Civis (OSCs). É o caso de aderência a projetos do Ministério da Saúde em área temáticas diversas;

- Certificação: Caberá à Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários – PROEAC -UNIFAP a avaliação para a emissão de certificados para as atividades de Extensão previstas.

As atividades de extensão estão sendo desenvolvidas desde o segundo período do curso, ampliando a abordagem no campo educacional e assistencialista, envolvendo não somente a comunidade de Macapá, mas de todo o estado do Amapá, incluindo as populações indígenas. As atividades são discutidas e construídas entre os docentes e alunos, levando em consideração, também, as necessidades ou interesses de uma comunidade específica. Sendo que os projetos de extensão serão avaliados pela Comissão Permanente de Pesquisa

Projetos de Pesquisas
Como parte desse processo o curso vem desenvolvendo Projetos de Pesquisa e Extensão desde o ano de 2010, coordenados por professores do Curso, juntamente com professores colaboradores de outros cursos. De 2010 a 2012, 06 (seis) projetos já foram concluídos. Em 2013 04 projetos estão em execução.
Atividades Complementares
As Atividades Complementares do Curso de Medicina da Universidade Federal do Amapá - UNIFAP, previstas na Resolução nº 024/2008 – CONSU/UNIPAF, são mecanismos de aproveitamento de conhecimentos adquiridos pelo estudante, através de estudos e práticas independentes. Tais atividades podem ser presenciais e/ou à distância, têm por finalidade propiciar ao aluno oportunidade de realizar, em prolongamento ao currículo pleno, uma trajetória autônoma e particular, com conteúdos extracurriculares de seu interesse que lhe permitam enriquecer o conhecimento científico adquirido ao longo de seu percurso acadêmico.

O aluno deverá efetivar a integralização das Atividades Complementares, até o final do Curso, com um valor mínimo de 380 (trezentas e oitenta) horas de atividades, comprovando participação/produção em pelo menos 3 (três) dos 7 (sete) grupos categorizados: 1. Atividades de Ensino; 2. Atividades de Pesquisa; 3. Atividades de Extensão; 4. Participação em Eventos de natureza artística, científica, ou cultural; 5. Produções diversas; 6. Ações comunitárias e 7. Representação Estudantil, a partir do final do primeiro semestre no curso, conforme quadro demonstrativo.





ATIVIDADES DE ENSINO

CRÉDITOS

MÍNIMO/ ATIVIDADE

MÁXIMO

Produção de material educativo (folders, cartilhas, painéis, álbuns seriados, etc)

20 h/ano

40 h

Monitoria oficial ou voluntária

60 h/semestre

120 h

Disciplinas extracurriculares I – ofertadas e cursadas em outros cursos credenciados pelo MEC, afim com o currículo do Curso de Medicina (Incluindo Educação Ambiental, Sociologia e Filosofia)

20 h/disciplina


100 h


Disciplinas extracurriculares II – ofertadas e cursadas no Curso de Medicina da UNIFAP (Metodologia da Pesquisa I, Metodologia da Pesquisa II, Semiologia, Farmacologia I e Farmacologia II)

30 h/disciplina

180 h

Participação em atividades acadêmicas dos Programas de Residência Médica (reuniões interdisciplinares), mediante apresentação de frequência devidamente comprovada

20 h

60 h


ATIVIDADES DE PESQUISA

CRÉDITOS

MÍNIMO/ ATIVIDADE

MÁXIMO

Projetos de Iniciação Científica

25 h/ano

50 h

Participação em Grupo de Pesquisa e/ou Liga Acadêmica

40/ano

100 h

Trabalho publicado em anais de eventos técnico-científico

25 h/publicação

100 h

Participação como bolsista do Programa de Iniciação Científica e Inovação Tecnológica.

60 h

120 h

ATIVIDADES DE EXTENSÃO

CRÉDITOS

MÍNIMO/ATIVIDADE

MÁXIMO

Serviços de Extensão Universitária (serviços prestados à comunidade, vinculados a uma ação extensionista da Instituição ou em atividades isoladas, mediante apresentação de Certificado ou declaração)

Organizador: 15 h
Participante: 20 h

45 h
60 h

Estágios não remunerados em atividade em medicina, exercidos em horários que não incompatibilizem com os horários do curso

60 h/semestre

120 h

Desenvolvimento de atividades extra curso em Instituições conveniadas, mediante apresentação de declaração

Organizador: 10 h
Participante: 15 h

20 h
30 h

Inglês Instrumental cursada em instituição reconhecida pelo MEC, com carga horária equivalente

60 h

60 h

Francês Instrumental cursada em instituição reconhecida pelo MEC, com carga horária equivalente

60 h

60 h

PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS DE NATUREZA ARTÍSTICA, CIENTÍFICA, OU CULTURAL;

CRÉDITOS

MÍNIMO/ATIVIDADE

MÁXIMO/

ATIVIDADE

Congressos, Palestras, Jornadas, Oficinas, Seminários, Simpósios, Worshop, Conferências, etc



Evento Local

Organizador: 05 h/evento

Expositor: 15 h/evento

Coautoria de trabalho: 10 h/trabalho

Ouvinte: 05 h/evento



Evento Local
80 h

Evento Regional

Organizador: 15 h/evento

Expositor: 20 h/evento

Coautoria de trabalho: 15 h/trabalho

Ouvinte: 10 h/evento



Evento Regional
100 h

Evento Nacional

Organizador: 20 h/evento

Expositor: 25 h/evento

Coautoria de trabalho: 20/evento

Ouvinte: 15 h/evento



Evento Nacional
4 eventos

100 h


Evento Internacional

Organizador: 25 h/evento

Expositor: 30 h/evento

Coautoria de trabalho: 25 h/trabalho

Ouvinte: 20/ evento



Evento Internacional
2 eventos

50 h



Jornada Acadêmica do Curso de Medicina

Organizador: 15 h/evento

Expositor: 20 h/trabalho

Coautoria de trabalho: 15 h/trabalho

Ouvinte: 10 h/evento



30 h


PRODUÇÕES DIVERSAS

CRÉDITOS

CRÉDITOS

MÍNIMO/ATIVIDADE

MÁXIMO/ATIVIDADE

Publicações em periódicos, jornais, revistas, livros

25 h/publicação

100 h

Semana Acadêmica e similares, mediante apresentação do resumo e cerificado de apresentação do(s) trabalho(s)

Organizador: 15 h/evento

Expositor: 20 h/trabalho

Coautoria de trabalho: 15 h/trabalho

Ouvinte: 10 h/evento



30 h

AÇÕES COMUNITÁRIAS

CRÉDITOS

MÍNIMO/ATIVIDADE

MÁXIMO/

ATIVIDADE

Palestras Educativas à comunidade e ou/ ACS, escolas, feiras, etc

Expositor: 5 h/palestra

50 h

REPRESENTAÇÃO ESTUDANTIL

CRÉDITOS

MÍNIMO/ATIVIDADE

MÁXIMO/

ATIVIDADE

Atividades em entidades estudantis (Centro Acadêmico)

25 h/ano

50/h






1   ...   10   11   12   13   14   15   16   17   ...   114


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal