Diretoria legislativa


) Coronel GILVAN DE OLIVEIRA VASCONCELOS



Baixar 9.04 Mb.
Página9/81
Encontro07.10.2019
Tamanho9.04 Mb.
1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   81

2) Coronel GILVAN DE OLIVEIRA VASCONCELOS

Comandante‑Geral da Polícia Militar do Estado do Acre.

Que, o quadro de oficiais da PM do Acre é muito bom.

Que, percebe que nos últimos governos as promoções foram baseadas em preferências políticas.

Que, desconhece que 20% do efetivo da PM seja envolvido com o narcotráfico. Que existem policiais envolvidos mas não nesse percentual.

Que, que estão sendo realizados esforços para "limpar a tropa".

Que, tem conhecimento da denúncia de envolvimento do HILDEBRANDO PASCOAL anteriormente com agiotagem. Que tem conhecimento que ele praticou agiotagem quando estava na ativa.

Que, no seu comando, desde 06/07/96 até hoje, HILDEBRANDO PASCOAL não tem qualquer relação comercial com a PM do Acre.

Que, foi assessor do CORONEL JAIR TOMAS que esse homem não é honesto, porque no comando dele houve muitos desmandos. Que, não sabe se era amizade ou medo do HILDEBRANDO>` PASCOAL mas sabe que eles tinham uma relação.

Que, o Presidente da CPI leu uma carta do CORONEL JAIR TOMAS enumerando diversas acusações ao HILDEBRANDO PASCOAL e justificando o rompimento dos dois e o DR. GILVAN concordou que o CORONEL JAIR era conivente com todas as acusações feitas por ele próprio.

Que, todos os fatos enumerados são verdadeiros mas que o CORONEL JAIR aceitou e não era para aceitar isso aí.

Que, desconhece a existência de uma "irmandade", dentro da PM, que segundo jornais estaria fugindo do Acre em virtude das investigações que estão sendo feitas pela CPI.

Que, instado sobre o patrimônio do SOLDADO ELIERTE disse que fez uma sindicância recentemente. O tenente julgou inocente mas vai instaurar inquérito para investigar.

Que, defendeu a identidade da PM.

Que, do seu comando para cá já excluiu 23 PMS e todas as irregularidades são investigadas.

Que, o PM que pegou empréstimo com o HILDEBRANDO PASCOAL não fala porque tem medo.

Que, não se lembra de nenhuma família acreana que dominou, durante um período a polícia acreana, como afirmou a DRA. SALETE. Que a única pessoa que tinha "ação lá dentro", que todo mundo tinha medo, HILDEBRANDO PASCOAL ‑ "Ele tinha sala e todo mundo tinha medo dele". Que ele ameaçava. Sobre a família não sabia informar.

Que, o HILDEBRANDO PASCOAL teve influência na PM e comandou o policiamento da capital e do interior. Que pode ter tido o comando político da PM, mas que da família não pode afirmar.

Que, sabe que quando o HILDEBRANDO PASCOAL era ajudante‑geral da PM, se não se engana, ele vendia bananas para a PM. Não pode afirmar que o HILDEBRANDO PASCOAL, nessa época, vendia carne, mas se questionou, mas se buscar alguma coisa, pesquisar pode ser que se encontre, porque o HILDEBRANDO PASCOAL controlava o rancho, por força de seu cargo.

Que, desconhece que carros da PM ficaram à disposição de HILDEBRANDO PASCOAL por ocasião das eleições, mas que existiam três motos Honda, à disposição do HILDEBRANDO PASCOAL, cedidas pelo Governo do Estado. Que quando assumiu o comando da PM essas motos já estavam com o HILDEBRANDO PASCOAL. Que tentou reavê‑las mas não conseguiu porque o Governador falou que as motos tinham que continuar com o HILDEBRANDO PASCOAL. Que só conseguiu reaver as motos no final de 1998.

Que, tinha informes de que existiam 20 PMs à disposição do HILDEBRANDO PASCOAL, via gabinete militar do Governador. Mas que via pessoalmente mesmo era o ALEX e o HÉLIO DA SILVA. Que o ALEX estava com ele desde 94.

Que, o SOLDADO BRAGA também ficava direto com ele, via Gabinete Militar.

Que, tem conhecimento que quatro soldados do COE eram ligados a HILDEBRANDO PASCOAL, mas que foram afastados do COE além de outros dezoito homens.

Que, quando assumiu em 96 recebeu documentação do Procurador pedindo que afastasse esses homens do COE, pedindo para informar a legalização do uso do capuz. Os afastou. Procurou mudar o efetivo do COE.

Que, reclamou da falta de equipamentos e de uma política nacional de segurança pública e da falta de recursos, dando várias sugestões para melhorar o aparelho policial.

Que, sabe somente através de denúncias feitas via imprensa de que HILDEBRANDO chefiava o "esquadrão da morte". Que, nunca ninguém lhe falou que HILDEBRANDO PASCOAL participava. Não chegou a ver nenhuma prova.

Que, tem informações que o SARGENTO ALEX controla ponto de drogas, mas que até agora não conseguiu flagrá‑lo.

Que, também matam pessoas inocentes, como o filho do "BAIANO".

Que, acha que o grupo mata qualquer um.

Que, o SARGENTO ALEX desde que entrou como soldado ficou à disposição do HILDEBRANDO PASCOAL. Que, não tem nada oficializado dizendo que o SARGENTO ALEX faz parte do "esquadrão da morte". Disse: "Recebi agora, ontem da DRA. SALETE que a CPI, passou para ela, citando ele, o SOLDADO RÉGIS, SOLDADO L. COELHO DA SILVA (COROINHA) e SARGENTO EURICO".

Que, não pode afirmar sobre as circunstancias da morte do irmão de HILDEBRANDO PASCOAL.

Que, o SOLDADO ROMERO foi excluído da corporação por homicídio, sabe que chegou a andar com HILDEBRANDO mas não pode afirmar que era motorista dele apenas que andou com ele.

Que, ouviu falar, de comentários, sem prova testemunhal, que na execução do "BAIANO" HILDEBRANDO PASCOAL estava presente.

Que, em qualquer local, se fala de HILDEBRANDO PASCOAL e o "pessoal" fica logo com medo.

Que, acha que o "pessoal" todo ouviu. Mas ouve e diz: "Pelo amor de Deus eu não ouvi nada".

Que, acha difícil alguém da tropa testemunhar perante a CPI das irregularidades que HILDEBRANDO fazia, por medo. Que acha que a tropa tem medo dele.

Que, tem dúvidas que se tudo isso de que ele está sendo acusado se mostrar verdadeiro, que a Justiça do Acre seria suficiente para condená‑lo.

Que, tem dificuldade para trabalhar com o Ministério Público no caso de perda de graduação.

Que, o SARGENTO ALEX está, aproximadamente, há 9 anos à disposição de HILDEBRANDO PASCOAL via gabinete militar, e o comandante‑geral da PM não tem o comando sobre essa pessoa e que não existe nenhum processo formal contra ele sobre tráfico. "Na PM não chegou isso ainda".

À noite

1) Sr. EDILBERTO AFONSO DE MORAES, conhecido como "BETÃO", proprietário da empresa FRISACRE;

Que, trabalho desde os 13 anos. Que tem um frigorífico do qual deve grande parte dele.

Que, ajudou em algumas campanhas políticas com trabalho.

Que, com relação a apreensão de um avião com entorpecentes em fazenda de sua propriedade, disse que ficou comprovado que ele não tinha nenhuma participação no episódio.

Que, tem em torno de 6 casas de carne.

Que, o seu frigorífico presta serviço para várias pessoas.

Que, na época do EX‑GOVERNADOR CAMELI, os matadouros de outras pessoas foram fechados porque não tinham condições mínimas de abater e o seu frigorifico tinha higiene.

Que, nunca teve negócios com ACIR CUNHA.

Que, abate em torno de 3 a 4 mil cabeças de gado de sua propriedade no seu frigorífico e o restante é de terceiros.

Que, não tem negócios financeiros em outros estados.

Que, vende carne para Manaus, alguma coisa para São Paulo e muito pouquinho para o Rio.

Que, construiu uma pista de pouso atrás do seu frigorífico a pedido de alguns fregueses mas que funcionou muito pouco tempo porque ia dar problema e que mandou interditá‑la. Que desmanchou, entupiu e aterrou a pista porque a Polícia Federal foi lá e mandou que a homologasse, e a pista não podia ser homologada porque ficava perto de outra pista.

Que, que tem que ter uma determinada distancia entre pistas que possibilite a homologação.

Que, nunca transportou couro. Que o couro ele v para curtumes.

Que, subloca em torno de 16 pontos de venda de carne nos quais as pessoas que sublocam são obrigadas a comprar carne somente dele.

Que, seu frigorífico, durante determinado tempo, era o único em Rio Branco.

Que, teve relações comerciais com o HILDEBRANDO PASCOAL. Que o HILDEBRANDO vendeu gado para o seu frigorífico.

Que, instado sobre a afirmação de que transportava cocaína embaixo do couro nos seus caminhões frigoríficos em função do odor forte que exalava e que portanto a polícia nunca o parava, na medida em que ninguém queria sentir o cheiro do couro, negou dizendo que o couro para viajar sai com laudo do Ministério da Agricultura; só viaja em boa qualidade; é inspecionado. Que, então não se viaja com o couro "fedido". "Isso é mentira", afirmou..

Que, hoje deve dever R$ 5.000.000 (cinco milhões de reais) de financiamento conseguido há 10 anos atrás para construir o frigorífico.

Que , lembra‑se de ter ajudado financeiramente na campanha de ORLEIR CAMELI.

Que, acredita que a Fazenda Humaitá não seja dele mas não tem certeza.

Que, possui 2 áreas de terras com mais ou menos 6 mil e poucos hectares, mais uma área de terra com 900 e poucos hectares. Tem dentro da cidade 3 imóveis, 1 casa de moradia e 2 carros. Que não tem negócios com Peru, Bolívia ou Colômbia.

Que, não fornece carne para polícias militares, mas já forneceu por muito tempo, como não pagaram, deixou de fornecer.

Que, esteve uma vez na casa de HILDEBRANDO PASCOAL em circunstancia comercial.

Que, vendeu a fazenda que tinha perto da Transacreana há mais ou menos 1 ano e pouco.

Que, a sua fazenda de 75.000 hectares foi vendida através de um intermediário, de nome FLORINDO, que era piloto e que muito depois soube que ele estava respondendo processo por tráfico de entorpecentes. Que na época não tinha conhecimento.

Que, a fazenda aonde foi apreendido o avião com entorpecentes ficou abandonada por 10 anos. Que a apreensão foi em 1998 e ele vendeu a fazenda esse ano.

Que, devido a dívida com o Banco do Brasil não tem crédito.

Que, fez mais ou menos uns 6 negócios de compra de gado de HILDEBRANDO PASCOAL.

Que, não sabe explicar porque 6 depoentes envolveram seu nome como financiador do narcotráfico. Afirma " que ninguém tem prova e nem vai ter porque não mexe com isso. Não faz isso".



2) Sr. RAIMUNDO NONATO SOARES DAMASCENO, proprietário dentre outras, da empresa R. S. Damasceno.

Que, mora em Tarauacá.

Que, tem uma firma de nome RS DAMASCENO. Que a firma tem várias atividades: venda de estiva em geral, material de construção, transporte fluvial. Açúcar, óleo, sabão e leite.

Que, não pode dar o montante do seu patrimônio, porque não tem noção. Que possui balsas, 3 aviões, que prestaram serviços a comunidade do Estado e são vinculados a RIN TAXI AÉREO, empresa de seu grupo. Os aviões transportam pessoas e cargas perecíveis de Rio Branco para Tarauacá.

Que, confirmou o seqüestro e morte de seu filho em 97.

Que, o SARGENTO ALEX participou na busca e investigação do assassinato.

Que, participaram também: SOLDADO ROMERO, BENICIO, AMARILDO, DELEGADO VALTER PRADO, DELEGADO ILUIMANI e ELOI.

Que, após lido o depoimento dado por "PALITO" sobre o seu envolvimento com narcotráfico, disse que não ter conhecimento.

Que, não tem nenhuma ligação com ORLEIR CAMELLI.

Que, paga em torno de 30 mil reais por mês de imposto de renda. Que, conheceu os policiais por ocasião do seqüestro de seu filho. Que, atribui inveja aos depoimentos que o ligaram ao narcotráfico. Que, perguntado sobre 0 pagamento de imposto de renda de suas firmas de 1995 até 1999, disse que não sabia precisar o valor mas que pagou imposto de renda em todos esses anos.

Que, disse não ter nenhum envolvimento com ORLEIR CAMELLI apesar do Presidente da CPI ter dito que tinha uma fita de vídeo na qual ele aparece dizendo que "ORLEIR CAMELLI é o meu maior benfeitor" e dizendo que tudo que adquiriu dá graças a ORLEIR. Mesmo assim ele continuou negando.

Que, não tem intimidade comercial nenhuma com ORLEIR.

Que, nas eleições ajudou somente o seu TIO BENÉ DAMASCENO, mas só pedindo voto, não com dinheiro.

Que, trabalhou até 83 com seu pai no ramo de cinema. Que ficou de 83 até 88 trabalhando numa firma chamada DISBRAR ganhando mais ou menos 24 salários mínimos.

Que, sua firma RS DAMASCENO existia desde 82 mas estava parada. Que em 88 começou a vender bebida.

Que, em 89 pegou uma linha de crédito e montou um armazém. Que, não soube responder o seu patrimônio em 1990.

Que, até 1994 só tinha a distribuidora de bebidas.

Que, 1995 montaram o posto, mas não tem certeza, que pode ter sido 93, 94.

Depois de muita confusão lembrou que em 92 abriu firma semelhante no município de Envira.

Que, sob a sua administração possui a RS DAMASCENO, a RAIMUNDO NONATO SOARES DAMASCENO, o Posto RI e a DISTRIBUIDORA RAIMUNDO E IVETE, que também é distribuidora de bebida, que existe filial da RS DAMASCENO na cidade de Feijó, a RI TORREFAÇÃO, empresa de moagem de café, e a INDUSTRLAL E COMERCIAL RI em Porto Velho/RO.

Que, quando foi questionado pelo Relator sobre a "mágica" de sua evolução patrimonial de 92 a 98, disse que foi grande o desenvolvimento.

Que, seus aviões foram comprados com financiamento da EMBRAER, em 36 meses e que terminou de pagá‑los em fevereiro de 99.

Que, a DISBRAR, onde era gerente, pertencia a ABRÃO CANDIDO DA SILVA.

Que, não tem conhecimento que foram apreendidos 600 quilos de cocaína em balsa de ABRÃO.

Que, possui 3 balsas que valem em torno de 60 mil cada.

Que, não conseguiu explicar sua evolução patrimonial.



Dia 01 de Setembro de 1999.

Pela manhã

1) CARLOS ALBERTO DA COSTA BAYMA, Delegado de Polícia Civil.

Que, não deve nada. Que nunca matou ninguém. Nunca traficou. Que tem pouquíssimo conhecimento com HILDEBRANDO PASCOAL.

Que, não possui um palmo de terra. Que tem dívidas. Que conheceu HILDEBRANDO mais precisamente quando começou no 6° DP. Que nunca saiu em diligências com HILDEBRANDO PASCOAL, nem tratou de assuntos de polícia. Que as vezes que conversou com ele foi por telefone.

Que, nas vezes que conversaram por telefone HILDEBRANDO pedia que ele soltasse presos, mas que nunca soltou.

Que, na sua delegacia não ficam presos condenados. Vão todos para a colônia penal.

Que, sem alvará de soltura não tem como sair.

Que, todas as acusações que estão fazendo contra ele são calúnias. Que, deve um empréstimo ao Banco e, a única movimentação importante em sua conta é de R$ 7.200,00 que recebeu em razão do Plano Bresser.

Que, só possui um apartamento financiado pela Caixa Econômica Federal.

Que, ouviu dizer que HILDEBRANDO PASCOAL emprestava dinheiro a juros.

Que, conheceu FRANCISCO RAIMUNDO CUSTÓDIO PESSOA e que era seu informante.

Que, o ajudava nas investigações.

Que, fazia até diligências mas não tinha salário. Que era "louco" para ser policial.

Que, desmente as acusações de soltura dos traficantes "CANIÇO" e "CANGACEIRO".

Que, no caso do "CANIÇO" houve pedido para soltá‑lo.

Que, HILDEBRANDO PASCOAL nunca mandou na Polícia Civil.

Que, HILDEBRANDO PASCOAL pedia muito a ele para soltar presos e que chegou a pedir para ILUIMANI que o tirasse do 6° DP, porque não agüentava mais tantos pedidos.

Que, certa vez HILDEBRANDO pediu que ele não mandasse para o juizado um rapaz preso com um revólver. Só que quando HILDEBRANDO ligou, ele já tinha mandado. Aí HILDEBRANDO PASCOAL disse: "Porra Bayma, tu é meu amigo ou tu é meu inimigo?" Que, HILDEBRANDO não gostava de ouvir não.

Que, não tinha medo de HILDEBRANDO. Que existiram outros casos de pedido de soltura que ele não atendeu. Que certa vez ele prendeu um ladrão de caminhão e que HILDEBRANDO não queria que fosse processado o ladrão e ele processou.

Que, viu várias vezes ALEX FERNANDES BORGES andando com HILDEBRANDO. Mas que não era doido de perguntar aonde eles iam.

Que, conhece RAIMUNDO DAMASCENO. Que ele enriqueceu com os esforços dele.

Que, conhece ROMERO, segurança de RAIMUNDO DAMASCENO.

Que, certa vez FRANCISCO CUSTÓDIO correu quando viu ROMERO, dizendo que ROMERO queria matá‑lo.

Que, trabalhou no caso do seqüestro do filho de RAIMUNDO DAMASCENO, que foi assassinado. Que o assassino chamava‑se "ZÉ DA MARIETA". Que "ZÉ DA MARIETA" se enforcou na Delegacia de Repressão ao Entorpecente.

Que, foi o primeiro a encontrar "ZÉ DA MARIETA" enforcado na grade. Que recebeu um telefonema de seu irmão dizendo que tinham encontrado a ossada do menino. Aí foi na DRE e falou para "ZE DA MARIETA" que ele teria que confessar. Que depois disso, saiu para comprar um pacote de pão torrado e quando voltou e ele tinha se enforcado.

Que, não se lembra dos presos que o HILDEBRANDO mandou soltar, só "CANIÇO" e "CANGACEIRO".

Que, sabe da estória surgida no Estado de que ele teria ganho R$ 10.000 (dez mil reais) para matar o "ZÉ DA MARIETA".

Que, negou o assassinato do Cairara, dizendo que até hoje ele está vivo.

Que, aceitou lhe fosse feito exame para verificar se é viciado em drogas. Que, após ser apresentada uma fita com escuta autorizada pela Justiça, ele admitiu que soltava presos a pedido de políticos, desde que esse preso não tivesse motivo de estar preso.

Que, disse que tinha receio de HILDEBRANDO PASCOAL, porque ele amedrontava muitas pessoas.

Que, sabia que HILDEBRANDO matava e tinha medo que HILDEBRANDO mande matá‑lo também.

Que, tinha medo de HILDEBRANDO PASCOAL, que não queria morrer e por isso não tinha condições e nem seus policiais de fazerem nada.

Que, o SARGENTO ALEX FERNANDES BORGES andava na sua delegacia.

Que, sabia da caçada ao assassino do irmão do HILDEBRANDO PASCOAL e que ofereciam até prêmio, daí o medo.

Que, é fraco para HILDEBRANDO.

Que, "pegou" um ano por tentativa de homicídio, mas que foi condenado por lesão corporal leve.

Que, prendeu "CANIÇO" de forma ilegal, através de condução coercitiva.



2) Testemunha do sexo masculino, encapuzado protegendo sua identidade. Batizado com o codinome "JOÃO".

Que, trabalhava para o HILDEBRANDO PASCOAL na zona rural.

Que, "vinha avião de droga, derramava na fazenda e a gente transportava para a beira da estrada para a PM. Que o HILDEBRANDO estava junto".

Que, pode identificar o local em que os aviões deixavam e o local em que faziam entrega.

Que, fez esse trabalho durante 2 meses.

Que, a droga vinha numa caixa com aproximadamente 20 kg. Que, o avião só soltava os pacotes.

Que, não se lembra quantas vezes o avião deixou um pacote mas foi mais de uma vez.

Que, eram vários pacotes.

Que, 4 caixas caiam do avião. Mais ou menos 80 kg por vez.

Que, ele procurou diretamente HILDEBRANDO PASCOAL para ser contratado.

Que, ganhava 1 salário mínimo.

Que, trabalhou durante 2 meses e saiu porque é "muito arriscado ficar lá".

Que, ouviu falar de BAYMA, de BRAGA e de SALVIANO.

Que, viu um Opala preto. Que, "direto tinha caminhão lá".

Que, a cocaína sempre saía só nas caminhonetes preta, cinza e branca, no caminhão não.

Que, falou para HILDEBRANDO que sua profissão era "campeiro". Que HILDEBRANDO PASCOAL levou‑o então para a fazenda, que após uma semana o HILDEBRANDO chegou e anunciou que ia chegar um avião e o que ele jogasse lá eles trariam para a beira da estrada e já teria um carro esperando. Que umas 3 semanas depois o HILDEBRANDO abriu o jogo sobre o que estavam transportando.

Que, 3 pessoas trabalhavam com ele na fazenda.

Que, já ouviu falar no JOSÉ HUGO que matou ITAMAR PASCOAL, irmão do HILDEBRANDO.

Que, presenciou a morte de "BAIANO".

Que, estava dentro da caminhonete na carroceria com mais 4 e que dentro da caminhonete estavam todos encapuzados.

Que, chegaram no local e eles torturaram "BAIANO" para ele contar onde o HUGO estava. Que serraram ele de uma perna depois tiraram‑lhe os braços. "Que ele pediu pelo amor de Deus para não matar ele". Mas que eles mataram mesmo assim.

Que, o HILDEBRANDO PASCOAL deu vários disparos nele.

Que, o BRAGA estava lá. Quem que serrou foi outro que estava encapuzado. "Aí vários que iam trocando, que o HILDEBRANDO torturou, mandou torturar para descobrir onde estava o HUGO, então como "BAIANO" não sabia, foi matado".

Que, tinham 4 encapuzado na caminhonete. Que o "BAIANO" já estava lá acoado, deitado no chão. Que o "PALITO" estava presente. Que o "PALITO" traficava droga para o HILDEBRANDO. Que haviam 9 ou 10 pessoas. Que não sabe o que fizeram com o corpo, porque saiu num carro da PM e foi transferido para uma Pampa azul claro e levado para a fazenda.

Que, nunca conversou com ALEX porque ele nunca dava atenção para eles.

Que, viu várias motos nas suas andanças com esse grupo.

Que, além de participar da morte de "BAIANO" carregava as caixas de cocaína.

Que, depois de 2 meses fugiu.

Que, ficou sabendo que era cocaína porque uma caixa caiu acidentalmente do avião e arrebentou. Neste momento, HILDEBRANDO PASCOAL falou o que era.

Que, dezenas de vezes fez esse trabalho.

Que, quando a caixa caiu e arrebentou eles contaram para o HILDEBRANDO. Aí ele falou: "Vocês sabem o que tinha lá dentro?" Ai João falou: " Não. Falei que é branco igual uma goma. Aí ele falou: "Não, aquilo lá é cocaína". Ele mesmo falou.

Que, depois de um tempo presumiu que era perigoso ficar lá e foi para Ji‑Paraná.

Que, já prestou esse depoimento na Polícia Federal.

Que, prestou depoimento na Polícia Federal porque HILDEBRANDO PASCOAL tem que pagar pelo que fez com as pessoas inocentes.

Que, estava presente quando o HILDEBRANDO fez os disparos contra o "BAIANO" com uma pistola, que não sabe o calibre, mas sabe que era automática.

Que, "a droga vinha mais era da Bolívia, da estrada da Basiléia, Cruzeiro do Sul, e a estrada da Vila, que ela vinha da Bolívia e vinha de balsa também. Que a droga vinha de lá".

Que, quando mataram "BAIANO" haviam 2 carros da PM no local com soldados fardados.

Que, sabe que o assassinato de "BAIANO" foi filmado mas não sabe com quem está a fita.

Que, na hora que a caixa com cocaína caiu na madeira e arrebentou, e a cocaína caiu na água, o HILDEBRANDO PASCOAL ficou furioso.

Que, sabe que "BAIANO" foi serrado com motosserra.

Que, ouviu o HILDEBRANDO falar que matou muitas pessoas.

Que, sabia que o HILDEBRANDO PASCOAL tinha mais pessoas que trabalhavam especialmente para ele, que eram matadores, que matavam para ele.

Que, o carro da PM que pegava droga na estrada era igual a essas Toyotinhas.

Que, a pessoa que começou a serrar o "BAIANO" tinha 1,60 metros de altura e era bem forte.

Que, o nome dessa fazenda era Amoti, Que lá tinham vários açudes.

Que, o traficante "SABARÁ" passava na fazenda de HILDEBRANDO PASCOAL de vez em quando .

Que, sabe que vários presos, como "PALITO", ficavam sempre livres.

Que, os presos "aterrorizavam" na transacreana, Que sabia disso porque trabalhava com HILDEBRANDO. Disse: "Ele precisava de um preso perigoso e ia lá buscar".

Que, quem foi o mandante da morte do HUGO foi AURELIANO PASCOAL.

Que, ouviu falar no churrasco comemorando a vitória do HILDEBRANDO.

Que, HILDEBRANDO PASCOAL comprava por R$ 100,00 (cem reais) cada voto e fazia cadastro.

Que, HILDEBRANDO não chegou a pagar por esses votos.

Que, ouviu o HILDEBRANDO falar várias vezes que ia matar o GERCINO.

3) Sr. PEDRO VERAS ‑ Pai do falecido Governador do Acre Sr. Edmundo Pinto,

Que, não sabe da participação do HILDEBRANDO PASCOAL na morte do seu filho, o ex‑Governador do Acre, EDMUNDO PINTO.



4) Dom JOAQUIM ‑ Bispo do Rio Branco representando a Diocese de Rio Branco.

Que, parabenizou a coragem da CPI.

Que, não sabe muito porque só está na diocese há 3 meses, não conhece as pessoas, não pode falar nada, simplesmente compareceu para prestar apoio.




1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   81


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal