Diretoria legislativa



Baixar 9.04 Mb.
Página79/81
Encontro07.10.2019
Tamanho9.04 Mb.
1   ...   73   74   75   76   77   78   79   80   81

DA PRIMEIRA DILIGÊNCIA:


Por ocasião da PRIMEIRA CUMBRE REGIONAL CONTRA LA NARCOACTIVIDAD Y LA CORRUPCION, realizada em SAN JOSÉ - COSTA RICA, nos dias 24/25 de fevereiro de 2000, os Srs. Deputados LAURA CARNEIRO E EBER SILVA, representando o PARLAMENTO LATINO-AMERICANO e o GRUPO BRASILEIRO DO PARLAMENTO LATINO-AMERICANO, respectivamente, travaram conversação com o Sr. Deputado paraguaio NERY PEREIRA, que se dispôs, com as precauções necessárias a manutenção do sigilo que norteava as investigações do caso FERNANDINHO BEIRA-MAR, comunicar-se com autoridades paraguaias visando encaminhar o intercâmbio necessário ao cumprimento do mandado de prisão expedido pela Sra. Juíza Terezinha Maria de Avelar Duarte contra o referido meliante.

No dia 7 de março de 2000, terça-feira de carnaval, o Sr. Deputado NERY PEREIRA entrou em contato com a Sra. Deputada LAURA CARNEIRO, informando que devido a importância da matéria teria entrado em contato diretamente com o Exmo. Sr. Presidente da República do Paraguai LUIS GONZÁLEZ MACCHI, que aceitaria receber os membros da CPI do Narcotráfico. A audiência foi agendada pelo Deputado NERY PEREIRA para as 20:00hs do dia 14 de março de 2000. Comunicado o Sr. Presidente MICHEL TEMER, os Srs. Deputados se deslocaram para aquele país logo após a diligência realizada no Estado do Mato Grosso do Sul. Recebidos no aeroporto pelo Deputado NERY PEREIRA, deslocaram-se para a Embaixada do Brasil em Assunção onde foram recebidos pelo Ministro Conselheiro Encarregado de Negócios, vez que o Sr. Embaixador encontrava-se em período de férias. Naquele momento foram comunicados da impossibilidade de realização da audiência previamente marcada, sem qualquer explicação para tal decisão. Os membros da CPI decidiram retornar na mesma noite ao Brasil, apresentando ao Sr. Deputado NERY PEREIRA, à época Presidente da Comissão de Luta contra o Narcotráfico da Câmara de Deputados o documento abaixo:






N
a imprensa brasileira e paraguaia repercutiram os fatos narrados, tendo sido o Sr. Presidente MAGNO MALTA e Sr. Relator MORONI TORGAN contactados pelo Sr. Embaixador do Paraguai no Brasil, visando a marcação de nova audiência, o que ocasionou a segunda diligência àquele país.