Diretoria legislativa


Resumo do que disse a Deputada Estadual NALUH GOUVEIA



Baixar 9.04 Mb.
Página14/81
Encontro07.10.2019
Tamanho9.04 Mb.
1   ...   10   11   12   13   14   15   16   17   ...   81

Resumo do que disse a Deputada Estadual NALUH GOUVEIA:


Sobre o Ex-Governador ORLEIR CAMILI:

Que, acondiciona e transporta a droga de Abrão Candido até Manaus.

Que, a droga é recebida pelo administrador do Porto de Manaus que é ou era parente de Orleir.

Que, parentes de sua esposa estavam montando um laboratório no Badejo do Meio para o refino de Pasta Base de cocaína.

Que, seus negócios com entorpecentes são centrados no Peru.

Que, a “mercadoria” de Orleir sai do Peru e vai direto para os Estados Unidos, Alemanha e Japão.

Que a estimativa é de que Orleir remeta para o exterior cerca de meia tonelada de pasta base de cocaína.



Que, quando era governador fez compra de grande quantidade de cimento e nessas idas e vindas das balsas aproveitou-se para fazer diversos carregamentos fluviais de pasta base de cocaína para Manaus.

Sobre outras pessoas do Estado:

Que, Abraão Candido da Silva possui riqueza incompatível com o que faz. Que possui 2 aviões e que seu avião mais veloz é utilizado em operações de carregamento de pasta base de cocaína. Que o avião dele desce na pista clandestina em território peruano e em pouquíssimos minutos o avião é abastecido com carregamento de pasta base. Que quando é feito o carregamento ele dá uma festa para sues sócios e empregados envolvidos com a operação do tráfico. Que quem compra a droga para ele são 2 parentes seus que entram legalmente no Peru para efetuar as transações em Vila Guarnición.

Que, tem informações que João Célio Gaspar Gonçalves, Donário L. Cordeiro, Deputado Federal Ildefonso Cordeiro e Manu Cameli, fazem parte de um grupo, que é um dos mais poderosos do tráfico do Vale do Juruá, que esse grupo possui balsas fluviais, comércios, financiam políticos como o vereador Danga de Cruzeiro do Sul e o Deputado Federal Ildefonso Cordeiro. Que agem sempre em bloco um dando cobertura ao outro e que o grupo é altamente articulado.

Que, Manu Cameli deu de presente uma Toyota novinha como pagamento de um carregamento de drogas ao traficante conhecido como Rocha.

Que, João Melo acondiciona em cartelas de ovos cocaína oxidada. Que esse comerciante transporte de Manaus mais de 15 mil cartelas e ovos para vender em Cruzeiro do Sul, pega essas caixas e faz uma adaptação para acoplar a cocaína oxidada. Manda de volta as cartelas para Manaus já portadoras do oxidado com a justificativa de que o produto entregue em seu estabelecimento não apresenta as condições mínimas de qualidade para fins comerciais. Em Manaus é extraído o oxidado através de um processo químico inverso. Que em sua fazenda tem um pequeno laboratório, tipo chocadeira de granja.

Que, João Célio Gaspar Gonçalves, vulgo João Garapa é ligado ao narcotráfico e é contrabandista de armas vindas do Peru.

Que, o soldado Elierte de Cruzeiro do Sul/AC possui patrimônio incompatível com seus rendimentos profissionais. Que possui um patrimônio de 1 milhão de dólares e que movimenta suas contas bancárias em Manaus. Que compete em nível de igualdade com os comerciantes de Cruzeiro do Sul que montaram suas fortunas à custa do tráfico internacional de cocaína.

Que, Donário L. Cordeiro chegou até São Paulo em 1996 com 80 quilos de pasta base de cocaína.

Que, Rocha possui um batelão que faz o transporte da droga. Que é um grande Marreteiro de drogas. Que vai buscar a droga no Peru. Que entra com o batelão no Rio amônia e passa até quinze dias para completar seu carregamento de drogas.

Que, o Sargento R. Valente compra a droga para Abraão Cândido no Peru.

Que, confirma todas as informações prestados anteriormente a esta Comissão, por Guilherme Luiz Amado Duque Estrada e pelo Dr. Luiz Francisco Fernandes de Souza, sobre fatos e pessoas.
  1. Resumo do que disse GERCINO JOSÉ DA SILVA FILHO – Ouvidor do Ministério da Reforma Agrária e ex-Presidente do Tribunal de Justiça do Acre:


Sobre HILDEBRANDO PASCOAL:

Que, HILDEBRANDO PASCOAL está com 2 esquemas armados para executar mais mortes.

Que, HILDEBRANDO PASCOAL já contratou pistoleiros em Brasília para, assim que for cassado, ou preso, matá-lo imediatamente, assim como matar o Procurador da República Dr. Luiz Francisco Fernandes de Souza e que fará com que pareça um acidente.

Que, os outros assassinatos são da Drª. Salete Maia e da Deputada Estadual Naluh Gouveia no Acre.

Que, se vier a morrer ou qualquer dessas pessoas citadas, que o principal suspeito é HILDEBRANDO PASCOAL.

Que, foi avisado dos esquemas para matar ele, o Procurador Luiz Francisco Fernandes de Souza, a Drª. Salete Maia e a Deputada Naluh Gouveia, pelo Delegado Alberto Paixão e confirmada pelo Coronel Alberto Camelo, que é Chefe da Assistência Militar do Tribunal de Justiça.

Que, HILDEBRANDO PASCOAL comanda o grupo de extermínio no Acre.

Que, HILDEBRANDO PASCOAL é traficante.

Que, o sucesso dos traficantes é garantido pelo exercício da justiça com as próprias mãos, pois o grupo de extermínio elimina seus concorrentes, assim como aqueles que trabalham na traficância mas que já não estão mais obedecendo as ordens dos que comandam o comércio clandestino de entorpecestes.

Que, fazem ameaças de morte e até mesmo execuções daqueles que se atrevem a deixar o grupo de extermínio ou daqueles que se apresentam como possíveis testemunhas, o que provoca suas mortes como queima de arquivo.

Que, possui depoimento, feito à Polícia Federal pelo traficante Cléber Rodrigues, que diz que HILDEBRANDO PASCOAL chefia o grupo composto pelo Sargento Alex, Romero, Salviano, Francisco e Soldado Braga. Que Cleber disse que participou de reuniões nas quais eram aliciados eleitores viciados em drogas para que votassem em HILDEBRANDO PASCOAL. Que Cléber viu o traficante conhecido como Naldo reunir nas eleições, nos fundos de sua casa, quase mil eleitores viciados em drogas para que votassem em HILDEBRANDO PASCOAL. Que em troca do voto os viciados receberam maconha e pasta base de cocaína, droga essa que era comprada pelo Naldo com dinheiro de HILDEBRANDO PASCOAL. Que na casa do Sargento Alex também era feita a distribuição da droga em troca de votos. Que Cléber, por ter sido traficante, sabia que o acerto feito com o pessoal do morro do Marrosa e da Baixada era que se o Coronel HILDEBRANDO PASCOAL fosse eleito, polícia nenhuma iria mexer neles lá, pois vencendo ia mandar ainda mais na Polícia Militar e na Polícia Civil. Que Cléber presenciou HILDEBRANDO PASCOAL soltar dois traficantes ligados a ele, depois que esses já estavam algemados. Que na ocasião HILDEBRANDO PASCOAL quando chegou no local mandou soltar todo mundo.

Que, o depoente recebeu uma carta anônima que diz que “Enock Pessoa de Araújo, delegado de Polícia, foi assassinado no dia 04/12/91. Acredito que quem mandou executá-lo foi o Deputado Pascoal”. Continua a carta “que na época que foi assassinado estava investigando roubo de carros, tráfico de drogas, de crianças, via Cruzeiro do Sul. Quanto à droga Enock dizia que HILDEBRANDO PASCOAL estava por detrás do tráfico de drogas no Acre. Que possuía um dossiê sobre isso, mas nunca soube nada sobre isso. Que esse dossiê sumiu”. Continua a carta “Que não sei se na 4ª DP ainda existe um processo sobre o Negro Bruno, contratado pelo Deputado para roubar carros”. Que essa carta assegura que o traficante Marrosa era protegido de HILDEBRANDO PASCOAL, que lhe dava cobertura. Fim da Carta.

Que, o relatório da Polícia Federal, que fez as investigações a partir de julho de 1997, aponta HILDEBRANDO PASCOAL como traficante, assim também como Alex, que fornece a droga para angariar votos para ele.

Que, HILDEBRANDO PASCOAL para vingar a morte de seu irmão, Itamar Pascoal, que foi assassinado pelo traficante José Hugo Fonseca Júnior, em 30.06.96, comandou a maior caçada humana do Brasil e também a mais cruel. Que matou Gílson Firmino dos Santos, vulgo Baiano, só porque era amigo de José Hugo.

Que, para HILDEBRANDO PASCOAL não basta matar, ele cortou as duas pernas, cortou os dois braços, cortou ainda o seu pênis, furou os seus olhos e introduziu um prego em sua cabeça. E para afrontar o povo de Rio Branco/AC e demonstrar que para ele não existe lei, jogou o corpo em frente a televisão Gazeta.

Que, mandou matar Wilder Firmino dos Santos, filho de Baiano. Antes, todavia, para fazer sua tara perversa, torturou o garoto que na época tinha 15 anos de idade, jogando ácido nos seus olhos e no seu coro. Depois deu três tiros na sua cabeça.

Que, quando soube que Francisco Camilo da Silva filmou as torturas praticadas contra o Baiano, mandou tirá-lo da Colônia Penal, onde estava preso por tráfico de drogas, e exigiu que ele entregasse a fita. Como Camilo já não mais se encontrava com a fita, pois havia passado ela para o presidiário Valtemir Gonçalves, conhecido como Palito, os seus capangas tiveram de matá-lo, porém, não de maneira simples, mas sim, de maneira costumeira, ou seja, com muita tortura, depois cortaram sua cabeça e jogaram nas margens da estrada do Amapá, na periferia de Rio Branco/AC.

Que, no dia 10/09/97, o grupo comandado por HILDEBRANDO PASCOAL, executou outra vítima, Valter José Ayala, policial civil, que poucos dias antes, havia me visitado na Presidência do Tribunal de Justiça, quando prometeu denunciar os integrantes do esquadrão da morte. Antes de morrer disse que o comandante é HILDEBRANDO PASCOAL.

Que, HILDEBRANDO PASCOAL não se limita a mandar matar. Ele seqüestra também, como aconteceu com a viúva de José Hugo, Clerismar dos Santos Alves, que ficou em cativeiro na fazenda de HILDEBRANDO PASCOAL com seus 2 filhos por três ou quatro dias, para que José Hugo retornasse.

Que, o relatório da Polícia Federal, referindo-se à morte de Hugo diz: “Há indícios nos autos de participação intelectual de Hildebrando na morte de José Hugo...”

Que, possui 3 documentos do Ministério Público Federal, que foram apresentados à CPI, sendo uma denúncia oferecida contra HILDEBRANDO PASCOAL, no que se refere ao seqüestro de Clerismar, outra que se refere ao desacato, à resistência e ao porte ilegal de armas praticados por HILDEBRANDO PASCOAL, quando numa busca eleitoral realizada em sua casa, no final do ano passado, ele recebeu os policiais federais com uma escopeta aramada, e o oferecimento de indiciamento que o Ministério Público Federal pede para o Supremo Tribunal Federal no que tange à participação de HILDEBRANDO PASCOAL na morte de José Hugo.

Que, segundo depoimento do Dr. Sérgio Monteiro Mendes, prestado ao Ministério Público Federal, que consigna que HILDEBRANDO PASCOAL prometeu matar José Hugo e quem atrapalhar sua vingança.

Que, foi ameaçado de morte pelo irmão de HILDEBRANDO PASCOAL, Sette Pascoal.

Que, consta do relatório parcial de interceptação telefônica de fls. 94, de 04.09.98, que HILDEBRANDO PASCOAL disse que vai matar o depoente no meio da rua.

Que, cita o depoimento da mãe do traficante conhecido como Palito, na Polícia Federal, no qual ela se refere que o filho estava de posse da fita na qual aparece HILDEBRANDO PASCOAL olhando as torturas praticadas por seu grupo no traficante chamado Baiano.

Que, cita relatórios da Polícia Federal de interceptação telefônica que diz o seguinte: “No dia 31.08.98, uma mulher liga para Hildebrando pedindo para ele interceder junto ao Exército, porque seu filho foi dispensado do Serviço Militar. Hildebrando diz: não posso, pois o pessoal do Exército me odeia. Nós matamos um Capitão deles em 1983”.

Que, diz que se HILDEBRANDO PASCOAL não for cassado ou se a Câmara não der licença para o seu processamento, os grupos de extermínio vão voltar com toda a força e vai haver lá um comando paralelo tão forte quanto aquele que existe na Colômbia.

Que , HILDEBRANDO PASCOAL uma vez encontrou com a Dra. Salete Maia e disse que iria matá-la mais dia, menos dia, e para que a morte fosse bastante sofrida iria matá-la de faca, não era de revólver, não era com tiro.

Que, HILDEBRANDO PASCOAL ameaçou de morte praticamente todos os jornalistas, dizendo-lhes que, se eles publicassem qualquer coisa envolvendo seu nome, essas pessoas seriam mortas.

Que, a fazenda de HILDEBRANDO PASCOAL fica muito próxima a Bolívia.

Que, instado pelo Relator, Deputado Moroni Torgan, que o Ministério Público do Acre, a Polícia e o próprio Governador à época, estavam comprometidos com HILDEBRANDO PASCOAL de alguma forma.

Que, o braço direito de HILDEBRANDO PASCOAL é o Sargento Alex, em segundo lugar o Policial Militar Romero e em terceiro o Cabo Paulino.

Que, HILDEBRANDO PASCOAL mantinha o controle da penitenciária de Rio Branco.

Que, HILDEBRANDO PASCOAL mandava soltar traficantes de drogas que ele protegia, soltar aqueles que ele queria matar, como Camilo, e que todo Policial Militar que pertence ao grupo de HILDEBRANDO PASCOAL não cumpre pena, não adianta mandar para a Colônia Penal, porque o HILDEBRANDO PASCOAL solta mesmo, “E é para todos os sentidos: é tráfico, porque é amigo dele, ou é porque um traficante dele, ou é porque ele quer matar essa pessoa”.

Que, HILDEBRANDO PASCOAL usa as pessoas que estão presas. Ele solta essas pessoas, as pessoas vão na rua, matam as pessoas, voltam para a Colônia Penal e ficam com um álibi muito bom.

Que, sabia das atividades ilícitas de HILDEBRANDO PASCOAL há muitos anos.

Que, só quem esteve no Acre, quem viveu no Acre sabe o tanto quanto HILDEBRANDO PASCOAL é temido.

Que, HILDEBRANDO PASCOAL tem o poder quase absoluto no Acre.

Que, ouviu do Deputado Edvaldo Magalhães que o HILDEBRANDO PASCOAL gabava-se das mortes que praticou. Também ouviram o relato do Dr. Wagner Gonçalves – Sub-Procurador Geral da República e o Arcebispo d. Moacir Grecchi.

Que, havia uma grande amizade entre HILDEBRANDO PASCOAL e o ex-Governador Orleir Cameli, mas que depois viraram inimigos.

Que, no Acre nem o Poder Judiciário, nem o Ministério Público, nem a Polícia Civil, nem a Polícia Militar, nem a imprensa, se atrevem a fazer qualquer coisa contra HILDEBRANDO PASCOAL.

Que, no Acre todo mundo sabe que HILDEBRANDO PASCOAL é traficante e que ele comanda o grupo de extermínio, “mas na hora de assinar não aparece uma pessoa sequer que tenha coragem de fazer.

Que, o Capitão Mendes é o elo de ligação com HILDEBRANDO PASCOAL no sentido de levar droga para dentro do presídio e também para retirar os presos da Colônia Penal. Que com certeza era ele quem recebia o salvo-conduto assinado por HILDEBRANDO PASCOAL.

Que, o Delegado Enock Pessoa morreu quando estava investigando o envolvimento de HILDEBRANDO PASCOAL com o tráfico de drogas.

Que, o irmão de HILDEBRANDO PASCOAL foi morto após uma discussão com o traficante José Hugo, que teria recebido 20 mil reais para soltar um traficante e não conseguiu. Mas o pessoal de HILDEBRANDO PASCOAL conseguiu e foi atrás do José Hugo exatamente para receber o dinheiro ele havia recebido adiantado do traficante que seria solto. Daí veio o desentendimento e o homicídio do irmão de HILDEBRANDO PASCOAL.

Que, a fortuna misteriosa de HILDEBRANDO PASCOAL é decorrente de várias coisas. 1ª dos vencimentos dele como Coronel da PM, depois como Parlamentar, como fazendeiro, como emprestador de dinheiro a juros extorsivos. Cita que o Coronel Alberto Camelo diz que HILDEBRANDO PASCOAL emprestava dinheiro para os próprios PMs na faixa de 30% e que isso era uma maneira de ele fazer com que o dinheiro decorrente do tráfico de drogas viesse a tornar-se legítimo.



1   ...   10   11   12   13   14   15   16   17   ...   81


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal