Dicionário pessoal



Baixar 1.35 Mb.
Página9/28
Encontro21.10.2017
Tamanho1.35 Mb.
1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   28

Corifeu – S. m. 1. Mestre do coro, na tragédia e comédia antigas, o qual exercia a função de principal representante do povo e de intermediário entre os coreutas (v. coreuta) e as personagens principais. 2. P. ext. Indivíduo que ocupa o primeiro lugar ou que se destaca dos demais em uma arte, profissão, categoria, etc. 3. Chefe, diretor, caudilho. 4. Chefe de seita.


Coríntio – Natural ou habitante de Corinto (Grécia). (N.R.: O natural ou habitante da cidade de Corinto-MG é corintiano, palavra que identifica também o adepto ou o torcedor de um tradicional clube paulista.)

Corniforme – Que tem a forma de corno: chifre, aspa, binga -- apêndice duro e recurvo que guarnece a fronte de alguns animais.

Cornucópia – Corno mitológico, atributo da abundância e símbolo da agricultura e do comércio. Vaso corniforme que se representa cheio de flores e frutos. (A, 105)

Coroca [Do tupi = 'rabugento'.] – Bras. Adj. 2 g. Decrépito, caduco, curungo. Diz-se de velho adoentado, achacadiço. S. 2 g. Pessoa velha e feia; coroia, curuca, curungo.

Corografia – Estudo ou descrição geográfica de um país, região, província ou município.

Corrupiar – Rodopiar, andar às voltas

Corsário – Navio que faz o corso (1). Homem que faz o corso (1). P. ext. Pirata (1). Relativo a corso

Corso – Ant. Caça a navios mercantes do inimigo, efetuada por navio armado por particular, com a devida autorização de um governo beligerante. Ataque esporádico contra o tráfego comercial do inimigo, realizado por navio de guerra ou por navio mercante armado, e em que se tira partido, em alto grau, da surpresa. [É forma de ação utilizada pelo beligerante mais fraco no mar. Cf. pirataria (1).] Desfile de carros, de carruagens.

Córtex - Córtice; camada externa dos órgãos, de estrutura mais ou menos arredondada, como o córtice cerebral.

Córtex cerebral - Relativo ao cérebro.

Cortical - Relativo ao córtex.

Córtice encefálico – Camada externa do encéfalo, que é a parte do sistema nervoso central contida na cavidade do crânio.

Coruscante – reluzente, cintilante, fulgurante.

Cosca – Cócegas.

Coscuvilhice – Ato ou procedimento de coscuvilheiro; enredo, mexerico, bisbilhotice.

Costa – Ant. Anat. Costela (1). Litoral (2). Porção de mar próxima da terra. A costa da África em geral. [Nesta acepç., figura em vários vocábulos ou expressões, como, p. ex., pano-da-costa e sabão-da-costa.] Encosta, declive. Bot. Em geral, linha em relevo que percorre órgãos e partes vegetais, formando ressalto.

Costas – S. f. pl. A parte posterior do tronco humano; dorso, lombo, costado. A parte posterior de vários objetos. Encosto (1). O lado oposto; reverso. Bras. S. Margem de um rio, arroio, lagoa, banhado, região, mata ou planície. Encad. Em um livro, o lado correspondente ao fim do texto.

Coturno – Na Grécia antiga, borzeguim de solas altíssimas, que chegava até o meio da perna e se atava pela frente, us. sobretudo pelos atores trágicos. 2. Calçado de sola grossa e alta; chapim. 3. Bras. Bota militar; bute. 4. Meia curta, peúga. De alto coturno: Socialmente importante; de alta hierarquia. De baixo coturno: De baixa hierarquia; plebeu.

Couce - Coice. Fig.: Brutalidade, má-criação, ou qualquer agressão moral. (A, 51)

Coulomb - (Lê-se: culom.) Unidade de medida de carga elétrica, ou quantidade de eletricidade, no Sistema Internacional: é a quantidade de eletricidade que atravessa, durante um segundo, qualquer secção transversal de um condutor percorrido por uma corrente de intensidade invariável igual a um ampère. O vocábulo se origina do nome do físico francês Charles Augustin Coulomb (1736-1806).

Côvado – Antiga medida de comprimento que correspondia a 66 centímetros. (N.R.: A arca de Noé teria, assim, aproximadamente, 198 metros de comprimento, 33 metros de largura e 19,8 metros de altura.)

Covato – Lugar em que se enterram os corpos.

Coxear – Andar como coxo, manquejando; claudicar. Vacilar, hesitar.

Coxia – 1. Passagem, ger. estreita, entre duas fileiras de cadeiras, bancos, poltronas, camas, etc. 2. Espaço ocupado por cada cavalo na estrebaria.


Coxilha – Campina com pequenas e contínuas elevações, arredondadas, típica da planície sul-rio-grandense, em geral coberta de pastagem, e onde se desenvolve a pecuária.

Coxo – Aquele que coxeia. Diz-se de objeto a que falta pé ou perna. Manco, manquitola, manquitó, coxé. Fig.: Incompleto, truncado, imperfeito.

Crapuloso – indivíduo libertino, crápula, devasso.

Credível – Crível.

Crena – Espaço entre os dentes duma roda ou duma peça denteada. Bot. Zool. Estrutura com bordas ou margens arredondadas.

Crepe – Tecido fino, transparente ou não, de aspecto ondulado, feito com fio muito torcido de seda ou lã natural ou sintética. Fita ou tecido negro que se usa em sinal de luto. Luto, dor.

Crespo – De superfície áspera; rugoso, áspero. Riçado, anelado, eriçado, encrespado. Agitado, encapelado. Escabroso, pedregoso, áspero. Escabroso, indecente, indecoroso. Ameaçador, perigoso.

Críptico - Relativo ao que se localiza ou processa na parte mais profunda ou oculta.

Criptógamo – Vegetal que não se reproduz por meio de flores e que tem órgãos reprodutivos pequeninos, dificilmente perceptíveis pelo leigo.

Criptomnésia – Distúrbio de memória em que o indivíduo tem como novo um conhecimento que já possuía.

Crista – O ponto mais alto de um monte; ápice; ponto culminante.

Cristal - Substância sólida cujas partículas constitutivas (átomos, íons ou moléculas) estão arrumadas regularmente no espaço. Cristal de rocha. Vidro constituído de três partes da sílica, duas de óxido de chumbo e uma de potássio. Vidro muito límpido e puro.

Cromático – Adj. 1. Respeitante a cores; crômico. 2. Relativo a cor (ô) (3). 3. Citol. Relativo à cromatina. 4. Mús. Composto de uma série de semitons.

Cromatina - Substância fundamental de cromossomo de organismo eucarioto existente no núcleo celular; cariotina.

Cromo – Figura estampada em cores, em geral com relevo, constituindo pequeno impresso recortado para colagem em álbuns, etc., ou imagem maior para pendurar em parede, inclusive como suporte de calendário. V. cromolitografia. Fot. Art. Gráf. Fotografia positiva e transparente em cores; transparência de cor; diapositivo. [Cf. eslaide. ]

Cromossomo – Unidade morfológica e fisiológica, visível ou não ao microscópio óptico, e que contém a informação genética. Cada espécie vegetal ou animal possui um número constante de cromossomos. Molécula linear, constituída por fibras cromatínicas compostas de DNA, RNA e proteína, e que se tornam extremamente compactas durante a divisão celular.

Crueza - Estado de cru, do que não está cozido. Crueldade. Indisposição estomacal, por má qualidade dos alimentos ou difícil digestão deles. Estado da água que contém muitos sais calcários e é fria e indigesta.

Cumeada – Sequência de cumes de montanhas. 2. V. cumeeira (2).

Cumeeira – 1. V. cume (1). 2. A parte mais alta do telhado; cumeada, cavalete de telhado, cumeada.

Cupidez – Qualidade ou caráter de cúpido; cobiça.

Cúpido - Ávido de dinheiro ou bens materiais; cobiçoso. Possuído, ou que revela desejos amorosos. (N.R.: Não confundir com Cupido, designação latina de Eros, o filho de Vênus, considerado na mitologia grega o deus alado do Amor.)

Cupim – Zool. Designação comum aos insetos isópteros. Ninho do cupim.

Curial – Adj. 2 g. 1. Pertencente ou relativo à cúria. 2. Fig. Próprio, conveniente. S. m. 3. Oficial da cúria pontifícia. 4. Membro da cúria (4).

Cursivo – Diz-se da letra manuscrita, ger. pequena, traçada de maneira rápida e corrente. Executado sem esforço; ligeiro. S. m. Letra cursiva.

Curtir – V. t. d. 1. Preparar (couro) para torná-lo imputrescível. 2. Preparar (alimento), pondo-o de molho em líquido adequado. 3. Tornar rijo, são, saudável (uma pessoa), expondo-a ao sol, ao ar livre. 4. Queimar, enrijecer (a pele). 5. Padecer, sofrer, suportar. 6. Sofrer os efeitos de (bebedeira). 7. Bras.Gír. Gozar, desfrutar, deleitar-se, em. V. t. c. 8. Passar ou viver sofrendo. V. int. 9. Bras. Gír. Gozar, desfrutar, deleitar-se.

Cuspe – Cuspo, saliva.

Cúspide – S. f. 1. Extremidade aguda; ponta, vértice. 2. O ferrão das abelhas, do lacrau, etc. 3. Mit. O tridente de Netuno. 4. Anat. Formação pontiaguda que se apresenta como projeção, em especial cada uma das formações triangulares que compõem a valva cardíaca. 5. Astr. Extremidade, em forma de ponta, da região iluminada de um planeta ou satélite; corno. 6. Bot. Porção afilada e aguda que termina vários órgãos vegetais laminares, como pétalas e folhas. 7. Geom. Numa curva, ponto duplo em que as duas tangentes são coincidentes; ponto duplo em que o hessiano é nulo. [Sin., nesta acepc.: ponto cuspidal, ponto de reversão.] 8. Odont. Ponto ou saliência do dente, destinada a cortar, dilacerar ou moer o alimento.

Cuspo – Saliva, cuspe.

Custódio – Adj. 1. Que guarda, que defende ou protege.

Cutelo – Instrumento cortante, semicircular, de ferro.

D (dê)

Dadaísmo – Movimento surgido entre artistas e intelectuais durante a I Guerra Mundial, como forma de repúdio ao conflito e aos valores da civilização ocidental, e que se extinguiu no início da década de 1920, quando muitos de seus adeptos passaram a integrar novas correntes da literatura e das artes plásticas, esp. o surrealismo. [Sin.: dadá.]

Dadaísta – Relativo ao, ou que é partidário do dadaísmo. Artista ou partidário do dadaísmo. [Sin. ger.: dadá.]

Dálmata – Da, ou pertencente, ou relativo à Dalmácia (Croácia), ou ao dálmata (3); dalmatense; dalmático. S. 2 g. O natural ou habitante da Dalmácia; dalmatense. S. m. Língua românica (q. v.) que se falava na Dalmácia, extinta com a morte de seu último falante, em 1898; dalmático. Cão possivelmente originário da Dalmácia, com altura entre 0,55m e 0,60m, de forte musculatura, focinho vigoroso, orelhas finas e pendentes, e pelagem branca com manchas negras.

Daltonismo – [Do antr. (John) Dalton (1766-1844), físico e químico inglês, que sofria desta deficiência (v. daltonismo [2]), + -ismo.]S. m. 1. Oftalm. Incapacidade para diferençar cores; acromatopsia. 2. Restr. Incapacidade de perceber certas cores, em especial o vermelho, donde a impossibilidade de distinguir, p. ex., o vermelho do verde. [Cf., nessas acepç., discromatopsia.] 3. Fig. Deficiência intelectual que impossibilita perceber e compreender certos assuntos.

De chofre - De repente; de súbito; repentinamente.

Deambular – Passear, vagar, vaguear. (A, 173)

Deblaterar – falar ou clamar com violência; imprecar, bradar.

Debruado – Guarnecido com debrum. Orlado, beirado, ladeado; rodeado, circundado. Heráld. Diz-se de peça separada do campo por cotica ou por filete de esmalte diferente. Bras. Diz-se do cavalo cujo pelo apresenta listras brancas.

Debrum – Tira que se cose dobrada sobre a orla de um tecido para guarnecê-lo ou reforçá-lo.

Debuxar – Fazer o debuxo de; desenhar, delinear, traçar, esboçar, bosquejar. Planear, rascunhar, traçar, bosquejar. Representar na ideia; figurar, imaginar. Representar, pintar, traçar, delinear, desenhar.

Debuxo – Desenho dum objeto em suas linhas gerais; esboço, risco, bosquejo, delineamento. Plano, rascunho, projeto, traçado. Traço, feição, aspecto. Chapa lavrada em relevo, com a qual se estampam tecidos.

Decesso celular – morte, óbito, passamento.

Decriptar – Traduzir ou decifrar (mensagens cifradas, das quais não se tem a chave). (F, 177)

DédaloCruzamento confuso de caminhos; encruzilhada, labirinto. Fig. Coisa complicada ou obscura; confusão, emaranhamento.

Defecção - Falta, desaparecimento. Abandono de partido, opinião ou crença; deserção, apostasia, abjuração. Sublevação, rebelião.

Defeso - Proibido, vedado, impedido, interdito; defendido por uma proibição. (Lê-se defêso)

Deflectir – Mudar a direção de um movimento para um dos lados. Mudar a posição ou o movimento natural; desviar.

Deflexão – Ato ou efeito de deflectir. Movimento com que se abandona uma linha que se descrevia, para seguir outra.

Defraudar – Espoliar fraudulentamente; fraudar. Privar dolorosamente de. Lesar dolosamente; prejudicar; esbulhar. Contrariar, iludindo com subterfúgios. Iludir, desenganar.

Deidade – Divindade, nume, deus ou deusa; pessoa ou coisa que se admira e venera; mulher formosíssima.

Deiscência – Bot. Abertura espontânea de órgão ou partes vegetais ao alcançarem a maturidade.

Delíquio – Perda temporária de consciência devida a má perfusão sanguínea encefálica, e que pode ser em razão de causas diversas. [Sin.: síncope, desmaio, lipotimia, (pop.) fanico, chilique, passamento, (bras., pop.) biloura, cangolé, piloura, turica.]

Delta – A 4ª letra do alfabeto grego (D, d), correspondente ao nosso d. Foz caracterizada pela presença de ilhas de aluvião, geralmente de configuração triangular, assentadas à embocadura de um rio, e que forma canais até o mar. Sinal triangular ou estrelado, nas extremidades digitais, na planta e na palma humanas, orientador da classificação dactiloscópica dos tipos dermopapilares. Quím. Designação de átomo (ou substituinte a este ligado) ligado a um átomo gama (1).

Demais – Adv. 1. Excessivamente; em demasia. 2. Muitíssimo; intensamente. 3. Além disso; ademais. Pron. (pl.) 4. Os mais, os outros, os restantes. [Ger. precedido de artigo, nesta acepç.] Por demais. 1. Em excesso; em demasia; demasiadamente, demasiado. [Cf. a loc. adv. de mais, à qual se opõe de menos. ]

Deontologia – O estudo dos princípios, fundamentos e sistemas de moral. 2. Tratado dos deveres.

Derme – Derma. A segunda camada da pele; córion.

Derrear - Vergar, curvar, abater, arriar. Prostrar, maltratar, desancar. Enfraquecer, alquebrar, cansar, extenuar. Fazer vergar ao peso de. Menoscabar, desacreditar. Curvar-se, vergar-se, inclinar-se. Prostrar-se, cansar-se, extenuar-se. Perder o ânimo, esmorecer, desanimar. (Conjuga-se como frear.) (A, 177)

Desaire – Falta de elegância, de distinção. Deselegância. Falta de decoro; inconveniência. Descrédito, desdouro, mancha.

Desar - Revés da fortuna; desgraça. Desaire.

Desarvorar – Deitar abaixo, abater (o que estava arvorado). Mar. Tirar ou derrubar os mastros ou as enxárcias a (embarcação); desaparelhar. Mar. Perder os mastros; desmastrear-se. Fugir desordenadamente; abalar. Desnortear-se, desorientar-se; perturbar-se.

Desazo – falta de jeito, desmazelo, desleixo.

Descarnar - Separar da carne (os ossos); separar da casca; descascar; cavar, escavar; tornar muito magro; emagrecer muito; ressequir; separar de si, afastar; desapegar, desafeiçoar; perder as carnes; pôr a descoberto a base de um edifício.

Desconcerto – S. m. Ato ou efeito de desconcertar(-se). Desordem, desarranjo, transtorno. Desarmonia, discordância.

Desconserto – S. m. Desarranjo, defeito. Estrago, dano. Fig. Transtorno, contrariedade.

Descoroçoado - Sem coragem, sem ânimo; desanimado; desalentado. Descorçoado, desacorçoado, desacoroçoado.

Descoroçoar – tirar o ânimo ou a coragem, desanimar, perder a coragem.

Desforço - Vingança, desforra, desafronta, desagravo. Ato judicial praticado por quem foi esbulhado de algum bem.

Desimantadora - Derivado do verbo desimantar, que é o oposto de imantar.



1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   28


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal