Dicionário pessoal


Ludíbrio – 1. V. zombaria. 2. Objeto de zombaria ou desprezo. 3. Engano, logro



Baixar 1.35 Mb.
Página17/28
Encontro21.10.2017
Tamanho1.35 Mb.
1   ...   13   14   15   16   17   18   19   20   ...   28

Ludíbrio – 1. V. zombaria. 2. Objeto de zombaria ou desprezo. 3. Engano, logro.


Lugdunense – Lionês.

Lupanar – Prostíbulo; lugar de prostituição: bordel, serralho.

Lupina - Forma feminina de lupino: relativo ou pertencente a lobo; lobal.

Lupino – Relativo ou pertencente a lobo; lobal.

Lúrida – feminino de lúrido; lívida, pálida, escura, sombria.

Lúrido – Pálido, lívido. Escuro, sombrio. (A, 173)

Lutuoso - Coberto de luto. Fig.: Fúnebre, lúgubre, triste.

Luxúria - Viço ou exuberância das plantas. Incontinência, lascívia; sensualidade. Dissolução, corrução, libertinagem.

M (eme)

Macabro – funesto, funéreo, fúnebre, tétrico, medonho.

Macambúzio – Carrancudo, sorumbático, taciturno, triste.

Macega – O capim dos campos, quando seco e tão crescido que dificulta o trânsito. Arbusto rasteiro que viceja, em geral, nos campos de qualidade inferior. Erva daninha que surge nas searas.

Macela – Designação comum a diversas ervas da família das compostas. [Var.: marcela.]

Macerado – mortificado, abatido, aflito.

Macilento – magro, pálido, descorado, descarnado, amortecido, mortiço.

Macrocosmo - O mundo grande, o Universo como um todo orgânico, em oposição ao ser humano (microcosmo), segundo as doutrinas filosóficas que admitem uma correspondência entre as partes constitutivas do Universo e as partes constitutivas do homem. O mundo das coisas grandes, por oposição ao das pequenas.

Madianita – Povo da linhagem de Madian, um dos filhos de Abraão e Cetura.

Madraçal – 1. Casa de estudos, ou escola muçulmana. 2. Palácio, ou grande casa em que residiam ou se hospedavam nobres, senhores, famílias ricas, etc.

Madrepérola – 1. Substância nacarada da concha dos moluscos, quimicamente composta de carbonato de cálcio depositado em camadas finíssimas. 2. Parte nacarada da concha desse animal. 3. Placa crivada na abertura externa do canal central do aparelho irrigador dos equinodermos; madreporita.

Madrépora – 1. Animal celenterado, antozoário, zoantário, madreporário, de esqueleto compacto e calcário. São todos marinhos, na maioria coloniais, e formadores de recifes. [Sin.: coral-branco.]

Madurez – Madureza.


Madureza – 1. Qualidade ou estado de maduro; sazonamento, maturação. 2. Efeito de madurar. 3. Fig. Estado do que está plenamente desenvolvido; amadurecimento, maturidade. 4. Fig. Circunspecção, prudência.

Magano – Jovial, engraçado, travesso; atrevido, malicioso. S. m. Indivíduo magano. Indivíduo de baixa extração.

Magarefe – Aquele que mata e esfola reses nos matadouros; açougueiro, carniceiro, carneador.

Magismo – Prática de magia. Religião ou doutrina dos magos.

Magma – 1. Massa natural fluida, ígnea, de origem profunda, e que, ao esfriar-se, se solidifica, originando a rocha magmática. 2. Matéria espessa que fica depois de se espremer uma substância. 3. Qualquer substância pastosa e viscosa, como a lava, o vidro derretido, etc.

Magneto – Ímã: corpo de material ferromagnético com imantação permanente.

Magnicídio – Assassínio de grande homem, de pessoa eminente.

Magníloquo – Eloquente.

Magote - Grande porção de pessoas ou de coisas; grande número. (A, 65)

Malbaratar – 1. Vender abaixo do custo; vender com prejuízo. 2. Empregar ou gastar de forma inconveniente; dissipar, desperdiçar, desbaratar. 3. Empregar ou aplicar indevidamente. [Sin. ger.: malbaratear.]

Malsinar – denunciar, delatar, desejar mal a.

Malta - Conjunto ou reunião de gente de condição inferior. Bando, grupo, súcia. Rancho de trabalhadores que se transportam juntos de um para outro ponto em busca de trabalhos agrícolas. Vida airada; tuna.

Manar – V. t. d. 1. Verter incessantemente e/ou em abundância. 2. Dar origem a; criar, produzir, derramar. 3. Verter, ressumar, destilar. V. t. c. 4. Brotar, irromper. 5. Emanar, proceder, provir. V. int. 6. Correr em abundância; fluir, brotar.

Manchego – Da, ou pertencente ou relativo à Mancha (Espanha central). Diz-se do herói cervantesco D. Quixote, fidalgo da Mancha.

Mandrágora – Gênero de plantas da família das solanáceas, muito usadas em feitiçaria na Antiguidade e na Idade Média.

Mandrião – Preguiçoso, ocioso, indolente, vadio, madraço. Indivíduo preguiçoso. Roupão curto e ligeiro para uso.

Maniatado - Do verbo maniatar: atar as mãos; impedir os movimentos de; privar da liberdade; constranger, forçar, subjugar. Prender, ligar, amarrar. O mesmo que manietar.

Manípulo – S. m. 1. Feixe de ervas, de flores, ou de qualquer coisa semelhante, que a mão pode abranger formando um arco com os dedos polegar e indicador. 2. P. ext. V. mancheia. 3. Haste coroada de sinais simbólicos, que servia de bandeira às tropas romanas. 4. Troço (ô) de soldados ao qual essa haste servia de bandeira. 5. Pequena estola pendente do braço esquerdo do sacerdote, de uso facultativo quando ele diz a missa. 6. Cabo ou pega de objeto ou arma branca.

Maniqueísmo – 1. Filos. Doutrina do persa Mani ou Manes (séc. III), sobre a qual se criou uma seita religiosa que teve adeptos na Índia, China, África, Itália e S. da Espanha, e segundo a qual o Universo foi criado e é dominado por dois princípios antagônicos e irredutíveis: Deus ou o bem absoluto, e o mal absoluto ou o Diabo. 2. P. ext. Doutrina que se funda em princípios opostos, bem e mal.

Maniqueísta – Relativo ao, ou que é sectário do maniqueísmo. S. 2 g. 2. Sectário do maniqueísmo.

Manitu – Designação que os índios algonquinos (EUA) dão a uma força mágica não personificada, mas inerente a todas as coisas, pessoas, fenômenos naturais e atividades. Gênio tutelar, ou demônio, entre os índios americanos. O mesmo que manitó ou manitô.

Marejar – Verter, gotejar, destilar. Deixar transparecer; patentear, revelar. V. t. i. Brotar, borbulhar, ressumar. V. t. c. Verter; brotar. V. int. Ressumar pelos poros (um líquido). Borbulhar, borbotar. V. p. Cobrir-se, encher-se (de lágrimas).

Marionete – Títere. Fantoche.

Mariticida – Mulher que mata o marido.

Marnel – Ver pântano.

Marrano - Nome injurioso dado a mouros e judeus; indivíduo excomungado, sujo, porco, imundo; gado ruim. (A, 199)

Maser – (Pronuncia-se: mêiser.) Vocábulo formado pelas iniciais de microwave amplification by stimulated emission of radiation. Fís.: Classe de amplificadores e osciladores em que se utilizam sistemas atômicos ou moleculares para produzir amplificação com baixo nível de ruído e microondas.

Masmorra – 1. Prisão subterrânea. 2. P. ext. Lugar ou aposento sombrio, triste, lúgubre.

Mastim – Cão para guarda de gado. Cão bulhento. Fig.: Pessoa de má língua, difamadora, maledicente. Beleguim.

Matalotagem – 1. Ant. Provisão de mantimentos para a marinhagem ou para outras pessoas que embarcam. 2. P. ext. Provisão de víveres; matula. 3. Ant. Conjunto dos matalotes ou marujos. 4. Fig. Montão de coisas confusas; amálgama, salgalhada.

Materialão – Que, ou aquele que é grosseiramente materialista; brutal, bestial. (Feminino: materialona.)

Materialona – Feminino de materialão.

Matreiro – Adj. 1. Muito experiente; astuto, sabido, experimentado, matraqueado. 2. Bras. S. Esquivo, arisco. [Diz-se de animal e, p. ext., de pessoa.]

Matula – S. f. Bras. 1. Alforje para viagem; farnel. 2. Matalotagem (2).

Matula – S. f. Ant. 1. V. urinol (1). 2. Vaso, gamela, alguidar.

Máxime – Adv. 1. Principalmente, especialmente, mormente.

Mazelado – Mazelento. Cheio de mazelas; ferido, chagado, chaguento; mazelado, mazeleiro.

Mazorca – S. f. Bras. 1. Perturbação da ordem; tumulto, desordem. 2. Fam. Barulho, baderna.

Mealheiro - S. m. 1. Conjunto de mealhas. 2. P. ext. Pecúlio (1). 3. Cofrezinho ou caixinha com uma fenda por onde se põe dinheiro a juntar.Adj. 4. Que apenas consta de mealhas, de pouco dinheiro. 5. Que dá lucro pequeno.

Mediterrâneo – Situado no meio de terras; situado entre terras; interior. Mediterrânico. S. m. Mar interior, especialmente o que está entre a Europa e a África.

Mediunato – Missão providencial dos médiuns. (N.R.: Kardec diz que essa palavra foi criada pelos Espíritos.)

Medrar – Crescer, vegetando, desenvolver-se. Ganhar corpo, crescer, desenvolver-se. Prosperar, adiantar-se. Aumentar, ampliar-se. Manifestar-se com exuberância. Alcançar bom êxito, ser bem aceito. Melhorar (alguma coisa). Ter medo (gíria). (A, 49)

Medula – Anat. Denominação comum a certos órgãos, porções de órgão, ou estruturas, de constituições e funções diferentes, e que se caracterizam por ter uma situação central em relação à formação anatômica ou órgãos em cujo interior se encontram. 2. Impr. Anat. Medula espinhal. 3. Bot. Porção central do talo liquênico, constituída de hifas frouxamente entrelaçadas. 4. Bot. Porção parenquimatosa e central do caule, e às vezes da raiz, das plantas superiores, típica da estrutura primária. 5. Fig. A parte mais íntima; o interior; âmago, essência. Medula espinhal. Anat. A parte do sistema nervoso central contida na coluna vertebral. [Tb. se diz apenas, impr., medula.] Medula óssea. Histol. Tecido que preenche cavidades de osso esponjoso e o canal medular dos ossos longos. Medula óssea vermelha. Histol. 1. A que é constituída por células formadoras de glóbulos sanguíneos. Medula suprarrenal. Anat.1.Porção interna de cada glândula suprarrenal, de cor pardo-avermelhada, e que sintetiza, armazena e libera catecolaminas.

Medula espinhal – A parte do sistema nervoso central contida na coluna vertebral, também conhecida como medula dorsal ou simplesmente medula. Dela partem 31 pares de nervos raquianos com raízes sensitivas (levam mensagem ao cérebro) e raízes motoras (executam ordens do cérebro).

Medula óssea – Tecido que preenche cavidades de osso esponjoso e o canal medular dos ossos longos.

Medula óssea vermelha - A que é constituída por células formadoras de glóbulos sanguíneos.

Mefítico – que tem cheio nocivo, podre, fétido, pestilencial.

Meirinho – Antigo funcionário judicial, correspondente ao oficial de diligências de hoje. Antigo magistrado, de nomeação régia, que governava amplamente um território ou comarca. Beleguim: agente de polícia; esbirro, mastim, tira, quadrilheiro.

Menecma – sósia, pessoa que tem semelhança física com outra.

Mentação - Ato de pensar, de representar mentalmente.

Mentecapto – Que perdeu o uso da razão; alienado, louco, idiota. Néscio, tolo, tonto.

Mercê – Favor, graça, benefício. Bom acolhimento; benignidade, indulgência, benevolência. Remissão, perdão, graça.

Merceeiro – Dono de mercearia (1).

Mercurial – Que contém mercúrio; mercúrico. S. m. Farmac. Terap. Medicamento em que entra o mercúrio.

Mercúrio – Astr. Planeta interior, o menor do sistema solar e o mais próximo do Sol, o que torna difícil observá-lo, embora seja um astro brilhante à vista desarmada, quando em configuração favorável. Tem um diâmetro 2,5 vezes menor que o da Terra e uma densidade 1,5 vez menor, e sua revolução em torno do Sol efetua-se em 88 dias. O período de rotação é igual a 59 dias aproximadamente.[Sin. (p. us.): Hermes. Com cap.] 2. Quím. Elemento de número atômico 80, líquido prateado, denso, venenoso [símb.: Hg ] .

Meridiano - Círculo máximo da esfera celeste, que passa pelos polos e contém o zênite. Numa esfera, qualquer dos círculos máximos.

Mescalina – Alcaloide alucinógeno, encontrado em certos cactos.

Mesologia - Ecologia.

Mesológica - Relativo à mesologia.

Mesopotâmia – Região situada entre rios. Região da Ásia situada entre os rios Tigre e Eufrates. A Alta Mesopotâmia abrangia, assim, uma região situada no que hoje chamamos Turquia, Síria e Iraque.

Mestrança – 1. Local das oficinas do material de guerra. 2. Depósito de material para embarcações. 3. Pop. O conjunto dos melhores mestres de qualquer arte ou ofício.

Metanoia – [Do gr. metánoia.] S. f. 1. Transformação fundamental de pensamento ou de caráter. 2. P. ext. Conversão espiritual. 3. Penitência (1).

Metástase - Med.: Aparecimento de um foco secundário, a distância, no curso da evolução dum tumor maligno ou dum processo inflamatório. Ret.: Figura pela qual o orador atribui a outrem a responsabilidade do que alega.

Metropolita – Diz-se de, ou bispo metropolitano.

Mezinha – Líquido para clister. Pop. Qualquer remédio caseiro.

Microcosmo – Mundo pequeno, resumo do Universo. O homem, por oposição a macrocosmo, o Universo. Pequeno mundo; círculo.

Midiático – Que concerne à mídia. Transmitido pela mídia.

Midríase – Aumento dos diâmetros, ou dilatação, de pupila; corectasia.

Mielínico - Relativo à mielina: substância gorda, composta principalmente de lecitina e que forma a bainha de certos nervos.

Mieloide - Referente à medula dos ossos. Relativo à medula espinhal. Semelhante ao mielócite.

Mimetismo – Fenômeno que consiste em tomarem diversos animais a cor e configuração dos objetos em cujo meio vivem, ou de outros animais de grupos diferentes. Ocorre no camaleão, em borboletas, etc. Fig. Mudança consoante o meio; adaptação.

Mimetizado – mudado conforme o meio; adaptado ao meio; camuflado.

Mimetizar – Adquirir por mimetismo. V. p. Modificar-se por mimetismo; camuflar-se.

Minarete – Pequena torre de mesquita de três ou quatro andares e balcões salientes, de onde se anuncia aos muçulmanos a hora das orações; almádena.

Mínio – óxido vermelho de chumbo usado como pigmento. (Cf. nímio).

Mirífico – Maravilhoso, admirável, extraordinário, excelente.

Mirra – Bot. Designação comum a duas árvores da família das burseráceas (Commiphora mallis e C. myrrha), originárias da África, cuja resina dimana por incisão e se usa como incenso e em perfumes, unguentos, etc. A resina dessas árvores.

Mirto – Gênero de arbustos tropicais e subtropicais, de folhas sempre-verdes, ovadas ou lanceoadas, e flores com numerosos óvulos. Qualquer espécie desse gênero, como, p. ex., a Myrtus communis, de origem mediterrânea, cultivada como ornamental, e que se caracteriza pelas flores pequeninas e compactas, e fruto bacáceo ovoide, purpúreo tirante ao negro; é tb. conhecida como murta.

Misantropia – Melancolia, hipocondria; aversão aos homens e à sociedade.

Misoneísmo – Tendência de espírito ou atitude sistemática de hostilidade à inovação, à mudança (nos hábitos, ou padrões estabelecidos).

Misoneísta – Relativo ao, ou que é adepto do misoneísmo.

Missiva – Carta ou bilhete que se manda a alguém.

Missivista – Pessoa que escreve missivas. Pessoa que leva missivas ou cartas; portador de missivas.

Mister - (Pronuncia-se: mistér.) Ofício, ocupação, trabalho, emprego. Ministério, incumbência, comissão. Profissão. Intuito, propósito, meta. Precisão, necessidade, urgência. Aquilo que é necessário ou forçoso. (N.R.: Não confundir com o vocábulo inglês Mister ou Mr., que é tratamento correspondente a senhor.)

Mitomania - Tendência mórbida para a mentira.

Mitose - Divisão celular na qual o núcleo forma cromossomos e estes se bipartem, produzindo dois núcleos filhos com o mesmo patrimônio original. (N.R.: A mitose é complexa e engloba quatro fases principais: prófase, metáfase, anáfase e telófase. Observa-se em todas as células, animais ou vegetais.) Processo mediante o qual o material genético é duplicado com precisão, gerando dois novos conjuntos de cromossomos iguais ao original; cariocinese.

Miúra – Touro feroz com que é difícil lidar.

Mixórdia – 1. Mistura desordenada de coisas diversas; maçarocada, miscelânea, misturada, mistifório, mistela, massagada, massamorda, salsada, salada, salgalhada, tiborna, tibornice. 2. Confusão, embrulhada; moxinifada; tiborna, tibornice. 3. Comida ou bebida mal preparada ou repugnante; mistela.

Moabita – Povo da linhagem de Moab, irmão de Amon, ambos filhos de Lot.

Mocha – Arma de fogo sem cão. Feminino de mocho.

Mocho – Zool. Designação vulgar das corujas ou caburés sem penacho ou tufo de penas na cabeça. Atualmente se aplica este nome, de maneira geral, às espécies de bubonídeos, especialmente as dos gêneros Pulsatrix, Ciccaba e Glaucidium. Fig. Indivíduo macambúzio; misantropo. Adj. Diz-se do animal que, devendo ter chifres, não os tem, por ter nascido sem eles ou porque lhos cortaram. Diz-se do animal mutilado, ou a que falta algum membro. Marinh. Diz-se de um mastro inteiriço, sem mastaréu, ou de um mastaréu, sem calcês nem galope. Ant. Mar. Dizia-se de navio do qual se tirou a mastreação. Bras. SP Pop. Diz-se de arma de fogo sem cão. Diz-se da árvore sem ramos.

Mofa – Zombaria.

Mofino – 1. Infeliz, desgraçado, desditoso. 2. Turbulento, importuno. 3. Avarento, mesquinho, sovina. 4. Escasso, exíguo, acanhado. 5. Bras. Covarde, poltrão. 6.Bras. Doentio, enfermiço, achacadiço.

Mole – grande massa informe; massa, turba; multidão.

Moleiro – 1. Proprietário de moinho; moendeiro. 2. Aquele que mói cereais profissionalmente.

Molhe - S. m. 1. Estrutura marítima enraizada em terra, e que pode servir de quebra-mar (q. v.), guia-corrente ou cais acostável.

Molho (ó) – Feixe pequeno; braçado. Ex.: . Ramo pequeno. Ex.: molho de rosas. Conjunto de coisas unidas; penca. Ex.: molho de chaves.

Molho (ô) – Rubrica: culinária.caldo em que se refogam iguarias, ou que as acompanha. Ex.: . Água ou qualquer líquido em que se imerge o peixe ou a carne salgada para lhes retirar parte do sal, ou quaisquer grãos, para amolecê-los.

Mônada – Biol. Organismo ou unidade orgânica diminuta e muito simples. Filos. Segundo Leibniz (v. leibniziano), cada uma das substâncias simples e de número infinito, de natureza psíquica (dotada de apercepção e apetição), e que não têm qualquer relação umas com as outras, que se agregam harmoniosamente por predeterminação da divindade, constituindo as coisas de que a natureza se compõe; enteléquia.

Monção – 1. Época ou vento favorável à navegação. 2. Vento periódico, típico do S. e do S.E. da Ásia, que no verão sopra do mar para o continente (monção marítima) e no inverno sopra do continente para o mar (monção continental). 3. Fig. Boa oportunidade; ensejo. 4. Bras. Qualquer das expedições que desciam e subiam rios das capitanias de SP e MT, nos sécs. XVIII e XIX, pondo-as em comunicação.

Monera – Rubrica: bacteriologia, biologia. Design. comum aos organismos do reino Monera, unicelulares de vida livre ou parasitas, mais conhecidos como bactérias.

Mongol – Natural ou habitante da Mongólia. Da, ou relativo ou pertencente à Mongólia. Língua falada pelos mongóis.

Monócito – Leucócito mononuclear, de grande porte, e que normalmente constitui 3 a 7% do total de leucócitos do sangue.

Monocórdio - Instrumento medieval, de uma só corda, que se tocava com o plectro. Manicórdio. Monótono; uniforme.

Monoideia - Ideia fixa. (Cf. monoideísmo.)

Monoideísmo - Estado de alma em todo o organismo psíquico que se acha dominado por uma ideia central.

Montra – Vitrina de casa comercial; fachada do órgão, na qual se acham os tubos mais vistosos desse instrumento musical.

Moqueado – Secado no moquém para ser conservado. Assado em moquém.

Moquém – Grelha de varas para assar ou secar a carne ou o peixe.

Morbífico - Que origina doença; mórbido, insalubre; morbígeno; morbígero.

Morbígeno – Que origina doença; mórbido, insalubre, morbífico, morbígero, morbíparo, morboso.

Morbo – Estado patológico; doença.

Morboso – V. morbígeno.

Mordente – Adj. 2 g. 1. Que morde; mordaz. 2. Provocador, provocante, excitante. S. m. 3. Preparação adesiva para cobrir objetos que se querem dourar. 4. Qualquer substância que, combinada com um corante, serve para fixar as cores em pintura ou tinturaria. 5.Instrumento usado para fixar ou apertar um objeto no lugar. 6. Extremidade de certas pinças ou de tenazes. 7. Mús. Ornamento melódico, muito usado nas peças para cravo, e que se compõe da nota real, da segunda maior ou menor, superior ou inferior, e da nota real repetida. 8.Tip. Peça móvel do divisório, usada para prender o original e marcar as linhas que o tipógrafo ou o linotipista está compondo.

Morigeração - Que tem bons costumes ou vida exemplar.

Morigerado – Que tem bons costumes ou vida exemplar.

Morrião – Antigo capacete sem viseira e com tope enfeitado.

Morsa – 1. A parte dianteira da linotipo, que se abre para permitir acesso ao disco de moldes; tranqueira. 2. Designação comum a dois mamíferos marinhos odobenídeos.

Mortiço – Prestes a apagar-se, a extinguir-se. Sem brilho ou vivacidade; desanimado. Sem brilho; amortecido, baço, embaciado, fosco. V. morrediço.

Mórula – S. f. 1. Pequena mora ou demora. S. f. Embr. Massa compacta, constituída por 16 ou mais blastômeros, e proveniente da segmentação de ovo fecundado.

Mosquete (ê) – Arma de fogo antiga, com o feitio da espingarda, porém muito mais pesada, a tal ponto que para servir tinha de ser apoiada em uma forquilha. N.E. Cavalo pequeno e corredor.

Motilidade – Faculdade de mover(-se). Força motriz. Fisiol. Capacidade de mover-se espontaneamente

Motricidade - Propriedade que têm certas células nervosas de determinar a contração muscular.

Mourejar – V. int. V. t. i. Trabalhar muito, sem descanso (como um mouro); lidar constantemente. [Var.: moirejar. Conjug.: v. pelejar.]

Moxinifada – Confusão, embrulhada, salsada, miscelânea, mistifório.

Mucama – Bras. Angol. A escrava negra moça e de estimação que era escolhida para auxiliar nos serviços caseiros ou acompanhar pessoas da família, e que, por vezes, era a ama-de-leite.

Muco – Humor mucoso, viscoso, segregado pelas fossas nasais; mucosidade, monco.

Muleta – Pau em que o toureiro suspende a capa, a fim de provocar o touro. Bastão de braço curvo, ao qual se apoiam os coxos. Fig.: Aquilo que serve de apoio. Manivela de realejo.

Multifário - Que tem muitos aspectos; variado; multímodo.

Musgo – Vegetal minuto, ou seja, pequeno, diminuto, provido de caule e folhas, pertencente ao grupo dos briófitos.

Música de câmara – música vocal ou instrumental para pequeno auditório.

N (ene)

Nadir – oposto ao zênite; o ponto mais baixo.

Narcoanálise – Psiq. Forma de investigação em que o paciente é submetido à injeção lenta de barbitúrico, por via intravenosa, com o fim de liberar pensamentos suprimidos ou reprimidos. [Cf. soro da verdade.]

Nebulosa – S. f. Astr. 1. Corpo celeste que se apresenta com o aspecto de mancha esbranquiçada e difusa. [A nebulosa pode ser galáctica ou extragaláctica.] 2. Massa estelar ainda em via de condensação. 3. Universo em formação.

Nédio – Luzidio, brilhante, nítido. De pele lustrosa.

Nefário – Nefando. Indigno de se nomear; abominável, execrável, execrando, aborrecível, infando. Sacrílego, ímpio. Perverso, malvado.

Neoplasia - Neoplasma: qualquer tumor, benigno ou maligno; blastoma.

Neotestamentário - Relativo aos livros da Bíblia que correspondem ao Novo Testamento (ex.: narrativa neotestamentária, texto neotestamentário).

Nervo cervical – Relativo ao pescoço. Relativo ao colo de qualquer órgão.

Nervo dorsal – Relativo ou pertencente ao dorso.

Nervo espinhal - O que nasce da medula espinhal, e do qual há 31 pares. [Tb. se diz apenas espinhal.]

Nervo lombarRelativo à parte do dorso situada entre o tórax e a bacia.

Nervo sacro – Relativo ao osso sacro, que forma a parte posterior da bacia.

Nesga – Pequena porção de qualquer espaço; pequeno espaço de terreno; peça de pano que se adiciona entre dois panos.

Neuma – [Do gr. pneûma, 'sopro', pelo lat. med. neuma.] S. m. Mús. Cada um dos sinais da antiga notação musical medieval, que não indicavam nem a altura exata dos sons nem a sua duração, mas apenas o movimento linear da melodia, i. e., onde a voz deveria elevar-se ou abaixar-se. No cantochão, passagem melismática entoada como uma só sílaba e, em princípio, emitida com um sopro só.

Neuroléptico – Psiq. Diz-se de, ou psicotrópico capaz de produzir ação sedativa sem efeito hipnótico, sendo eficaz em estados de excitação e de agitação, bem como em psicoses.

Neurônio - A célula nervosa com seus prolongamentos chamados dendritos, que formam uma espécie de arborização, e, no polo oposto, um só prolongamento, diferente, denominado axônio, que termina em finas ramificações. O estímulo nervoso passa do axônio de um neurônio para os dendritos do outro, e esse ponto de transmissão da excitação tem o nome de sinapse.

Neurose - Perturbação mental que não compromete as funções essenciais da personalidade e em que o indivíduo mantém penosa consciência de seu estado.

Neurotransmissor – S. m. Bioquím. 1. Diz-se de, ou substância liberada por célula nervosa, que transmite a outra célula, de nervo ou músculo, um impulso nervoso.

Nêutron - Núcleon que forma um dubleto com o próton, com carga elétrica nula.

Newton - Unidade de força, no Sistema Internacional de Pesos e Medidas: a força que, agindo sobre um corpo de massa igual a um quilograma, lhe atribui a aceleração constante de um metro por segundo quadrado na direção da força. O vocábulo se origina do nome do cientista inglês Isaac Newton (1642-1727).

Nidificar – Fazer ninho; aninhar, ninhar.

Nigromântica – necromântica; relativo a adivinhação por invocação dos Espíritos.

Nimbado – Cercado de nimbo (nuvem densa) ou auréola; sublimado. Particípio do verbo nimbar.

Nimbar - Cercar de nimbo ou auréola; aureolar. Gloriar, enaltecer, sublimar.

Nimbo - Nuvem densa e cinzenta, de baixa altitude e contornos mal definidos, que facilmente se precipita em chuva ou neve. Chuva ligeira. Fig.: Auréola.

Nímio – Excessivo, demasiado, sobejo.

Nitrir – V. int. 1. Rinchar, relinchar; trinir. [Defect. Não se conjuga nas f. em que ao r da raiz se seguiriam as vogais o e a, e normalmente só é conjugado na 3a pessoa.]

Nitrito – Qualquer sal do ácido nitroso.

Nitroso – Ácido nitroso: ácido instável, redutor, que forma os sais conhecidos como nitritos.

Nodo sinoauricular - Massa de células musculares cardíacas especializadas na geração de impulsos elétricos para a contração do coração; nodo sinoatrial.

Noético – Relativo à noese. 2. Relativo ao pensamento. [Noese: Na fenomenologia, aspecto subjetivo da vivência, constituído por todos os atos que tendem a apreender o objeto: o pensamento, a percepção, a imaginação, etc.]

Noradrenalina – Hormônio relacionado à adrenalina.

Normando – Da, ou pertencente ou relativo à Normandia (França). S. m. O natural ou habitante da Normandia. Gloss. Dialeto do francês falado nessa região. Vocábulo do normando.

Noviço – 1. Homem que se está preparando para professar num convento. 2. Fig. Aprendiz, principiante. 3. Inexperiente, bisonho, novato.

Núcleo - Parte do átomo com carga positiva e com a quase totalidade da sua massa constituída por prótons e nêutrons, e que ocupa pequeníssimo volume.

Núcleon - Designação genérica das partículas que constituem o núcleo atômico, isto é, o nêutron e o próton.

Nuclídeo - Átomo caracterizado por um número de massa e um número atômico determinados, e que tem vida média suficientemente longa para permitir a sua identificação com um elemento químico. (N.R.: Também se denomina, embora impropriamente, isótopo.)

Número atômico - Número de prótons no núcleo de um elemento.

Número bariônico - Número associado às partículas elementares, e que tem propriedades conservativas nas transformações dessas partículas; número igual a um para os bárions, a zero para os léptons e bósons, e a menos um para os antibárions.

Número de massa – Número total de prótons e nêutrons presentes no núcleo de um elemento, e que é igual ao número inteiro mais próximo da massa atômica do elemento.

Nutriz - Mulher que amamenta; ama-de-leite. Que alimenta. (B, 25)

Nuvioso - Nublado: coberto de nuvens; nubloso, nebuloso. Fig.: Infeliz, triste, lúgubre; preocupado, apreensivo, inquieto.

O (ó)

Oblata – Tudo quanto se oferece a Deus ou aos santos na igreja. Oferta piedosa.

Oblato – Leigo que se oferece para serviço duma ordem monástica. Achatado nos polos. V. elipsoide.

Oblongo - Que tem mais comprimento que largura; alongado. Oval; elíptico.

Obnubilação – Patol.: Deslumbramento ou trevas, fenômeno que se experimenta nos pródromos de certas enfermidades ou em consequência de outras.

Obnubilou – Do verbo obnubilar: obscurecer; escurecer; produzir obnubilação em; pôr-se em trevas.

Obsoleto (é) – Que caiu em desuso; arcaico. V. antiquado. Biol. Mal desenvolvido; atrofiado, rudimentar.

Obtemperar – ponderar, assentir, aquiescer; responder com humildade e modéstia.

Obumbrado – Coberto de sombras; anuviado, toldado.

Obus - Pequena peça de artilharia, semelhante a um morteiro comprido. P. ext.: Bomba ou granada lançada pelo obus.

Odalisca – Camareira escrava, a serviço das mulheres de um sultão. Mulher de harém. P. ext.: Mulher morena e bonita.

Odre – Saco feito de pele e destinado ao transporte de líquidos; pele. (N.R.: A pronúncia é fechada: ôdre.)

Oleografia – 1. Cópia dum quadro a óleo, transmitida de uma tela para outra. 2. Quadro feito por esse processo.

Olfativo - Relativo ao, ou próprio do olfato.

Olfato - Sentido com que se percebem os odores. Faro.

Olfatório - O dicionário Aurélio não registra este vocábulo. (Veja olfativo.)

Oligofrenia - Deficiência do desenvolvimento mental, congênita ou adquirida precocemente.

Ominoso – Agourento, nefasto, funesto. 2. Detestável, execrável.

Omnívoro – Onívoro.

Onda - Perturbação periódica mediante a qual pode haver transporte de energia de um ponto a outro de um material ou do espaço vazio.

Onda curta - Onda eletromagnética com frequência compreendida entre 1 e 30 megahertz, aproximadamente.

Onda de rádio - Onda eletromagnética utilizada em radioemissão e radiorrecepção e que tem comprimento de onda situado aproximadamente entre 50 e 3.000 metros.

Onda eletromagnética - Campo eletromagnético periódico não estacionário que se propaga no espaço ou num meio material; perturbação periódica de natureza eletromagnética que se propaga num meio material ou no espaço vazio e é portadora de energia.

Onda hertziana - Onda de rádio

Ondulado - Ondeado, ondado. Que tem ondas. Disposto em curvas, à feição das ondas. Aquilo que apresenta a forma de ondas, como o ondeado dos cabelos.

Onívoro – Que se alimenta de carne e de vegetal; polífago. Fig. Que tudo absorve, devora.

Opa – Espécie de capa sem mangas, com aberturas por onde se enfiam os braços, usada pelas irmandades religiosas.

Opalina – vidro fosco, mas translúcido, que se emprega na confecção de objetos decorativos, como jarras, taças etc. ; objeto confeccionado com esse vidro; vidro espesso, leitoso, us. em revestimento de paredes, tetos etc.

Opalino – que tem cor leitosa e azulada, como a da opala; que apresenta reflexos irisados como os da opala.

Opimo – excelente, abundante, fértil.

Opíparo – Esplêndido, pomposo, suntuoso, faustoso, lauto.

Orate – Doido, louco, maluco, idiota.

Orco – S. m. Poét. 1. Região dos mortos. 2. O Inferno.

Organicismo - Doutrina segundo a qual a vida resulta da composição e coordenação das funções particulares dos órgãos que compõem o ser vivo. Doutrina que, assimilando a sociedade ao organismo vivo, tende a aplicar aos fatos sociais as leis e teorias biológicas.

Organicista - Relativo ao organicismo. Que é partidário do organicismo. Partidário do organicismo.

Oriente – 1. A parte onde nasce o Sol; nascente, leste, este, levante. 2. Astr. Geogr. V. este (1 e 2). 3. A Ásia. [Com cap., nesta acepç.] 4. P. ext. Os povos da Ásia; os orientais. 5. O lado direito (do ponto de vista do observador) de uma carta geográfica. 6. A qualidade que determina o valor de uma pérola; o lustre.

Orografia – Descrição das montanhas. [F. paral.: oreografia.]

Ortotanásia – Morte natural, normal. Fig. Boa morte, supositivamente sem sofrimento.

Oscilação - Fenômeno em que uma grandeza ou um conjunto de grandezas de um sistema varia segundo função periódica de tempo. Variação alternada; flutuação; mudança.

Osmose – Passagem do solvente de uma solução através de membrana impermeável ao soluto.

Ostensório – custódia onde se ostenta a hóstia consagrada.

Ostrogodo – S. m. 1. Indivíduo dos ostrogodos ou godos de leste. Adj. 2. Pertencente ou relativo a eles. Godo - S. m. Etnôn. Indivíduo dos godos, povo antigo da Germânia, que do séc. III ao V invadiu os impérios romanos do Ocidente e do Oriente. Dividiam-se em ostrogodos (godos do Leste) e visigodos (godos do Oeste).

Oução – Pequenino ácaro encontrado no queijo, na farinha etc.

Ouriço – O invólucro da castanha. 2. P. ext. Casca exterior, dura ou espinhosa, de certos frutos. 3. Zool. Mamífero insetívoro que tem o corpo coberto de espinhos, e cuja espécie principal é o ouriço-cacheiro. 4. Bras. Gír. Animação intensa; agitação, agito, excitação.

Outeiro – Pequeno monte. V. colina. Festa que se realizava no pátio dos conventos, e por ocasião da qual os poetas glosavam motes dados pelas freiras.

Ovino – Exemplar de gado ovelhum.

Ovo - Corpo formado no ovário, resultante da fecundação do óvulo (ou célula reprodutora), e que se compõe de protoplasma, vesículas germinativas, albuminas, graxas e envoltórios protetores. Zigoto.

Óvulo – Célula sexual feminina, formada em ovário; gameta feminino, macrogameta

Oxidação – Ato ou efeito de oxidar(-se); oxigenação. Fixação de oxigênio em um corpo. Quím. Processo em que um átomo, uma molécula ou um íon perde um ou mais elétrons. Processo em que uma substância se combina com oxigênio, ou em que ela perde hidrogênio. Processo em que o número de oxidação de um dado elemento aumenta. Restr. Criação de ferrugem.

Oxidante – Que tem a propriedade de oxidar. Substância que produz oxidação.

Oxidar – Aumentar o número de oxidação de um íon. Combinar com oxigênio. Enferrujar. Provocar oxidação em. Sofrer oxidação (4).

Óxido – Composto binário de oxigênio e outro elemento.

Oximoro – Figura que consiste em reunir palavras contraditórias; paradoxismo. Ex.: covarde valentia; culpa inocente. (Lê-se: ok-simôro.)

Ozone – Ozônio.

Ozônio – Gás azul pálido, muito oxidante e reativo, que é uma variedade alotrópica do oxigênio.

P (pê)

Pábulo – pasto, sustento.

Pachola – Madraço, mandrião. Farsola, farsante; patusco. Indivíduo pedante, cheio de si. Indivíduo de elegância duvidosa. Homem femeeiro, mulherengo. Bras. Cheio de si; orgulhoso, vaidoso; gabola. Pretensiosamente apurado no trajar.

Pachorra – Falta de pressa; vagar, lentidão, fleuma. 2. Paciência (4).

Pachorrento – Dotado de pachorra. 2. Feito com pachorra. 3. Que revela pachorra.

Padiola – Espécie de tabuleiro retangular, com quatro varais, usado para transporte. Espécie de cama de lona, portátil e desmontável, na qual os padioleiros transportam doentes ou feridos. Maca.

Pagão - Indivíduo não batizado. Adepto do paganismo: doutrina que não adota o batismo. (N.R.: Na época, o vocábulo referia-se também aos gentios e aos adeptos de outras religiões não judias nem cristãs.)

Paina – Conjunto de fibras sedosas, parecidas às do algodão, que envolvem as sementes de várias plantas, em especial das famílias das bombacáceas, asclepiadáceas e tifáceas, e têm larga aplicação industrial.

Palafrém - Cavalo de parada dos reis e dos nobres, na Idade Média. Cavalo elegante, especialmente destinado a senhoras. P. ext., qualquer cavalo.

Palafreneiro - Moço de libré que tratava do palafrém ou o conduzia à mão. (A, 159)

Palanfrório – V. palavreado.

Palavreado – S.m. 1. Conjunto de palavras com pouco ou nenhum nexo e importância. [Sin.: bacharelice, bagaçada, bagaceira, conversa, parlenda, palavrório, palanfrório e (bras., S.) bocagem.] 2. Loquacidade astucioas. [Sin.: lábia, conversa, palavrório, palanfrório e (bras., S.) bocagem.]

Palavrório – V. palavreado.

Paleozoico – Era paleozoica. [Cronologicamente as eras classificam-se em: a) era proterozoica: a que vai desde a solidificação da crosta terrestre até o aparecimento dos primeiros sinais de vida (duração: cerca de 4 bilhões de anos); b) era paleozoica: na fauna, a que se caracteriza pelo surgimento dos animais de organização celular rudimentar (foraminíferos, celenterados, equinodermos), pelo desenvolvimento dos invertebrados, e pelo aparecimento dos vermes, insetos, cefalópodes, peixes, batráquios e reptis, e na flora pelo surgimento dos criptógamos vasculares, dos fanerógamos e das gimnospermas (duração: cerca de 380 milhões de anos); c) era mesozoica: aquela em que, na fauna, certos reptis, os dinossauros, atingem grandes dimensões, começa a transição para anfíbios e pássaros, e, já no fim, aparecem os primeiros mamíferos, os marsupiais, e, na flora, se nota grande desenvolvimento das gimnospermas, principiam a surgir as angiospermas mono e dicotiledôneas, e se encontram nas rochas consideráveis reservas de carvão-de-pedra (duração: cerca de 150 milhões de anos); d) era cenozoica: a que se caracteriza pela extinção dos reptis gigantes, por notável desenvolvimento dos vertebrados, pelo aparecimento dos símios antropomorfos e, no último período, do homem (no começo desta era, que tem a duração de 71 milhões de anos, o clima é muito quente, modificando-se a partir do quaternário).]

Palestinense - Natural ou habitante de Palestina (SP). De, ou relativo a Palestina (SP).

Palestino - Natural ou habitante da Palestina (Ásia). De, ou pertencente à Palestina (Ásia).

Palestra – 1. V. conversação (1). 2. Conferência ou discussão sobre assunto cultural. 3. Ant. Na Grécia e Roma antigas, lugar onde se faziam exercícios ginásticos.

Palíndromo – 1. Diz-se de frase ou palavra que, ou se leia da esquerda para a direita, ou da direita para a esquerda, tem o mesmo sentido, como, p. ex., radar e Roma é amor. 2. Frase ou verso palíndromo.

Pálio – manto, capa; sobrecéu portátil, com varas, que se conduz em cortejos e procissões, caminhando debaixo dele a pessoa festejada ou o sacerdote que leva a custódia.

Palor - Palidez.

Paludoso – Em que há paludes ou lagoas; paludífero, palustre. Alagadiço, pantanoso, palustre.

Palustre – V. paludoso. Relativo a pauis. Que vive em pauis ou lagoas.

Pandemia – Doença epidêmica amplamente difundida.

Panegírico – S. m. 1. Discurso em louvor de alguém. 2. P. ext. Elogio, louvor. Adj. 3. Que contém louvor; laudatório, elogioso, encomiástico, panegirical.

Panegirista – Pessoa que faz panegírico(s).

Pantógrafo - Instrumento constituído por um paralelogramo articulado, e com que se podem copiar figuras, modificando-se à vontade a escala do desenho.

Papalvo – Indivíduo simplório, pateta [ v. tolo (8) ].

Paráclito – Paracleto. Designação aplicada ao Cristo e especialmente ao Espírito Santo. Defensor, protetor, mentor. (Em Espiritismo, o vocábulo é aplicado também para designar o Espírito de Verdade, o Consolador prometido por Jesus.)

Paradigma – Modelo, padrão, estalão. Modelo ou tipo de conjugação ou declinação gramatical.

Paradoxo – Conceito que é ou parece contrário ao comum; contra-senso, absurdo, disparate. Contradição, pelo menos na aparência. Afirmação que vai de encontro a sistemas ou pressupostos que se impuseram como incontestáveis ao pensamento. Paradoxo socrático: Tese socrática que afirma: “Ninguém faz o mal voluntariamente, mas por ignorância, pois a sabedoria e a virtude são inseparáveis”.

Paráfrase - Desenvolvimento do texto de um livro ou de um documento conservando-se as ideias originais; metáfrase. Tradução livre ou desenvolvida. Comentário malevolente.

Parafrenia - Demência precoce; esquizofrenia.

Paramento - Adorno, enfeite, ornato, atavio; face polida de pedra ou de madeira, próprias para construção; superfície aparente de uma parede ou de um muro.

Páramo – 1. Planície deserta. 2. P. ext. A abóbada celeste; o firmamento. 3. A porção alpina dos Andes.

Paranoia - Doença mental que se manifesta por desconfiança, conceito exagerado de si mesmo e desenvolvimento progressivo de ideias de reivindicação, perseguição e grandeza, sem alucinações. O mesmo que paraneia.

Paranoide - O dicionário não a registra. Deve derivar-se de paranoia: doença mental que se manifesta por desconfiança, conceito exagerado de si mesmo e desenvolvimento progressivo de ideias de reivindicação, perseguição e grandeza, sem alucinações.

Parasito – S. m. 1. Organismo que, pelo menos em uma fase de seu desenvolvimento, se encontra ligado à superfície ou ao interior de outro organismo, dito hospedeiro, do qual obtém a totalidade ou parte de seus nutrientes. 2. Indivíduo que não trabalha, habituado a viver, ou que vive, à custa alheia. [Sin., nesta acepç.: comedor, esponja e (bras.) gaudério, godero, gandulo, pançudo, papa-jantares, zangão, zângano.] 3. Zool. V. chupim (1). Adj. 4. Que nasce ou cresce em outros corpos organizados. 5. Que vive à custa alheia; arrimadiço, pançudo. [A forma de maior uso é parasita.]

Parasitose – Agressão produzida por parasito em hospedeiro, e que pode ocorrer sob a forma ou de infecção ou de infestação.

Parassematografia – Heráldica.

Parlamentário – 1. Que parlamenta ou é próprio para parlamentar. S. m. 2. Aquele que parlamenta. [Fem.: parlamentária. Cf. parlamentaria, do v. parlamentar.] 3. Navio que conduz o oficial que vai parlamentar a bordo de navio inimigo.

Parola – 1. Conversa sem consequência ou compromisso; conversa fiada. 2. Sequência de palavras ocas; palavreado, parlenda, palanfrório, paleio. 3. Tagarelice, trela.

Paroleiro – 1. Que ou aquele que gosta de parolas ou de estar à parola. 2. Parlapatão, fanfarrão, embusteiro, mentiroso.

Paroxismo - Estágio de uma doença ou dum estado mórbido, em que os sintomas se manifestam com maior intensidade. Fig.: a exaltação máxima de uma sensação ou de um sentimento; auge, apogeu. (A, 126)

Paroxismos - Plural de paroxismo: estertor de moribundo; vascas; agonia.

Partenogênese – Forma de reprodução sexual em que um óvulo se desenvolve sem ter havido fertilização; ocorre em algumas plantas e em invertebrados, especialmente em artrópodes.

Partícula alfa - Núcleo de hélio emitido em um processo radioativo ou acelerado convenientemente.

Passadiço – S. m. 1. Passagem externa que liga dois edifícios; passagem. 2. Corredor ou galeria de comunicação. 3. Passeio lateral das ruas; calçada. 4. Bras. Constr. Nav. Superestrutura do navio, onde permanecem o comandante, o oficial de quarto e o homem do leme quando o navio está navegando, e de onde se dirige a manobra dele; ponte de comando. Adj. 5. Transitório, passageiro.

Passamanaria – Nome dado a certos tipos de tecido trabalhado ou entrançado com fio grosso, em geral de seda, e destinado ao acabamento ou adorno de roupas, cortinas e móveis. Ofício de quem executa esses trabalhos. Fábrica ou loja de passamanria.

Patela - A rótula do joelho.

Patelar - Pertencente ou relativo à patela; rotuliano.

Patético – 1. Que comove a alma, despertando um sentimento de piedade ou tristeza; confrangedor, tocante. 2. Que revela forte emoção; apaixonado. 3.Trágico, sinistro, cruel.

Patibular - Relativo a patíbulo. Fig.: Que tem aspecto de criminoso ou dá a impressão de ser criminoso. Que traz à ideia o crime ou o remorso.

Patranha – Grande peta2 (1). V. mentira (1). 2. História mentirosa; história; patranhada.

Patuá – Bentinhos.

Paul - Pântano: terra baixa e alagadiça; charco, brejo, charneca, palude, tremedal.

Paulama – S. f. Bras. 1. Grande porção de paus; pauzama. 2. Madeira que atravanca os roçados após a queima.

Paulificar - V. t. d. V. int. Bras. 1. Importunar, maçar, aborrecer, cacetear, amolar.

Pávido – Que tem pavor; assombrado, aterrorizado, apavorado. 2. Medroso, receoso, assustado.

Pavilhão – S. m. 1. Construção leve, de madeira ou de outro material, ger. destinada a servir de abrigo; quiosque. 2. Construção desmontável; tenda, barraca. 3. Construção isolada que faz parte de um conjunto de edifícios, ou independente dele. 4. Parte de um edifício construída como anexo ao seu corpo principal. 5. Edifício, provisório quase sempre, em feiras ou exposições, sobretudo internacionais, no qual se exibem os produtos e/ou as peculiaridades de um país, ou dados de várias espécies acerca de determinada matéria. 6. V. caramanchão. 7. Sobrecéu da cama. 8. Cortina do sacrário. 9. V. bandeira (1). 10. Fig. Símbolo de uma nacionalidade. 11. Acúst. Espécie de campânula, nos antigos fonógrafos, nas cornetas acústicas, nos alto-falantes, etc., para ampliar o som. 12. Anat. Designação genérica de dilatação em extremidade de conduto (2). 13. Mús. A parte inferior, mais larga, do tubo de alguns instrumentos de sopro (metais), e cuja largura é calculada de modo que se assegure a exatidão dos harmônicos.

Pavilhão de orelha – Anat. A parte exterior do canal auditivo externo; pavilhão de ouvido.

Pavilhão de ouvido – Anat. Pavilhão de orelha.

Pavimento - Revestimento, com material apropriado, do solo onde se pisa, ou de parte de uma construção; chão, piso; pavimentação. Estrutura aplicada à superfície de ruas, rodovias, aeroportos etc., constituída de uma ou várias camadas de material capaz de resistir às tensões determinadas pelo rodar dos veículos.

Peçonha – 1. Secreção venenosa dalguns animais; veneno. 2. Fig. Malícia, maldade.

Pedagogo – Aquele que ensina; professor, mestre, preceptor. Prático da educação e do ensino. Aquele que se julga com o direito de censurar os outros. (N.R.: Pedagogos eram escravos que levavam os filhos dos seus senhores aos mestres, tomando conta deles e corrigindo-os. Vem daí, provavelmente, o sentido moderno do vocábulo.)

Pego – Do grego pélagos. A parte mais funda de um rio, lago, etc. Abismo marítimo; pélago. Lagamar. Fig.: Voragem, abismo. (N.R.: A pronúncia é aberta: pégo. No caso do verbo pegar, o particípio pego possui as duas pronúncias: pêgo e pégo.)

Pegureiro – S. f. Bras. 1. Grande porção de paus; pauzama. 2. Madeira que atravanca os roçados após a queima.

Peia – S. f. 1. Prisão de corda ou de ferro que segura os pés das bestas; trabelho. 2. Marinh. Qualquer cabo ou corrente com que se amarra, a bordo, um objeto, para evitar que se desloque com o jogo da embarcação. 3. Fig. Embaraço, impedimento, estorvo, empecilho. 4. Bras. V. chicote (1).

Pejar – Encher; carregar. Estorvar, impedir, embaraçar. Encher, carregar. Causar pejo, vergonha ou vexame. Ficar prenhe, grávida; engravidar, gravidar, conceber. Bras.: Parar (o engenho de açúcar) de moer. Embaraçar-se, estorvar-se. Recear; hesitar. Acanhar-se por modéstia ou por timidez; envergonhar-se, correr.

Pélago - Mar profundo, abismo marítimo, pego. Mar alto, oceano. Fig.: abismo, profundidade, imensidade (A, 187)

Pelo-sinal – S. m. 1. Rel. Oração que acompanha o ato de persignar-se (q. v.). 2. Bras. Liter. Pop. Espécie de pé-quebrado em que se aproveitam como verso final de cada quadra (o de pé-quebrado) palavras do pelo-sinal (1).

Peloponeso – O Peloponeso (em grego: Πελοπόννησος; transl.: Pelopónissos) é uma extensa península no sul da Grécia, separada do continente pelo Istmo de Corinto.

Pelourinho - Coluna de pedra ou de madeira, em praça ou lugar público, junto da qual se expunham e castigavam criminosos.

Penates – deuses domésticos dos pagãos. Fig.: a casa paterna, o lar, a família.

Pendão – 1. V. bandeira (1). 2. Guião (1 e 2). 3. V. galhardete (3). 4. Fig. Emblema ou símbolo de um partido, de uma causa. 5. Inflorescência masculina do milho:

Penetrais – S. m. pl. 1. A parte mais íntima; o interior.

Penha – Grande massa de rocha isolada e saliente; penedo, penhasco. Rocha, fraga.

Penhasco – Penha elevada. Rochedo escarpado e extenso.

Península – Porção de terra cercada de água por todos os lados, menos um, pelo qual se liga a outra terra.

Pensão do sexo – Como pensão, em linguagem figurada, significa: trabalho, cuidado, preocupação, essa expressão refere-se ao que conhecemos por menopausa – em que ocorre cessação definitiva do mênstruo, isto é, do fluxo sanguíneo, em regra mensal, através das vias genitais da mulher..

Penso - Pendido, inclinado. De mau jeito. Tratamento, sustento, limpeza, curativo de crianças ou animais. Curativo. Ração para o gado. (A, 149)

Pentagrama – Mús. Pauta de cinco linhas. Figura ou símbolo formado por cinco letras ou sinais, e ao qual se atribuem poderes mágicos. [Cf. pentáculo.] Geom. O pentágono regular estrelado, usado como distintivo pelos pitagóricos.

Pentecostes - Festa católica celebrada 50 dias depois da Páscoa em comemoração da descida do Espírito Santo sobre os apóstolos. O dia de Pentecostes era também comemorado pelos hebreus, assim como a Páscoa, na mesma época em que os cristãos os comemoram.

Pepsina - Enzima do suco gástrico capaz de hidrolisar proteínas.

Peregrinar – 1. Viajar ou andar por terras distantes; correr por diferentes partes. 2. Ir em romaria por lugares santos ou de devoção. V. t. c. 3. Ir em romaria. V. t. d. 4. Andar em peregrinação por. 5. Percorrer, viajando.

Peregrino – Que peregrina. 2. Estranho, estrangeiro. 3. De bondade ou beleza rara. 4. Excelente, raro, extraordinário, excepcional. S. m. 5. Aquele que peregrina, que faz peregrinação (2); romeiro, peregrinante, peregrinador. [Var., ant., nesta acepç.: peregrim.]

Performático – Relativo a performance ('espetáculo').

Perfunctório – Que se faz como simples rotina funcional, e não por necessidade ou visando a um fim útil; superficial, ligeiro.

Pérgola – Pérgula.

Pérgula - [Do it. pergola.] S. f. Passeio ou abrigo, em jardins, feito de duas séries de colunas paralelas, e que serve de suporte a trepadeiras. Arquit. Estrutura horizontal composta de vigamento regular sustentado por pilares, que se constrói como um teto vazado, em área externa de uma edificação. [Seria preferível a grafia pérgola.]

Pericárdio - Saco externamente fibroso e internamente seroso, que reveste por fora o coração.

Periélio – Porção de terra cercada de água por todos os lados, menos um, pelo qual se liga a outra terra.

Peritônio – S. m. Anat. Membrana serosa que reveste, internamente, as cavidades abdominal e pélvica (peritônio parietal) e, externamente, as vísceras contidas nessas cavidades (peritônio visceral).

Peritonite – inflamação do peritônio

Perjuro – Que ou aquele que perjura, que falta à fé jurada.

Perlustrar – percorrer com a vista, observando; correr ou andar por; percorrer, visitar.

Perneta – 1. Perna pequena. 2. Pessoa a quem falta uma perna, ou que tem defeito numa das pernas; perna-de-pau.

Perpassar – 1. Passar junto ou ao longo. 2. Roçar de leve. 3. Fazer correr ou roçar. 4. Seguir certa direção; percorrer um caminho sem se deter; passar. 5. Passar, escoar-se (o tempo); decorrer. 6. Deixar atrás ou do lado; postergar, preterir.

Persignar-se – Fazer com o polegar da mão direita três cruzes, uma na testa, outra na boca e outra no peito, pronunciando a fórmula litúrgica: "Pelo sinal da Santa Cruz, livrai-nos Deus, Nosso Senhor, dos nossos inimigos". Benzer-se, fazendo o sinal-da-cruz.

Perspiração - Ato de transpirar insensivelmente em toda a superfície.

Pervagar - Percorrer em diversas direções; atravessar; cruzar. Andar a esmo ou sem destino; vagar; vaguear.

Pespontar – 1. Dar pesponto em; coser a pesponto.

Pesponto – Costura externa, feita à máquina com pontos graúdos que lembram o pesponto (1), e cujo fim é prender ou ornamentar a parte costurada. [Sin. ger.: posponto.]

Peste bubônica – doença infecciosa, essencialmente do rato, causada pelo bacilo de Yersin, e que por meio da pulga se transmite ao homem, assumindo, neste, uma de duas formas: a bubônica (em que há o aparecimento de tumefações ganglionares denominadas, popularmente, bubões), e a pneumônica (que se desenvolve com um quadro clínico típico de pneumonia lobar). A primeira dessas formas é benigna, e a segunda acarreta a morte, praticamente, em todos os casos.

Pestífera - Feminino de pestífero: que produz peste; pestilento. Danoso, nocivo, pernicioso, corrutor. Doente de peste.

Pestoso – Indivíduo acometido de peste, especialmente da peste bubônica.

Peta – Mancha em olho de cavalo. Cunha cortante nas costas do podão ou do sacho. Prolongamento de madeira usado para evitar que o vidro se risque. V. mentira (1). Bras. N. N.E. Cul. Espécie de bolo leve de mandioca. Bras. BA Cul. Mentira-carioca.

Petimetre – Diz-se de, ou indivíduo vestido com apuro exagerado; janota ridículo.

Petrechos - Munições e instrumentos de guerra. Quaisquer objetos necessários à execução de algo; aprestos. O mesmo que apetrechos.

Pez – Designação comum a substâncias betuminosas, sólidas ou semi-sólidas, naturais ou artificiais, resíduo da destilação de líquidos densos, de alcatrões, etc.; piche.

Picador – Aquele que ensina equitação ou amestra cavalos. Aquele que pica o touro, nas touradas, para enfurecê-lo.

Pieguismo – pieguice; qualidade de piegas: ridiculamente sentimental, pessoa que se embaraça com bagatelas.

Piezelétrico - Relativo à piezeletricidade: fenômeno observado em cristais anisotrópicos nos quais deformações mecânicas provocam polarizações elétricas seguindo determinadas direções.

Pigarrear – Ter pigarro; tossir com pigarro. Procurar desembaraçar da garganta o pigarro; limpar a garganta, temperar a garganta.

Pigarro – Embaraço na garganta produzido pela aderência de mucosidades ou por outro fator, e que se procura desobstruir produzindo ruído característico.

Pigmentação - Coloração produzida por um pigmento. Formação e acumulação, normal ou patológica, do pigmento em certos pontos do organismo animal ou vegetal.

Pigmeu - Que é de estatura muito baixa; anão. Fig.: De talento ou cultura insignificante. Sem grandeza, pequenino, mesquinho. Indivíduo pertencente a certas raças de homens muito pequenos da África central (altura inferior a 1,50 m).

Piloro – Orifício de comunicação do estômago com o duodeno.

Píncaro – S. m. V. cume (1). 2. Pináculo (1).

Pinel – [Do nome de pronto-socorro psiquiátrico do Rio de Janeiro, Hospital Pinel, assim batizado em homenagem ao psiquiatra francês Philippe Pinel (1745-1826).] S. 2 g. Bras. Gír. 1. Pessoa adoidada, amalucada. [Pl.: pinéis.] Ficar pinel. Bras. Gír. 1. Ficar louco;

Pingente – 1. Pequeno objeto pendente, em geral com a forma de pingo. 2. Brinco (1) pendente; pendente. 3. V. penduricalho (1). 4. Bras. Passageiro que viaja no estribo de um bonde ou pendurado em qualquer veículo.

Pinima – Pinimba.

Pinimba – Pinima. Coisa ruim ou fatal; praga. Birra, embirrância, implicância.

Pinoia – S. f. Pop. 1. Mulher elegante e de vida airada. 2. Bras. Coisa reles, sem valor. 3. Bras. Aborrecimento, caceteação, amolação; chateação. 4. Mau negócio; engano, logro.



1   ...   13   14   15   16   17   18   19   20   ...   28


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal